UFJF apresenta equipe para a temporada 2014/2015

Destacado

por Luara Herédia

Jogadores  se reuníram para acertarem os últimos detalhes. _ Foto: Lucilia Bortone

_ Jogadores  acertarem os últimos detalhes.
                                                  Foto: Lucilia Bortone

 Na última terça-feira,15, a UFJF apresentou à imprensa a equipe que irá disputar a temporada 2014/2015. No primeiro encontro, a comissão técnica se reuniu com os jogadores por mais de uma hora e traçaram os objetivos da temporada, entre eles, a vaga para a final do Campeonato Mineiro e a classificação para os playoffs da Superliga.

Com um elenco bastante modificado, a equipe agora conta com 14 jogadores, sendo apenas cinco jogadores remanescentes da última temporada: o líbero Octacílio Netto, os centrais Ninão e Victor Hugo, o levantador Vitor Gelli e o  ponteiro Daivison.

Os outros jogadores contratados foram o levantador Rodrigo, que jogava em São Bernardo, os centrais Ialisson e Tarcísio, que vieram respectivamente das equipes de Volta Redonda e Sesi, os ponteiros Sérgio, de Taubaté, Manius e Batagim, do Sesi, os opostos Bérgamo, ex- Canoas e Alemão, do RJ Vôlei. A temporada 2014/2015 marca a volta do líbero Fábio Paes, que defendeu a UFJF na temporada 2012/2013.

Maurício Bara, diretor técnico da UFJF fala sobre a temporada. _Foto: Lucilia Bortone

_ Maurício Bara, diretor técnico da UFJF fala sobre a temporada.
             Foto: Lucilia Bortone

A comissão técnica do time também está modificada e tem agora três treinadores que já vivenciaram a Superliga; além do diretor técnico Mauricio Bara, que comandou a UFJF em duas temporadas e Carlos Augusto, o “Chiquita”, que permanece à frente do time, Alessandro Fadul ex- técnico de Volta Redonda  assume o cargo de auxiliar técnico do projeto. Para Chiquita, essa experiência fora de quadra vai servir para o crescimento da equipe “Nós somos bem abertos à discussão. A gente vai discutir voleibol, estratégias, formação técnica, formação tática para montar nosso plano de jogo”, afirmou.

Para a temporada, a equipe aposta na mescla de jovens jogadores e atletas experientes, como o ponteiro Manius, 38 anos, que já defendeu  grandes equipes, como o Minas, RJX e SESI “Acredito que trabalhando com esse grupo, podemos formar uma equipe que possa trazer grandes conquistas”, explicou o atleta.

O treinador Chiquita está confiante em sua equipe “No papel, a princípio, nós estamos acertando. Na temporada passada a gente bateu na trave, mas com muitos problemas: contusões, rendimento técnico, ajuste da equipe. Foram muitas coisas que aconteceram e mesmo assim a gente conseguiu chegar a um patamar acima das temporadas anteriores. Tenho certeza que este grupo vai trazer muitas coisas boas para a torcida de Juiz de Fora e para o nosso grupo da Universidade”, finalizou.

 Calendário

Ainda sem datas definidas para as competições, na próxima sexta-feira (18), a Federação Mineira de Voleibol(FMV) irá fazer uma reunião com os representantes dos times mineiros para definir as datas e o formato do Campeonato Mineiro de 2014. A previsão é que o campeonato aconteça em setembro. Já quanto a Superliga, a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) ainda não se pronunciou, mas está previsto que a principal competição da modalidade comece entre outubro e novembro, uma vez que as seleções masculinas e femininas estarão disputando o Campeonato Mundial adulto em setembro.

 

Fotos: Lucila Bortone

 

Entrevista com Maurício Bara, diretor técnico da UFJF

Destacado

 

por Luara Herédia

Garantida na elite do voleibol masculino pelo quarto ano consecutivo, a  UFJF  se prepara para mais uma temporada. Conversamos com Maurício Bara,  diretor técnico do time, para saber as novidades da equipe de Juiz de Fora. Confira o bate papo:

bara 3

Maurício foi técnico da UFJF por duas temporadas e atualmente é diretor técnico. _ Foto: Lucilia Bortone

 

            Sobre a montagem do elenco para a temporada…

 Bara: Estamos em um processo avançado agora, não posso ainda anunciar 100% quem vem, quem não vem, mas a gente já avançou bastante com vários atletas e algumas renovações pontuais. A tendência é que a gente tenha uma renovação significativa do elenco, permanecendo uns cinco atletas e trazendo uns oito ou nove novos jogadores, tentando sempre aprimorar. É continuar o que a gente tem feito ao longo dos anos, e isso exige uma mágica financeira, você precisa tentar fazer um time melhor, com o mesmo orçamento, que na verdade é um orçamento menor, porque as coisas se inflacionam. Esse é o nosso desafio do momento, e de todo ano, enquanto a gente não tiver uma verba crescente ou maior.

            Então, a UFJF vai passar por uma renovação forte em seu elenco… 

Bara: A tendência é que a gente tenha um time bastante competitivo, se a gente acertar as peças e se as peças se acertarem, estamos buscando jogadores com a mescla de experiência e uma mescla de busca de mercado. Nosso objetivo é classificarmos para os playoffs, chegar em uma final do campeonato mineiro, e para isso, precisamos

_ O levantador Danilo Gelinski já é um desfalque para a próxima temporada.

_ O levantador Danilo Gelinski já é um desfalque para a próxima temporada.

também de jogadores que busquem seu lugar, que busquem se solidificar no mercado nacional. Tentando isso, vamos ver se a gente consegue concretizar esses objetivos que podem ser altos,mas a gente tem chegado perto e vamos ver com naturalidade se conseguirmos.

Alguns sites já dão como contratados o líbero Octacílio, o central Victor Hugo e a volta do líbero Fabio Paes…

Estes estão 90% confirmados, falta ainda a caneta final, mas estão bem avançados. No linguajar se fala confirmado, mas não vou divulgar agora. Porém, mais para frente quando for divulgar a equipe, vou divulgar as decepções também, para o pessoal entender também por que eu não falo. Por exemplo, estivemos perto de acertar com um grande

 Octacílio e Victor Hugo estão perto de defender a UFJF por mais uma temporada. ___ Foto: Lucilia Bortone

_ Octacílio e Victor Hugo estão perto de defender a UFJF por mais uma temporada. _ Foto: Lucilia Bortone

jogador(quase morri de curiosidade, mas ele não falou nem em off), acertamos tudo o que tinha que acertar, mas na última hora ele não quis vir por causa da família dele, etc. Então, fica aquela situação, imagina se eu tivesse anunciado? E a expectativa que isso iria gerar e depois o peso em cima de mim? Iriam falar, o cara anunciou, quis aparecer, e isso não é muito a nossa filosofia aqui.

O nome Jardel apareceu na conversa. Ele teve uma passagem conturbada na equipe na temporada 2011/2012, mas voltou ano passado, com uma rejeição alta da torcida, mas ao longo da temporada ajudou muito a UFJF, principalmente depois que ele mudou de posição (pelo baixo rendimento dos opostos, Jardel jogou alguns jogos da Superliga na posição de oposto). E agora é um dos símbolos da equipe mineira, como andam as negociações com ele?

__ Jardel pode não renovar com a equipe mineira. _ Foto: Lucilia Bortone

__ Jardel pode não renovar com a equipe mineira. _ Foto: Lucilia Bortone

Bara: O Jardel teve essa relação de amor e ódio por todas as equipes que ele passou. Olha como é fogo a nossa posição, no início da contratação dele queriam me matar. Aí agora o cara cai na graça, mas nessa hora a gente tem que deixar a emoção de lado. Deixar a emoção só pra hora do jogo.
Eu pessoalmente gosto muito dele, ele ajudou a gente demais e estamos analisando. Não é que ele está fora dos planos, mas temos que analisar o mercado e o perfil de equipe que a gente quer. Ele pode pintar, como pode não pintar, estamos aguardando pra ver. Mas, pessoalmente, minha relação com ele é a melhor possível, é um cara vencedor, mas tem essa relação de amor e ódio, né? (risos)

              A UFJF já tem data para se reapresentar?

Bara: A nossa previsão é que entre os dias 1º e 15 de julho a gente inicie os treinamentos. Talvez eu apresente a equipe um pouco antes, dizendo quem é quem, mas vamos definir ainda. Vamos aproveitar a questão da Copa do Mundo para resolver algumas questões internas nossas e se tiver tudo certo dentro dessa data, a gente deve começar a treinar.

Equipe deve se reapresentar entre os dias 1º e 15 de julho._ Foto: Lucilia Bortone

Equipe deve se reapresentar entre os dias 1º e 15 de julho._ Foto: Lucilia Bortone

             A Federação Mineira de Vôlei ( FMV) já se pronunciou sobre o Campeonato Mineiro?

  Bara: É, não tem nada, nunca tem. Como ele não está definido, a gente não tem nem como fazer um planejamento, mas espera-se que ele ocorra até meados de agosto. Pelo menos a Superliga já se tem notícias que será em meados de outubro. A gente tem agosto e setembro para fazer o Mineiro, e espero que se faça, para não ficar aquela coisa de: o jogo de hoje é Superliga ou Mineiro? Ninguém aguenta isso! Nós não estamos preparados para isso.

              E por fim, 21 ou 25 pontos …

Bara: O que é legal nos jogos de 25 pontos são as mudanças para a torcida. O time está perdendo de 18 a 14, e de repente, a outra equipe se recupera. Já no set de 21 acontecem poucas viradas. E outra coisa que eu notei, nos 21 pontos o jogo para demais: 7,14… Então, vamos voltar para 25, que é sem dúvida nenhuma melhor, ficou provado. No primeiro momento eu achei que seria bacana, uma coisa mais dinâmica, mas pode ver que aconteceram alguns placares inclusive com a gente meio esquisitos, tipo um 21 x 8. Mas toda mudança é válida, só acho que ela foi testada no lugar errado, ela deveria ter sido testada na Superliga do Afeganistão.

Bara  no último jogo da temporada 2013/2014.

_ Maurício Bara no último jogo da temporada 2013/2014.                                                                                   _Foto : Lucilia Bortone

 

LIGA MUNDIAL DE VÔLEI 2014

Destacado

por Luara Heredia

A 25ª edição da Liga Mundial vai começar nesta sexta- feira, 23, e só vai terminar no dia 20 de julho. Com um novo formato e 28 participantes, a competição promete ser acirrada e um “aperitivo” para o Campeonato Mundial, que será disputado em agosto, na Polônia.

FIVB_WL

SELEÇÃO BRASILEIRA

Maior vencedor da competição com nove medalhas de ouro, o Brasil tenta reconquistar a Liga Mundial, título que não conquista desde 2010. No ano passado, a equipe brasileira foi superada pela Rússia.

Confira a lista dos 22 convocados pelo técnico Bernardinho :

Levantadores – Bruno Rezende (Moderna- Itália), Raphael Oliveira (Al-Rayyan– Qatar) e William Arjona (Sada/Cruzeiro- Brasil) e Murilo Radke (Canoas- Brasil)

Opostos – Wallace de Souza (Sada/Cruzeiro- Brasil ), Leandro Vissotto, Théo Lopes (UPCN- Argentina), Rafael Araújo (Taubaté-Brasil)

Ponteiros: Ricardo Lucarelli(SESI/SP- Brasil), Murilo Endres (SESI/SP- Brasil), Maurício Borges (Minas Tênis Clube- Brasil), Luiz Felipe Fonteles(Fenerbahce- Turquia), Lucas Loh( Minas Tênis Clube- Brasil) e Douglas Souza( São Bernardo- Brasil)

Líberos: Mário Júnior (RJ Vôlei- Brasil) e Felipe Lourenço ( São Bernardo Vôlei- Brasil)

Centrais: Éder Carbonera (Sada/Cruzeiro- Brasil), Lucas Saatkamp (SESI/SP- Brasil), Isac Santos (Sada/ Cruzeiro- Brasil), Gustavo Bonatto(Medley/ Campinas),Sidnei dos Santos (SESI/SP- Brasil), Maurício Souza( Halkbank- Turquia)

JOGO DA SEMANA

O primeiro desafio da seleção brasileira é contra um rival histórico, Brasil x Itália, duelam em um confronto que coloca em quadra 17 títulos de Liga Mundial (8 dos italianos e 9 dos brasileiros). A partida será nos dias 23 e 24, na Arena Jaraguá, em Jaraguá do Sul (Santa Catarina).

PARTICIPANTES

Grupo A: Brasil, Itália, Polônia e Irã

Grupo B: Rússia, Estados Unidos, Bulgária e Sérvia

Grupo C: Canadá, Austrália, Finlândia e Bélgica

Grupo D: Argentina, Alemanha, França e Japão

Grupo E: Coréia do Sul, República Tcheca, Holanda e Portugal

Grupo F: Cuba, Tunísia, México e Turquia

Grupo G: China, Porto Rico, Espanha e Eslováquia

 

Sada/Cruzeiro e SESI- SP decidem a final da Superliga Masculina

Destacado

por Luara Herédia

 

Foto: DIvulgação CBV/ Alexandre Arruda.

Foto: DIvulgação CBV/ Alexandre Arruda.

Neste domingo, 13, Sada/Cruzeiro e  SESI- SP entram em quadra para disputar o título da Superliga 2013/2014. O duelo vai colocar frente a frente os dois melhores times da competição, o time mineiro terminou o  returno na  1ª colocação, enquanto os paulistas  ficaram  em segundo. A partida será às 10h, no Ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte  (MG), com transmissão da Rede Globo.

 O jogo será uma reedição da final da Superliga 2010/ 2011. Naquela oportunidade, o SESI superou o mando de campo cruzeirense e venceu por 3 sets a 1, conquistando sua primeira taça da competição.

_ Foto: Lucilia Bortone

_ Foto: Lucilia Bortone

Mesmo depois de três temporadas, as equipes permaneceram com a base de seus  elencos,  e oito jogadores que estavam no primeiro duelo continuam nos times. Do lado paulista, o ponteiro Murilo, o central Sidão e o líbero Serginho foram campeões naquela oportunidadee. Já do lado cruzeirense, o levantador William, o central Douglas Cordeiro, o oposto Wallace, o ponteiro Filipe e o libero Serginho ficaram com o vice-campeonato.

 Playoffs

_ Foto: Lucilia Bortone

_ Foto: Lucilia Bortone

 Depois de terminar as 22 rodadas (turno e returno) na liderança, o Sada/Cruzeiro superou nas quartas de final o Moda Maringá e mas semifinais passou tranquilo pelo Vivo / Minas. O SESI eliminou nas quartas de final o São Bernardo Vôlei e na semifinal superou o Brasil Kirin.

 Ingressos

A venda de  ingresso para o jogo final da Superliga aconteceu através do site  livepass.com, mas os 11 mil bilhetes colocados à disposição do torcedor se esgotaram em apenas 2 horas. Agora, restam 3 mil  entradas, que poderão ser adquiridas na bilheteria do Mineirinho ou na sede do Sada/ Cruzeiro( Rua Ouro Preto, s/n – Barro Preto), em Belo Horizonte, a partir das 10 horas desta quarta- feira, 09.

Os ingressos custam R$ 40 ( inteira) arquibancada inferior e R$ 20( inteira) arquibancada superior. Estudantes  e idosos têm direito à meia entrada diante comprovação de documento.

UFJF vence, mas não consegue se classificar para os playoffs

Destacado

 por Luara Herédia 

Equipe cumpriu o dever de casa, mas não contou com "ajuda" de Maringá para se classificar. - Foto: Lucilia Bortone

__Equipe cumpriu o dever de casa, mas não contou com “ajuda” de Maringá para se classificar.
- Foto: Lucilia Bortone

A UFJF  cumpriu o dever de casa e venceu a equipe do Brasil Kirin por 3 sets a 1(parciais de 21 x 19, 22 x 24, 21 x 15 e 21×19), em partida válida pela última rodada do returno da Superliga. Mesmo com a vitória, o resultado não foi  suficiente para classificar o time de Juiz de Fora para os playoffs( apenas os oito primeiros se classificaram).

Para avançar, os mineiros precisavam vencer, e torcer para o Moda/ Maringá não somar pontos diante de Volta/ Redonda, porém, o time paranaense saiu vitorioso por 3 sets a 1, terminando em oitavo lugar, e conquistando a última vaga. Já a UFJF encerrou sua  participação  em 9º lugar, com 25 pontos e 8 vitórias,  a melhor classificação em três temporadas.

Agora, a equipe de Juiz de Fora aguarda uma resposta da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) para definir o futuro na temporada. Ainda não se sabe qual o critério para definir o time rebaixado ou se haverá um torneio com os quatro últimos colocados ( do 9º ao 12) para definir quem permanece na elite do vôlei na Superliga 2014/2015.

 O jogo

camp

 Precisando da vitória, a UFJF começou a partida  mais nervosa e viu o adversário abrir três pontos 6 x3. Após o tempo técnico, a equipe da casa voltou melhor e empatou o jogo 8 x 8, e  liderava  o placar na segunda parada técnica por 14 x 13. O set seguiu equilibrado e empatado até os 19 pontos, mas na  bola de xeque, Juiz de Fora venceu o 1º set por 21 x 19.

2º set

O equilíbrio permaneceu no início do segundo set,com a UFJF à frente com apenas um ponto de vantagem na parada técnica 7 x 6. Empurrados pela torcida, a equipe mineira abriu três pontos 10 x 7, mas viu a equipe de Campinas reagir e virar o set para 11 x 10. O fim do set foi bastante disputado, com as equipes se alternando na liderança e após várias chances, Campinas fechou em 24 x 22, e empatou o jogo.

