[Pré- temporada] Montes Claros vence os dois jogos contra JF Vôlei e fatura o Desafio Mineiro

A equipe de Montes Claros veio à Juiz de Fora enfrentar o JF Vôlei em dois amistosos e vai voltar para casa com duas vitórias na bagagem. Na primeira partida, disputada na quinta-feira (17), os visitantes venceram por por 3 a 2, com parciais de (24×26, 21×25, 25×20, 25×18 e 09×15), nesta sexta-feira (18), MOC venceu, de virada, mais uma no quinto set, desta vez com parciais de (17×25, 25×22, 29×31, 26×24 e 15×5), conquistando o troféu do Desafio Mineiro.

Em pré-temporada, o que significa muito treino, porém pouco ritmo de jogo, os técnicos comemoram a oportunidade de testar suas equipes às vésperas da estreia no Campeonato Mineiro. O técnico Chico dos Santos, que levou o Pequi Atômico ao vice-campeonato da Superliga na temporada 20009/2010 e retornou ao comando do time nessa temporada, fez uma avaliação positiva. “A gente precisava jogar e estávamos sem jogo. As equipes de São Paulo já estavam envolvidas com o [Campeonato] Paulista e não foi possível jogar, teve também a disputa da Taça Ouro que também impossibilitou jogos, mas quando a equipe de Juiz de Fora nos convidou, nós aceitamos na hora. Foram dois jogos excelentes, a equipe deles é muito forte e para nós valeu muito. ”

chico e henrique

_ À beira da quadra Chico dos Santos, com a prancheta na mão e, do outro lado, Henrique Furtado; os treinadores aprovaram os amistosos.   [Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovôlei.com]

 O treinador de Juiz de Fora, Henrique Furtado, também avaliou o adversário e, apesar da derrota, gostou do que viu. “Faço um balanço positivo. Foram dois jogos de altíssimo nível contra um time muito experiente e que nos exigiu em todos os fundamentos. Foi muito importante passar por esses jogos antes da estreia no Mineiro”, explicou Henrique.

O time do Norte de Minas estreia na próxima sexta-feira (25) no campeonato estadual contra o Sada/Cruzeiro, em Contagem.  Já o time da Zona da Mata só entra em quadra no dia 08 de setembro, também diante do time cruzeirense. JF Vôlei e Montes Claros se enfrentam nos dias 14 e 16 de setembro,  com mando do time do Pequi Atômico.

JF Vôlei lança novo escudo e anuncia a contratação de um oposto venezuelano

Nesta manhã de quinta-feira (17) o JF Vôlei recebeu no Salão Nobre do Hospital Santa Casa, jornalistas e patrocinadores e apresentou novidades dentro e fora de quadra.  A primeiro foi a alteração da identidade visual da equipe para a temporada 2017 e o segundo anúncio foi a contratação de um oposto, o venezuelano Emerson Rodriguez, de 25 anos, que recentemente foi vice-campeão Sul-americano por sua seleção.

Emerson tem 2,02m e chega para suprir a carência da posição, já que o time mineiro tinha 10 atletas que vieram da base do Sada Cruzeiro, além do levantador Felipe Hernandez, até então único jogador contratado por Juiz de Fora, porém não tinha um oposto de origem e vinha improvisando os atletas do elenco.  O diretor técnico do JF Vôlei, Maurício Bara contou como o time chegou até o oposto.

escudo

Essa é a nova identidade visual da equipe de Juiz de Fora.

“Foi uma soma de fatores. Primeiro o trabalho do Henrique de observar jogadores da nossa característica, que não impactassem tanto financeiramente no orçamento da equipe. Todos sabem que vivemos um processo muito limitado. O Henrique buscou, o procurador do jogador é brasileiro, e conversamos. Outro fator importante foi que ele jogou com o Manius, um importante atleta que passou aqui na temporada 2014/2015, veterano, e que manteve uma relação muito próxima com a gente, e nos disse que o Emerson tem muito potencial e precisava de mais treinamentos de qualidade. Então isso corroborou. Ele entendeu nossa limitação, quer entrar em um mercado diferente e abrir portas”, explicou Maurício.

O treinador Henrique Furtado também comentou sobre o seu novo jogador: “Já o conheço há dois anos. É um jogador jovem, ex-central, e tem muitos anos de categorias de base da Venezuela e, depois, no time adulto. Tornou-se oposto por volta de dois anos e meio atrás. Foi indicado por um ex-jogador da Seleção da Venezuela, no ano passado, mas apareceu a possibilidade de contar com o Renan. Mantivemos conversas com o Emerson, que sempre se mostrou muito disposto a vir trabalhar conosco e enxerga no vôlei brasileiro uma grande oportunidade em sua carreira. É um jogador de muita força, bons saques e ataques, com muito potencial para trabalhar bem os outros fundamentos também”, exaltou o treinador.

max montecinos emerson rodriguez

– Emerson Rodriguez( nº5), nova contratação do JF Vôlei. [Foto: Max Montecinos]

O atleta ainda não chegou à Juiz de Fora (MG) pois tem compromissos a cumprir com a Venezuela, a disputa do Classificatório para o Campeonato Mundial, que será na Argentina entre os dias 20 de agosto a 4 de setembro, na Argentina.  O plano é que Emerson chegue em juiz de Fora no dia posterior ao fim da competição, para que o jogador já possa estar disponível para estrear com o JF Vôlei no dia 08 de setembro diante do Sada Cruzeiro, em Contagem (MG), em partida válida pelo Campeonato Mineiro.

 

[Pré-temporada] JF Vôlei recebe Montes Claros nesta semana

Reta final de preparação para o início do Campeonato Mineiro e o Montes Claros viaja até Juiz de Fora para encarar o JF Vôlei em dois amistosos nos dias 17 e 18 de agosto. Os dois encontros serão no ginásio da UFJF, na quinta às 19h30, e na sexta às 15h. Esta é a segunda série de amistosos da equipe da Zona da Mata, que renovou a parceria com o Sada Cruzeiro para a temporada. Já o MOC reformulou a equipe e repatriou o treinador Chico do Santos.

O Pequi Atômico estreia no Mineiro no próximo dia 25 contra o Sada Cruzeiro, em Contagem, enquanto o JF Vôlei fará sua primeira partida no dia 8 de setembro também contra os cruzeirenses. Pelo Estadual, JF Vôlei e Montes Claros se enfrentam nos dias 14 e 16 de setembro, no Norte de Minas.

Com informações do Montes Claros Vôlei

[Taça Ouro] Corinthians/Guarulhos vence Botafogo e está na Superliga 2017/2018

O Corinthians/Guarulhos (SP) está classificado para a Superliga Masculina 2017/2018. Na noite deste domingo (13), na partida final da do quadrangular da Taça Ouro, o time paulista venceu o Botafogo (RJ) por 3 sets a 1 (25×20, 25×20, 28×30 e 25×19), em 2h e 33 minutos de partida no ginásio Oscar Zelaya, no Rio de Janeiro (RJ), conquistando a vaga para a elite do voleibol nacional.  As equipes de Castro (PR) e Rádio Clube/AVP (MS), também participaram da competição.

Ao fim da partida, o líbero bicampeão olímpico Serginho, um dos mentores do projeto, comemorou o objetivo alcançado e ainda elogiou o adversário. “Foi muito difícil, pois jogamos uma Taça Ouro com um nível altíssimo. Fico triste por outro lado em ver equipes tão fortes ficando de fora, como o Botafogo que tem um elenco talentoso, torcida maravilhosa, comissão técnica e estrutura muito boas. Fiz a minha parte, e quero sempre o bem do voleibol”, disse o atleta multi-campeão.

Com a classificação do 12º time, a Superliga Masculina 2017/2018 está completa e contará com quatro equipes mineiras: Sada Cruzeiro, Montes Claros Vôlei, Minas Tênis Clube e Juiz de Fora Vôlei; quatro times paulistas: Funvic Taubaté, SESI-SP, Vôlei Renata e Corinthians/Guarulhos; dois representantes do Rio Grande do Sul: Lebes/Gedore/Canoas e Bento Vôlei; uma equipe paranaense: Copel Telecom Maringá (PR) e um time do Rio de Janeiro: o SESC-RJ.

TAÇA OURO MASCULINA

11.08 (SEXTA-FEIRA) – 1ª RODADA

18h – Castro (PR) 3×2 Corinthians/Guarulhos (SP) (26×24, 18×25, 25×22, 20×25 e 15×13)

20h – Botafogo (RJ) 3×0 Rádio Clube/AVP (MS) (25×18, 25×23 e 25×16)

12.08 (SÁBADO) – 2ª RODADA

18h – Corinthians/Guarulhos (SP) 3×0 Rádio Clube/AVP (MS) (25×17, 25×10 e 25×15)

20h – Botafogo (RJ) 3×2 Castro (PR) (25×23, 24×26, 22×25, 25×23 e 15×10)

13.08 (DOMINGO) – 3ª RODADA

18h – Rádio Clube/AVP (MS) 0x3 Castro (PR) (21×25, 16×25 e 19×25)

20h – Botafogo (RJ) 1×3 Corinthians/Guarulhos (SP) (20×25, 20×25, 30×28 e 19×25)

 

Com informações: CBV

Foto em destaque: Reprodução Corinthians/Guarulhos/Facebook

[Taça Ouro] Castro e Botafogo saem na frente pela última vaga na elite

A Taça Ouro começou no final da tarde de ontem (11) e de cara já tivemos uma surpresa em General Severiano. Rebaixado na última temporada, o Castro venceu o Corinthians/Garulhos, do líbero bicampeão olímpico Serginho, por 3×2 (26×24, 18×25, 25×22, 20×25, 15×13). O resultado dá um gás a mais ao Botafogo que venceu na estreia o Rádio Clube/AVP por 3×0.

No formato “todos contra todos”, a vaga será da equipe com melhor campanha no quadrangular. “Este é um torneio curto e decisivo. Para nós, cada partida é uma decisão. Castro venceu o Corinthians, que era o favorito, e amanhã teremos mais um jogo complicado. O Botafogo sempre teve tradição no voleibol, e é uma honra jogar aqui. Temos jogadores muito jovens, que contam comigo, se apoiam em mim, então é uma grande responsabilidade e também uma satisfação”, comentou o levantador Marcelinho, do Botafogo.

Neste sábado (12), Corinthians e AVP abrem a rodada, às 18h, e o Botafogo enfrenta o Castro, às 20h. Amanhã (13), a competição termina com AVP x Castro e, a partida mais esperada da competição, Botafogo x Corinthians.

Confira a tabela e os resultados:

Taça Ouro 2017 – Masculino

11.08 – 1ª Rodada
Castro (PR) 3 x 2 Corinthians/Garulhos (SP) [26×24, 18×25, 25×22, 20×25, 15×13]
Botafogo (RJ) 3 x 0 Rádio Clube/AVP (MS) [25×18, 25×23, 25×16]

12.08 – 2ª Rodada
18h – Corinthians/Garulhos (SP) x Rádio Clube/AVP (MS)
20h – Botafogo (RJ) x Castro (PR)

13.08 – 3ª Rodada
18h – Rádio Clube/AVP (MS) x Castro (PR)
20h – Botafogo (RJ) x Corinthians/Garulhos (SP)

Com informações da CBV.
Foto: CBV

[Sul-americano] Brasil conquista o 31º título continental e se garante no Mundial do ano que vem

Sem perder nenhum set em cinco jogos, a seleção masculina de vôlei conquistou, nesta sexta-feira (11), o primeiro título no comando do técnico Renan dal Zotto. Jogando no Centro Nacional de Entreinamento, em Santiago, Chile, os brasileiros venceram a final diante da Venezuela por 3 a 0, parciais de (25×21, 25×6 e 25 x 18), em 1h07 minutos de partida e carimbaram o passaporte para o Mundial de 2018, que terá como sede a Itália e a Bulgária.

Com mais esse resultado positivo, o Brasil venceu seu 31º título do Sul-americano, mantendo a hegemonia na competição continental.  São 32 edições do campeonato e apenas em 1964 houve um outro campeão, porém, os brasileiros não participaram naquele ano.