_Após set equilibrado, Campinas vence o 2º set e empata a partida. Foto: Lucilia Bortone

_  Após set equilibrado, Campinas vence o 2º set e empata a partida.
Foto: Lucilia Bortone

3º set

O terceiro set foi o mais tranquilo do confronto. Os donos da casa ficaram à frente durante todo o set. Na primeira parada técnica lideravam por 7 x 5,  vantagem  que permaneceu no segundo tempo técnico 14 x 12.   Com o poder ofensivo e defensivo funcionando muito bem a equipe de Juiz de Fora não deu chances ao  Brasil Kirin e venceu por 21 x 15.

4º set

Os visitantes começaram melhor  e venciam por 7 x 6. Na sequência do jogo a  UFJF se recuperou e com apoio da torcida virou o set para 14 x 11.  Campinas se recuperou e deixou  o set empatado em 16 pontos.  A UFJF voltou a liderar o set e na largadinha teve a primeira oportunidade de fechar o jogo 20 x 18, Campinas buscou mais uma reação, mas a Federal não permitiu, fechando o set em 21 x 19 e o jogo por 3 sets a 1. O central Lucão recebeu o troféu Viva Vôlei de melhor da partida, já o oposto Jardel   foi o maior pontuador com 17 pontos.

Torcida compareceu ao ginásio da Faefid e lutou com o time até o fim. Foto: Lucilia Bortone.

_  Torcida compareceu ao ginásio da Faefid e lutou com o time até o fim.
Foto: Lucilia Bortone.

 

Para conferir mais fotos da partida, clique aqui.

UFJF vence Canoas e ainda sonha com a classificação

Destacado

 por Luara Herédia

A UFJF  segue sonhando com a última vaga para os playoffs da Superliga, embalados, a equipe mineira conseguiu a quinta vitória. nos últimos seis confrontos. Desta vez, os juizforanos venceram a equipe do Kappesberg/Canoas, na casa do adversário, por  3 sets a 1 (parciais de 18/21, 23/21, 23/21 e 31/18).  Com o resultado, a UFJF  soma  22 pontos, permanecendo com a 9ª colocação na tabela.

- Crédito: UFJF/ Divulgação

– Crédito: UFJF/ Divulgação

Para conseguir a  classificação inédita para a próxima fase da Superliga( os oitos primeiros se classificam), o time de Juiz de Fora precisa vencer  a próxima partida diante do Vôlei Brasil Kirin e torcer por uma derrota do Moda/Maringá, que, com 24 pontos, ocupa atualmente a 8ª colocação . A última rodada do returno da Superliga será na quarta- feira, 26, na arena da Faculdade de Educação Física da UFJF, às 19h.

UFJF vence Volta Redonda e sobe na tabela

Destacado

por Luara Herédia

Equipe conquistou a sexta vitória na Superliga e ainda sonha com a classificação para os playoffs. - Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei

Equipe conquistou a sexta vitória na Superliga e ainda sonha com a classificação para os playoffs.
- Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei

A UFJF segue embalada nesta reta final do returno da Superliga e diante da torcida venceu o Volta Redonda por 3 sets a 1. Parciais de 17 x 21, 32 x 30, 21 x 19 e 21 x 14. Com o resultado, os mineiros conquistaram a sexta vitória na competição, somaram 19 pontos e pularam para o 9º lugar.

Os destaques de Juiz de Fora foram os ponteiro Dede com 17 pontos, e o levantador Rivoli, que levou o Troféu Viva Vôlei, dado ao melhor jogador da partida, que foi entregue pelo reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora, Henrique Duque, que acompanhou a partida.

O supervisor da UFJF,Heglison Toledo, o professor Renato Miranda e o reitor, Henrique Duque comemoram a vitória . Foto: Lucilia Bortone

O supervisor da UFJF,Heglison Toledo, o professor Renato Miranda e o reitor, Henrique Duque comemoram a vitória .
Foto: Lucilia Bortone

A UFJF segue sonhando com a classificação para os playoffs (os oito primeiros colocados se classificam), mas não dependem apenas dos próprios resultados. A equipe volta à quadra no próximo sábado,22, para o penúltimo jogo do returno, contra o Kappensberg/Canoas, na casa do adversário. Com 31 pontos, o Canoas está em sexto lugar e já está garantido na próxima fase da Superliga.

O jogo
A partida já começou com um rally, que terminou em ponto para a UFJF, no ataque do ponteiro Dede. As equipes se alternavam à frente do marcador e Volta Redonda chegou à frente no primeiro tempo técnico 7 x 6. O jogo seguiu equilibrado e após bloqueio, os visitantes abriram dois pontos 14 x 12. O técnico de Juiz de Fora, Carlos Augusto “Chiquita” parou o jogo para tentar ajustar sua equipe, mas não evitou que o adversário saísse com a vitória no 1º set por 21 x 17.

2º set
O segundo set foi o mas eletrizante do confronto. A UFJF começou melhor e abriu 2 x 0. Na parada obrigatória , os mineiros venciam por 7 x 6. Mas na sequência do jogo, o Voltaço passou à frente e abriu 13 x 10. Com a torcida jogando junto a UFJF foi buscar o resultado e no erro do adversário deixou tudo igual em 16 pontos.Errando menos, a UFJF passou à frente no placar e teve a primeira chance de vencer o set 20 x 19. Porém, Volta Redonda não se entregou e deixou tudo igual em 20 x 20, e após excelente saque, retomou à frente do placar: 21 x 20. O set seguiu emocionante,com as duas equipes tendo oportunidade de vencer. Depois de quase 40 minutos de disputa, a UFJF fechou em 32 x 30, no bloqueio de Victor Hugo.

volta
3º set
Embalados com a vitória no set anterior, a UFJF abriu vantagem logo no início 3×1.Com dois pontos à frente, a UFJF liderava o set no primeiro tempo técnico por 7 x 5. Os donos da casa permaneceram à frente e no bloqueio de Jardel foram para a na parada técnica com 14 x 12. Na volta do jogo, o juiz deu cartão vermelho para o time fluminense, o que deu um ponto a mais para Juiz de Fora, 15 x 12. Com vantagem, o time mineiro fechou o set em 21 x 16 e virou o jogo para 2 sets a 1.

4º set
Determinados a fecharem o jogo, a UFJF começou de forma arrasadora e liderava por 6 x 2. Já Voltaço, precisando da vitória para levar a partida para o quinto set empatou em 7 x 7. No ponto se saque de Dede, a UFJF abriu dois pontos e no segundo tempo técnico liderava por 14 x 12. Os donos da casa aumentaram a vantagem para quatro pontos 16 x 12, e com folga no placar, fecharam o set em 21 x 14 e o jogo em 3 sets a 1.

uf final

Para conferir mais fotos da partida, clique aqui.

UFJF vence São Bernardo fora de casa

Destacado

por Luara Herédia

sao bernardo

O time de Juiz de Fora foi ao interior de São Paulo e conquistou a 5ª vitória na Superliga Masculina de Vôlei.Mesmo jogando fora de casa, os mineiros venceram os paulistas por 3 sets a 1, parciais de 22 x 20, 7×21, 21 x 15 e 24 x 22. Com o resultado, a UFJF soma 16 pontos e sobe para o 11º lugar na tabela.
Os destaques da partida foram os jogadores Jardel, que marcou 17 pontos e o ponteiro Japa, que ganhou o Troféu Viva Vôlei, prêmio dado ao melhor jogador da disputa.

O ponteiro Japa recebeu o Troféu Viva Vôlei.  Foto: UFJF

O ponteiro Japa recebeu o Troféu Viva Vôlei.
Foto: UFJF

Agora, depois de dois jogos fora de casa, a UFJF se prepara para voltar à jogar diante de sua torcida no próximo sábado, 15, às 18h, contra Volta Redonda, em confronto direto na tabela. A equipe fluminense é a 10ª colcoada, com 17 pontos, um a mais que o time de Juiz de Fora, em 11º lugar.

Fora de casa, UFJF não consegue superar Moda/Maringágá

Destacado

por Luara Herédia

Foto: Moda Maringá ( divulgação)

Foto: Moda Maringá ( divulgação)

Depois de duas vitórias consecutivas na Superliga, a equipe da UFJF voltou à quadra para enfrentar o Moda/ Maringá na casa do adversário. Em partida equilibrada, o time mineiro levou a partida para o quinto set, mas não conseguiu superar os donos da casa, que venceram por 3 sets a 2( parciais de 21 x19 ,13×21, 21 x 19, 21 x 23 e 18 x 16.)
O técnico da Federal, Carlos Augsto “Chiquita” segue utilizando o central Jardel na posição de oposto e escalou sua equipe com os seguintes jogadores: levantador Rivoli, ponteiros Japa e Daivisson, centrais Ninão e Victor Hugo e o líbero Octacílio. Com o resultado , Juiz de Fora somou apenas um ponto na tabela e com isso permanece em 12º lugar na competição, com 13 pontos conquistados.
Agora a equipe viaja para São Bernardo do Campo ( SP), para enfrentar na próxima terça -feira, 11, às 20h30, os donos da casa. A partida é válida pela 8ª rodada do segundo turno da Superliga Masculina.

UFJF vence a segunda partida seguida na Superliga

Destacado

por Luara Herédia

A equipe de vôlei da UFJF conseguiu a segunda vitória consecutiva na Superliga. Embalados depois de quebrar o jejum de oito derrotas seguidas diante do Minas Tênis Clube, na quarta-feira, a equipe de Juiz de Fora voltou à quadra neste sábado, 1º, e, em um jogo eletrizante, venceu o Funvic/Taubaté adversário direto na tabela por 3 sets a 2 (18×21, 21×18, 21×16, 17×21 e 23×21).

Reffatti (19) enfrenta o bloqueio adversário

Reffatti (19) enfrenta o bloqueio adversário (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei.com)

Com o resultado, os mineiros somaram 12 pontos e quatro vitórias na competição. Após o jogo, o técnico da UFJF, Carlos Augusto “Chiquita” aprovou a atuação da equipe, sobretudo pela nova formação do time. Insatisfeito com o rendimento dos opostos do elenco, o comandante testou pela segunda vez o central Jardel na função de oposto e saiu satisfeito com o resultado e com o desempenho dos jogadores.

Os próximo confronto da Federal  será no próximo sábado, 8, às 19h30, em Maringá, contra os donos da casa.

O Jogo:

A UFJF logo marcou 2 x 0. Jogando melhor, a equipe da casa foi para o primeiro tempo técnico quatro pontos na frente dos adversário (7 x 3). Correndo atrás do placar, Taubaté reagiu e encorou no marcador 13 x 12, provocando o pedido de tempo de Chiquita. No contra-ataque eficiente dos visitantes a partida ficou empatada. Na seqüência, no ataque do central  Ninão, a UFJF voltou a  liderar o placar 14 x 13. Na volta do jogo, após erro de ataque dos mineiros, os visitantes passaram à frente e abriram 16 x 14. A equipe paulista controlou a vantagem adquirida e fechou o set em 21 x 18.

2º set

Novamente os donos da casa começaram melhor o set e abriram 3 x 1. Na parada técnica a UFJF liderava por 7 x 4. Precisando do resultado e contando com o apoio das arquibancadas, a Federal ampliou o marcador e no segundo tempo técnico o placar era 14 x 10. Com quanto pontos à frente, a UFJF chegou ao set point 20 x 16, mas, na hora de fechar o set, o time enfrentou dificuldades e viu o adversário encostar (20 x 18). Após o susto os mineiros fecharam o set em 21 x 18, devolvendo o placar do 1º set.

3º set

O bloqueio foi uma das armas da vitória mineira

O bloqueio foi uma das armas da vitória mineira (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei.com)

Logo no início do set os mineiros acharam o tempo de bloqueio e fizeram três pontos seguidos que ajudaram a Federal a abrir vantagem de 7 x 3. Enquanto o adversário cometia muitos erros no saque, a UFJF tinha um bom rendimento e abriu oito pontos de vantagem: 12 x4.  Na segunda parada obrigatória o marcador era 14 x 5 para a equipe mineira. Jogando melhor e aproveitando os contra-ataques, os donos da casa abriram dez pontos 18 x 8 e encaminharam para fechar o set. Taubaté até tentou uma reação e diminuiu a desvantagem para quatro pontos 20 x 16, mas no erro de saque do levantador do time paulista os mineiros fecharam o set em 21 x 16, e viraram o jogo para 2 sets a 1.

4º set
Precisando vencer para permanecer vivo no jogo, os visitantes fizeram 2 x 0. No tempo técnico, Funvic/Taubaté liderava por 7 x 5. Os mineiros começaram  a errar mais e viram o adversário abrir 12 x 8. Após duas defesas da UFJF, a equipe contou com o erro do adversário para pontuar 12 x 10. No bloqueio a equipe diminuiu a desvantagem para um ponto 12 x 11, mas voltaram a errar e viram os paulistas abrirem no marcador 16 x 12 e fecharem o set em 21×17, depois do erro de saque de Juiz de Fora.

5º set

O set decisivo começou com o ponto de Taubaté. A UFJF passou à frente depois do ataque pelo meio 3 x 2 e abriu dois pontos após bloqueio 4×2. Na troca de lado o Funvic liderava por 8 x 7. Na sequência o set mas curto seguiu equilibrado, com as equipes se revezando nos pontos 11 x 11. No bloqueio a UFJF retomaram o placar 12 x 11, mas os visitantes tiveram a chance de fechar o jogo, após erro de recepção da UFJF (14 x 13). Porém, o time mineiro manteve a tranquilidade dentro de quadra e deixou o set novamente empatado até os 18 pontos, quando tiveram a chance de fechar o jogo após erro de Taubaté (19 x 18). Foi a vez dos paulistas manterem a tranquilidade e impedir a vitória dos donos da casa, 19 x 19. Em fim de jogo eletrizante, o set ficou empatado até os 21 pontos, após rally a Federal teve mais uma chance de fechar o jogo e na sequência, depois de um erro de ataque de Funvic, a UFJF fechou o tie-break em 23 x 21 e o jogo por 3 sets a 2.

O  Viva Vôlei ficou com Dede, ponteiro da UFJF.

UFJF e RJ Vôlei se enfrentam em meio à crise

Destacado

*por Luara Herédia

 

-  Equipe de Juiz de Fora  precisa vencer para se recuperar na tabela.  Foto: Lucilia Bortone

– Equipe de Juiz de Fora precisa vencer para se recuperar na tabela. Foto: Lucilia Bortone

A equipe de vôlei da UFJF não tem tempo para se lamentar, depois da derrota na última terça- feira para o Cruzeiro por 3 sets a 0, parciais de 21 x 11, 21 x 11 e 21 x 18, a equipe já se prepara para o novo desafio. Neste sábado,11, o time de Juiz de Fora volta à quadra diante do 18h, no ginásio da UFJF.
O confronto entre UFJF x RJ Vôlei colocará frente a frente duas equipes que estão em situação complicada no campeonato. A UFJF sofreu seis derrotas consecutivas, somou apenas 9 pontos e é a lanterna da competição.

Um dos grandes problemas da Federal é quanto o baixo rendimento dos opostos do elenco:De Paula e Daniel . Como alternativa, o o técnico Carlos Augusto “Chiquita” vêm optando por utilizar três ponteiros ao invés de um oposto, além de Reffatti e Hugo , Japa começa jogando , além de auxiliar na recepção do time.No último jogo da equipe “Chiquita” utilizou os opostos, mas após a derrota diante do Sada/ Cruzeiro voltou à questionar o rendimento abaixo do esperado dos opostos.

Além disso, o time de Juiz de Fora sofre com o bloqueio, e a posição de meio de rede é outra que anda bastante conturbada e não tem” titulares” definidos. O central Victor Hugo é o que mais participa dos jogos, Jardel era o segundo central,mas que se recupera de lesão. Quem vem entrando nos jogos é Ninão, contratado para substituir outro Diego, que foi jogar no vôlei espanhol . Ainda fazem parte do elenco Sequela, que voltou de contusão e Lucão, que pode ficar de fora do resto da temporada por conta de uma lesão na perna esquerda.

Cariocas em situação difícil

Se a situação na tabela está feia para a UFJF, as coisas não estão mais fáceis para o próximo adversário. O RJ Vôlei está sofrendo a pior crise da temporada. A equipe é a atual campeã da Superliga, mas foi surpreendida com a saída do patrocinador master da equipe, a empresa OGX, propriedade de Eike Batista, no meio da temporada e a troca de nomes da equipe, de RJX para RJ Vôlei.

O técnico Marcelo Fronckowiak precisa quebrar a cabeça para montar sua equipe. Foto: Lucilia Bortone

O técnico Marcelo Fronckowiak precisa quebrar a cabeça para montar sua equipe. Foto: Lucilia Bortone

Para piorar, o patrocinador devia 4 meses de salários aos jogadores, a situação chegou a um ponto em que os jogadores estão saindo e se transferindo para outros países. O primeiro a sair foi o central Maurício, que foi para o voleibol turco. Na semana passada, o capitão Bruno Rezende se transferiu para o voleibol italiano e Thiago Sens para a Arábia. Nesta quinta- feira, o oposto Leandro Vissotto anunciou sua ida para a Coreia do Sul e o ponteiro Thiago Alves também está perto de dar adeus.

A situação é tão feia, que a equipe carioca tem apenas um levantador em seu elenco e corre o risco de ter menos jogador do que é permitido nas regras. Com isso, o RJ Vôlei dependeria das outras equipes permitirem que o time inscrevesse novos jogadores para a sequência da competição.