Essa foi a nona vez em que Brasil e Venezuela se enfrentaram em uma final de Sul-americano, sendo que a última vez havia sido em 2003, no Rio de Janeiro, quando os brasileiros levaram o ouro, a Venezuela ficou com a prata e a Argentina completou o pódio. Nesta atual edição, as posições das equipes se manteve: na disputa de terceiro lugar, a Argentina superou o Chile, donos da casa por 3 sets a 0, parciais de (25×18,25×22 e 25×21).

Sem muito tempo para descansar, o Brasil já entra em quadra novamente neste domingo (13), às 10h, quando recebe os Estados Unidos, em São Paulo. A partida terá transmissão do Sportv e Globo. Na terça-feira (15), os times voltam a se enfrentar, só que desta vez em Manaus (AM). As partidas servem de preparação para as duas seleções que irão disputar a Copa dos Campeões entre os dias 12 a 17 de setembro no Japão. Além de Brasil e Estados Unidos, França, Itália, Irã participarão da competição.

 Seleção do Campeonato

sleeeee

Os melhores atletas do Sul-americano. [Foto: Max Montecinos]

Campeão e invicto, o Brasil dominou a seleção do campeonato, que é formado pelos melhores jogadores de acordo com as estatísticas. Confira os eleitos: levantador Bruno (Brasil), oposto Wallace (Brasil), centrais: Jordi Verdi (Venezuela) e Sebastián Solé (Argentina), ponteiros: Lucarelli (Brasil) e Vicente Parraguirre (CHILE) e líbero: Héctor Mata (Venezuela). O ponteiro brasileiro Maurício Borges foi eleito o MVP, ou seja, o jogador mais valioso do campeonato.

Veja como foi o campeonato:

07.08
20h – Venezuela 3 x 1 Colômbia (25×22, 25×18, 22×25 e 26×24
22h – Brasil 3 x 0 Paraguai (25×4, 25×14 e 25×10)
19h30 – Argentina 3×0 Uruguai (25×16, 25×18 e 25×20)
21h30 – Chile 3 x 0 Peru (25×19, 25×12 e 25×22

08.08
20h – Colômbia 3 x 0 Paraguai (25/18, 25/16, 25/17)
22h –Brasil 3 x 0 Venezuela (25×10, 25×16 e 25×14)
19h30 – Argentina 3 x 0 Peru (25×15, 25×22 e 25×12)
21h30 – Chile 3 x 0 Uruguai (25×19, 25×12 e 25×19)

09.08
13h – Venezuela 3×0 Paraguai(25×17, 25×9 e 25×14)
15h – Brasil 3×0 Colômbia(25×14,25×11 e 25×21)
19h30 – Uruguai 3×2 Peru(22×25, 27×25, 28×26 e 20×25)
21h30 – Argentina 3×0 Chile (25×18, 21×25, 25×15 e 25/21)

10.08 – Semifinais:

19h30 _ Brasil 3×0 Chile (25×20, 25 x12 e 25×14)

21h30 _ Venezuela 3×2 Argentina ( 26/24, 15/25, 24/26, 26/24 e 15/13)

11.08 

3º lugar: Argentina 3 x 0 Chile(25×18,25×22 e 25×21)

Final: Brasil 3×0 Venezuela(25×21, 25×6 e 25×18)

Com informações da CBV e CSV
Foto destaque:  Max Montecinos/ CSV

[Sul-americano] Para manter a hegemonia, Brasil encara a Venezuela na final

Jogando com apoio da torcida que lotou o Centro de Treinamento Olímpico CEO2 localizado na na capital Santiago, a equipe chilena dificultou a vida dos brasileiros no início do jogo, ficando à frente do placar em muitos minutos, mas, após chamada do técnico Renan dal Zotto, o Brasil se impôs em quadra e venceu mais uma partida por 3 a 0, parciais de (25×20,25×12 e 25×14), em uma hora e nove minutos e se classificou para a final do Sul-americano.

O saque brasileiro foi um fundamento chave para, como destacou o levantador e capitão brasileiro Bruno Rezende. “ Nós jogamos uma boa partida. Eles jogaram muito bem o primeiro set, mas começamos a sacar muito forte e deu resultado. Queremos ganhar esse Sul-americano e cumprir nosso objetivo. ” Vale ressaltar que o campeão do Sul-americano conquista uma vaga para o Mundial 2018.

Na outra semifinal, a Argentina não confirmou seu favoritismo e está fora da final. Em uma partida emocionante e só decidida no tie-break, a Venezuela venceu por 3 sets a 2, parciais de (26/24, 15/25, 24/26, 26/25 e 15/13), em duas horas e três minutos.

Brasil e Venezuela já se enfrentaram na primeira fase dessa edição. Essa será a oitava vez em que Brasil e Venezuela disputam a finalíssima da competição. Enquanto o Brasil tem 30 títulos, os venezuelanos têm nove medalhas de prata.  O Sul-americano está em sua 32ª edição e tem uma hegemonia da seleção brasileira, que venceu todas as edições, exceto em 1964, da qual não participou. A final do campeonato será às 21h30 (horário de Brasilia) e terá transmissão do Sportv e online.

07.08
20h – Venezuela 3 x 1 Colômbia (25×22, 25×18, 22×25 e 26×24
22h – Brasil 3 x 0 Paraguai (25×4, 25×14 e 25×10)
19h30 – Argentina 3×0 Uruguai (25×16, 25×18 e 25×20)
21h30 – Chile 3 x 0 Peru (25×19, 25×12 e 25×22

08.08
20h – Colômbia 3 x 0 Paraguai (25/18, 25/16, 25/17)
22h –Brasil 3 x 0 Venezuela (25×10, 25×16 e 25×14)
19h30 – Argentina 3 x 0 Peru (25×15, 25×22 e 25×12)
21h30 – Chile 3 x 0 Uruguai (25×19, 25×12 e 25×19)

09.08
13h – Venezuela 3×0 Paraguai(25×17, 25×9 e 25×14)
15h – Brasil 3×0 Colômbia(25×14,25×11 e 25×21)
19h30 – Uruguai 3×2 Peru(22×25, 27×25, 28×26 e 20×25)
21h30 – Argentina 3×0 Chile (25×18, 21×25, 25×15 e 25/21)

10.08 – Semifinais:

19h30 _ Brasil 3×0 Chile (25×20, 25 x12 e 25×14)

21h30 _ Venezuela 3×2 Argentina ( 26/24, 15/25, 24/26, 26/24 e 15/13)

11.08 – Final:

21h30 – Brasil x Venezuela

Com informações da CSV.
Foto destaque: CSV

[Sul-americano] Em busca de mais uma final, Brasil enfrenta Chila na semi

A seleção brasileira confirmou seu favoritismo e venceu seus três jogos da primeira fase do Sul-americano. Nesta quarta-feira(9), no encerramento da primeira fase, o time brasileiro conseguiu outra vitória por 3 a 0, desta vez sobre a Colômbia, com parciais de: (25×14, 2511 e 25×21). Agora a equipe se despede da cidade de Tamuco e segue rumo às semifinais, que serão disputadas em Santiago. Os campeões olímpicos enfrentarão o Chile, às 19h30, enquanto a Argentina buscará uma vaga na final diante da Venezuela, às 21h30. A partida do Brasil terá transmissão do canal Sportv 2 e a Confederação Sul-americana de Voleibol também transmitirá os jogos online.

O técnico Renal dal Zotto escalou o Brasil com a terceira formação diferente: Bruno (levantador), Renan (oposto), Douglas Souza e Maurício Borges (ponteiros), Isac e Maurício Souza (centrais) e o líbero Tiago Brendle. Ao longo da partida entraram: Rodriguinho (ponteiro), Rapha (levantador), Otávio (central) e Thales (líbero). O treinador falou sobre essa primeira fase, em que pôde dar ritmo a todos os atletas:  “Nessa primeira fase conseguimos fazer com que todos os jogadores jogassem, de forma muito semelhante, os resultados foram muito bons e agora é pensar na semifinal. Vamos esperar pela definição do adversário e, sem dúvida, entrar com força máxima”, concluiu Renan.

Confira os próximos confrontos e os resultados do Sul-americano:

*Horário de Brasília

07.08
20h – Venezuela 3 x 1 Colômbia (25×22, 25×18, 22×25 e 26×24
22h – Brasil 3 x 0 Paraguai (25×4, 25×14 e 25×10)
19h30 – Argentina 3×0 Uruguai (25×16, 25×18 e 25×20)
21h30 – Chile 3 x 0 Peru (25×19, 25×12 e 25×22

08.08
20h – Colômbia 3 x 0 Paraguai (25/18, 25/16, 25/17)
22h –Brasil 3 x 0 Venezuela (25×10, 25×16 e 25×14)
19h30 – Argentina 3 x 0 Peru (25×15, 25×22 e 25×12)
21h30 – Chile 3 x 0 Uruguai (25×19, 25×12 e 25×19)

09.08
13h – Venezuela 3×0 Paraguai(25×17, 25×9 e 25×14)
15h – Brasil 3×0 Colômbia(25×14,25×11 e 25×21)
19h30 – Uruguai 3×2 Peru(22×25, 27×25, 28×26 e 20×25)
21h30 – Argentina 3×0 Chile (25×18, 21×25, 25×15 e 25/21.

10.08 – Semifinais:

19h30 _ Brasil x Chile

21h30 _ Argentina x Venezuela

11.08 – Final: 21h30

 

Com informações da CBV e CSV
Foto destaque:  Felipe Andaur Suárez/CSV

[Sul-americano] Brasil vence mais uma e espera o confronto Argentina x Chile para conhecer o seu adversário na semifinal

Depois de uma estreia tranquila sobre o Paraguai, nesta terça-feira (8), a seleção masculina de vôlei voltou à quadra para mais uma partida válida pelo Sul-americano, competição que dá ao campeão uma vaga no Mundial 2018. Desta vez, diante da Venezuela o time brasileiro novamente não encontrou dificuldades para construir mais uma vitória por 3 a 0, parciais de 25×10, 25×16 e 25×14 , conquistando, de forma antecipada, uma vaga na semifinal.

Se na partida inicial os titulares foram poupados, diante da Venezuela o Brasil jogou com sua formação principal: Bruno (levantador), Wallace (oposto), Lucão e Maurício Souza (centrais), Lucarelli e Maurício Borges (ponteiros); e o líbero Tiago Brendle. O técnico brasileiro, Renan dal Zotto, aprovou a atitude de sua equipe. “Estou contente porque, independentemente do adversário, o Brasil vem jogando sempre em um ritmo muito bom, muito forte. Ontem fizemos uma boa apresentação, hoje também, principalmente no saque e no bloqueio, e isso nos deixa satisfeitos”.

Com o segundo resultado positivo, o Brasil lidera o Grupo A e está classificado para às semifinais da competição. Pelo Grupo B, Argentina e Chile também já conquistaram lugares na semifinal e se enfrentam para definir quem será o primeiro lugar da chave, o perdedor dessa partida ficará com o segundo lugar do grupo e será o adversário do Brasil. Ainda falta a definição de um semifinalista.

Nesta quarta-feira, fechando a fase de grupos, os campeões olímpicos enfrentarão a Colômbia, às 15h. O confronte será transmitido online, através do site da Confederação Sul-americana de Vôlei.

Confira os próximos confrontos e os resultados do Sul-americano:

*Horário de Brasília

07.08
20h – Venezuela 3 x 1 Colômbia (25×22, 25×18, 22×25 e 26×24
22h – Brasil 3 x 0 Paraguai (25×4, 25×14 e 25×10)
19h30 – Argentina 3×0 Uruguai (25×16, 25×18 e 25×20)
21h30 – Chile 3 x 0 Peru (25×19, 25×12 e 25×22

08.08
20h – Colômbia 3 x 0 Paraguai (25/18, 25/16, 25/17)
22h –Brasil 3 x 0 Venezuela (25×10, 25×16 e 25×14)
19h30 – Argentina 3 x 0 Peru (25×15, 25×22 e 25×12)
21h30 – Chile 3 x 0 Uruguai (25×19, 25×12 e 25×19)

09.08
13h – Venezuela x Paraguai
15h – Brasil x Colômbia
19h30 – Uruguai x Peru
21h30 – Chile x Argentina

10.08 – Semifinais: 19h30/21h30

11.08 – Final: 21h30

 

Com informações da CBV e CSV
Foto destaque:  Felipe Andaur Suárez

[Sul-americano] Brasil arrasa Paraguai na estreia da competição

A seleção brasileira masculina estreou, esta noite de segunda-feira (7), com uma vitória arrasadora na 32ª edição do Sul-americano, competição que define uma das vagas para o Mundial de 2018. Em pouco mais de uma hora, os campeões olímpicos venceram o Paraguai por 3 sets a 0, com parciais de (25×4, 25x 14 e 25 x 10).  A partida foi realizada no Ginásio Olímpico Regional UFRO, em Temuco, no Chile.

 O Brasil, campeão de todas as edições do campeonato Sul-americano que disputou [ são 30 títulos em 32 edições], entrou em quadra com o time misto: Rapha (levantador), Otávio e Isac (centrais), oposto (Renan), Rodriguinho e Douglas Souza (ponteiros) e o líbero Thales, e não demorou muito para se impor e demonstrar a diferença de nível técnico entre as seleções.

Ao fim da partida, o técnico Renan dal Zotto elogiou a postura de sua equipe. “Tivemos a oportunidade de dar uma mexida boa no time hoje. Jogamos com jogadores que vinham atuando um menos e todos estão de parabéns porque ditaram o ritmo do jogo o tempo todo”. O treinador também falou sobre o adversário de estreia e sobre o próximo adversário.

otavio

Brasil não enfrentou dificuldades no jogo. [Foto: Felipe Andaur Suárez]

“Esse era jogo difícil por termos poucas informações sobre o Paraguai. Seguramente, era a equipe que nos daria menos trabalho no grupo, já que esperamos um ritmo completamente diferente nos dois próximos jogos. A Venezuela, com certeza, vai exigir muito do nosso time. Tem tudo para ser um jogo equilibrado”, concluiu Renan.O Brasil volta à quadra nesta terça-feira (8), às 22h, com transmissão online no site da Confederação Sul-americana.

Confira os próximos confrontos e os resultados da 1ª rodada:

*Horário de Brasília

07.08
20h – Venezuela 3 x 1 Colômbia (25×22, 25×18, 22×25 e 26×24
22h – Brasil 3 x0 Paraguai (25×4, 25×14 e 25×10)
19h30 – Argentina 3×0 Uruguai (25×16, 25×18 e 25×20)
21h30 – Chile 3 x0 Peru (25×19, 25×12 e 25×22

08.08
20h – Colômbia x Paraguai
22h – Venezuela x Brasil
19h30 – Argentina x Peru
21h30 – Chile x Uruguai

09.08
13h – Venezuela x Paraguai
15h – Brasil x Colômbia
19h30 – Uruguai x Peru
21h30 – Chile x Argentina

10.08 – Semifinais: 19h30/21h30
11.08 – Final: 21h30

 

Com informações da CBV e CSV
Foto destaque:
 Felipe Andaur Suárez

[Sul-americano] Na briga pela vaga no Mundial, Brasil estreia nesta segunda (7)

Após breve descanso e treinamentos em Saquarema, a seleção masculina desembarcou no Chile onde disputa, a partir de hoje (7), o Sul-americano de Seleções. O torneio define uma das vagas diretas do continente para o Campeonato Mundial de 2018.

268677299_coleticatemucoO grupo comandado por Renan dal Zotto faz sua primeira partida às 22h (horário de Brasília), contra o Paraguai. Venezuela e Colômbia completam a chave do Brasil, que tem como sede a cidade de Temuco. No Grupo B, Argentina, Chile, Peru e Uruguai fazem seus confrontos em Santiago – a capital chilena também será a sede das finais. “O Brasil é o atual campeão olímpico, tem uma equipe muito forte, mas cada competição é diferente da outra. Para nós, o Sul-Americano tem uma importância muito grande. Neste momento, estamos bem, mas sabemos que, antes de pensar em uma final, temos que pensar jogo a jogo. Por isso, essa fase aqui em Temuco é muito importante”, disse Renan.

Favoritos no Grupo B e maior força ao lado do Brasil, a seleção Argentina chega embalada pelo título da Copa Pan-americana conquistado na última semana. Em 31 edições do torneio, o Brasil saiu campeão em 30 oportunidades.

Todas as partidas terão transmissão da Confederação Sul-americana de Voleibol, enquanto na TV teremos apenas as fases semifinais e final no Sportv.

Confira a tabela completa do Sul-americano 2017:

(Horário de Brasília)

07.08
20h – Colômbia x Venezuela
22h – Brasil x Paraguai
19h30 – Argentina x Uruguai
21h30 – Chile x Peru

08.08
20h – Colômbia x Paraguai
22h – Venezuela x Brasil
19h30 – Argentina x Peru
21h30 – Chile x Uruguai

09.08
13h – Venezuela x Paraguai
15h – Brasil x Colômbia
19h30 – Uruguai x Peru
21h30 – Chile x Argentina

10.08 – Semifinais: 19h30/21h30
11.08 – Final: 21h30

Com informações da CBV e CSV.
Foto destaque: CBV
Foto interna: CSV

[Pré-temporada] JF Vôlei vence Botafogo em amistoso

Fazendo sua pré-temporada, o JF Vôlei, que manteve grande parte do elenco que conquistou a inédita classificação para os playoffs da Superliga na temporada passada, recebeu, nesta sexta-feira (4), no Ginásio da UFJF, a equipe do Botafogo (RJ) para a disputa de um jogo – treino e levou a melhor sobre o time carioca: vitória por 3 sets a 1(25×16, 21x 25, 25 x 16 e 25×19), com a atuação aprovada pelo treinador Henrique Furtado.

“No primeiro momento uma avaliação interessante, pois é sempre muito importante colocar em prática as coisas em que a gente vem treinando. Fico feliz pelo trabalho do saque, pelo bloqueio e por muitas decisões boas no ataque. Nosso passe trabalhou com regularidade e a gente apresentou uma boa regularidade em todos os fundamentos. ”

Com um elenco enxuto, o JF Vôlei ainda não tem em seu elenco um oposto de origem. No primeiro teste, o ponteiro Vítor atuou nessa posição e teve a atuação aprovada pelo treinador, que ressaltou que outros jogadores do elenco também poderão atuar.

“ O Vitor jogou muito bem, é um jogador que está comigo há muitos anos e que eu conheço desde muito novo. Ele é jogador muito regular, com um bom ataque e bom posicionamento de bloqueio e está nos ajudando nesse momento.  O Franco, nosso central, que jogou muito bem hoje, é um jogador que também pode jogar nessa posição, assim como outros. Temos dentro de casa jogadores jovens que estão trabalhando muito bem e que em uma necessidade, como hoje, poderão cumprir essa função.”

 A primeira partida oficial do time mineiro será no dia 08 de setembro, em Contagem, diante do Sada Cruzeiro, pelo Campeonato Mineiro. Veja a tabela da competição.

Taça Ouro

DSC04398.jpg

– O levantador Marcelinho em ação. [Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei.com]

Contando com jogadores experientes, como o líbero Mário Jr, campeão mundial com a seleção brasileira e o levantador Marcelinho, vice-campeão olímpico em Pequim, a equipe botafoguense terá um compromisso importante já na próxima semana. Na sexta-feira (11), o time estreia na Taça Ouro, competição que dará ao vencedor uma vaga na Superliga 2017/2018.

O torneio será disputado em General Severiano, centro de treinamento do Botafogo, e a torcida poderá ser um fator positivo para os cariocas, mas o levantador Marcelinho faz uma ressalva: “O Botafogo é um clube muito grande, tem uma torcida enorme e jogar onde a gente está acostumado a treinar, perto da nossa torcida, vai ser um ponto a favor, mas é claro que a torcida vai de acordo com o que a gente faz dentro de quadra. Então, temos que entrar firme e bem para a torcida nos ajudar”, completou. Além do Botafogo,  Corinthians(SP), Castro (PR) e o AVP (MT), disputarão o quadrangular.

JF Vôlei recebe Botafogo em jogo-treino

Após confirmar a manutenção da parceria com o Sada Cruzeiro, o JF Vôlei retomou as atividades na última terça-feira e faz seu primeiro jogo-treino amanhã (4). A partida será contra o Botafogo, às 11h, no ginásio da Faefid. A equipe carioca busca a classificação para a Superliga 2017/2018 e se prepara para a disputa da polêmica Taça Ouro na próxima semana.

JF Volei 2 x 3 Unincor/Três Corações - 20.09.2015

Felipe Hernandez retorna ao JF Vôlei. (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei – arquivo)

Enquanto busca novos parceiros, a equipe da Zona da Mata mineira manteve grande parte do grupo que alcançou a inédita classificação aos playoffs da Superliga na última temporada. Além da permanência do treinador Henrique Furtado, o elenco base conta com o levantador Adami; os centrais Franco, Bruno e Matheusão; o líbero Juan; e os ponteiros Rammé, Raphael e Vitor. As novidades na lista dos cedidos pelo Sada Cruzeiro são o ponteiro Leozinho e o líbero Athos. Entre as contratações, por enquanto, só está confirmada a volta do levantador Felipe Hernandez que atuou pela equipe na temporada 2015/2016 e estava no Lebes Gedore Canoas.

A próxima competição do JF Vôlei é o Campeonato Mineiro que começa no final de agosto. A estreia será contra o Sada Cruzeiro no dia 8 de setembro.

Em dificuldade, Bento Vôlei acerta parceria com o Minas para a Superliga

20479885_707023642822796_6052379095828786335_nA parceria entre Sada Cruzeiro e JF Vôlei não será a única nesta temporada: Bento Vôlei e Minas Tênis Clube juntarão forças para a manutenção da equipe gaúcha. O anúncio foi feito nesta semana, e o Minas cederá mais de 10 jogadores e parte da comissão técnica ao Bento. “Para essa temporada (2017/2018), fizemos uma parceria com a equipe do Minas, um dos times mais tradicionais do país, onde receberemos alguns atletas por empréstimo, tudo isso resultado da credibilidade que a equipe conquistou no cenário do vôlei brasileiro”, disse o diretor executivo do Bento Vôlei e ex-jogador Dentinho.

Na última temporada, quando terminou a Superliga em nono lugar, o time sofreu bastante com atrasos em repasses de programas estaduais, o que refletiu nos projetos sociais e categorias de base. Ainda buscando recursos e apoiadores, a equipe gaúcha não descarta realizar suas partidas fora de Bento Gonçalves ou até mesmo do estado do Rio Grande do Sul.

 

Com informações do Bento Vôlei
Foto destaque: Lucilia Bortone/Sacandoovolei
Foto interna: Bento Vôlei/Reprodução Facebook

[Mineiro] Com alterações na tabela, Estadual começa no dia 25

Após divulgar a tabela do Estadual 2017 na semana passada, a Federação Mineira de Vôlei comunicou alterações de datas e locais de alguns confrontos da competição que agora começará no dia 25 de agosto. A abertura continua sendo entre Sada Cruzeiro e Montes Claros, em Contagem.