Ingressos para UFJF x RJ Vôlei

As entradas para o jogo estão sendo vendidos com valores promocionais, R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia entrada), até às 14h de sábado e podem sem adquiridos nos seguintes pontos de venda: Hotel Victory Suites (Rua Oswaldo Aranha, nº 20, São Mateus), Loja AFA Bikes (Rua Santo Antônio, nº 1440, Centro, além do restaurante Salsa Parrilla da Praça Cívica e da cantina da Faculdade de Educação Física, no campus da Universidade Federal. Devido à intensa procura da torcida, a diretoria da UFJF informou que só haverá venda na porta do ginásio conforme disponibilidade dos bilhetes. No último jogo os 800 ingressos se esgotaram.

UFJF perde para o Sada/ Cruzeiro e agora é o lanterna da Superliga

Destacado

por Luara Herédia

 Cruzeiro não deu chances para a UFJF.

Cruzeiro não deu chances para a UFJF.

A equipe de vôlei da UFJF recebeu nesta terça- feira, 07, o Sada/ Cruzeiro e perdeu por 3 sets a 0. Parciais de 21 x 11, 21×11 e 21 x 18, em partida válida pela terceira rodada do returno da Superliga.Vencer os cruzeirenses já é uma tarefa(quase) impossível, e para piorar a situação da equipe de Juiz de Fora, o Sada vinha “mordido” de uma derrota ( inesperada) para o então lanterna da competição, Funvic/ Taubaté.

Mesmo diante do enorme desafio, o elenco da UFJF estava confiante, afinal, no dia 21 de dezembro, pouco menos de 15 dias, as duas equipes se enfrentaram pela semifinal do campeonato mineiro. Os juizforanos perderam por 3 sets a 1, mas fizeram uma partida equilibrada do início ao fim e chegaram a vencer um set , parciais de 17/21, 13/21, 21/19 e 17/21.Mas no jogo de hoje, o que foi possível notar, foi um Cruzeiro sobrando em quadra sem dar chances ao adversário.

O jogo

O jogo até começou equilibrado, com as equipes se revezando no placar. No primeiro tempo técnico o placar era 7 x 6, para o Sada/ Cruzeiro. A UFJF cometia muitos erros e o Cruzeiro aproveitou a oportunidade para abrir o placar para 12 x 8, provocando o pedido de tempo de Chiquita. Com vantagem ampla, o Cruzeiro dominava e não dava chances para os donos da casa. E com um ace, o Sada/ Cruzeiro fechou o set em 21 x 11.

2º set

O Cruzeiro manteve agressividade e começou o segundo set de forma arrasadora

- Foto: Lucilia Bortone

– Foto: Lucilia Bortone

abrindo 5 x 0. Após bloqueio de Diaz, os visitantes chegaramm na parada com cinco pontos à frente 7 x 2. O técnico da UFJF mexeu em sua equipe, Dedê entrou no lugar do oposto Daniel, mas no set os cruzeirenses lideravam com tranquilidade por 12 x 4. No segundo tempo técnico o placar era 14 x 5. Com o sistema defensivo e ofensivo agressivo, o Sada fechou o set por 21 x 11, mesmo placar do primeiro set.

3º set

No tudo ou nada, a UFJF começou melhor e abriu 3×0. No ataque pelo meio de rede fez 4 x 1, UFJF e no primeiro temo técnico liderava o set por 7 x 1. Após a parada o time de Belo Horizonte voltou melhor e rapidamente deixou o placar igual: 10 x 10. O set ficou equilibrado e após Japa explorar o bloqueio os donos da casa foram para o tempo técnico à frente 14 x 13. Empurrada pela torcida, a UFJF abriu dois pontos 15 x 13, mas cometeu erros em sequência e permitiu que o Sada virasse o set no bloqueio dos cruzeirenses. Na sequência, em lance marcado errado pela arbitragem, o Sada abriu vantagem 17 x 15. Com vantagem os cruzeirenses seguiram rumo à vitória e fecharam o set em 21 x 18 e o o jogo popr 3 sets a 0. O troféu Viva Vôlei dado ao melhor jogador do jogo foi para o venezuelano Luis Diaz, do Sada/ Cruzeiro.

cru

Para conferir mais fotos da partida clique aqui:

Equipes:

UFJF: Gelinski( levantador), Daniel( oposto), Reffatti e Hugo ( ponteiros), Victor Hugo e Ninão (centrais)  e Octacílio ( libero)

Entraram: Japa, De Paula, Rivoli

Técnico: Carlos Augusto Chiquita

SADA/ CRUZEIRO: William ( levantador), Wallace( oposto), Diaz e Leal ( ponteiros), Éder e Isac ( centrais) e Serginho ( líbero)

Entraram:  Douglas Cordeiro, Da Silva, Lucas, Kadu

Técnico: Marcelo Mendez

UFJF perde para o líder SESI.

Destacado

No último jogo do ano o Vôlei UFJF foi à capital paulista enfrentar o Sesi-SP e perdeu por 3 sets a 0 (parciais de 13/21, 17/21 e 15/21). Com Gelinski, Japa, Ninão, Hugo, Reffatti, Victor Hugo e Tatinho no time titular, a equipe juiz-forana fez uma boa apresentação e lutou muito, mas os paulistas foram superiores durante toda a partida e mereceram a vitória.

Com o resultado, a UFJF permanece com os oito pontos conquistados até o momento e fora da zona de classificação para os playoffs. O próximo compromisso da equipe pela Superliga 2013/2014 é no dia 7 de janeiro, contra o Sada/Cruzeiro, às 20h, na Arena UFJF.

O jogo

A partida começou equilibrada, o Vôlei UFJF abriu o placar, mas foi o Sesi-SP quem venceu a primeira parada técnica por 7 a 5. Na volta a equipe juiz-forana empatou (7×7), mas logo os paulistas abriram três pontos de frente (7×10) e Chiquita resolveu parar o jogo. Ao final do segundo tempo técnico os donos da casa venciam por cinco pontos de diferença (9×14). Com o Sesi melhor em quadra, a UFJF viu os adversários abrirem sete pontos de vantagem (10×17) e Chiquita mais uma vez parou o jogo. Mas não adiantou. A equipe paulista fechou o primeiro set em 21 a 13.

Foto: Esportividade

Foto: Esportividade

No segundo set a UFJF conseguiu manter o equilíbrio até a primeira parada técnica, vencida pela equipe paulista por 7 a 4. A vantagem logo aumentou para cinco pontos (5×10) e o técnico Chiquita pediu tempo. Sacando e atacando bem, o Sesi-SP chegou ao segundo tempo técnico vencendo por 14 a 8. Em seguida, a equipe juiz-forana fez três pontos em sequência, diminuiu a vantagem (11×14) e foi a vez de Marcos Pacheco parar o jogo. O Vôlei UFJF melhorou na partida, mas o Sesi-SP fechou também o segundo set por 21 a 17.

O terceiro set começou da mesma maneira que os dois anteriores: com as duas equipes muito equilibradas e os paulistas vencendo o primeiro tempo técnico (5×7). Após ver o Sesi-SP abrir cinco pontos de vantagem (8×13), o técnico Chiquita não quis esperar o segundo tempo técnico e parou o jogo. A UFJF pontuou, mas logo em seguida os donos da casa fecharam a segunda parada técnica em 14 a 9. O set permaneceu nesse ritmo até o final. O Sesi-SP fez 21 a 15, venceu o terceiro set e conquistou os três pontos da partida.

SADA/ CRUZEIRO vence UFJF e avança para a semifinal do Mineiro

Destacado

Foto: Divulgação Sada/ Cruzeiro

Foto: Divulgação Sada/ Cruzeiro

A equipe de vôlei da UFJF foi a Contagem enfrentar o Sada/Cruzeiro pela semifinal do Campeonato Mineiro. Os juiz-foranos entraram em quadra com Gelinski, Hugo, Victor Hugo, De Paula, Reffatti e Thales e, apesar de terem lutado muito, perderam por 3 sets a 1 (parciais de 17/21, 13/21, 21/19 e 17/21) para os campeões mundiais.

Agora a equipe volta as suas atenções para o Sesi-SP, primeiro adversário do returno da Superliga 2013/2014 no próximo sábado, 28, em São Paulo. Atualmente, o Vôlei UFJF ocupa a décima posição do campeonato nacional com oito pontos e briga para conseguir uma vaga entre as oito melhores equipes que avançam para os playoffs.

O jogo

A partida começou equilibrada. A UFJF abriu o placar depois de saque para fora do Sada/Cruzeiro, mas foi o time belo-horizontino que venceu a primeira parada técnica por 7 a 5. Com as duas equipes errando pouco, a disputa seguiu acirrada. Ao final do segundo tempo técnico o Sada/Cruzeiro vencia por 14 a 13. Na volta, os donos da casa abriram três pontos de frente (16×19) e Chiquita parou o jogo. Não adiantou. Depois de um erro dos juiz-foranos o Sada/Cruzeiro fechou o primeiro set em 21 a 17.

Embalados, os donos da casa começaram bem o segundo set e venceram o primeiro tempo técnico por 7 a 3. No retorno, eles aumentaram a vantagem para seis pontos (4×10) e Chiquita parou o jogo. A UFJF corrigiu alguns erros, diminuiu a diferença, mas os belo-horizontinos novamente colocaram seis pontos de frente e venceram a segunda parada técnica por 14 a 8. Chiquita pediu tempo mais uma vez quando eles fizeram 17 a 10, mas não surtiu efeito. O Sada/Cruzeiro venceu o segundo set por 21 a 13.

O terceiro set começou mais disputado, as duas equipes se revezavam na liderança do placar e a UFJF venceu a primeira parada técnica por 7 a 6. Os juiz-foranos colocaram três pontos de frente (10×7), os donos da casa encostaram (10×9), mas erravam bastante e logo a vantagem aumentou novamente (13×10). Então, o técnico Marcelo Mendez pediu tempo pela primeira vez na partida. Ao final da segunda parada técnica a UFJF vencia por 14 a 11. Melhor em quadra, a equipe de Juiz de Fora não deu chances ao Sada/Cruzeiro e venceu o terceiro set por 21 a 19.

O quarto set começou equilibrado e a equipe de Belo Horizonte ganhou o primeiro tempo técnico por 7 a 5. Bem na partida, a UFJF não deixava o Sada/Cruzeiro se distanciar, mas os donos da casa venceram também a segunda parada técnica por 14 a 12. Na volta, os belo-horizontinos aumentaram a vantagem para quatro pontos (13×17) e Chiquita pediu tempo. A diferença se manteve até o final e o Sada/Cruzeiro venceu o quarto set por 21 a 17.

UFJF conquista a segunda vitória e entra no G8 da Superliga

Destacado

por Luara Herédia

Os jogadores e comissão técnica demonstram união após a vitória diante da equipe de Maringá.

Os jogadores e comissão técnica demonstram união após a vitória diante da equipe de Maringá.

 

A UFJF conquistou sua segunda vitória na Superliga Masculina. Jogando diante de sua torcida que marcou presença e incentivou o time do início ao fim, a Federal derrotou na noite de sábado, 23, o Moda/ Maringá por 3 x 1. Parciais de 21 x19, 10 x21, 21 x18 e 25 x23. Com a vitória, o time de Juiz de Fora chegou aos sete pontos na competição, e entrou no G8, posição que classifica os mineiros para a próxima etapa da competição.

A partida marcou o reencontro dentro das quadras de dois irmãos. Do lado dos donos da casa, o levantador titular da Federal, Danilo Gelinski  enfrentou a equipe do irmão mais velho, Thiago Gelinski, que atua na mesma posição do caçula.

Os maiores pontuadores do jogo foram o oposto Lorena e o ponteiro Renato, ambos jogadores de Maringá, que marcaram 15 pontos. Já o Troféu Viva Vôlei, dado ao melhor jogador da partida ficou com o  central Jardel da UFJF. O próprio jogador ficou surpreso com a escolha  e brincou com a situação: “O troféu não é para mim (risos), é do Victor Hugo (central), ele jogou muito hoje e vou passar para ele no vestiário”, explicou.

 

O JOGO

O oposto De Paula abriu o placar do jogo, 1×0. Em início equilibrado, as equipes trocavam pontos, no primeiro tempo técnico, os donos da casa tinham um ponto de vantagem 7 x 6. A UFJF abriu dois pontos , mas com erro de ataque permitiu os paranaenses empatarem o set. Na segunda parada obrigatória, a Federal tinha vantagem mínima de um ponto em relação ao adversário 14 x 13. O técnico Carlos Augusto “Chiquita” fez a inversão de 5 x 1 em sua equipe, o levantador Xuxa e o oposto Daniel entraram na partida. Na sequência, Jardel recolocou a UFJF à frente, 17 x 16, em lance em que os jogadores de Maringá ficaram pedindo bola fora o árbitro Anderson Caçador advertiu as duas equipes com cartão amarelo. No final do set os visitantes cometeram erros e permitiram a UFJF abrir vantagem e fechar o set com três pontos de vantagem, 21 x 18.

2º set

 Após perder o set anterior, o Moda/ Maringá retornou à quadra imprimindo um ritmo forte e abriu 3 X 0. O ponteiro Reffatti marcou o primeiro ponto dos donos da casa 3 x 1. Com bloqueio, os visitantes abriram 6 x 1, forçando o técnico Chiquita  parar o jogo. No tempo técnico, o placar era 7 x 1.  Com ótima vantagem no placar, o Maringá não deixava a UFJF reagir e aproveitou os erros do adversário para aumentar a diferença no set. Na maringasegunda parada técnica, os paranaenses tinham o dobro de pontos do adversário, 14 x7.De novo, o bloqueio do Moda fez a diferença e  técnico Chiquita colocou Hugo no  lugar de Reffatti para tentar reajustar o passe de sua equipe. Após mais um erro dos mineiros, o Moda/ Maringá fechou o set  com incríveis onze pontos d evantagem,21 x 10, em apenas 22 minutos.

3º set

 O set começou no erro de saque do ponteiro Quiroga. Com dois erros seguidos do central Victor Hugo, Maringá abriu 3 x 1. No bloqueio duplo de Quiroga e Renato os visitantes fizeram 4 x 1, fazendo a UFJF parar o jogo. Na volta, os donos da casa buscaram o placar e  em ataque do ponteiro Reffatti empataram o set 4 x 4. Com erro do levantador  Ricardinho, a Federal passou à frente  5 x 4.    No tempo técnico, o placar era 7 x 5 para os donos da casa.

Foto: Lucilia Bortone

Foto: Lucilia Bortone

 O jogo seguiu disputado, dois lances marcados por lances polêmicos com a arbitragem recolocaram o Maringá à frente 10 x 9. Os mineiros voltaram a liderar o set, com bons saques de Jardel. No segundo tempo técnico, o placar era 14 x 12 para  a UFJF. No bloqueio simples do ponteiro Hugo, a UFJF ampliou  a vantagem para quatro pontos, No bloqueio simples de Hugo os donos da casa abriram quatro pontos 17 x 12. Depois da inversão de 5 x 1 feita na UFJF, o oposto Daniel fechou o set  em 21 x 18, fazendo 2 sets a 1.

4º set

Precisando da vitória para continuar a partida, o Moda/ Maringá abriu 2 x 0. Porém, empolgados com a conquista do terceiro set  e contando com o apoio das arquibancadas, a UFJF  logo empatou o set e virou o placar após erro de Maringá. No primeiro tempo técnico o placar era 7 x 5 para os donos da casa. No bloqueio de Orestes, o set ficou empatado 8 x 8. Na largadinha Maringá  passou à frente, forçando o técnico da Federal parar a partida. No segundo tempo técnico, Moda/ Maringá liderava por dois pontos de vantagem, 14 x 12.  O técnico da UFJF promoveu mudanças na sua equipe, Gelinski e De Paula voltaram para o jogo no lugar de Daniel e Xuxa. Após erro de ataque do adversário, os mineiros ficaram a apenas um ponto atrás do placar, 17 x 16, foi à vez do técnico de Maringá pedir tempo. Na sequência o set seguiu muito equilibrado, com as duas equipes tendo chances de  vencer o set. Após o segundo match point, a UFJF fechou o set por 25 x 23 , e o jogo por 3 sets a 1, conquistando três pontos importantes para a sequência da competição e interrompendo uma série de três vitórias consecutivas de Maringá.

foto 2

Fotos: Lucilia Bortone

EQUIPES

UFJF – Danilo Gelinski( levantador), De Paula(oposto), Japa e Reffatti (ponteiros), Jardel e Victor Hugo( centrais) e Thales (libero). Entraram: Daniel, Xuxa, Hugo e Ninão. Técnico: Chiquita

 MODA MARINGÁ- Ricardinho( levantador), Lorena( oposto), Quiroga e Renato( ponteiros), Acácio e  Rafael( centrais) e Dustin (líbero). Entraram: Thiago Gelinski, Najari, Renan, Cléber e Orestes.Técnico: Douglas Chiarotti

UFJF conquista a primeira vitória na Superliga

Destacado

por  Luara Herédia

UFJF 3 x 1 MONTES CLAROS

 Na partida disputada no sábado à noite na Arena UFJF, o time de Juiz de Fora venceu a partida diante de Montes Claros  por 3 sets a 1. Parciais de 21×19, 20×22, 23×21 e 21×15. Com esse resultado, o time chegou ao  oitavo lugar na tabela, com quatro pontos e está na zona de classificação para os playoffs do torneio.

O maior pontuador do jogo foi o ponteiro Túlio, jogador de Montes Claros, com 18 pontos. Pelo lado dos donos da casa, o central Jardel marcou 13 pontos. O melhor jogador da partida foi o líbero Thales, da UFJF, que recebeu no fim da partida o  Troféu Viva Vôlei.