Confira a tabela completa do Campeonato Mineiro Masculino 2017 (com as alterações destacadas):

25.08 – 20h – Sada Cruzeiro x Montes Claros Vôlei (Ginásio do Riacho – Contagem)
30.08 – 19h30 – Minas T.C. x Sada Cruzeiro (Poliesportivo – Mariana)
02.09 – 19h – Montes Claros Vôlei x Sada Cruzeiro (Ginásio Tancredo Neves – Montes Claros)
08.09 – 20h – Sada Cruzeiro x JF Vôlei (Ginásio do Riacho – Contagem)
09.09 – 19h – Sada Cruzeiro x JF Vôlei (Ginásio do Riacho – Contagem)
14.09 – 20h – Montes Claros Vôlei x JF Vôlei (Ginásio Tancredo Neves – Montes Claros)
15.09 – 20h – Sada Cruzeiro x Minas T.C (Ginásio do Riacho – Contagem)
16.09 – 19h – Montes Claros Vôlei x JF Vôlei (Ginásio Tancredo Neves – Montes Claros)
19.09 – 20h – Montes Claros Vôlei x Minas T.C. (Ginásio Tancredo Neves – Montes Claros)
21.09 – 20h – Montes Claros Vôlei x Minas T.C. (Ginásio Tancredo Neves – Montes Claros)
26.09 – 19h30 – JF Vôlei x Minas T.C. (Ginásio da UFJF – Juiz de Fora)
27.09 – 19h30 – JF Vôlei x Minas T.C. (Ginásio da UFJF – Juiz de Fora)

Com informações da Federação Mineira de Vôlei

 

Após a Liga Mundial, agenda cheia para a seleção masculina

Depois da conquista da medalha de prata na Liga Mundial, a seleção brasileira recomeçou seus trabalhos visando o Sul-americano no próximo mês. A competição, que será realizada no Chile entre os dias 7 e 11 de agosto, dará vaga para o Campeonato Mundial de 2018. “O Sul-Americano é mais uma competição onde a seleção brasileira entra para buscar o título. Mas, não podemos esquecer que o voleibol sul-americano tem crescido muito nos últimos anos e precisamos estar atentos a todos os adversários. Por isso, estamos nos preparando para chegar no Chile com o grupo pronto para disputar mais um título”, disse o técnico Renan dal Zotto.

Além do Sul-americano, o grupo comandado por dal Zotto fará dois amistosos com seleção americana nos dias 13 e 15 de agosto. O primeiro encontro será no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, e o segundo na Arena Amadeu Teixeira, em Manaus. Os ingressos já foram colocados à venda. As partidas servirão de preparação para a Copa dos Campeões, última competição no calendário da seleção brasileira em 2017.

Com informações da CBV e FIVb.
Foto destaque: FIVb.

[Mineiro] Federação divulga tabela do Estadual; confira

Saiu a tabela da edição 2017 do Campeonato Mineiro Masculino. Assim como no ano passado, o Estadual contará com a participação de quatro equipes: Sada Cruzeiro, Minas Tênis Clube, Montes Claros Vôlei e JF Vôlei. A competição começa no dia 26 de agosto com a primeira partida entre o atual campeão Sada Cruzeiro e o Pequi Atômico, e encerra sua fase de classificação no dia 28 de setembro.

Por enquanto, Cruzeiro, Minas e Montes Claros iniciaram os trabalhos para a temporada 2017/2018. O JF Vôlei aguarda a definição do Sada quanto aos jogadores que a equipe da capital liberará para a continuidade da parceria entre as duas equipes – já foi confirmada, inclusive, a permanência do técnico Henrique Furtado no time da Zona da Mata.

Confira a tabela completa do Campeonato Mineiro Masculino 2017:

26.08 – 19h – Sada Cruzeiro x Montes Claros Vôlei (Ginásio do Riacho – Contagem)
30.08 – 20h – Sada Cruzeiro x Minas T.C. (Ginásio do Riacho – Contagem)
02.09 – 19h – Montes Claros Vôlei x Sada Cruzeiro (Ginásio Tancredo Neves – Montes Claros)
08.09 – 19h30 – JF Vôlei x Sada Cruzeiro (Ginásio da UFJF – Juiz de Fora)
09.09 – 18h – JF Vôlei x Sada Cruzeiro (Ginásio da UFJF – Juiz de Fora)
14.09 – 20h – Montes Claros Vôlei x JF Vôlei (Ginásio Tancredo Neves – Montes Claros)
15.09 – 20h – Minas T.C. x Sada Cruzeiro (Poliesportivo – Mariana)
16.09 – 19h – Montes Claros Vôlei x JF Vôlei (Ginásio Tancredo Neves – Montes Claros)
20.09 – 20h – Montes Claros Vôlei x Minas T.C. (Ginásio Tancredo Neves – Montes Claros)
22.09 – 20h – Montes Claros Vôlei x Minas T.C. (Ginásio Tancredo Neves – Montes Claros)
27.09 – 19h30 – JF Vôlei x Minas T.C. (Ginásio da UFJF – Juiz de Fora)
28.09 – 19h30 – JF Vôlei x Minas T.C. (Ginásio da UFJF – Juiz de Fora)

Com informações da Federação Mineira de Vôlei

 

[Liga Mundial] Ngapeth comanda a França e adia o sonho do deca mais uma vez

Mais de 23 mil pessoas compareceram na Arena da Baixada, em Curitiba(PR), para torcer para o Brasil na final da Liga Mundial, em um partida que começou 23h de um sábado e se estendeu pela madrugada fria da capital paranaense. Se o começo foi bem animador para os brasileiros, a França, comandada por Earvin Ngapeth, tratou de acabar com o sonho do décimo título da competição dos brasileiros. Vitória de virada dos europeus por 3 sets a 2, parciais de (21×25, 25×15, 25×23, 19×25 e 15×13) e o bicampeonato para os franceses, que haviam conquistado o primeiro título em 2015, também no Brasil, só que em partida disputada no Ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro.

A partida foi marcada por duas atuações brilhantes e disputa individual: o oposto Wallace e o ponteiro Ngapeth , principais atacantes de suas seleções, tiveram um aproveitamento de ataque acima da média. Com 28 pontos,  Ngapeth foi o grande protagonista, com um arsenal de belas jogadas, uma defesa que o jogador fez no tie-break merece ser destacada. Earvin foi eleito o MVP da competição.

Com nove títulos e maior vencedor, o Brasil não consegue o título desde 2010. Além disso, a equipe do técnico Renan Dal Zotto não conseguiu quebrar mais um tabu: conquistar essa competição em solo brasileiro. Desde 1993 [última vez em que o Brasil conquistou a Liga Mundial em casa, foram 3 tentativas e em nenhuma o Brasil saiu vitorioso.

O jogo

As equipes começaram a final da Liga Mundial demonstrando muito ritmo de jogo. De um lado, destaque para o setor defensivo e para os ataques de Ngapeth e Boyer, do outro, o bloqueio brasileiro teve seu melhor início [foram 3 pontos diretos nesse fundamento], além de Lucarelli e Wallace inspirados, levantando vantagem em relação a defesa adversária. O saque balanceado de Maurício Souza dificultou a recepção francesa e ajudou o time da casa a abrir vantagem (17×14).  Com muito ímpeto, o Brasil não deixava a França reagir, a recepção brasileira foi outro fundamento que funcionou muito bem e Bruno retribuía utilizando as bolas com seus centrais. Após 27 minutos, em ataque indefensável, Maurício Souza definiu o set (25×21) para os donos da casa.

Diferente do set anterior, os brasileiros começaram mal e viram uma França com outra postura em quadra, abrindo rapidamente uma ótima vantagem (3X8). O ataque do Brasil caiu de rendimento e o time foi acumulando erros, o que causou a inversão de 5-1, com Renan Buiatti e Rapha entrando nos lugares de Bruninho e Wallace. A equipe francesa passou a sacar cada vez melhor e o bloqueio, que não havia marcado no set anterior, foi

n

Ngapeth fez 28 pontos e foi o protagonista da final. [Foto: FIVB]

responsável por seis pontos na segunda parcial e foi um dos fundamentos determinantes para os franceses construírem uma margem cada vez maior e definirem o set com incríveis dez pontos de vantagem (15×25), em 21 minutos.

A França voltou à quadra com a mesma intensidade que definiu o segundo set (5×10). Já o Brasil demonstrava apatia, vibrando pouco, tomando decisões precipitadas e observando o adversário jogar (12×16). Se o levantamento brasileiro estava impreciso, Toniutti recebia a bola na mão e aciona, sobretudo, o eficiente e genial Ngapeth. Outro ponto de destaque do time europeu era o líbero Grebennikov, que protagonizou defesas que pareciam impossíveis.  A equipe visitante chegou na reta final do set com três pontos de vantagem (15×18), porém, um desafio a favor dos brasileiros recolocou a seleção sul-americana no set (20×20), restabelecendo um equilíbrio e aumentando a tensão na final.  Porém, Le Roux, em bloqueio em cima de Wallace, deu números finais ao set (23×25), virando a partida para os franceses.

Precisando vencer para continuar com esperanças de conquistar o título, os brasileiros ditaram o início da parcial. Com ótima sequência de saques de Lucarelli, o time nove vezes campeão da Liga Mundial chegou a ter o dobro de pontos do adversário (10×5). Éder, que havia entrado no set anterior, colocou o Brasil com três pontos de vantagem na segunda parada técnica obrigatória (16×13). O levantamento nas pontas do Bruno, que não estava com precisão, melhorou e os ponteiros cresceram o aproveitamento de ataque (22×18).  Jogando mais alegre e empurrados pelos torcedores, a seleção da casa fechou e levou a decisão para o set decisivo.

Embalados com a vitória no set anterior, os brasileiros começaram à frente, após dois ataques de Lucarelli e se manteve à frente até a troca de lado (8×6). Na sequência, os franceses entram no set, buscaram a parcial e viraram. Novamente o saque francês fez a diferença e o central Le Roux conseguiu uma ótima sequência, levando seu time ao match point. Após 19 minutos, Clevernout colocou a bola no lado brasileiro e deu o bicampeonato para a França.   Mais cedo o Canadá bateu os Estados Unidos e conquistaram o inédito terceiro lugar.

Equipes:

Brasil: Bruno, Wallace, Lucarelli, Maurício Borges, Maurício Souza, Lucão. Líbero: Thales

Entraram:  Renan Buiatti, Rapha. Éder, Tiago Brendle

Técnico: Renan Dal Zotto

França: Toniutti, Ngapeth, Le Roux, Boyer, Clevernot, Chinenyeze. Líbero:Grebennikov

Entraram:  Brizard, Rossard, Lyneel

Técnico:  Tillie Laurent

 

 

[Fotos: FIVB]

[Liga Mundial] Canadá brilha e leva o bronze inédito

A campanha histórica do Canadá na Liga Mundial foi coroada com o lugar no pódio em Curitiba. No início da noite de sábado (8), a seleção comandada por Stephane Antiga venceu os Estados Unidos por 3×1 (18×25, 25×20, 25×22, 25×21) e levou o bronze inédito.

Com a marcação de bloqueio afinada pra cima do ponteiro Sander, o Canadá conseguiu fazer valer sua organização defensiva para equilibrar o confronto, contando ainda com o apoio da torcida brasileira. A boa atuação do capitão Perrin deu aos canadenses o gás necessário para manter o ritmo após perder o 1º set. “Estou muito grato a todos que ajudaram o time até hoje, jogadores que sacrificaram muita coisa pelo time, grato pela oportunidade de ver os mais jovens terem essa experiência. Eles podem se tornar atletas muitos bons e aprender bastante com essa experiência. A cada ano alcançamos algo novo: estivemos nas Olimpíadas no Rio, fomos 5º colocados na Liga Mundial há quatro anos. Estou ansioso para ver o quão longe podemos chegar”, disse Perrin após a conquista.

A mudança de postura da equipe canadense, se funde com a chegada do treinador Stephane Antiga. Assim como em sua passagem pela seleção polonesa, o ex-jogador francês conseguiu transformar o potencial da equipe em confiança para brigar de igual para igual com qualquer adversário. “Não começamos bem e cometemos muitos erros, mas todos contribuíram para essa vitória. É uma conquista incrível para o Canadá, estamos muito felizes e, com certeza, será um incentivo para o crescimento do esporte no país. Acredito que esse resultado servirá de motivação para continuarmos a trabalhar forte”, comentou Antiga, campeão mundial com a seleção polonesa em 2014.

O próximo objetivo é a qualificação para o Mundial do próximo ano que será realizado na Itália e Bulgária. Os americanos e canadenses terão a oportunidade de classificação na qualificatória da Norceca que será realizada no final de setembro. Antes, também em setembro, os Estados Unidos disputam a Copa dos Campeões no Japão.

[Liga Mundial] França garante pódio e será adversário do Brasil na final

Dona da melhor campanha da fase de classificação, a seleção francesa confirmou a boa fase nesta Liga Mundial e venceu o Canadá na segunda semifinal desta sexta-feira (7). O triunfo por 3×1, na Arena da Baixada, foi mais um em que o ponteiro Earvin Ngapeth mostrou por que é considerado o melhor da sua posição atualmente. O jogador do Modena terminou o confronto como maior pontuador, com 24 acertos.

O volume de jogo e o saque foram as grandes armas dos Les Bleus diante do Canadá. “Eles fizeram uma boa partida na defesa, mas nós esperávamos isso. Eles são muito bons nesse fundamento, e quando jogamos contra, às vezes ficamos um pouco frustrados porque atacamos bem e com confiança, ainda assim eles conseguem defender e fazer muito bem a transição de contra-ataque”, analisou o capitão canadense Perrin. Neste sábado (8), às 20h, o Canadá encerra sua campanha histórica na Liga Mundial contra os Estados Unidos na disputa pelo bronze. “Agora vamos para a disputa do bronze como se fosse qualquer outra partida. Claro que será muito bom conquistar uma medalha e jogar contra nossos rivais, os Estados Unidos. Será uma boa partida”, completou o ponteiro.

Campeões em 2015 no Rio de Janeiro, os franceses disputam mais uma final em solo brasileiro, porém dessa vez contra os anfitriões. “Foi um jogo difícil, porque o Canadá jogou bem e colocou pressão com seus bloqueios. Felizmente, Ngapeth fez uma bela partida e trouxe a equipe de volta para o jogo. Estamos orgulhosos de estar aqui, no Brasil, jogando contra os anfitriões numa final da Liga Mundial. Será um grande desafio: o Brasil é a melhor seleção do mundo e queremos competir para ver em qual nível estamos”, disse o treinador da França, Laurent Tillie.

Após jogos em horários razoáveis durante toda a Fase Final, a decisão está marcada para o final da noite deste sábado e vai invadir a madrugada fria de Curitiba. Brasil e França entram em quadra às 23h05, com transmissão do Sportv, Rede Globo e FIVb.

Confira todos os resultados:

Fase Final Liga Mundial 2017 – Curitiba, Brasil

04.07 – Brasil 3 x 1 Canadá (25×21, 17×25, 25×19, 25×19)
04.07 – França 3 x 2 Estados Unidos (27×25, 20×25, 26×24, 17×25, 15×12)

05.07 – Rússia 0 x 3 Canadá (23×25, 27×29, 17×25)
05.07 – Sérvia 1 x 3 Estados Unidos (22×25, 23×25, 25×19, 22×25)

06.07 – Brasil 3 x 2 Rússia (25×18, 18×25, 25×19, 22×25, 16×14)
06.07 – França 3 x 2 Sérvia (25×21, 25×20, 17×25, 18×25, 15×11)

07.07 – Semifinal I – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25×20, 23×25, 25×20, 25×19)
07.07 – Semifinal II – França 3 x 1 Canadá (25×19, 22×25, 25×19, 25×21)

08.07 – 3º lugar – 20h – Estados Unidos x Canadá
08.07 – Final – 23h05 – Brasil x França

Com informações da FIVb.
Foto: FIVb

[Liga Mundial] Brasil vence Estados Unidos e está na primeira final com Renan no comando

 A seleção brasileira comandada pelo técnico Renan Dal Zotto, que disputa sua primeira competição no comando da equipe, carimbou sua vaga na final da Liga Mundial. Nesta sexta-feira (7) o Brasil fez seu melhor jogo nesta Fase Final e passou pelos Estados Unidos por 3 sets a 1 (25×20, 23×25, 25×20 e 25×19), na primeira partida de semifinal.

A partida teve uma disputa para maior pontuador do confronto entre o ponteiro Sander, dos EUA, e o oposto Wallace, do Brasil. O jogador norte-americano levou a melhor com 20 pontos, seguido de perto pelo atacante brasileiro que marcou 18 vezes.

Com nove títulos, o Brasil é o maior vencedor, mas busca quebrar um jejum de títulos da Liga que não vem desde 2010. Além disso, os brasileiros têm outro tabu pela frente: conquistar o título em casa, feito que bateu na trave em 2002, em Belo Horizonte, e em 2015, no Rio de Janeiro. O adversário na final sairá do confronto entre França e Canadá. O jogo será no sábado(8), às 23h, com transmissão do Sportv e da Globo.

O jogo

Os anfitriões iniciaram ditando o ritmo da partida e aproveitando contra-ataques (5×1). Porém, a defesa dos Estados Unidos se ajustou e eles diminuíram a desvantagem para apenas um ponto (6×5). Se o Brasil teve um bom início, não se pode falar o mesmo do adversário, foram 10 erros ao longo do set, contra apenas três dos brasileiros. A vantagem dava uma confiança maior para os dos sul-americanos no saque (15×12), além dos bons ataques de Wallace e Lucarelli, que ao lado do ponteiro Sander, foram os maiores pontuadores da parcial com quatro acertos. Após 27 minutos, o Brasil fechou (25×19), depois do erro de saque do levantador Christenson.

Assim como aconteceu no set anterior, o Brasil começou agressivo (5×2). Porém, o sistema bloqueio e defesa dos EUA começou a fazer a diferença e eles viraram a parcial (9×13). Com Bruno utilizando mias os centrais, sobretudo o seu entrosamento com Lucão, o time reagiu e deixou tudo igual (13×13).  Demonstrando mais agressividade, os visitantes voltaram a se impor e abriram uma folga importante (19×22), mas, rapidamente, viram um Brasil reagir e, no contra-ataque, viram a bola resvalar na fita e cair do lado adversário para deixar tudo igual (23×23). Mas, melhor durante maior parte do set, o time do técnico Speraw fechou a parcial (23×25) em 31 minutos.

sander

Com 20 pontos(18 de ataque e 2 de saque), o ponteiro Sander foi o maior pontuador da partida. Foto:FIVB

Com o sistema de bloqueio melhor, pontuando ou amortecendo o ataque do adversário, os brasileiros abriram o dobro de pontos do adversário (12×6).  Com o Brasil dominando, o técnico dos Estados Unidos fez uma mudança colocando Jaeschke para atuar como um falso oposto. Do outro lado, Bruno seguia distribuindo muito bem a bola entre Lucarelli e Wallace, que respondiam colocando a bola no chão na quadra adversária (20 x16). Muito jovens, mas com a tática e técnica bastante conhecida dos norte-americanos, o time diminuiu perigosamente a vantagem brasileira (20×18). A equipe comandada pelo técnico Renan voltou a jogar melhor, utilizaram o apoio das arquibancadas e fecharam a terceira parcial (25×20), em 28 minutos.

O início do quarto set foi o mais equilibrado, com as equipes se revezando à frente do placar. Os Estados Unidos chegaram ao primeiro tempo técnico em vantagem, mas três erros de ataque seguidos dos americanos recolocaram os brasileiros no comando (11×8). A seleção brasileira voltou a utilizar um saque mais tático, jogou uma pressão maior no adversário que sentiu e voltou a cometer erros excessivos,  o levantador Bruno protagonizou jogadas espetaculares  e o Brasil foi se encaminhando para fechar o set e o jogo.  Com a equipe jogando de forma muito consistente, os brasileiros fecharam em (25×19) e o jogo por 3 sets a 1.

 

Foto de Capa via Confederação Brasileira de Vôlei(CBV)

[Liga Mundial] Brasil passa pela Rússia e pega Estados Unidos na semi

O Brasil precisava de apenas um set para confirmar a vaga da semifinal e conseguiu. A partida foi longa, mas o Brasil confirmou também o 1º lugar no Grupo J1 da Fase Final da Liga Mundial após a vitória contra Rússia, ontem (7), na Arena da Baixada. A partida, de altos e baixos das duas seleções, só foi decidida no tie-break com vitória brasileira, parciais de 25×18, 18×25, 25×19, 22×25 e 16×14.

Destaque para os 17 pontos de bloqueio da equipe russa e os 25 pontos do ponteiro Lucarelli, que chamou a responsabilidade no ataque. “Tivemos nossos apagões hoje [ontem], assim como aconteceu contra o Canadá. Sabíamos que podíamos nos recuperar durante a partida, diminuir os erros e jogar com a bola mais segura até o momento certo para reagir”, disse o levantador Bruninho.

Agora, o Brasil pega os Estados Unidos na semifinal de hoje (7), às 15h. A outra vaga na final será decidida na partida entre Canadá e França, às 17h40.

França joga para o gasto

Enquanto o Canadá chega às semifinais pela primeira vez, os franceses, campeões em 2015, estão pelo terceiro ano consecutivo disputando medalha na Liga Mundial. A equipe francesa precisava de dois sets para eliminar a Sérvia e carimbar a vaga na semifinal, e assim o fez. Após abrir 2×0, os franceses desaceleraram e, sem necessidade, deixaram os adversários levar a partida para o tie-break. No fim, vitória francesa por 3×2, parciais de 25×21, 25×20, 17×25, 18×25 e 15×11.

Confira os resultados e a tabela da fase de classificação.

Fase Final Liga Mundial 2017 – Curitiba, Brasil

04.07 – Brasil 3 x 1 Canadá (25×21, 17×25, 25×19, 25×19)
04.07 – França 3 x 2 Estados Unidos (27×25, 20×25, 26×24, 17×25, 15×12)

05.07 – Rússia 0 x 3 Canadá (23×25, 27×29, 17×25)
05.07 – Sérvia 1 x 3 Estados Unidos (22×25, 23×25, 25×19, 22×25)

06.07 – Brasil 3 x 2 Rússia (25×18, 18×25, 25×19, 22×25, 16×14)
06.07 – França 3 x 2 Sérvia (25×21, 25×20, 17×25, 18×25, 15×11)

07.07 – Semifinal I – 15h05 – BRASIL x Estados Unidos [Sportv e Rede Globo]
07.07 – Semifinal II – 17h40 – França x Canadá [Sportv]

08.07 – 3º lugar e Final

Com informações da FIVb.
Foto: FIVb

[Liga Mundial] Canadá vence e complica a vida da Rússia

Pressionados após a derrota para o Brasil, a seleção canadense precisava superar os russos nesta quarta-feira (5) para continuar sonhando com as semifinais da Liga Mundial. A equipe de Stephane Antiga correspondeu e vencer a Rússia por 3×0, na Arena da Baixada. “Nosso objetivo nessa Fase Final era chegar às semifinais e conseguimos, claro que estamos felizes com isso. Agora, vamos lutar por uma medalha da mesma forma que todos fariam. Foi muito bom ter a torcida brasileira do nosso lado hoje e os agradeço por isso”, disse o capitão canadense Perrin após a partida.

Apesar do resultado, a partida não foi tranquila para os canadenses. Os russos começaram melhor na partida, porém o Canadá não demorou para pegar o ritmo e assumir o comando do placar no 1º set. No fim, a equipe canadense conseguiu manter a concentração após polêmica decisão em pedido de desafio adversário para fechar a 1º parcial em 25×23.

No 2º set, o equilíbrio se deu até a primeira parada técnica obrigatória quando os canadenses abriram quatro pontos de vantagem. Entretanto, na reta final do set, os russos conseguiram voltar para o jogo após longos rallys. Os europeus tiveram um set point a seu favor, mas não conseguiram confirmar seu ponto e viram os canadenses virar a vantagem e vencer o 2º set em 29×27, depois de mais uma polêmica no desafio.
A terceira parcial foi a mais tranquila para os canadenses que dominaram do início ao fim. O oposto Vernon continuou mostrando sua potência nos ataques e terminou o confronto como maior pontuador, com 14 pontos. Administrando a vantagem conquistada no início do set, o Canadá fechou a conta em 25×17 e manteve vivo o sonho de uma medalha inédita na Liga Mundial.

Sérvia estreia com derrota

No fechamento da rodada, os Estados Unidos se recuperaram da derrota para a França e venceram a atual campeã Sérvia por 3×1, continuando assim com chances de avançar às semifinais de amanhã (7).

Hoje (6), o Brasil pega a Rússia, às 15h05. A fase de grupos se encerra às 17h40 com o duelo entre França e Sérvia.

Confira os resultados e a tabela da fase de classificação.