 O técnico Chiquita destacou a importância da vitória para os planos da sua equipe: “Era necessária essa vitória em casa para a nossa trajetória dentro da Superliga. O grupo está trabalhando para buscar exatamente o que não conquistou na temporada passada( se manter entre os oito primeiros). Esse é uma equipe forte e hoje  eu tive condições de utilizar quase todos os jogadores e isso foi  fundamental ”, finalizou.

O JOGO

A  UFJF começou com uma mudança em relação os outros jogos da temporada, o levantador Rivoli começou jogando no lugar de Gelinski.  A partida começou e forma equilibrada e no primeiro tempo técnico o placar era 7 x 6 para  os donos da casa. No contra-ataque, a UFJF abriu vantagem de dois pontos 10 x 8.  Montes Claros correu atrás do placar e empatou o set em 11 x11. Na segunda parada técnica o placar era 14 x 13 para a UFJF. No saque de Jardel, a UFJF fez 16 x14, forçando o pedido de tempo do técnico adversário.  A Federal  abriu três pontos,19 x 16, mas cometeu erros  e permitiu que os visitantes encostaram no marcador 19 x 18. No erro do MOC a UFJF chegou ao set point, e com um erro do oposto adversário, fechou o set em 21 19.

2º set

UFJF 3 x 1 MONTES CLAROSOs visitantes começaram melhor, e no tempo técnico lideravam por 7 x 5, após erro do central Jardel. No ataque de Túlio, ponteiro de MOC, o time abriu vantagem de três pontos. A UFJF foi buscar o placar, e com ace de Japa diminuiu o marcador para 9 x 8. As equipes buscavam o saque forçado e cometiam muitos erros. No bloqueio de Rivoli a UFJF empatou o set em 13 x 13. No tempo técnico MOC liderava por 14 x 13. O time de Montes Claros liderava o placar por dois pontos 18 X 16, quando o técnico Chiquita parou a partida e na sequência fez a inversão do 5×1( troca de levantador e oposto),  Rivoli e De Paula saíram para a entrada de Daniel e Gelinski. A troca deu resultado e os donos da casa  deixaram tudo igual em 18 pontos. A partida ficou empatada até os 20 pontos. E na sequência Montes Claros pontuou e contou com o erro do adversário para fechar o set em 22 x 20 , e empatar a partida em 1 set a 1.

3º set

O terceiro set foi o mais surpreendente da partida. A UFJF começou abrindo 4 x 0, forçando o técnico de MOC parar o jogo. Na sequência, a UFJF fez 5 x 0. Porém, os visitantes não se entregaram e empataram o set em 5 x 5, forçando o técnico Chiquita parar o jogo.  No tempo técnico Montes Claros tinha 7 x 5, com incríveis sete pontos consecutivos.  Para tentar reajustar sua equipe, o técnico da Federal colocou no jogo o ponteiro Hugo e o levantador Gelinski, nos lugares de Japa e Rivoli. No bloqueio, MOC fez 8 x 6.

A UFJF se recuperou e empatou o set com ponto de Jardel 10 x 10.No segundo tempo técnico, o placar era 14 x 13 para os visitantes. A equipe do Norte de Minas abriu dois pontos 19 x17, e a UFJF parou o jogo.  Na sequência o central Lucão entrou para aumentar o tamanho do bloqueio do time.  Após erro do levantador de MOC, a UFJF encostou no set 20 x 19. Gelinski foi para o saque e após a bola esbarrar na fita, atrapalhou a recepção e o jogo ficou empatado em 20 x 20. O ponto animou a UFJF e com um bloqueio de Lucão, o time fechou o set em 22 x 20.UFJF 3 x 1 MONTES CLAROS

4º set

A UFJF entrou determinada a fechar o jogo no quarto set e conquistar os três pontos. No primeiro tempo técnico o placar era 7 x 5 para a UFJF. Na sequência, com um ace, Jardel ampliou o marcador para os donos da casa 8 x 5. Montes Claros  correu atrás do prejuízo e com Túlio inspirado, virou o set para 10 x 9, fazendo Chiquita parar o jogo. Após marcação confusa da arbitragem, a UFJF voltou a liderar o placar com 11 x10. No segundo tempo técnico o placar era 14×13 para a UFJF.  Os donos da casa conseguiram abrir o placar 16×13 com vantagem, o time administrou o marcador e fechou o set em 21 x15, e o jogo por 3 sets a 1.

 

 

Sada/Cruzeiro conquista o Campeonato Mundial de Clubes

Destacado

por Luara Herédia

Quase 7000 torcedores compareceram ao Centro Poliesportivo Divino Braga, em Betim e viram o Cruzeiro se impor do início ao fim, e conquistar o título do Mundial de Clubes diante do time russo do Lokomotiv por 3 x 0. Parciais de 25 x 20, 25 x 19 e 25 x 20, título inédito para o voleibol brasileiro.

Crédito: FIVB

Crédito: FIVB

Em atuação quase impecável e com um entrosamento perfeito do levantador William  com seus atacantes, sobretudo com o central Douglas  Cordeiro,  o time brasileiro entrou disposto a devolver a derrota imposta pelo Lokomotiv na primeira fase do torneio, além de se recuperar da derrota na final do Mundial do ano passado no Qatar, quando a equipe perdeu o título para a equipe italiana do Trentino.

O cubano Leal foi o maior pontuador do jogo. Crédito: FIVB

O cubano Leal foi o maior pontuador do jogo. Crédito: FIVB

O maior pontuador do jogo foi o  ponteiro Leal, do Sada/ Cruzeiro, com 13 pontos.  Os outros destaques do time mineiro foram o oposto Wallace, que marcou 12 vezes  e os  centrais  Éder, com 10 pontos e Douglas Cordeiro, que saiu do banco, e  pontuou 11 vezes na partida.

 O JOGO

 O Sada/Cruzeiro  entrou em quadra  com  o levantador William,  o oposto  Wallace, os ponteiros  Leal e Filipe, os centrais Isac e Éder e o líbero Serginho. No contra ataque desperdiçado por Leal, o Lokomotiv  abriu o jogo 1 x 0. No bloqueio explorado por Filipe, o jogo ficou empatado 2 x 2.  No ponto de saque, Filipe deixou o Cruzeiro na frente 5 x 4.  Sem bloqueio, Wallace, recolocou os cruzeirenses na frente  6 x 4.  O técnico russo parou a partida para tentar parar os donos da casa, quando o placar era 7 x 4. O tempo fez efeito, e os russos encostaram no marcador 7 x 6. No primeiro tempo técnico, o placar era 8 x 6 para o Sada. Na marcação de dois toques do levantador William, o jogo ficou igual 8 x 8.

 O central Isac voltou a sentir o tornozelo, e deixou à quadra para a entrada de Douglas

O central Isac sentiu o tornozelo e deixou o jogo. Crédito: FIVB

O central Isac sentiu o tornozelo e deixou o jogo. Crédito: FIVB

Cordeiro. A arbitragem voltou a fazer uma marcação equivocada , dando o ponto para os russos 11 x11.No segundo tempo técnico, o Sada/Cruzeiro voltou a ter vantagem no placar 16 x14. No bloqueio simples, Leal parou  o ataque russo 17 x14.  No erro do ataque russo 20 x 15. Wallace deu o set point para o Cruzeiro 24 x19, e o  levantador Wiliam fechou o set para o Cruzeiro por 25 x 20.

2º set

O Lokomotiv começou o set abrindo 2 x 0, mas o Cruzeiro deixou tudo igual 2 x 2. O time russo voltou a ter vantagem 4 x 2. No bloqueio, o Cruzeiro empatou 5 x 5. No erro russo, o time brasileiro passou à frente 6 x 5. Após jogada de recuperação, o ponteiro Filipe no bloqueio simples marcou o sétimo ponto cruzeirense. Na sequência, Éder parou o ataque adversário, colocando o Sada com dois pontos de vantagem na parada obrigatória 8 x 6.O técnico russo parou o jogo para tentar acertar o time , quando o placar era 10 x 7  para os  cruzeirenses.

No segundo tempo técnico obrigatório, o Sada liderava por 5 pontos, 16 x11.  O Lokomotiv forçando o saque, diminuiu a desvantagem do set para três pontos 19 x 16, o técnico Marcelo Mendez parou o jogo para frear a reação do adversário. Na largadinha, Wallace deu o ponto do set para o Cruzeiro 24 x 18, forçando o técnico russo gastar o segundo tempo técnico. No erro de saque, o Sada/Cruzeiro fechou o set em 25 x 19, fazendo 2 sets a 0.

Filipe começou como titular pela primeira vez.

Filipe começou como titular pela primeira vez.

3º set

O time russo abriu o set 1 x 0. No erro de ataque de Camejo, o Cruzeiro passou à frente 2 x 1. O set seguiu equilibrado 5 x 5. O  time da casa  começou a errar mais e permitiu a virada dos russos 7 x 5, o técnico cruzeirense parou o jogo. No primeiro tempo técnico, o placar era 8 x 7 para os  russos. Após rally, Douglas Cordeiro deixou tudo igual 9 x 9. Com dois pontos de saque na sequência, Leal colocou o Cruzeiro na frente do marcador 12×10, forçando o pedido de tempo russo.

Na sequência, Leal marcou mais um ponto de saque, 13 x 10. O time cruzeirense seguiu agressivo no set, fazendo o  Lokomotiv cometer muitos erros. No ataque de Wallace pela saída de rede, o placar era 16 x 11, para os donos da casa. Após invasão da linha dos três do atacante russo, o treinador russo pediu tempo para tentar diminuir a desvantagem de cinco pontos 19 x 14.  O central Douglas Cordeiro cravou mais uma bola para os cruzeirenses: 23 x 18. Em seguida, o levantador do Lokomotiv cometeu os dois toques e o time brasileiro chegou ao match point 24 x 19,  e no erro de saque do adversário, o Sada/ Cruzeiro fechou o set em 25 x 20, conquistando o título de campeão mundial de clubes.

sada

MELHORES DO CAMPEONATO

Ponteiros: Leal ( Cruzeiro) e  Divis (Lokomotiv)

Líbero: Serginho ( Cruzeiro)

Oposto:  Sokolov ( Trentino )

Levantador: William ( Cruzeiro)

Centrais:  Birarelli ( Trentino) e Burgsthaler

MVP: Wallace( Cruzeiro)

Sada/ Cruzeiro vence na estreia do Mundial de Clubes

Destacado

por Luara Herédia

sada

O Sada/ Cruzeiro estreou como pé direito no Mundial de Clubes de Vôlei, que está sendo disputado no Ginásio Poliesportivo Divino Braga, em Betim.  Diante de quase 5000 torcedores, o Cruzeiro venceu o La Romana, da República Dominicana por 3 sets a . Parciais de  25 x 20, 25 x 22 e 25 x . O próximo jogo da equipe será nesta quarta-feira16, às 20 horas, contra o Club Sportif Sfaxien, da Tunísia. O jogo será transmitido pelos canais Sportv e ESPN +.

O Cruzeiro está no Grupo B, ao lado do La Romana, Club Sportif Sfaxien e o Lokomotiv Novosibirsk, da Rússia.  á o Grupo A é composto pelo Trentino, da Itália, UPCN, da Argentina, Kalleh, do Irã e pelo Panasonic Panthers, do Japão;

O jogo

O Sada/ Cruzeiro entrou em quadra com os seguintes jogadores: o levantador William, os ponteiros Leal e Luis Diaz, com o oposto Wallace, os centrais Isac e Éder e o líbero Serginho. O jogo começou com as equipes cometendo muitos erros .No ataque pelo meio de Isac, o time mineiro foi para o tempo técnico na frente 8 x 7. O ponteiro Luis Diaz errou o ataque e o La Romana assumiu o placar pela primeira vez no jogo: 9 x 8.

No contra-ataque, os cruzeirenses fizeram 13 x 11. O oposto Wallace ampliou a vantagem mineira  para 14 x 11. No bloqueio, o Sada fez 16 x 12. Na sequência, Éder atacou para fora e o adversário diminuiu a desvantagem no placar para 17 X 15. O time da casa logo se recuperou, forçando o técnico adversário parar o jogo 22 x 18. No bloqueio, Éder fechou o primeiro set para o Cruzeiro em 25 x 20.

 2º set

 No bloqueio o time mineiro abriu vantagem no início do set 4 x 2. No contra- ataque, Éder aumentou o placar, fazendo o técnico adversário parar o jogo 5 x 2. No primeiro temo técnico o Sada/ Cruzeiro tinha o dobro de pontos 8 x 4. Errando menos. O Cruzeiro ampliou o marcador para 11 x 4. Porém,  a larga vantagem dos mineiros foi  ameaçada com a reação do time da República Dominicana, que diminuiu para três pontos 15 x 12.

Na segunda parada obrigatória, o placar era 16 x 12 para o Sada. O técnico da equipe mineira, Marcelo Mendez fez a inversão 5 x 1, saíram o levantador William e o oposto Wallace, para a entrada de Da Silva e  Vinhedo. No bloqueio, Isac fez 19 x 14. Após rally o La ela  9 x 7, parou o jogo dois pontos consecutivos o bloqueio 23 x 20. Erro de contra- ataque 24 x 22. Erro de saque do adversário, e o Sada fechou com 25 x 22

3º set

O  Cruzeiro começou o set com o ponteiro Filipe no lugar do cubano Luis Diaz, Embalado, a equipe abriu u 3 x 1. Mais agressivo, a equipe mineira ampliou o set para 6 x 2. Filipe marcou o oitavo ponto dos cruzeirenses, que fizeram 8 x 4. Com vantagem, o técnico Marcelo Mendez colocou o central Douglas Cordeiro no lugar de Éder.

Crédito: FIVB

Crédito: FIVB

Com o placar de 15 x 9, o técnico cruzeirense recolocou no jogo o levantador Vinhedo e o oposto Da Silva, nos lugares de Walace e William.NO segundo tempo técnico, o placar era 16x 11. Com um ataque eficiente, o Cruzeiro se aproximou da vitória. O cubano Leal, com um saque arrasador deu o fim ao set por 25 x 16, e ao jogo: 3 x 0.  Com 14 pontos, o oposto Wallace foi o maior pontuador do jogo.

UFJF conquista o tricampeonato dos Jogos do Interior de MInas (JIMI)

Destacado

Crédito: UFJF

Crédito: UFJF

O título dos Jogos de Minas (Jimi) conquistado pelo time de vôlei da UFJF na última quinta-feira, dia 10, foi o terceiro seguido na competição. O inédito tricampeonato veio após a vitória por 3 sets a 0 (parciais de 25×14, 25×13 e 25×17) contra a equipe juvenil do Sada/Cruzeiro, representante de Belo Horizonte. Em todo o torneio os juiz-foranos perderam apenas um set.

Para o diretor técnico Maurício Bara a equipe confirmou o seu favoritismo na competição. “Foi um campeonato de tiro curto, mas intenso. Foram seis jogos em seis dias. Em meio a toda a maratona de Superliga, Mineiro e amistosos, o time foi campeão com méritos, fazendo inclusive uma boa atuação na final”, explica.

O central Filipe Cipriani, jogador mais antigo do elenco, concorda com o dirigente. “Esse título mostra o crescimento que o time teve. O nosso primeiro título foi a série A2 desse mesmo campeonato, em 2008, e agora conquistamos o tricampeonato. É algo inédito para uma equipe de vôlei de Juiz de Fora. É prova do bom trabalho que vem sendo feito”.

O título, aliás, teve um sabor especial para ele. Cipriani ficou oito meses afastado por uma lesão e voltou a jogar durante o torneio. “Foi um desafio muito grande até pela própria questão da lesão e da cirurgia. Oito meses é muito tempo. Voltei sentindo um pouco de dor, mas é normal. O apoio dos meus companheiros e da comissão técnica também ajudou a superar a dor. Poder jogar novamente é uma alegria muito grande. E voltar conquistando um título é gratificante”, explica.

UFJF segue invicta nos Jogos de Minas( JIMI)

Destacado

por Luara Herédia

Crédito: UFJF

Crédito: UFJF

O time de vôlei da UFJF segue imbatível nos Jogos do Interior de Minas (JIMI), que estão sendo disputados na cidade de Varginha. A  equipe de Juiz de Fora ainda não perdeu nenhum set na competição e encerrou a fase classificatória em primeiro lugar no Grupo A.

O diretor técnico da Federal, Maurício Bara, comentou a primeira fase do grupo. “O mais importante foi passar para a próxima fase sem perder nenhum set e colocando todo o time para jogar, principalmente os que estavam jogando menos”.

Na primeira etapa dos jogos, a UFJF enfrentou as equipes de  Itanhandu, Araguari e Várzea da Palma, vencendo todos os jogos sem dificuldades. Agora, a equipe espera  a definição do adversário nas quartas de final. “Estamos na expectativa de ser o primeiro geral da competição. Nesse caso, a gente pegaria o segundo colocado de pior campanha do torneio. Mas não estamos preocupados com quem será o adversário, vamos fazer o nosso trabalho”, explicou Bara.

 Agenda cheia

O time, que está participando dos JIMI, não terá tempo de descanso, já que, depois da competição, ele retorna a Juiz de Fora e volta as atenções para o Campeonato Mineiro e a Superliga. O próximo compromisso da equipe pelo Mineiro será no dia 16, às  19h, contra Olympico/ Martminas, na Arena Faefid. Já pela Superliga, a UFJF volta à quadra em 22 de outubro, contra o atual campeão RJX, na Cidade Maravilhosa.

UFJF vai em busca do tri dos Jogos de Minas

Destacado

por Luara Herédia

 

Foto: Lucilia Bortone

Foto: Lucilia Bortone

A equipe de vôlei da Universidade Federal de Juiz de Fora( UFJF) dá uma pausa nos jogos da Superliga e no Campeonato Mineiro e viaja nesta sexta- feira, 04, para Varginha( MG) para disputar os Jogos de Minas.