Fase Final Liga Mundial 2017 – Curitiba, Brasil

04.07 – Brasil 3 x 1 Canadá (25×21, 17×25, 25×19, 25×19)
04.07 – França 3 x 2 Estados Unidos (27×25, 20×25, 26×24, 17×25, 15×12)

05.07 – Rússia 0 x 3 Canadá (23×25, 27×29, 17×25)
05.07 – Sérvia 1 x 3 Estados Unidos (22×25, 23×25, 25×19, 22×25)

06.07 – 15h05 – Brasil x Rússia
06.07 – 17h40 – França x Sérvia

07.07 – Semifinais
08.07 – 3º lugar e Final

Com informações da FIVb.
Foto: FIVb

[Liga Mundial] 4 de julho amargo: França supera Estados Unidos em cinco sets

Líder incontestável na 1ª fase, a seleção francesa entrou em quadra como franca favorita no confronto diante dos Estados Unidos, em Curitiba, no fim da tarde de ontem (4). Porém, os torcedores que ficaram na Arena da Baixada viram um grande jogo que só foi decidido no tie-break – mais cedo, o Brasil abriu o Final Six com vitória sobre o Canadá. Com Ngapeth retomando o ritmo de jogo e Lyneel inspirado, os franceses saíram com a vitória por 3×2, parciais de 27×25, 20×25, 26×24, 17×25 e 15×12.

Franceteam.jpg

Equipe francesa brincou com o frio de Curitiba na foto oficial do time. (Foto: FIVb)

O equilíbrio se manteve do início ao fim, e logo no 1º set as equipes já mostraram que não desistiriam fácil. “Tenho que dizer que não sei como vencemos hoje, porque no 1º e 5º sets parecia que os americanos nos tinham nos bolsos. Vi muita frustração na minha equipe; os Estados Unidos estavam jogando muito bem e nó s queríamos jogar bonito em vez de jogar com eficiência. Felizmente, o banco trouxe soluções”, comentou o treinador da França, Laurent Tillie.

Do lado norte-americano, a decepção da derrota tem que dar lugar à recuperação para o importante duelo contra a Sérvia, como avaliou o técnico John Speraw. “Acredito que melhoramos bastante nas últimas cinco, seis semanas, e como prova temos esta partida contra a França. Entretanto, não tomamos conta de algumas situações favoráveis a nós e perdemos o jogo, mas ainda temos uma oportunidade e podemos fazer melhor para chegar às semifinais”, disse.

Nesta quarta-feira (5), os franceses descansam enquanto os americanos enfrentam a Sérvia, às 17h40. Antes, às 15h05, a Rússia faz sua estreia contra o Canadá.

Confira os resultados e a tabela da fase de classificação.

Fase Final Liga Mundial 2017 – Curitiba, Brasil

04.07 – Brasil 3 x 1 Canadá (25×21, 17×25, 25×19, 25×19)
04.07 – França 3 x 2 Estados Unidos (27×25, 20×25, 26×24, 17×25, 15×12)

05.07 – 15h05 – Rússia x Canadá
05.07 – 17h40 – Sérvia x Estados Unidos

06.07 – 15h05 – Brasil x Rússia
06.07 – 17h40 – França x Sérvia

07.07 – Semifinais
08.07 – 3º lugar e Final

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

[Liga Mundial] Festival de erros e muito frio na vitória do Brasil diante do Canadá

O inverno curitibano não decepcionou no primeiro dia da Fase Final da Liga Mundial 2017 nesta terça-feira (4). Com o auxílio de aquecedores e bicicletas, os jogadores tentaram se manter aquecidos entre intervalos e a longa espera dos pedidos de desafio. Testada desde o início, a seleção brasileira começou sua campanha com vitória na Arena da Baixada: 3×1 para cima do Canadá (25×21, 17×25, 25×19, 25×19).

GeneralviewofArenadaBaixadaduringthematchbetweenBrazilandCanada.jpg

Casa do Atlético Paranaense foi adaptada para as finais da Liga Mundial (Foto: FIVb)

O oposto Wallace foi o destaque do Brasil e da partida: acionado em momentos importantes, o brasileiro marcou 18 vezes (15 pontos de ataque, 2 de bloqueio e um de saque). Além dos problemas com os vídeos dos desafios, as equipes erraram bastante durante o confronto: ao todo, 61 pontos transformados em erros.

Com dificuldade de rodar no início do jogo, a seleção brasileira passou o 1º set correndo atrás do prejuízo. Após sequência de erros do Canadá, o Brasil conseguiu passar à frente e manter vantagem para fechar a primeira parcial em 25×21.

A falta de concentração e as falhas na recepção atrapalharam os brasileiros no 2º set. Enquanto isso, do outro lado o jovem oposto Vernon apareceu bastante. No fim, o alto número de erros dos donos da casa pesou, dando a vitória no set para o Canadá (25×17).

A partir do 3º set, o ponteiro Lucarelli e o oposto Wallace ditaram o ritmo do Brasil que conseguiu encontrar o equilíbrio na recepção e encaixou a marcação de bloqueio. Mais soltos em quadra, apesar do frio, os brasileiros aproveitaram a queda de rendimento canadense e fecharam a partida com um duplo 25×19.

Amanhã (5), o Brasil e o Canadá pega a Rússia às 15h05, e, pelo Grupo K1, a Sérvia estreia contra os Estados Unidos, às 17h40. Todas as partidas têm transmissão do Sportv e FIVb. A Rede Globo transmite os jogos do Brasil.

Brasil
Bruno, Wallace, Maurício Souza, Lucão, Lucarelli, Maurício Borges. Líbero: Thales
Entraram: Renan, Lucas Lóh
Técnico: Renan dal Zotto

Canadá
Sanders, Vernon, Vandoorn, Vigrass, Perrin, Maar. Líbero: Bann
Entraram: Barnes, Hoag, Derocco
Técnico: Stephane Antiga

 

Fotos: FIVb

[Liga Mundial] Disputa do título em horário ingrato; confira a tabela da Fase Final

lm_tabela_fasefinal_gruposNão é Game of Thrones, mas o inverno chegou e junto as finais da Liga Mundial 2017. O frio do sul do Brasil será o anfitrião do Final Six do Grupo 1 da competição intercontinental na próxima semana, na Arena da Baixada casa do Atlético Paranaense. Entre os dias 4 e 8 de julho, Curitiba recebe as seleções do Brasil, Canadá, Rússia, França, Estados Unidos e a atual campeã Sérvia.

Já que hoje em dia podemos esperar qualquer coisa da Federação Internacional, teremos quatro dias com partidas às 15h05 e 17h40, e as finais em horários no mínimo não usuais: ao contrário de outras edições no Brasil, a disputa do bronze será às 20h, enquanto a final será às 23h05 – ambas no sábado (8).

Brasil, Canadá e Rússia estão no Grupo J1, cujas partidas serão às 15h05. O outro grupo (K1) é formado por França, Estados Unidos e Sérvia, que farão suas partidas classificatórias às 17h40. Os dois melhores colocados de cada grupo avançam às semifinais de sexta (7).

A seleção da Sérvia defende o título conquistado no ano passado diante do Brasil, em Cracóvia (Polônia). A seleção brasileira segue como maior campeã da Liga Mundial com nove títulos, o último conquistado em 2010.

Com informações da FIVb.
Imagem destaque: FIVb.

[Liga Mundial] Itália termina como lanterna e Bulgária perde vaga na última partida; confira os resultados

Após França e Sérvia garantirem antecipadamente suas vagas na Fase Final da Liga Mundial 2017, o último fim de semana da fase de classificação foi cheio de emoção. Com Bélgica, Polônia, Rússia, Estados Unidos, Bulgária e Canadá brigando pelas últimas vagas. Russos, canadenses e norte-americanos ficaram com as últimas três vagas e vão às finais em Curitiba.

A polêmica escalação dos reservas na derrota para o Brasil custou a classificação da Bulgária para o Final Six. Precisando superar a Argentina e, assim, eliminar os Estados Unidos, a Bulgária foi com força máxima para sua partida derradeira nesta edição. Confiantes após o triunfo diante dos campeões olímpicos, os argentinos acabaram com os sonhos dos europeus e venceram por 3×1, em Córdoba.

Surpresa das primeiras semanas, a Bélgica não conseguiu manter a sequência de vitórias e terminou sua campanha na 7ª colocação, perdendo a última vaga para os americanos no saldo de sets. Enquanto isso, a Itália foi a grande decepção pós-olimpíada. Com uma campanha irregular, a seleção de Gianlorenzo Blengini terminou como lanterna da competição (duas vitórias e sete derrotas) e aguarda mudanças no regulamento da próxima edição para saber se será rebaixada para o Grupo 2.

Confira todos os resultados da terceira semana do Grupo 1 da Liga Mundial 2017:

Grupo H1 – Katowice e Lodz, Polônia
15.06 – Irã 0 x 3 Estados Unidos (17×25, 22×25, 28×30)
15.06 – Polônia 0 x 3 Rússia (22×25, 17×25, 21×25)
17.06 – Estados Unidos 2 x 3 Rússia (29×31, 25×17, 19×25, 29×27, 13×15)
17.06 – Polônia 3 x 0 Irã (25×17, 25×18, 25×22)
18.06 – Rússia 3 x 0 Irã (26×24, 25×18, 25×18)
18.06 – Polônia 1 x 3 Estados Unidos (31×29, 17×25, 25×27, 20×25)

Grupo I1 – Antuérpia, Bélgica
16.06 – Itália 3 x 2 França (20×25, 25×21, 24×26, 25×20, 16×14)
16.06 – Bélgica 2 x 3 Canadá (23×25, 13×25, 26×24, 25×22, 10×15)
17.06 – França 3 x 0 Canadá (25×16, 25×15, 25×21)
17.06 – Itália 1 x 3 Bélgica (22×25, 24×26, 27×25, 16×25)
18.06 – Canadá 3 x 1 Itália (20×25, 25×22, 25×14, 25×22)
18.06 – Bélgica 0 x 3 França (21×25, 16×25, 16×25)

Grupo G1 – Córdoba, Argentina

16.06 – Brasil 3 x 0 Bulgária (25×15, 25×19, 25×22)
16.06 – Argentina 2 x 3 Sérvia (22×25, 25×19, 22×25, 30×28, 12×15)
17.06 – Bulgária 3 x 2 Sérvia (25×18, 20×25, 25×23, 24×26, 15×12)
17.06 – Argentina 3 x 1 Brasil (19×25, 25×21, 25×22, 25×19)
18.06 – Sérvia 1 x 3 Brasil (22×25, 16×25, 25×17, 23×25)
18.06 – Argentina 3 x 1 Bulgária (25×16, 25×21, 23×25, 25×19)

Com informações da FIVb

[Liga Mundial] Brasil encerra fase de classificação com vitória sobre a Sérvia, mas ainda não convence

Já classificados para a Fase Final da Liga Mundial, Brasil e Sérvia fizeram, neste domingo (18), em Córdoba (Argentina), um jogo bem morno, muito diferente dos últimos confrontos entre as duas seleções.  Com uma atuação mais regular, mas ainda bem distante das melhores apresentações, novamente com muitas oscilações, a seleção de Renan dal Zotto saiu com uma vitória por 3 sets a 1, parciais de (25×22, 25 x 16, 17×25  e 25×23).

Com atacantes que são referências no voleibol mundial, cada uma das equipes marcaram 47 pontos de ataque na partida. A Sérvia se sobressaiu no bloqueio, foram 14 contra 8, fundamento em que o Brasil vem tendo uma atuação bem abaixo.  Já os brasileiros levaram vantagem no saque: 10 pontos diretos nesse fundamento, contra apenas cinco dos sérvios. 

Wallace, com 19 pontos, foi  o maior pontuador, seguido de perto pelo ponteiro sérvio

duringthematchbytheFIVBWORLDLEAGUE2017atOrfeoSuperdomoStadiuminCordobaArgentinaSundayJune18

Wallace foi o maior pontuador da partida com 19 pontos, sendo 17 de ataque, um de bloqueio e um de saque. (Foto: FIVB)

Marko Ivovic, que será companheiro do oposto brasileiro na equipe de Taubaté(SP), responsável por 18 acertos no jogo. 