O diretor técnico da equipe Maurício Bara, um dos responsáveis pela criação da equipe em 2008 e técnico do time por duas temporadas, revelou um carinho especial pelos jogos: “Foi a primeira competição que jogamos, em 2008, e sabemos da importância que ela tem para a cidade. Sem contar que é uma oportunidade de manter o time concentrado. Vamos em busca do tricampeonato inédito”.

O atual técnico do time Carlos Augusto “Chiquita”, concorda com Bara: “Nós vamos entrar com seriedade em qualquer competição. É sempre bom manter o time jogando”, afirma.

 Tabela

O time de Juiz de Fora está no Grupo A, ao lado de Várzea da Palma, Araguari e Itanhandu, adversário da UFJF no sábado, 05, às 8 horas.  Os outros times que participam da competição são: Mário Campos, Varginha, Capitólio, Uberaba, Conselheiro Lafaiete, Ataleia, Uberlândia, Viçosa, Montes e Belo Horizonte.

Com direito a set de 33 pontos, Brasil Kirin abre vantagem na semifinal do Paulista

Destacado

João Paulo Bravo enfrenta o bloqueio de São Bernardo (Crédito: Vôlei Brasil Kirin/Divulgação)

por Lucilia Bortone

O Vôlei Brasil Kirin deu um importante passo para mais uma final de Campeonato Paulista após vencer a primeira partida semifinal contra o São Bernardo Vôlei por 3×0 (33×31 ,21×12, 21×17) em pouco mais de 1h20.

Jogando fora de casa, a equipe de Campinas entrou em quadra pronta para o desafio, mas pecou em alguns momentos no 1º set e permitiu a recuperação dos adversários na reta final do set. Mesmo assim, os campineiros conseguiram fechar a primeira parcial em incríveis 33×31.

Diante de sua torcida, São Bernardo viu o Brasil Kirin desgarrar no 2º set, mesmo com a boa atuação do oposto Leozão. Desfalcada, a equipe do técnico Peu sofreu e caiu no set por 21×12.

No terceiro set, São Bernardo abusou dos erros e os adversários aproveitaram. Os donos da casa ensaiaram uma reação, mas não conseguiram segurar o time de Campinas. Os visitantes levaram o set em 21×17 e a primeira vitória na semifinal.

O jogo decisivo acontece em Campinas no dia 21 de outubro.

{Campeonato MIneiro} UFJF não consegue superar o Vivo/ Minas

Destacado

Foto: Skylo- Melhor do Vôlei

                                       Foto: Skylo- Melhor do Vôlei

A  UFJF  não conseguiu superar a  equipe do Vivo/ Minas em partida realizada  ontem à noite pelo Campeonato Mineiro no ginásio do Minas Tênis Clube,  em Belo Horizonte. A equipe de Juiz de Fora começou melhor, mas não impediu a reação do time da casa, que venceu de virada por 3 sets a 1, parciais de (15-21, 21-16, 21-18 e 21-16),

Os destaques da UFJF foram o central Jardel e o ponteiro Reffatti, que marcaram 11 pontos cada um. O próximo jogo da equipe será  contra o Olympico, na quarta- feira, 16, em Juiz de Fora.

O JOGO

No primeiro set, o time da casa começou abrindo vantagem, mas a equipe minastenista sentiu a falta de ritmo de jogo, cometeu muitos erros e permitiu a reação da UFJF, que aproveitou as chances e fechou o set em 21 x 15. Assim como no primeiro set, o time do  Minas abriu vantagem logo no início, mas ao contrário do set anterior, foi mais regular e se manteve à frente do marcador até o fim do set, fechando em 21 x 16 e empatou o jogo em 1 set a 1.

A terceira parcial do jogo foi o mais equilibrado, e as equipes alternavam pontos, no fim, o time da capital se impôs e fechou em 21 x 18, virando o placar da partida para 2 sets a 1.No quarto set a UFJF começou melhor, disposta à levar o jogo para o quinto set, mas o Minas reagiu, virou o set e fechou a parcial por 21 x 16 e o jogo por 3 sets a 1.

 

Vice-líder do Campeonato Mineiro, UFJF tem novo desafio

Destacado

Foto: Lucilia Bortone

Foto: Lucilia Bortone

A equipe de vôlei da UFJF faz, nesta terça- feira, 1º de outubro,  o terceiro jogo pelo Campeonato Mineiro de Vôlei. A Federal enfrenta o Minas, às 19h30, na Arena do Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte.

   Depois de disputar dois amistosos contra a equipe argentina do UPCN,  o time de Juiz de Fora, vice- líder do Campeonato, entra embalada em quadra.  No entanto, o  técnico Carlos Augusto “Chiquita” alerta para os problemas que pode encontrar na capital mineira. “O Minas tem jogadores experientes, internacionalmente bem cotados e que sabem jogar voleibol. Estamos indo para confrontar, mas temos que ser fortes, porque eles têm um grupo forte. Apesar de não terem jogado muito ainda nessa temporada, todo mundo lá sabe jogar muito bem e tem um bom espírito mental para aguentar a pressão durante toda a partida”, explica.

 Discurso em alta

   O equilíbrio mental durante as partidas tem sido o principal discurso de Chiquita neste início de temporada. Ele afirma que, se a equipe mantiver esse equilíbrio durante todo o jogo, pode fazer um grande torneio. “O maior desafio é nos manter mentalmente focado no jogo, o tempo inteiro. Na abertura da Superliga, contra o Sesi, que é uma grande equipe, tivemos força mental e não técnica, porque ainda precisamos melhorar muito. Porém, se estivermos bem mentalmente, a equipe ficará forte”.

Parciais

O Vivo/Minas vem de uma derrota por 3 sets a 0 para o Sada/Cruzeiro em sua estreia na competição, no último sábado, 28. Sem nenhum ponto, o time da capital mineira ocupa a penúltima colocação na tabela, na frente apenas do Olympico/Martminas, que ainda não jogou. A UFJF é o vice-líder do Campeonato Mineiro, com dois pontos.

UFJF encerra série de jogos amistosos contra argentinos

Destacado

por Luara Herédia

foto 2

A equipe de vôlei da Universidade Federal de Juiz de Fora aproveitou a pausa da tabela no Campeonato Mineiro e na Superliga para jogar duas partidas amistosas contra o time do UPCN, atual tricampeão argentino, que conta com o jogador da Seleção Brasileira, Théo. Se no primeiro confronto a vitória foi fácil dos visitantes, por 3 x 0, parciais de 21/17, 21/14 e 21/17, no segundo jogo, a UFJF conseguiu a vitória por 3 x 2 , com sets de 25 pontos. Parciais de 25/17, 25/22, 27/26, 25/17 e 15/13.

 O jogo

A UFJF começou a partida com o levantador Gelinski, os ponteiros Japa e Daivisson, os centrais Jardel e Diego, o oposto De Paula e o líbero Tatinho.  Depois da derrota no primeiro jogo, a equipe entrou mais ligada na disputa. No primeiro tempo técnico, o placar era de 8×6 a favor dos mineiros, já no segundo, a UFJF se impôs e abriu quatro pontos de vantagem, 16×12. Com folga no marcador, o time fechou o set com 25×17.

A equipe argentina começou melhor o segundo set e marcou 3×1. A UFJF reagiu e, no primeiro tempo técnico obrigatório, estava à frente no placar, com 8×5.  O time do UPCN empatou em 11 x 11. No final, os argentinos conseguiram passar à frente e fechar o set em 25 x22, empatando o jogo em 1 a 1.

O terceiro set começou bem equilibrado, com as equipes trocando pontos. Na técnica, os anfitriões tinham vantagem de um ponto em relação ao adversário, 8×7.  O set seguiu sem nenhuma equipe conseguir se distanciar no marcador. No final, deu UFJF, por 27×25.

Dispostos a levar a partida para o quinto e último set, o UPCN foi mais regular e abriu uma boa vantagem. Atrás do placar, os mineiros até tentaram reagir, mas não conseguiram parar o adversário, que fechou em 25×17.

A UFJF  abriu o placar do set mais curto do jogo. Com um saque forçado, o time da casa conseguiu uma vantagem importante no tie-break, mas a equipe argentina não entregou o jogo e empatou em 10 x 10.  O fim do set foi bastante equilibrado, mas, no fim, a UFJF consegui fazer 15×13.

 Volta às quadras

Sem tempo para descanso, a equipe viaja hoje, 30, para Belo Horizonte e enfrenta a equipe do Vivo/ Minas nesta terça-feira, 01, em mais uma partida do Campeonato Mineiro. O jogo vai ser às 19h30, na Arena do Minas Tênis Clube.

UFJF não consegue superar o Sada/ Cruzeiro

Destacado

por Luara Herédia

Foto: Sada/ Cruzeiro

Foto: Sada/ Cruzeiro

O time de vôlei da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) foi derrotado pelo Sada Cruzeiro, em sua segunda partida na Superliga Masculina realizado ontem à noite, na cidade de Contagem. A equipe de Juiz de Fora perdeu por 3 x 0, parciais de 21/13, 21/15 e 21/11.

 Foi a segunda derrota da UFJF em duas partidas. Agora, a equipe se prepara para voltar à quadra nesta sexta, 27, às 19 horas e no sábado, 28, às 18 horas, para dois jogos amistosos diante da equipe argentina da UPCN. Os jogos vão ser realizados no Ginásio de Educação Física e Desportos da Universidade Federal de Juiz de Fora, com entrada gratuita.

 O  próximo confronto da Federal pela  Superliga  será apenas no dia 22 de outubro, às 20h, no Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro contra o RJX, atual campeão do torneio.

 O jogo

 A UFJF entrou em quadra com o levantador Rivoli, o oposto De Paula, os centrais Jardel e Victor Hugo, os ponteiros Japa e Reffatti e o líbero Thales. A partida começou com o Sada/ Cruzeiro impondo seu ritmo, e com um saque tático abriu 3 x 0. A equipe da UFJF cometia muitos erros, foram dez no 1º set, o que ampliou a vantagem dos donos da casa. Quando o placar era 18 x 11, o técnico da UFJF, Chiquita pediu tempo, mas não impediu o embalo do Cruzeiro, que fechou o set em 21 x 13, em 14 minutos.

O segundo set começou mais equilibrado, com as equipes empatadas em 3 x 3, mas a experiente equipe cruzeirense logo tomou à liderança do placar, fazendo 10 x 6. A UFJF até tentou uma reação, mas o Cruzeiro fechou o set em 21 x 15, em 23 minutos.

UFJF volta à quadra pela Superliga

Destacado

UFJF - Por Lucilia Bortone

UFJF – Por Lucilia Bortone

por Luara Herédia

A equipe de vôlei da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) faz nesta quarta-feira, 25, sua segunda partida pela Superliga. Depois de estrear em casa na competição com derrota diante do Sesi- SP, o time de Juiz de Fora vai enfrentar o Sada/ Cruzeiro, às 20h, em Contagem.

Esse será o segundo duelo entre as equipes nesta temporada, há pouco mais de um mês os times se enfrentaram em Juiz de Fora pela abertura do Campeonato Mineiro e a equipe visitante venceu com facilidade por 3 x 0.

Para esse confronto, a UFJF terá a volta do levantador Danilo Gelinski, que não pode atuar na estreia do time diante do Sesi- SP, por causa de um cartão adquirido na temporada passada. Porém, o oposto Daniel e o central Lucão, seguem contundidos e não viajaram com a equipe.

 O treinador da Federal, Carlos Augusto “Chiquita”, falou sobre o  confronto: “É um adversário de ponta e de muita dificuldades, nós sabemos da nossa dificuldade. O Sada é  um time que roda bastante a bola, roda oposto, o central e ponteiro, a  gente tem que neutralizar esse ponteiro”.

Além disso, o treinador falou sobre o que sua equipe precisa fazer para tentar parar o adversário: “Nós temos que ter uma defesa  igual ou melhor que a do jogo de estreia, que não foi maravilhosa, mas foi razoável”, finalizou.

 O jogo entre Sada/ Cruzeiro  x UFJF não terá transmissão da televisão, mas o site da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) vai transmitir a  partida online. Para acompanhar  o jogo. Clique aqui.

Tabela do Campeonato

A estreia da UFJF na Superliga foi no confronto válido pela segunda rodada da Superliga, a estreia que seria contra o Vivo/Minas foi adiada para o final de outubro. Já o Sada/ Cruzeiro teve seus confrontos adiantados, porque a equipe mineira vai ser o representante brasileiro no Mundial de Clubes, que este ano será realizado em Belo Horizonte.  Este será o quinto jogo dos cruzeirenses, que estão invictos na competição.

{GALERIA}- Superliga 2013/ 2014 – UFJF 2 X 3 Sesi- SP

Destacado

por Luara Herédia

A equipe da UFJF estreou na Superliga no último sábado, 21, diante do Sesi- SP. A partida  foi marcada pelo equilíbrio  e decidida apenas no tie- break  com vitória  por 3 x 2 da equipe paulista.O jogo também foi movimentado fora da quadra, o líbero Serginho passou mal e teve que ir para o hospital de Juiz de Fora realizar exames.

 Confira abaixo alguns cliques feitos por Lucilia Bortone durante a partida. Para conferir a cobertura de fotos da partida clique aqui.

Superliga: Estreia com (muita) emoção

Destacado

 

por Luara Herédia 

Foto: Allison Ferrarezi

Foto: Allison Ferrarezi

A equipe de vôlei da UFJF fez ontem, 21, a sua estreia na Superliga 2013/ 2014 diante do Sesi- SP, uma das equipes favoritas ao título da competição. Porém, os mineiros não fizeram feio e perderam no detalhe ( tie- break) para o time paulitas.  Leia sobre o jogo aqui. Apesar do belo espetáculo dentro de quadra,o que marcou a partida foi o desmaio do líbero Serginho.

 Serginho começou a sentir dores abdominais antes do início do jogo, mas mesmo longe da sua melhor condição física entrou em quadra e jogou os dois primeiros sets. Porém, antes do início do 3º set o jogador passou mal e desmaiou a caminho do vestiário.

O líbero recebeu os primeiros atendimentos e foi encaminhado para um hospital de Juiz de Fora para realizar alguns exames. Hoje pela manhã, o jogador pronunciou em uma rede social que estava melhor e as dores foram causadas por causa de um cálculo renal.Boa recuperação, Escadinha!

Foto via Instagram

                                        Foto: Instagram

Dentro das quadras

 Mesmo com a regra que permite um time ter dois líberos, apenas um pode ser inscrito para a partida. Por isso, quando Serginho deixou a quadra, Luciano, o líbero reserva não pode entrar, sobrou para o ponteiro Ary que vestiu um colete e jogou como líber

O ponteiro Ary jogou com um colete improvisado e assumiu a posição de  líbero no time paulista. Foto: Allison Ferrarezi

O ponteiro Ary jogou com um colete improvisado e assumiu a posição de líbero no time paulista. Foto: Allison Ferrarezi

Ao fim da partida, Ary falou sobre seu desempenho como líbero: “ Nesta temporada foi novidade porque antes eu estava machucado e treinei bastante de líbero. Cheguei a jogar alguns jogos, mas hoje foi bem no improviso mesmo, o  Serginho estava mal e acho que tem que ser pau pra toda obra, né?”

Quem também comentou sobre o episódio sobre Serginho foi o técnico do Sesi, Marcos Pacheco:  A situação nos preocupou bastante porque ele não tinha nada, viemos para Juiz de Fora com 14  jogadores,   dois líberos  e não tinha sinal nenhum de preocupação.  Porém, antes do jogo ele sentiu  uma dor abdominal , mas  já tínhamos dado a lista( relacionados para o jogo) e aí não tinha como voltar  atrás. Ele é um guerreiro por natureza e tentou, mas chegou um limite”.

Marcos Pacheco também falou sobre o desempenho de Ary:  Entrou um jogador que tem condições de passar, mas não é o libero. Isso quebrou a sistemática, mas o Ary entrou muito bem  e a equipe soube superar essa dificuldade.

UFJF perde no tie-break na estreia da Superliga

Destacado

por Luara Herédia

O time de vôlei da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) fez neste sábado, 21, sua estreia na Superliga Masculina e por quase não conseguiu uma vitória diante do SESI, uma das equipes favoritas ao título.  A vitória dos visitantes aconteceu apenas no  quinto set, o placar foi 3 x 2. Parciais de 21 x 19, 26 x 28, 21 x 16, 21 x 18 e 15 x10. O segundo jogo da UFJF na Superliga será contra o Sada/ Cruzeiro, na próxima quarta- feira, 25, em Contagem.

Durante  o jogo, o líbero  do SESI e ex jogador da seleção brasileira, Serginho sentiu dores na coluna e foi para o vestiário no intervalo do  segundo para o terceiro set. O jogador desmaiou e foi encaminhado para o hospital Monte Sina, para realizar uma ressonância. Os resultados ainda não foram divulgados.

1º set

A UFJF entrou em quadra  desfalcada de cinco jogadores, o levantador Gelinski não jogou por causa de um cartão adquirido na temporada passada, os centrais Lucão e Sequela estavam  contundidos, mesmo problema do oposto Daniel,  e o central Diego não estava com seu nome regularizado. A equipe  começou com os seguintes jogadores: o  levantador  Rivoli, oposto De Paula, os centrais Jardel e Victor Hugo, os ponteiros Japa e Reffatti  e o líbero Thales.

Fora de quadra, a equipe contou  com o apoio da torcida, que lotou o ginásio e ainda recebeu o reforço dos torcedores da Tribo Carijó, uma torcida organizada do TUPI. Os torcedores foram retribuir o apoio que a equipe de vôlei deu para o time de futebol no último jogo( A UFJF entrou em quadra segurando um cartaz dando forças ao Tupi, em referência ao episódio do massagista, que impediu o gol da classificação da equipe carijó).

O jogo começou equilibrado, com as duas equipes trocando ponto. No primeiro tempo técnico, o placar era 7 x 6 para o Sesi.  Na bola de segunda do levantador Rivoli, a UFJF  passou à frente no set: 10 x 9, levantado a torcida. No bloqueio duplo, a UFJF   foi com vantagem de pontos para a segunda parada técnica: 14 x 12. Lucarelli,  recolocou o Sesi na frente, 16 x 15, o técnico Chiquita parou o jogo.  O final do set estava  empatado em 19 x 19.  Com dois bloqueios seguidos, o Sesi fechou o set: 21 x19.

 2º set

O Sesi abriu dois pontos no início do set, 4 x 2. No ataque de Japa, a UFJF empatou em 4 x 4. NO primeiro tempo técnico obrigatório o placar era 7 x 6 para o Sesi. Na sequencia do jogo, Jardel ampliou a vantagem dos donos da casa, 10 x8, mas o Sesi correu atrás do placar e deixou tudo igual,11 x11. No segundo tempo técnico, o placar era 14 x 13 para o Sesi. O time paulista voltou a ficar na frente.  Como aconteceu no primeiro set, as equipes estavam empatadas  na reta final do set, 19 x 19. O Sesi teve o primeiro set point  do set 20 x 19, a UFJF empatou a partida e no contra-ataque Reffatti deu a chance da Federal fechar o set. As duas equipes seguiam trocando pontos, Japa marcou o ace e os donos da casa  retomaram à frente do placar.  O central Jardel fechou o set para a UFJF em 28 x 26, em 32 minutos.

3º set

O ponteiro do SESI, Ary entrou no jogo no lugar do líbero Serginho, que passou mal.. No primeiro tempo técnico, o placar era 7 x 6 para o Sesi.   A equipe paulista estava melhor no set, no bloqueio ampliou a vantagem para três pontos: 11 x 8 Na segunda parada obrigatória, o placar era: 14 x 11. O Sesi soube aproveitar da vantagem adquirida no set e fechou sem grandes problemas por  2 1 x 16,  em 21 minutos.

4º set

O Sesi  começou o set disposto em fechar o set e a partida, e logo abriram 3 x 1. Porém,  a UFJF não estava afim de entregar o jogo e  empatou o set: 3 x 3. Com dois bloqueios, a Federal foi para o tempo técnico com 7 x 5 no placar. A vantagem mineira se manteve até a segunda parada técnica, 14 x 12 para os mineiros.  O Sesi foi buscar o placar e empatou o set após erro do atacante Japa, o técnico Chiquita parou o jogo para conversar com sua equipe. A parada serviu para recolocar a UFJF no set, a equipe abriu vantagem de três pontos, 17 x 14. O árbitro aplicou  cartão amarelo para o Sesi, na sequencia o time paulista desperdiçou o contra- ataque, 19 x 17. Reffatti deu o set point para a UFJF que fechou o set em 21 x 18 após erro do Sesi.

 5º set

Empolgada com a vitória no set anterior, a UFJF começou melhor o set mais curto, Reffatti fez 4 x 1 para os donos da casa. Porém, a experiente equipe do Sesi  deixou tudo igual. O central Sidão foi para o saque e conseguiu uma sequência incrível , colocando o  Sesi três pontos na frente do marcado: 9 x 6.  Com a vantagem adquirida, o time paulista administrou o set  e encaminhou  rumo à  vitória. No final, o Sesi fez 15 x 10 e fechou a partida em 3×2. O central do Sesi, Sidão levou o Troféu Viva Vôlei,  prêmio para o melhor jogador em quadra.

UFJF estreia com derrota no Campeonato Mineiro

Destacado

por Luara Herédia

ufjf

O time de vôlei da UFJF estreou com derrota no Campeonato Mineiro de vôlei. Mesmo jogando em casa, o time de Juiz de Fora não conseguiu superar os atuais tricampeões da competição, Sada/ Cruzeiro, que conquistaram a vitória por 3 x 0. Parciais de 17 x 21, 16 x 21 e 15 x 21.

Apesar da derrota, o técnico da Federal, Carlos Augusto “Chiquita” avaliou a estreia como positiva e reconhece a superioridade do adversário: “Pessoalmente, eu acho que poderíamos ir um pouco mais longe. O saldo foi positivo, mas estamos jogando contra uma grande equipe. É lógico que tem uma dificuldade, porém, a meu ver, nós fomos testados e conseguimos estabilizar tanto a situação de ataque, quanto de passe”.

 O jogo               

A UFJF começou o jogo com o levantador Gelinski, líbero Thales, os centrais Victor Hugo e Jardel, o oposto Daniel e os ponteiros Japa e Reffatti, o destaque ficou por conta do ponteiro Hugo, que não foi liberado pela seleção brasileira de novos.

A partida começou disputada, mas a equipe do Sada/Cruzeiro estava melhor e, após a primeira parada técnica, chegou a abrir seis pontos de frente. A UFJF diminuiu a diferença para dois pontos em alguns momentos, mas não obteve êxito. O time de Belo Horizonte venceu o primeiro set por 21 a 17.

No segundo set a UFJF voltou melhor, e revezou a liderança do placar com os visitantes até a primeira parada técnica (UFJF 5×7 Sada/Cruzeiro). Porém, a equipe do Cruzeiro estava bem no jogo, ampliou a vantagem e venceu o segundo set por 21 a 16.

O terceiro set começou equilibrado. Ao final do primeiro tempo técnico, o time do Sada/Cruzeiro vencia por 7 a 5. Os donos da casa mantiveram a distância de dois pontos até metade do período, quando o time de Belo Horizonte abriu seis pontos de frente e fechou o set em 21 a 15.

Tabela da Superliga

Depois de muita discussão entre clubes, CBV( Confederação Brasileira de Voleibol), jogadores e mídia, finalmente saiu a tabela da edição da Superliga 2013/2014. A competição masculina começa no próximo sábado (07/09). A UFJF faz a sua estreia no dia 21/09, contra o Sesi-SP, em Juiz de Fora.

Doze equipes participam do torneio masculino, são eles: Sada Cruzeiro,São Bernardo Vôlei, RJE , Moda/Maringá, Montes Claros Vôlei, Funvic/Taubaté,Sesi-SP,Vôlei Brasil Kirin, Kappesberg Canoas , Volta Redonda,  Vivo/Minas e UFJF.

UFJF volta a perder em casa

Destacado

por Luara Herédia

UFJFxVoltaco

A equipe de vôlei da UFJF perdeu nessa quarta-feira (28.08), o último amistoso da série de quatro jogos, contra o time de Volta Redonda.  O time do Voltaço venceu a ultima partida por 3 sets a 2. Parciais de 21×15, 17×21, 15×21, 21×12 e 15×6. Com isso, as duas equipes terminaram empatadas no número de vitórias  na série de amistosos.

O próximo desafio do time de Juiz de Fora será na estreia do Campeonato Mineiro, na sexta-feira (30.08), contra o Sada/ Cruzeiro, em Juiz de Fora. Os  ingressos para o jogo custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) e podem ser encontrados na AFA Bikes (rua Santo Antônio, 1440, loja 11, no Centro), no restaurante Salsa Parrilla do Campus, no Victory Suítes, (rua Oswaldo Aranha com Av. Rio Branco) e na própria Arena UFJF em até duas horas antes do jogo.

O JOGO:
A Federal entrou em quadra com a mesma formação do jogo anterior: Gelinski, De Paula, Japa, Jardel, Victor Hugo, Thales e Reffatti, que foi o maior pontuador da partida com 18 pontos, seguido pelo oposto Leozão, do Volta Redonda, com 14 pontos. O próximo compromisso da equipe é a partida para a primeira rodada do Estadual, nesta sexta-feira (30), às 19h, contra o Sada/Cruzeiro, também na Arena UFJF.

A UFJF venceu o primeiro set com seis pontos de vantagem (21×15). Porém, nos segundo e terceiro sets, o time da Cidade do Aço se recuperou fechando o placar em 21×17 e 21×15, respectivamente.

Com mudanças feitas pelo treinador Carlos Augusto “Chiquita”, o time da casa começou melhor o quarto set e, na volta do primeiro tempo técnico, quando vencia por 7×5, abriu quatro pontos de frente, obrigando o técnico do Volta Redonda a parar o jogo. Porém, não surtiu muito efeito no time, pois os juiz-foranos estavam bem na partida e venceram o quarto set com nove pontos de vantagem, 21×12.

No set de desempate a equipe da Cidade do Aço se recuperou novamente, não permitindo o time desenvolver sua jogada, vencendo o quinto set por 15×6, fechando a partida em 3 sets a 2.

Em casa,UFJF perde amistoso para equipe de Volta Redonda

Destacado

por Luara Herédia

Amistoso-voltacoxUFJF

Depois de enfrentar o time  de Volta Redonda duas vezes na casa do adversário e vencer as duas partidas,  UFJF e Voltaço voltaram  a se enfrentar nesta terça- feira , 27, para mais dois confrontos, só que desta vez em Juiz de Fora. Os visitantes levaram a melhor, e vencer por 3 sets a  1. Parciais: 21 x 18 , 23 x 25 , 21 x 19 e 21 x 18.  Nesta quarta, 28, as duas equipes voltam a se enfrentar, às 11h, na Arena UFJF.

O JOGO:
O técnico Chiquita colocou em quadra a equipe titular: levantador Gelinski, ponteiros Japa e Reffatti, centrais Lucão e Jardel, oposto De Paula e líbero Thales, que não conseguiram encaixar as jogadas e erraram muitos saques. Apesar disso, o primeiro set foi equilibrado até os visitantes conseguirem uma vantagem de 3 pontos, em 19 a 16, com uma sequência de bloqueios em cima do ataque juiz-forano. E apesar do esforço da Federal para reagir, o Volta Redonda fechou em 21 a 18.

O técnico tentando salvar a partida, no segundo set trocou o levantador. Rivoli entrou no lugar de Gelinski. O Volta Redonda abriu vantagem, mas a UFJF em uma sequencia de bons ataques do oposto De Paula, virou no fim do set fechando em 25 a 23. A parcial seguinte foi favorável ao Voltaço que dominou o jogo e fez 21 a 19.

Com problemas na recepção, mas precisando vencer para forçar o tie break, a UFJF iniciou o quarto set na frente. O Volta Redonda partiu pra cima e conseguiu uma virada abrindo 14 a 11. Com isso, o Voltaço controlou a partida até o final e venceu por 21 a 18, fechando o jogo em 3 a 1.

Time de vôlei da UFJF vence primeiro jogo da série de amistosos

Destacado

por Luara Herédia

_AFG1436-1

O time de vôlei masculino da UFJF venceu ontem (22.08), a primeira das quatro partidas amistosas contra o Volta Redonda. As equipes disputaram sets com 21 pontos, ao invés de 25 pontos, regra que será aplicada nesta temporada. Jogando melhor, os juiz-foranos fizeram 3 sets a 1, parciais de 21×17, 19×21, 21×14 e 21×17.

O técnico da Universidade, Chiquita, avaliou o desempenho do time como razoável. “Tivemos muitos altos e baixos, mas poderíamos ter ido melhores. Oscilamos muito, principalmente no saque e ataque. Agora é trabalhar para melhorar esses pontos”, avaliou o treinador.

Hoje (23.08), as equipes entram em quadra novamente para o segundo confronto. Na semana que vem, os times disputam mais dois amistosos, desta vez em Juiz de Fora. Os jogos vão acontecer na terça-feira (27.08), às 19h, e na quarta (28.08), às 11h, no ginásio da Faculdade de Educação Física e Desportos da Universidade Federal. A entrada é gratuita.

O jogo

A UFJF entrou em quadra com Gelinski, Japa, Victor Hugo, De Paula, Reffatti, Jardel e o líbero Thales. No primeiro set, os visitantes chegaram à frente na primeira e segunda paradas técnicas, respectivamente, 7×5 e 14×12. Melhor na partida, a Federal soube manter a calma, aumentar a diferença e fechar o set em 21×17, com 13 pontos de ataque, três de bloqueio e cinco com erro do adversário.

Na segunda parte do jogo a UFJF começou melhor. No primeiro tempo técnico, 7×6 para os mineiros. O Voltaço se recuperou, virou o placar na segunda parada, 14×10, e fechou o set em 21×19. Os juiz-foranos marcaram um ponto de saque, nove de ataque e nove pontos em erros do adversário.

O terceiro set começou equilibrado. O técnico da UFJF conseguiu acertar novamente o time. Os jogadores responderam em quadra. A vantagem foi a favor da Federal nas paradas técnicas, 7×6 e 14×12. Jogando melhor, os visitantes aumentaram a vantagem no placar e fecharam o set em 21×14 com dois pontos de saques, oito de ataque, quatro de bloqueio e pontos em erros do adversário.

O quarto set era tudo ou nada para o Volta Redonda. Mesmo entrando forte, os donos da casa não conseguiram segurar a Federal, que chegou à frente do placar nos tempos técnicos – 7×4 e 14×8 –, fechando o set e o jogo em 21×17, com 2 pontos de saque, 12 de ataque, 2 de bloqueio e 5 de erros do adversário.

Time de vôlei da UFJF confirma mais quatro amistosos

Destacado

por Luara Herédia

Em ritmo final de treinamento visando a estreia no Campeonato Mineiro, o time de vôlei da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) confirmou mais quatro jogos amistosos. Depois de enfrentar a seleção australiana, a UFJF vai jogar contra o Volta Redonda, equipe do Rio de Janeiro. Nesta quinta, 22 de agosto, as equipes entram em quadra às 19h, para o primeiro jogo, e na sexta (23), às 11h, acontece o segundo jogo. As duas primeiras partidas serão na casa do adversário. Na semana que vem terça (27) e quarta- feira (28), os times voltam a se enfrentar, só que desta vez em Juiz de Fora, com entrada gratuita para os torcedores.

Para estas partidas o técnico “Chiquita” vai contar com um reforço de peso.  O central Lucão, que estava treinando com a seleção brasileira, retornou aos treinamentos e está preparado para entrar em quadra: “Estamos em uma reta final de preparação para o Mineiro e Superliga. O time vem evoluindo a cada semana, e o retorno do Lucão nos dá uma boa base para avaliarmos nossos centrais, e testar a alternância de táticas”, explica o treinador.

Por causa dos novos amistosos, a equipe modificou o seu cronograma de treinamentos da semana. Hoje a tarde, a equipe participa de um círculo funcional para treinar a parte defensiva, como bloqueio, contra-ataque e rede. Amanhã o time viaja para Volta Redonda, e retorna na sexta-feira a noite para Juiz de Fora. No final de semana, os atletas terão folga.

UFJF perde o segundo jogo contra a Austrália

Destacado

por Luara Herédia

A equipe da UFJF recebeu a seleção australiana para a segunda partida amistosa. Na quinta-feira, o time brasileiro venceu fácil a seleção australiana. Hoje, os adversários foram visitantes mais “indigestos”. Em um jogo de seis sets ( depois da disputa do tie-break, as equipes optaram por jogar mais um set), a Austrália levou a melhor e venceu por 3 x 2( placar oficial). Parciais de 20 x 25, 25 x19, 23 x 25, 27 x 25 ,15 x 13 . O placar do sexto set em conto no fim do post.

Ao contrário do primeiro jogo, a seleção Australiana entrou mais vibrante e concentrada, o que deve ter sido resultado de uma boa conversa do técnico Jon Uriarte, que não ficou nem um pouco satisfeito com a atuação da sua equipe no dia anterior.

Seleção australiana levou a melhor no 2º jogo.  Foto: Lucilia Bortone

Seleção australiana levou a melhor no 2º jogo.
Foto: Lucilia Bortone

O jogo:

A UFJF começou a partida com o levantador Danilo Gelinski, os centrais Jardel e Victor Hugo, os ponteiros Hugo e Japa, o oposto De Paula e com o líbero Thales. O início do set foi bastante equilibrado, com as duas equipes defendendo muito. A UFJF aproveitou mais os contra-ataques, e abriu 4 x 1. No primeiro tempo técnico, os donos da casa  tinham quatro pontos de vantagem, 8 x 4. No bloqueio, Victor Hugo colocou a UFJF quatro pontos à frente,12 x 8. Após erro bobo da dos australianos, a UFJF foi para a segunda parada técnica com cinco pontos de frente,16 x 11. O técnico da seleção australiana modificou sua equipe em busca de reação, no lado da federal, o técnico Chiquita, também mudou o time, Daniel e Reffati entraram no lugar de Gelinski e De Paula. Com cinco pontos de vantagem, Jardel fechou o set em 25 x 20.

No  início do segundo set, a Austrália liderou o placar pela primeira vez no jogo, com um bloqueio duplo os visitantes fizeram,3 x 2. Os visitantes abriram dois pontos, mas com um erro de ataque, a  UFJF empatou em 5 x 5. Após um ponto muito disputado o central, Victor Hugo marcou o ponto pra Federal, que foi para primeiro tempo técnico na frente do marcador, 8 x 7. O jogo era nervoso, e por alguns segundos, as equipes esqueceram da palavra “amistoso”, e iniciaram um princípio de bate boca na rede. Após erro de jogada da equipe mineira, os australianos abriram vantagem, no segundo tempo técnico, o placar era 16x 13, a favor dos visitantes.  A seleção cometia  menos erros, e aumentou a diferença para cinco pontos. O técnico da UFJF trocou alguns jogadores para tentar uma reação, Daniel e Japa entraram, no lugar de De Paula e Hugo, mas no bloqueio, a Austrália fechou o set em 25 x19, e empatou a partida em 1 set a 1.