Com o encerramento do terceiro e último final de semana de competições da primeira fase, o Brasil terminou com seis vitórias, três derrotas, 19 pontos e em segundo lugar na classificação geral, atrás somente da França.

O Brasil agora retorna ao Centro de Treinamentos em Saquarema(RJ), para se  preparar para a disputa da Fase Final da competição, que será disputada em Curitiba(PR), entre os dias 04 a 08 de julho. Além dos anfitriões, França, Sérvia, Canadá e Rússia já estão classificados; a última vaga ficará com Estados Unidos ou Bulgária.

O JOGO

Os atuais campeões olímpicos começaram melhor (6×3). Porém, com dois bloqueios e um ponto de saque de Podrascanin, os sérvios deixaram tudo igual.  O ataque do Brasil estava afiado, foram 16 pontos, com destaque para o central Lucão, que pontuou cinco vezes nesse fundamento (16×12). Mesmo à frente do marcador, os jogadores brasileiros demonstravam uma certa apatia em quadra e foram cobrados pelo levantador Bruno e o técnico Renan. Após contra-ataque de Wallace, a primeira parcial foi definida: 25 x22, em 26 minutos.

2º set

A equipe brasileira voltou com uma nova postura e viram o adversário cair de rendimento, além de demonstrarem pouco poder de reação. Logo no início, o Brasil já dominava a parcial, após bloqueio de Bruno, os brasileiros tinham o dobro de pontos da Sérvia (10×5). O ataque continuou funcionando muito bem e o bloqueio foi outro fundamento que demonstrou uma melhora nesse set, foram quatro pontos, mesmo número que os sérvios marcaram. Com uma excelente vantagem (18×7), os brasileiros se encaminharam para fechar o set com muita tranquilidade (25×16), em 24 minutos.

3º set

Se o Brasil dominou o set anterior, o terceiro foi todo da seleção europeia. O ponteiro Ivovic, novo jogador do Funvic/Taubaté, foi o principal atacante no set e um dos responsáveis pela Sérvia ficar à frente durante toda a parcial (10×15). O ataque sérvio teve um ótimo aproveitamento, foram 17 pontos, enquanto os brasileiros marcaram apenas oito. O técnico Renan fez a inversão de 5-1, tentando modificar sua equipe e reagir, mas não foi o suficiente. O adversário se impôs e venceu por 25×17, em 25 minutos.

4º set

Foi o início mais equilibrado da partida (4×4). Os times iam se revezando na liderança do marcador e ninguém conseguia se desgarrar. Na volta do tempo técnico, Maurício Souza conseguiu um ponto direto de saque e os brasileiros abriram vantagem mínima (17×15). A Sérvia foi buscar a desvantagem e deixou tudo igual (20×20), porém, Bruno voltou a comandar o time brasileiro e, no bloqueio simples, recolocou a equipe sul-americana à frente do placar (22×20). O oposto Wallace chamou a responsabilidade do para si e, com um ace e um ataque indefensável, deu números finais ao set (25×23), em 30 minutos, e ao jogo: 3 sets a 1.

EQUIPES:

Brasil: Bruno, Lucarelli, Lucas, Wallace, Maurício Borges e Maurício Souza. Líbero: Thales

Entraram: Tiago Brendle, Renan, Evandro e Rapha

Técnico: Renan dal Zotto

Sérvia: Jovovic, Ivovic, Lisinac, Luburic, Kovacevic e Podrascanin. Líbero: Majstorovic

Entraram: Kátic, Kujundzic, Buculjevic e Blagojevic

Técnico: Nikola Grbic

 

[Foto: FIVB]

[Liga Mundial] Bloqueio argentino dá show e quebra tabu contra o Brasil

Após 23 encontros na Liga Mundial e 23 vitórias brasileiras, a Argentina conseguiu superar os vizinhos na competição intercontinental. O triunfo dos Hermanos veio em casa, no Orfeo Superdomo lotado, neste sábado (17), e de virada. Após perder o primeiro set, a equipe de Julio Velasco fez 3×1 diante dos campeões olímpicos, parciais de 19×25, 25×21, 25×22 e 25×19.

DelegationsofArgentinaandBrazilduringtheintonationofnationalanthemsbeforethematchbytheFIVBWORLDLEAGUE2017atOrfeoSuperdomoStadiuminCordobaArgentinaSaturdayJune172017.jpg

Casa cheia: o Orfeo Superdomo, em Córdoba (ARG) ficou lotado. (Foto: FIVb)

O destaque foi o bloqueio argentino que pontuou 11 vezes, seis deles no 2° set. O oposto da Funvic Taubaté, Wallace, foi o maior pontuador com 18 acertos, todos no ataque.

Amanhã (18), as duas equipes encerram sua participação na fase classificatória. Garantido nas finais, o Brasil pega a Sérvia (às 16h10), e a Argentina enfrenta a Bulgária (às 19h10). Mesmo lanterna da competição, a seleção argentina pode escapar do rebaixamento, uma vez que existe a possibilidade da próxima edição da Liga Mundial contar com 16 equipes na elite.

O jogo

A seleção brasileira começou bem a partida, equilibrada no passe aproveitando o saque balanceado da Argentina. Na primeira parada técnica, os brasileiros tinham seis pontos de vantagem (2×8). A boa distribuição do levantador Bruninho ditou o ritmo até o final da parcial vencida pelos brasileiros em 19×25.

No 2° set, o bloqueio argentino brilhou e foi responsável por seis pontos, além de ter marcado bem o ataque brasileiro proporcionando vários contra-ataques. O saque mais forçado da Argentina conseguiu desestabilizar a recepção brasileira, afetando também o ataque. Com os centrais Solé e Crer inspirados e os brasileiros errando, a Argentina conseguiu abrir vantagem com a boa leitura de jogo do levantador De Cecco (20×14) e, no saque errado de Lucão, fechou o set em 25×21.

ArgentinasLucianoDeCeccosettingtheballduringamatchbytheFIVBWORLDLEAGUE2017againstBrazilatOrfeoSuperdomoStadiuminCordobaArgentinaSaturdayJune172017.jpg

Com o passe na mão, o levantador De Cecco deu trabalho. (Foto: FIVb)

Parecia que no 3° set o Brasil recuperaria o bom voleibol ao abrir quatro pontos de frente (7×11). Porém, os brasileiros voltaram a pecar nas definições e os argentinos cresceram na defesa (18×17). Após bloqueio no ponteiro Lipe e um belo ponto de Nicolas Bruno no contra-ataque, os donos da casa viraram o jogo (25×22).

Para o 4° set, o técnico Renan dal Zotto colocou Éder como titular no lugar de Lucão, porém a mudança não afetou o jogo brasileiro. Apática, a seleção brasileira continuava com dificuldades na virada de bola (8×5). Jogando muito bem, a Argentina minou a recepção brasileira e abriu sete pontos (21×14). E, como num roteiro perfeito, o ponto final veio no bloqueio do central Solé para fazer 25×19.

Argentina
De Cecco, Ramos, Solé, Crer, Poglajen, Toro. Líberos: González e Fernandez
Entraram: Johansen, Nicolas Bruno, Cavanna e Zanotti.
Técnico: Julio Velasco

Brasil
Bruninho, Wallace, Maurício Souza, Lucão, Lucarelli, Maurício Borges. Líbero: Brendle.
Entraram: Evandro, Rapha, Lipe e Éder.
Técnico: Renan dal Zotto

 

Fotos: FIVb

 

[Liga Mundial] Em partida sonolenta, Brasil dá o troco na Bulgária em sets diretos

Com a equipe completa, a seleção brasileira abriu o último fim de semana da fase classificatória da Liga Mundial com boa vitória diante da Bulgária, em Córdoba (Argentina), nesta sexta-feira (16). Partida morna e um rápido 3×0 para o Brasil, parciais de 25×15, 25×19 e 25×22 em 1h19.

Os búlgaros, que tinham vencido no último domingo (11), passaram longe de uma boa atuação e entraram em quadra com o time reserva, apesar de precisarem de um resultado positivo para manter suas chances de classificação para as finais em Curitiba. A boa notícia para a Bulgária foi a atuação do oposto Jeliazkov que terminou como maior pontuador do time (11 pontos). O também oposto Wallace terminou o confronto com 15 acertos e o posto de maior pontuador da partida.

Amanhã (17), o Brasil pega a Argentina, às 19h10 (Sportv2 e FIVb), enquanto a Bulgária enfrenta a Sérvia, às 16h10 (Sportv3 e FIVb).

BrazilsLucasSaatkampspikesagainstBulgariasTeodorTodorovblockDuringamatchbytheFIVBWORLDLEAGUE2017atOrfeoSuperdomoStadiuminCordobaArgentinaFridayJune162017.jpg

Dos 75 pontos brasileiros na partida, 41 foram de ataque. (Foto: FIVb)

O jogo

Com uma escalação surpreendente, a Bulgária começou mal a partida e o Brasil aproveitou para abrir 9×0. O primeiro ponto búlgaro, com o central Todorov, demorou a vir e foi bastante comemorado pela torcida presente no Superdomo, em Córdoba (9×1). A vantagem brasileira se manteve durante todo o primeiro set, sustentada pela boa presença do bloqueio e bom aproveitamento no ataque. Com tranquilidade, a seleção brasileira fechou o set em 25×15, no ace do ponteiro Maurício Borges.

Na segunda parcial, a Bulgária conseguiu equilibrar a disputa, chegando, inclusive, a comandar o placar (5×7). Em um belo ataque do ponteiro Skrimov, os europeus chegaram com vantagem na primeira parada técnica (6×8). A reação búlgara logo foi impedida na passagem de Maurício Borges pelo saque (10×9). Os brasileiros, apesar dos erros de ataque, conseguiram abrir quatro pontos (14×10) e administrar a vantagem para fechar o 2° set em 25×19.

Enquanto o Brasil manteve entradas pontuais de Rapha e Evandro na inversão 5-1, a Bulgária chegou para o 3° set completamente mudada: da formação inicial, só ficaram o central Todorov e o levantador Seganov. Com a mudança na equipe, os búlgaros fizeram a partida dar uma esquentada (10×10). Ignorando as provocações do experiente central Nikolov, o levantador Bruninho continuou a acionar o oposto Wallace, que fez sua primeira partida pela seleção na temporada. Após o pedido de tempo de Renan dal Zotto (17×18), o Brasil recuperou a vantagem no placar e aproveitou os contra-ataques de Maurício Borges e Evandro para fechar a conta em 25×22.

Bulgária
Seganov, Jeliazkov, Todorov, Gotsev, Skrimov, Atasanov. Líbero: Ivanov
Entraram: R. Penchev, Salparov (líbero), N. Penchev, Nikolov e Sokolov.
Técnico: Plamen Konstantinov

Brasil
Bruninho, Wallace, Lucão, Maurício Souza, Lucarelli, Maurício Borges. Líbero: Thales
Entraram: Rapha e Evandro
Técnico: Renan dal Zotto

Fotos: FIVb

[Liga Mundial] França segue em boa fase e garante vaga na Fase Final; confira a classificação

Irã, Bulgária e França receberam neste fim de semana a segunda rodada da fase classificatória do Grupo 1 (1ª divisão) da Liga Mundial 2017. Sede do grupo F1, a França conquistou diante de seu torcedor uma das vagas para a Fase Final da competição. O destino, assim como no título inédito de 2015, é o Brasil, dessa vez a cidade é Curitiba. “Estamos classificados. É incrível porque será a terceira vez em três anos! Earvin Ngapeth estará conosco na Antuérpia apesar de ainda estar se recuperando. Porém, precisamos prepara-lo para Curitiba”, disse o treinador francês Laurent Tillie, cuja seleção segue invicta nesta edição da Liga Mundial.

classificacao_ligamundial2017_week2.jpgAinda em terras francesas, os italianos amargaram três derrotas e ocupam a 11ª colocação por critérios de desempate, uma vez que a Argentina, lanterna, tem a mesma campanha e saldo inferior de sets. No formato atual, a seleção pior colocada cairá para o Grupo 2.

Em Teerã, a Sérvia terminou o fim de semana com três vitórias e apenas um set perdido, assumindo a vice-liderança geral e encaminhando sua classificação para defender o título conquistado no ano passado.