9524958657_3f1ea25701A  vitória no set anterior empolgou os australianos, que  começaram  mais atentos e abriram dois pontos de vantagem. Do lado da UFJF, a equipe cometia muitos erros. O levantador Gelinski com dores no ombro saiu para a entrada do reserva, Rivoli. No tempo técnico obrigatório, a Austrália liderava com o dobro de pontos: 8 x 4. Mais regular os visitantes aumentaram a diferença no placar. No segundo tempo técnico, eles lideravam por 16×10. Em jogada confusa, em que os bandeirinhas e juízes não se entenderam, o primeiro árbitro resolveu voltar o ponto. A jogada parece ter acordado a UFJF, que reagiu no set. No bloqueio, a Federal encostou no placar: 17 x 18. No erro do adversário, os donos da casa empataram o set em 22 x 22 e passaram à frente depois de um excelente saque de Jardel. No bloqueio duplo, os anfitriões fecharam o set em 25 x 23, mesmo depois de  ficar atrás do placar a maior parte do set.

As  equipes trocavam pontos no início do set. No primeiro tempo técnico, a vantagem era mínima a favor dos australianos, 8 x 7 . Com muito equilíbrio no set, a federal conseguiu  dois pontos, no erro de ataque do adversário, 16 x 14. O ponteiro, Japa fez  bela após o saque australiano, a bola passou para a quadra do adversário e caiu sem ninguém defender, 18 x 16. Usando o bloqueio, a Austrália empatou o set em 21 x21.  Com uma defesa do líbero australiano, que possibilitou o contra-ataque, a seleção passou à frente, 22 x 21. Chiquita pediu tempo e modificou sua equipe. Xuxa e De Paula entraram no lugar de  Rivoli e  Daniel. Na sequência, o atacante australiano errou um ataque fácil, desperdiçando a chance de fechar o set. Porém, a UFJF também cometeu erros no fim do set, e após erro de combinação de jogada, a Austrália conquistou o set por 27 x 25.

9527742918_94986b88df

Foto: Lucilia Bortone

O  quinto set, o  mais curto do jogo começou bastante equilibrado. No erro de ataque da UFJF, os australianos ficaram na frente do placar na mudança de quadra, 8  x7. Com um bloqueio eficiente de Daniel e Japa, os mineiros viraram o placar para 11 x 10. O setor defensivo australiano fez diferença e a equipe retomou a liderança do placar: 12×11. O ponteiro Hugo e o levantador Xuxa entraram no set, no placar, a Austrália estava a um ponto de conquistar a vitória, 14 x 13. A pós erro do time de Juiz de Fora, os australianos fecharam o set por 15 x 13, o jogo por 3 x 2 e comemoraram muito a conquista.

VALE EMPATE?

Quando todo mundo s preparava para ir embora, as comissões técnicas resolveram jogar mais um set. E com isso, o jogo ganhou um sexto set. Por isso, para quem acompanhou o jogo no ginásio, o placar final foi 3 sets a 3.

Chiquita conversa com seus jogadores. Foto: Lucilia Bortone

Chiquita conversa com seus jogadores. Foto: Lucilia Bortone

No sexto set, os times aproveitaram para mexer bastante na equipe. Pelo lado da UFJF, o líbero Octacílio teve  a oportunidade de jogar, assim como o terceiro levantador do time Xuxa, que teve a chance de começar  jogando um set . As equipes em quadra  abusaram dos erros, e com isso, o jogo era equilibrado. Apenas na reta  final do set uma equipe abriu vantagem, os brasileiros conseguiram abrir três pontos importantes, fazendo 18 x 15. E com o bloqueio parando o ataque adversário, o time da casa fechou o set em 25 x 20.

Que comece a temporada 

Agora, a UFJF se prepara para a estreia do Campeonato Mineiro e da Superliga 2013/2014 para começar oficialmente a temporada. Já os australianos encerraram sua estadia no Brasil, eles passaram por Saquarema ( centro de treinamentos do Brasil) e por Belo Horizonte, aonde fizeram duas partidas contra o Sada/ Cruzeiro. A Austrália volta para o seu país para a disputa do campeonato da Oceania, o vencedor disputa o Mundial em novembro no Japão, o Brasil já garantiu sua vaga na competição após a conquista do Sul-americano.

 

UFJF vence primeiro amistoso contra a Austrália

Destacado

 

por Luara Herédia

UFJF venceu com tranquilidade o primeiro desafio.  Foto: Lucilia Bortone

UFJF venceu com tranquilidade o primeiro desafio.
Foto: Lucilia Bortone

Enquanto a CBV  não resolve divulgar o calendário com a data de início da Superliga, e o Campeonato Mineiro é uma incógnita (alôooo, FMV), a equipe da UFJF  realizou ontem (15.08) a primeira das duas partidas amistosas contra a seleção da Austrália, 11ª colocada no ranking mundial.  A Federal venceu os três primeiros sets, e as duas comissões técnicas resolveram fazer um quarto e quinto sets. No final, vitória da UFJF por 4  sets a 1. Parciais de 25/19, 25/21, 25/22, 33/31 e 21/25.  

O grande adversário da noite foi o frio, com temperatura por volta dos 10 graus. Jogadores e os cerca de 250 torcedores que acompanharam a partida sofreram para superar a baixa temperatura.

Hoje (16.08) as duas equipes fazem a segunda partida. UFJF x Austrália se enfrentam às 16h, no Ginásio de Educação Física e Desportos da UFJF. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) e podem ser adquiridos no local da partida.
O jogo

A UFJF iniciou a partida com o levantador Danilo Gelinski, os ponteiros William Reffatti  e Japa , os centrais Jardel e Victor Hugo, o oposto De Paula e com o líbero Thales. Os levantadores das duas equipes começaram o jogo utilizando as jogadas rápidas com os centrais. A equipe mineira era mais regular e logo abriu vantagem no marcador. No segundo tempo técnico a UFJF vencia por 16 x 9. O técnico argentino Jon Uriarte, que comanda a equipe australiana, parou a partida. Depois da conversa com o treinador, a Austrália voltou mais concentrada na partida, mas não dava tempo para reação. Vitória da Federal por 25 x 19.
O início do segundo set foi mais equilibrado com as duas equipes se alternando na frente do placar, mas quando o ponteiro Reffatti foi para o saque conseguiu uma incrível sequência, colocando o time da casa com vantagem no placar, 10 x 6. O bloqueio do time brasileiro funcionava muito bem parando o ataque australiano. A UFJF chegou a ter o dobro de pontos do adversário, 16 x 8. O time da casa começou a errar mais e os australianos diminuíram a diferença, mas de novo não foi suficiente para vencer o set. No final, 25 x 21 para a UFJF.

Bloqueio australiano tenta parar o ataque do ponteiro Reffatti. Foto: Lucilia Bortone

Bloqueio australiano tenta parar o ataque do ponteiro Reffatti. Foto: Lucilia Bortone

A UFJF começou melhor e logo fez 3x 0. No primeiro tempo técnico obrigatório, o placar era 8 x 3 a favor dos donos da casa. A Austrália foi se recuperando nos set, e com um bloqueio ficou apenas um ponto atrás da UFJF, 13 x13. A Federal começou a cometer muitos erros pequenos. O técnico  do time, Carlos Augusto, o Chiquita, trocou o seu oposto, De Paula,  para a entrada de Daniel. A mudança fez a equipe voltar a jogar bem o set e abrir três pontos de vantagem, que se manteve até o fim,  25 x 22 para a UFJF.

Mudança no time

O quarto set foi o mais disputado do jogo. Com a vitória garantida, o técnico da UFJF promoveu mais algumas mudanças na sua equipe para dar ritmo de jogo,  para todos os jogadores. Os ponteiros Dedé e Hugo  entraram no lugar de Japa e Reffati, respectivamente. No primeiro tempo técnico, a Austrália liderava o marcador, 8 x 7. Os visitantes chegaram a abrir quatro pontos: 16 x 12, mas a UFJF reagiu e empatou o set. No fim do set mais equilibrado do jogo, as duas equipes se alternavam na liderança e nas oportunidades de fechar. Depois de um set maior que o normal, com um bloqueio , a UFJF levou os set por 33 x 31.

 Jon Uriarte orienta sua equipe. Foto: Lucilia Bortone

Jon Uriarte orienta sua equipe. Foto: Lucilia Bortone

No quinto e último set, Chiquita modificou mais a sua equipe. O central Diego e o levantador Xuxa entraram. Dos jogadores que começaram a partida, apenas o líbero Thales e o central Victor Hugo permaneceram. No jogo, a Austrália entrou determinada em conquistar o set de honra. Errando menos, a equipe australiana se manteve na frente do placar durante todo o set, e venceram por 25 x 21.

Seleção masculina de vôlei conquista mais um título e mantêm o domínio no continente

Destacado

por Luara Herédia

Como amante do voleibol, quando descobri que o sul-americano iria ser disputado em Cabo Frio(RJ), não pensei duas vezes e decidi: pelo menos a final eu vou assistir. Dito e feito, no sábado coloquei minha mochila nas costas  fui fazer um bate volta de 800km, afinal era Brasil x Quiroga( ops, Argentina haha).

A cidade não tem muita tradição no vôlei, mas cheguei no ginásio por volta das 19h e me deparei com um ginásio lotado. Detalhe,o jogo era só às 21h45min. Muitas crianças, muita família e muita gente tendo a oportunidade de assistir o Brasil de perto pela primeira vez.

E quem já foi ao ginásio assistir sabe da sensação. São animadores, brindes, dj, e a atração principal, o mascote Zecaré, que dança, agita e é a sensação dos torcedores, que esperam o início da partida.

Foi ótimo ver o quanto a torcida se envolveu com o jogo, e incentivou até o fim( quase morri no quarto set). Confesso que fui no jogo com a camisa azul do Minas TC e com o número 9, que o ponteiro argentino Rodrigo Quiroga usou na última temporada( já deu para perceber que gosto dele?), Esse fato fez com que algumas pessoas me olhassem de jeito estranho, mas é claro que estava torcendo para o Brasil.

sul 2

O jogo:

Rivalidade em alta é sinônimo de grande jogo. Esses são alguns dos ingredientes quando Brasil x Argentina se enfrentam nos esportes, seja qual for a modalidade. E não foi diferente na final do sul-americano de vôlei, disputada no último sábado, 10 de agosto, em Cabo Frio, Rio de Janeiro. Foram mais de duas horas de uma grande partida e no final, vitória brasileira de virada por 3 x 2 .Parciais de 19-25, 25-20, 25/19, 24/26 e 15/10.

Brasil  e Argentina mostraram mais uma vez, que estão um passo bem à frente das outras seleções  do continente. As duas equipes chegaram à última rodada da competição sem perder um set para os adversários (Colômbia, Chile e Paraguai). O técnico Bernardinho começou o jogo com os seguintes jogadores: Bruno, Leandro Vissotto, Lucão, Sidão, Dante, Lucarelli e o libero Mário Jr.

Já a jovem equipe argentina, formada por uma geração de filhos e sobrinhos de craques argentinos do passado, estava determinada a estragar a festa brasileira. O resultado foi um jogo muito equilibrado, com pontos disputados, provocações e discussões com a arbitragem. Porém, o Brasil tinha um fator a mais que fez toda a diferença na partida, a torcida que lotou o Ginásio Alberto Barreto e empurrou a seleção para mais uma conquista.

Do lado argentino, o destaque foi o ponteiro Rodrigo Quiroga, com 17 pontos, o maior pontuador da partida. Mas o nome do jogo foi o central brasileiro Sidão, que voltou à seleção depois de passar por uma cirurgia na coluna, e foi um jogador fundamental para a virada brasileira. Com belos bloqueios, saques eficientes e ataques indefensáveis, Sidão foi eleito o melhor jogador da partida e do campeonato.

Emoção também não faltou, principalmente, no final do quarto set. A seleção brasileira chegou a ter 24 x 20 no placar. O público de pé já ensaiava os primeiros gritos de “é campeão”, mas o entusiasmo dos torcedores serviu de combustível para os “hermanos”, que se recuperaram no set, empataram o placar em 24 x 24, e com ótimos saques, viraram o placar e fecharam o set em 26 x 24, empatando a partida em 2 sets a 2, e calando o ginásio por alguns segundos.

Após uma bronca do técnico Bernardinho, a seleção entrou mais ligada no tie- break (set mais curto de 15 pontos). O Brasil se manteve na frente do placar durante todo o set e no fim, pôde comemorar mais um título e a hegemonia no continente. Afinal, são 29 títulos em 30 edições do Sul-americano.

Seleção do Campeonato

selecao-do-sulAntes da premiação das seleções foi divulgado a seleção do campeonato, e como não poderia ser diferente, o Brasil foi a base da equipe:

Levantador: Bruno Resende (Brasil)

Líbero: Mário Júnior ( Brasil)

Centrais: Sidão( Brasil) e Solé( Argentina)

Oposto: Moreno (Colômbia)

Ponteiros: Lucarelli (Brasil) e Quiroga( Argentina)

Seleção masculina de vôlei disputa o título Sul-americano em Cabo Frio

Destacado

por Luara Herédia

 

sul

A seleção brasileira de vôlei está disputando nesta semana o Sul-americano, na cidade de Cabo Frio, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro. Depois do vice- campeonato da Liga Mundial, a equipe do técnico Bernardinho está em busca de mais um título, o 29º em 30 edições do Campeonato.

Além do Brasil, Paraguai, Colômbia, Chile, Argentina e Chile disputam o Sul-americano. A baixa na competição ficou por conta da equipe da Venezuela, que não conseguiu voo para o Brasil, e por isso desistiu de participar.

Com a ausência da Venezuela, a tabela do campeonato sofreu alterações, e o Sul-americano ganhou um novo formato. Ao invés da fase semifinal e final, o vencedor será a equipe com mais número de pontos (no vôlei, uma vitória por 3 x 0 ou 3 x 1 dá 3 pontos pra o vencedor. Já a  vitória por 3 x 2, dá 2 pontos para o vencedor e 1 para o perdedor.)

100% de aproveitamento

O Brasil venceu facilmente os dois primeiros jogos que disputou. Na estreia (na última terça-feira), a seleção brasileira enfrentou o Paraguai. A vitória foi por 3 sets a 0, em menos de uma hora. Parciais de: 25/7, 25/9 e 25/5. Ontem, o Brasil voltou às quadras diante da Colômbia, e novamente sem perder sets, venceu o jogo. Parciais de 25 x 15, 5 x 18 e 25 x 12.

Hoje, a seleção brasileira tem folga na tabela. Na sexta-feira, enfrenta o Paraguai e no sábado, o principal rival do continente, a Argentina. O campeonato sul- americano dá duas vagas para a disputa da Copa do Mundo, competição que acontece em novembro no Japão.

LIGA MUNDIAL- Sem chances para o Brasil

Destacado

Quando comecei a assistir vôlei, as melhores partidas eram as que envolviam Brasil X Itália. Foram anos de sets memoráveis, finais inesquecíveis e quinto sets de tirar o fôlego de qualquer um. Se o Brasil levou vantagem no cenário por uns bons anos e foi quase imbatível, parece que ganhou um novo( nem tão novo assim) algoz.

O time russo gosta de aprontar para cima da equipe brasileira, em 2002 ganhou o seu primeiro título da Liga Mundial , calando um Ginásio do Mineirinho lotado e colorido de verde e amarelo e o que falar da virada espetacular que os europeus aplicaram no Brasil na final olímpica no ano passado?

A Rússia "sambou" por cima dos brasileiros. Foto; Agência EFE

A Rússia “sambou” por cima dos brasileiros.
Foto; Agência EFE

Hoje, a Rússia conquistou o tricampeonato da Liga Mundial (2002, 2012 e 2013) atropelando a equipe brasileira. Vitória por 3 x 0 ( 25 x 23, 25 x 19 e 25 x 19). Se me permitem a brincadeira, parecia que o Brasil estava sobre efeito de uma pós- noite regada à VODKA . O ataque foi sem dúvida o pior fundamento; lento e ineficiente, parecia mesmo que eram os sintomas da ressaca.

Falsa primeira impressão: Sabe aquela expressão: “ A primeira impressão é a que fica” , antes fosse verdade! Brasil começou muito bem e logo abriu 5 x 0. Do outro lado, a Rússia errava tudo, quando o placar era 6 x 1, a favor do Brasil, cinco pontos eram em erros do adversário). Mas os russos logo se acertaram, na verdade, erraram muito( deram mais de um set em erros para o Brasil, mas no ataque, o time recompensou)
Falando em setor ofensivo… Não me lembro de uma partida tão fraca do Brasil no ataque. No decorrer do terceiro set, a equipe tinha apenas 25 pontos nesse fundamento. O entrosamento Wallace e Bruno estavam longe do ideal. Lucarelli sentiu um pouco a imensa pressão e responsabilidade, normal para um jovem jogador. Nem a bola de segurança do levantador com o central Lucão funcionou para ajudar a seleção. Não era mesmo o dia!

Lucarelli fez hoje,sua pior partida com  camisa da seleção. Foto: FIVB

Lucarelli fez hoje,sua pior partida com camisa da seleção. Foto: FIVB

Bola de segunda : Desde 2007, Bruno é o nome certo na seleção. Se no início, a participação do técnico era questionada por causa do fator: “filho do técnico”, o que acho de uma ignorância absurda. Bruno foi conquistando a vaga e o público dentro da quadra e hoje é “ titular e capitão da equipe, mas que abra o olho.

William finalmente foi convocado e o “El Mago” apesar de não ser mais nenhum garoto( jogador mais velho da atual seleção), tem fibra, gás e voleibol para conquistar cada vez mais o seu espaço. Aliás, em favor de William, a nova seleção, tem como base, jogadores da equipe do Sada/Cruzeiro, ou seja, falta de entrosamento não será problema.

Desafio: O voleibol admitiu o uso do recurso eletrônico, para tirar dúvidas de alguns lances da partida. Se a ideia é boa, na prática está longe de funcionar. Ontem , por exemplo, o Brasil pediu esse recurso, mas o árbitro olhou o lance errado. E esse é só um das falhas, outro erro é que quando o desafio é pedido, a transmissão mostra a televisão( e não a tela) em que os árbitros estão revendo o lance. Ou seja, alguns minutos o público fica vendo os juízes analisando o lance e aquele silêncio sem ninguém entender nada. Cadê dinamismo? Cadê interatividade?
No tênis, quando o tenista pede o desafio, público e jogadores acompanham o lance, batem palmas e esperam ansiosamente o trajeto da bolinha. Fica a dica para o vôlei.

Concluíndo… Bom, o fato é que o DECA ficou adiado por ( no mínimo) mais um ano no mínimo).
As críticas vão aparecer, sobretudo da forma em que a seleção perdeu. Porém, tenho certeza que não faltou garra e que a equipe mais do que ninguém queria vencer e provar que essa nova geração veio para ficar.
Na verdade, está tudo mundo recente. É apenas o primeiro ano deste novo ciclo, e não tenho dúvidas de que com as próximas competições , desafios e experiências, essa seleção vai continuar alegrando os torcedores.

Liga Mundial – Brasil estreia com derrota na fase final

Destacado

por Luara Herédia

O jvem ponteiro sentiu dificuldades para superar o forte bloqueio russo. Foto: FIVB

O jvem ponteiro sentiu dificuldades para superar o forte bloqueio russo.
Foto: FIVB

A seleção brasileira estreou com derrota para a Rússia  por 3 a 2, na fase final da Liga Mundial.Parciais de 17/25, 25/23, 25/22, 19/25 e 15/11. Hoje, a equipe do técnico Bernardinho folga  e volta às quadras na sexta-feira, em busca da classificação para a semifinal!

Entrou na pilha: A transmissão da tv falava em jogo da revanche, já que a seleção russa derrotou a seleção brasileira de forma arrasadora na final das Olimpíadas de Londres (Brasil vencia por 2 sets a 0, mas levou a virada). Eu odeio essas comparações,  desde quando um jogo na Liga Mundial pode ser comparada  com uma FINAL OLÍMPICA. Deixa pra ser resolvido em 2016…

vol_spiridonov_fivb.jpg_95

O oposto russo foi o protagonista da partida.
Foto: FIVB

E o gigante foi um mera coadjuvante:  Se a atenção estava voltada para o carrasco do Brasil nas Olímpiadas, o central Dmitriy Muserskiy de 2,18m, o gigante não fez nada de espetacular. Claro, que soltou umas bombas no saque, bloqueou, atacou, mas nada que chamasse atenção. Ao contrário do ponteiro Alexey Spiridonov, que fez questão de não passar despercebido.

O jogador foi o protagonista da partida e estava com a confiança lá em cima. E a cada ponto marcado por ele eram caretas, provocações e dancinhas ( sempre comemoradas de frente para a equipe brasileira), uma dessas comemorações lhe rendeu um cartão vermelho(na nova regra, apenas dá um ponto para o adversário). O que não limitou as provocações do russo….

Soltou o verbo: Em entrevista ao Sportv, o técnico Bernardinho falou sobre o comportamento de Spiridonov, para o comandante brasileiro, o problema maior foi a falta de postura dos árbitros: “Ele é doente, um louco, não é normal. O problema não é o Spiridonov, são os árbitros. Simples assim. Eles falam disciplina na quadra, o cara fica o tempo todo provocando, e não fazem nada. Deram o cartão vermelho, mas, se ele continuou, tem de expulsar.”

Faltou “o cara ” para a seleção:  O Brasil passa por uma reformulação, o ponteiro Lucarelli,  21 anos, já vem demonstrando toda sua maturidade e defendendo muito bem a posição, mas em jogos com nível, é essencial um jogador com uma bagagem, que por muitos anos Giba, Murilo ( que se recupera de uma cirurgia ) e Dante seguravam a barra.

Alias, falando em Dante, é cada vez mais perceptível, que são esses fatores,  experiencia e maturidade, que estão fazendo o ponteiro ser titular( principalmente com essa ausência de Murilo). Dante já não tem aquela potência de ataque, saudades da bola fundo-meio atacada por ele. Se Dante  não estava bem, entrou Maurício Borges, outro jogador novo, que precisa de tempo para ser um homem decisivo da seleção, muita responsabilidade para o ponteiro que na ultima temporada foi reserva no clube que defende( defendia).

Em outra posição, Leandro Vissotto vem jogando como oposto titular.Ontem, o jogador saiu machucado e Wallace(que acho que deve ser titular) entrou. Porém, o jogador também não foi muito decisivo, longe das melhores atuações do oposto.  Na inversão do 5×1( troca dos levantadores e oposto), Lipe, que é ponteiro de origem, atuou como oposto( por causa da contusão de Vissotto), outro que precisa de temo para mostrar que merece um espaço na seleção.

Próxima rodada: Se o Brasil não entra em quadra hoje, a Rússia joga hoje o seu segundo jogo desta fase final, diante do Canadá. Se vencer( é amplamente favorita) já garante  uma das vagas da semifinal e espera o vencedor do duelo entre Brasil x Canadá, que se enfrentam na sexta-feira, às 16h30min para saber quem também avança no grupo E.

 

Liga Mundial – Brasil estreia na fase final

Destacado

por Luara Herédia

Foto: SacandooVolei

Foto: SacandooVolei

A seleção brasileira de vôlei faz amanhã a sua primeira partida na fase final da Liga Mundial, disputada na cidade de Mar del Planta, na Argentina.O Brasil joga amanhã, às 17h30min contra a Rússia, algoz do Brasil na final dos Jogos Olímpicos de Londres.

Na quinta- feira, a seleção tem um dia de descanso e na sexta enfrenta a equipe do Canadá. A fase final conta com seis equipes e os dois melhores colocados de cada grupo avançam para a próxima fase. Além de Brasil, Rússia e Canadá, as seleções da Itália, Bulgária e a anfitriã Argentina, seguem em busca do título..

foto 2

Em busca do deca

O técnico Bernardinho convocou 14 jogadores para a fase final da competição. São eles: os levantadores Bruno e William, os ponteiros Lucarelli, Maurício Borges, Lipe, Dante e Thiago Alves, os opostos Wallace e Vissotto, os centrais Lucão, Éder, Isac . E a mudança anunciada hoje foi o corte do central Maurício e a convocação do líbero Alan. O motivo foi um alerta da Federação Internacional de Vôlei informando ao técnico brasileiro que  é obrigatório  ter dois líberos inscritos para a última etapa da competição. Mesmo sem poder jogar, o  central Maurício permanece com a equipe na Argentina.

{Galeria}- Treino UFJF

Destacado

Evento: Treino da Equipe de Vôlei da UFJF

Local: Ginásio  da Faculdade de Educação Física

Fotos: Lucilia Bortone

{Galeria} -LIGA MUNDIAL- BRA X EUA- JOGO 2

Destacado

por Luara Herédia

Neste final de semana a seleção brasileira, que já estava classificada para a próxima fase da LIiga Mundial recebeu a equipe dos Estados Unidos, no Rio de Janeiro.

Para os Estados Unidos era vencer e continuar na competição, para  a jovem seleção de Bernardinho, as partidas serviram com testes para a fase final da Liga , que  será disputado semana que vem em Mar del Planta, Argentina.

O Brasil saiu vitorioso nos dois confrontos e o SACANDO O VÔLEI esteve presente nos jogos. Confira algumas fotos das partidas.

Fotos: Rita Herédia

JOGO 2- 14/7- Ginásio do Maracanãzinho

{GALERIA} -LIGA MUNDIAL – BRA x EUA- JOGO 1

Destacado

Evento: Liga Mundial: Brasil x Estados Unidos

Local: Ginásio do Maracanãzinho – Rio de Janeiro

Data: 13 de julho

Fotos: Lucilia Bortone

{GALERIA} LIGA MUNDIAL – BRASIL X BULGÁRIA

Destacado

A seleção brasileira de vôlei recebeu a Bulgária em Brasília, no ginásio Nilson Nelson, para dois confrontos válidos  pela Liga Mundial.

Na sexta, a seleção de Bernardinho começou perdendo, mas co boa atuação de Vissotto, que marcou dezenove pontos, a seleção virou a partida e conquistou a vitória por 3 x 1. Parciais de 24-26, 25-17, 25-20 e 25-23.

Hoje, a seleção búlgara deu novamente um susto no Brasil e começou vencendo o primeiro set. Mas ao longo da partida, a equipe de Bernardinho recuperou o ritmo de jogo e se recuperou, não dando chances ao adversário. Vitória or 3 x 1. Parciais de 19/25, 25/21, 25/17 e 25/19.

O Brasil é líder do grupo A da Liga Mundial, que conta com as equipes da Bulgária, Polônia, França, Argentina e Estados Unidos. Os norte- americanos são os próximos adversários dos brasileiros. No próximo final de semana, o ginásio do Maracanãzinho, Rio de Janeiro será o palco do confronto.

Confira abaixo algumas fotos do primeiro jogo entre Brasil X Bulgária. Clique na primeira imagem, para ter acesso a Galeria de Fotos:

Créditos- Mariangela Herédia e Vannia Oliveira.

Começa a temporada 2013/2014 para a UFJF

Destacado

por Luara Herédia 

Imagem

Começou a temporada para os jogadores da UFJF. Na tarde de ontem, os atletas se reapresentaram na Faculdade de Educação Física e Desportos  (FAEFID) para os primeiros testes físicos.

No primeiro contato, time e comissão técnica se reuniram para uma conversa. Nesta temporada, Maurício Bara, que foi técnico do time por duas temporadas deixou o cargo e assumiu a direção da equipe. O novo técnico é Chiquita, que foi assistente técnico da UFJF na última Superliga.

A equipe manteve alguns jogadores no elenco, os levantadores Danilo Gelinski e Vitor Gelli (Xuxa), o líbero Tatinho, o ponteiro Japa e os centrais Sequela, Victor Hugo e Lucas Rangel, que não se reapresentou ontem, pois está com a seleção brasileira sub-23 em treinos na Europa.Imagem

As novidades no elenco do time de Juiz de Fora são os experientes jogadores Rivoli, Daivison, Reffati, De Paula e Daniel, além do central Jardel, que retorna à equipe, depois de uma passagem polêmica quando o jogador foi afastado do elenco no meio da Superliga.

RECOMEÇO

Jardel, que jogou no último ano na França, conversou sobre esse retorno para a UFJF: “Participei da primeira temporada da equipe e tentei fazer as coisas da melhor maneira possível, da forma como eu aprendi no profissional . Eu já vivi algumas coisas e já vi o caminho que tinha que ser trilhado para conseguir essas coisas [vitórias] e a gente tentou implantar na equipe. Em algum momento fomos incompreendidos, mas o meu retorno mostra um bom relacionamento coma diretoria, com os atletas  que permaneceram, e com os patrocinadores”.

Imagem

Jardel, com seu filho Matheus, espera uma temporada vencedora para a equipe – (Foto: Lucilia Bortone)

O atleta disse estar confiante para a temporada:”Estou muito feliz,  a gente espera ter um ano muito próspero. As condições que o time oferece pra gente são as melhores possíveis. A gente tem um time competitivo para chegar bem nesta temporada . A partir de hoje é ficar focado para fazer uma temporada melhor que essas duas primeiras”, concluiu o jogador.

CONTATO COM A TORCIDA

O primeiro contato da torcida com o novo time da UFJF já tem data marcada. Será amanhã (quarta-feira),  às 16h30 no primeiro treino aberto para a torcida. “Contamos com apoio das arquibancadas, e nada melhor que uma apresentação para a torcida para começarmos bem mais uma temporada”, explica o diretor técnico, Maurício Bara.

UFJF já tem data para voltar aos treinos

Destacado

 

 

 

por Luara Herédia
treinoO time de vôlei da UFJF já tem data para se reapresentar, a equipe de Juiz de Fora inicia a temporada 2013/2014 no dia 1º de julho. Os levantadores Danilo Gelinski e Vitor Gelli, o líbero Tatinho, o ponteiro Japa e os centrais Sequela, Victor Hugo e Lucão continuam na equipe. Lucão falou sobre os contratos renovados: “Como o time mantém uma base comigo, Gelinski, Japa e outros que já estavam, temos entrosamento. E ainda vão chegar reforços, o que ajuda ainda mais.”

Lucão, que chegou ao time na temporada anterior, logo conseguiu o seu espaço no time titular:

lucao ufjf

Lucão vai jogar pelo 2º ano pela equipe de Juiz de Fora

“Cheguei na equipe da UFJF como reserva e durante a temporada fui conquistando meu espaço. Acredito que tenha ganhado bastante confiança do treinador e da torcida, o que é muito importante.” A campanha do jogador central foi tão boa, que ganhou a chance de treinar na seleção brasileira de novo no CT de Saquarema, centro de treinamento oficial do voleibol.

Sobre as novas contratações, a diretoria já confirmou a volta do central Jardel, que estava no voleibol francês, a chegada do líbero Thales, que defendeu a equipe de Florianópolis na última temporada, do ponteiro Daivison, que estava jogando no exterior, e a do levantador Rodrigo Rivolli, que jogou pelo Sesi.
Os jogadores que já são ausências confirmadas são o líbero Fábio Paes,que foi para a

 Chiquita é o novo treinador da equipe

Chiquita é o novo treinador da equipe

nova equipe de Taubaté-SP e o oposto Luan, terceiro maior pontuador da Superliga 2012/13, que retornou para a equipe de Canoas. Já na beira da quadra, técnico da equipe desde 2011, Maurício Bara deixou o cargo e assumiu a direção do time. O novo técnico é Carlos Augusto de Oliveira, o Chiquita, que foi auxiliar de Bara.

A primeira competição da UFJF do ano será o Campeonato Mineiro, no final de julho. E depois, a Superliga, maior competição nacional da modalidade, que este ano começa mais cedo, em setembro.

Brasil estreia na Liga Mundial em estádio de futebol

Destacado

por Luara Herédia

A busca pelo décimo título da Liga Mundial começa amanhã para a seleção brasileira de vôlei, e de cara o primeiro desafio será uma pedreira para a “nova” seleção. O adversário da estreia é a Polônia,atual campeã da competição. Imagem Para colocar um pouco mais de emoção na partida, o ginásio em que os poloneses escolheram para ser o palco do primeiro confronto é nada mais que um estádio de futebol , o Narodowy, na cidade de Varsóvia,com capacidade para aproximadamente 60 mil pessoas( isso, mesmo SESSENTA MIL PESSOAS)  em um jogo de voleibol.

O vôlei é o esporte número 1 na Polônia, e a torcida da “Polska” incentiva do início ao fim, fazem coreografias e realmente se envolvem com a partida. Portanto, é esperar e aguardar o espetáculo que será essa partida. Essa não será a primeira vez que a seleção brasileira vai trocar os ginásios por um estádio.

Em, 1983, o Brasil enfrentou a extinta URSS se enfrentara no Maracanã debaixo de chuva. E ao todo, mais de 95 mil torcedores estavam presentes. Brasil e Polônia se se enfrentam amanhã, sexta -feira,07 de junho, às 12h45min. O canal Sportv transmite a partida

Foto: CBV

Brasil volta a vencer a Rússia em amistoso

Destacado

por Luara Herédia

 Foto: Divulgação CBV

Foto: Divulgação CBV 

A seleção brasileira masculina de vôlei voltou à quadra para a disputa do segundo jogo amistoso contra a Rússia, novamente o Brasil saiu com a vitória por 3 x1. Parciais de  25-20,25-20, 19-25 e 25-17. Assim como ontem, um quinto set foi disputado e os russos venceram por 25 x 22.

Para os jogos amistosos, a seleção viajou com os seguintes jogadores: os levantadores Bruno e William Arjona, os opostos Leandro Vissotto, Wallace e Renan, os centrais Lucão, Eder, Maurício Souza e Isac, os ponteiros Dante, Thiago Alves, Lipe, Maurício Borges e Lucarelli e os líberos Mário Jr. e Alan. 

As partidas serviram como teste final  para o Brasil, que estreia na  Liga Mundial na próxima sexta- feira(7) contra a Polônia, atual campeã da competição. O canal Sportv transmite a partida a partir de 12h35min.

Bernardinho escalou o mesmo time que iniciou a partida ontem: Bruninho( levantador) Leandro Vissotto( oposto), Éder e  Maurício( centrais), Lucarelli e  Dante( ponteiros) e Mário Júnior ( líbero). Porém, ao contrário do primeiro jogo, poucas mudanças ocorreram, entraram apenas o central Isac, o ponteiro Lipe, o levantador William e o oposto Wallace.

Confira a lista dos 22 jogadores convocados para a Liga Mundial:

Levantadores: Bruno Rezende, William Arjona, Raphael e  Murilo Radke

Ponteiros: Dante, Lucarelli,Lipe, Maurício Borges e Thiago Alves e Ary

Opostos: Leandro Vissotto, Wallace, Renan , Thèo, João Paulo Bravo

Centrais: Éder, Lucas Saatkamp, Isac e Maurício Souza, Sidão

Líberos: Mário Júnior e Alan