Enquanto isso, a seleção brasileira teve como desfalque o oposto Evandro, lesionado. Apesar das vitórias sobre Canadá e Polônia, o Brasil segue oscilando bastante. Contra a Bulgária, sede da segunda semana, os comandados de Renan dal Zotto cometeram 39 erros e sofreram com os saques adversários.

Com a classificação francesa, quatro vagas para o Final Six ainda estão em aberto e serão definidas nesta semana quando se encerra a fase de classificação. Argentina (Córdoba), Polônia (Katowice e Lodz) e Bélgica (Antuérpia) serão as sedes da última rodada. A Fase Final acontece entre os dias 4 e 8 de julho, na Arena da Baixada, casa do Atlético Paranaense.

Confira todos os resultados da segunda semana do Grupo 1 da Liga Mundial 2017:

Grupo D1 – Teerã, Irã
09.06 – Sérvia 3 x 0 Argentina(25×18, 25×22, 25×23)
09.06 – Irã 3 x 2 Bélgica (23×25, 25×17, 25×22, 23×25, 15×12)
10.06 – Bélgica 3 x 2 Argentina (23×25, 25×20, 25×23, 24×26, 15×6)
10.06 – Irã 1 x 3 Sérvia (20×25, 23×25, 25×16, 16×25)
11.06 – Sérvia 3 x 0 Bélgica (25×22, 25×18, 25×20)
11.06 – Irã 3 x 2 Argentina (29×27, 25×20, 20×25, 23×25, 15×11)

Grupo E1 – Varna, Bulgária
09.06 – Canadá 1 x 3 Brasil (25×23, 20×25, 22×25, 23×25)
09.06 – Bulgária 3 x 2 Polônia (25×16, 20×25, 19×25, 25×23, 16×14)
10.06 – Brasil 3 x 1 Polônia (25×21, 25×20, 17×25, 25×19)
10.06 – Canadá 3 x 1 Bulgária (27×25, 30×28, 21×25, 25×23)
11.06 – Polônia 3 x 1 Canadá (25×21, 27×25, 20×25, 25×19)
11.06 – Brasil 1 x 3 Bulgária (22×25, 19×25, 25×23, 19×25)

Grupo F1 – Pau, França
09.06 – Itália 0 x 3 Estados Unidos (22×25, 23×25, 23×25)
09.06 – França 3 x 1 Rússia (25×12, 22×25, 25×21, 25×18)
10.06 – Estados Unidos 3 x 0 Rússia (25×20, 25×22, 25×22)
10.06 – França 3 x 1 Itália (21×25, 25×21, 25×21, 26×24)
11.06 – Itália 2 x 3 Rússia (33×31, 23×25, 25×21, 23×25, 10×15)
11.06 – França 3 x 1 Estados Unidos (25×20, 18×25, 25×22, 25×21)

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

[Liga Mundial] Brasil oscila e perde para a Bulgária

A seleção brasileira encerrou o segundo final de semana de disputas da Liga Mundial com derrota. Jogando em Varna, na Bulgária, os brasileiros enfrentaram uma Arena lotada, além de um saque eficiente da seleção da casa, e viram, neste domingo (11), a invencibilidade contra os búlgaros que já durava 10 anos, cair. Vitória dos europeus por 3 sets a 1, parciais de (25×22, 25×19, 23×25 e 25×19).

LucarelliBRAsaves

– Foram 39 erros cometidos pelos jogadores brasileiros. [Foto: FIVB]

Como a equipe de Renan Dal Zotto já está classificado para a Fase Final, por ser sede da competição, o técnico seguiu modificando o time. O levantador Murilo Radke teve a chance de começar o jogo como titular, mas com o Brasil enfrentando dificuldades boa parte do tempo, o treinador promoveu a entrada do Bruno. A equipe apresentou uma melhora, mas não o suficiente para superar o adversário.

Com uma atuação irregular, 39 erros ao longo da partida, a equipe brasileira não conseguia parar o forte poder ofensivo dos anfitriões, sobretudo do oposto Sokolov, maior pontuador da partida com 19 pontos.  Outro fundamento de destaque foi o saque muito eficiente búlgaro que dificultou muito a recepção, fora os sete aces, contra quatro do Brasil. O bloqueio brasileiro, que já não havia ido muito bem no jogo anterior, voltou a demonstrar ineficiência, foram seis pontos no jogo, contra 11 do adversário.

SalparovandNikolovcelebrate

– _ Salparov e Nikolov  faziam questão de comemorar cada ponto búlgaro. [Foto: FIVB]

Além de enfrentar uma Bulgária determinada a derrotar o maior campeão da Liga Mundial, o Palácio de Cultura e Esportes estava lotado e foi um ingrediente a mais para a rivalidade dentro de quadra se aflorar. O central Nikolay Nikolov era um dos que a cada ponto fazia questão de fazer comemorações efusivas, o que estava incomodando os jogadores brasileiros, que não conseguiram reagir.

Porém a derrota já é passado, o Brasil já está se preparando para a terceira fase da competição, que será realizada entre os dias 16 a 18 de junho, na cidade de Córdoba, na Argentina. Os adversários da equipe brasileira serão os argentinos, a Sérvia e, novamente, a Bulgária, uma chance de devolver a derrota sofrida, desta vez em território neutro. E a expectativa é de que o ponteiro Lipe, o levantador Rapha e o oposto Wallace se juntem ao elenco .

EQUIPES

BRASIL – Murilo Radke, Renan, Otávio, Maurício Souza, Maurício Borges e Lucarelli. Líbero – Thales

Entraram – Tiago Brendle, Bruno, Rodriguinho, Éder, Lucão

Técnico: Renan Dal Zotto

BULGÁRIA – Bratoev, Penchev R., Yosifov, Penchev N., Nikolov e Sokolov Líbero – Salparov

Entraram – Skrimov, Gotsev

Técnico: Plamen Konstantinov

 

,

[Liga Mundial] Brasil dá o troco e vence a Polônia

Neste sábado(10), a seleção masculina voltou à quadra na cidade de Varna, na Bulgária, para mais uma partida válida pela Liga Mundial. Com uma atuação consistente, os brasileiros derrotaram a Polônia por 3 sets a 1, parciais de (25×21, 25×20, 17×25 e 25×19), e devolveram a derrota sofrida na estreia da competição. O maior pontuador da partida foi o oposto Renan, com 18 acertos.

Se no ataque, saque e defesa o Brasil foi muito bem, o bloqueio  ainda  precisa ser ajustado. Diante da Polônia,  o fundamento só foi aparecer no  segundo set, totalizando seis pontos, os poloneses marcaram o dobro.  

Essa foi a quarta vitória em cinco partidas dos atuais campeões olímpicos na competição. Agora, o Brasil enfrenta a Bulgária neste domingo(11), às  14h40, com transmissão do canal SporTV 3.

 

O jogo

A seleção brasileira começou muito bem e impondo o ritmo da partida. Com um saque muito eficiente, os brasileiros dificultavam a recepção polonesa e foram abrindo vantagem (8×4). O levantador Bruno distribuía bem as jogadas com seus atacantes, que marcaram 17 pontos contra 11 da Polônia. Quando parecia que o Brasil venceria com facilidade (20×12), a equipe começou a acumular erros e viu o adversário se aproximar perigosamente no marcador (23×20) sobretudo com a força do bloqueio, único fundamento em que os europeus foram superiores, marcaram cinco pontos contra nenhum do time brasileiro.

O que marcou o set, mas de forma negativa, foi o Challenge, o desafio eletrônico, que demorava muito para demonstrar o lance pedido e, junto com uma arbitragem confusa, marcaram dois pontos de forma errada a favor dos brasileiros.  No final, (25×20) para o Brasil, que jogou melhor durante todo o set.

2º set

O início da segunda parcial foi bem parecido com o primeiro set, com Brasil comandando o placar (8×5), mas vendo os poloneses sempre buscando diminuir a desvantagem (9×8). O bloqueio brasileiro, que não havia marcado ainda, conseguiu dois pontos consecutivos (17×12) e a equipe sul-americana voltou a ter uma folga no marcador. O set seguiu com os opostos canhotos Muzaj, da Polônia, e Renan Buiatti, do Brasil, sendo os principais atacantes de suas seleções e levantando vantagem sobre o setor defensivo. O ponteiro Kurek, um dos jogadores mais experientes, começou a aparecer mais no jogo ajudando na defesa e no ataque e sua equipe diminuiu a diferença para dois pontos. (21×19). Porém, o ataque brasileiro sobressaiu e o time fechou mais um set (25×20).

luca

Lucarelli foi um dos destaques e marcou em todos os fundamentos. O ponteiro fez 14 pontos e foi o 2º maior pontuador do confronto.[Foto: FIVB]

3º set O saque da Polônia começou a dificultar o passe brasileiro e a equipe europeia passou à frente do marcador depois de muito tempo (6×7). Vibrando mais e com seu poder ofensivo mais eficiente, foram 13 pontos neste fundamento contra 9 do Brasil, os poloneses foram construindo vantagem (12×16). O bloqueio,comandado pelos centrais Lemanski e Bieniek, voltou a fazer diferença, foram quatro pontos, e o time polonês não deixava Brasil reagir (12×20).  O oposto Konarski, que havia saído no set anterior, voltou muito bem à quadra e foi um dos responsáveis pela Polônia vencer, com muita facilidade, o terceiro set (17×25).

 

4º set

Foi o início mais equilibrado da partida, com as seleções se revezando à frente do marcador (10×9). Após toque na rede de Konarski, o Brasil chegou ao segundo tempo técnico com vantagem (16×14). O ponteiro Lucarelli era bastante acionado por Bruno e respondia botando todos os ataques no chão. Com uma sequência de saques de Lucão, o Brasil se encaminhou para dar números finais ao set (20×16). O saque balanceado de Maurício Souza dificultou a recepção polonesa e os brasileiros definiram o set (25×19) e o jogo por 3 sets a 1.

Brasil: Bruno, Renan Buiatti, Maurício Souza, Lucão, Lucarelli, Maurício Borges e líbero Thales.

Entraram: Tiago Brendle, Douglas Souza, Éder, Murilo Radke, Rodriguinho

Técnico: Renan Dal Zotto

Polônia: Bieniek, Drzyzga, Sliwka, Lemanski, Kurek , Wojtaszek e líbero Zatorski.

Entraram: Lomacz, Muzaj, Szalpuk e Klos

Técnico: Ferdinando De Giorgi

 

[Fotos: FIVB]

 

[Liga Mundial] Brasil vence Canadá de virada e conquista a terceira vitória na competição

Nesta sexta-feira (9), na primeira partida do segundo final de semana da Liga Mundial, a seleção brasileira conquistou, de virada, uma vitória por 3 sets a 1 diante do Canadá, parciais de (23 x 25, 25 x 20, 25 x 22 e 25 x 23), em partida disputada em Varna, na Bulgária. Mesmo com desfalque de Evandro, jogador que foi o maior pontuador nas três primeiras partidas do Brasil, poupado por dores na panturrilha, a seleção demonstrou poder de reação e segue se ajustando e ganhando confiança para a Fase Final, já que por ser sede, já está classificado.

 Renan Buiatti, oposto canhoto de 2,17m, teve a oportunidade de começar jogando e aproveitou a oportunidade, o atleta foi o maior pontuador brasileiro, com 19 acertos, sendo 16 de ataque, dois de bloqueio e um de ataque. O jogador falou sobre sua atuação:

BuiattifromBrasilspikes

-Renan teve um início irregular, mas depois se ajustou e foi o maior pontuador brasileiro do jogo. [ Foto: FIVB]

“Foi muito bom conseguir essa vitória na minha primeira partida como titular. Foi difícil para mim. Acho que há uns três meses que eu não começava jogando, desde que saí da Superliga, e é diferente de estar só treinando. Comecei meio devagar, mas depois, do meio para frente, o meu jogo fluiu melhor e consegui ajudar mais a seleção, que é o meu principal objetivo. O mais importante é sempre a vitória do Brasil”,

Foi a terceira vitória dos brasileiros em quatro jogos disputados. A única derrota foi na estreia diante da Polônia, seleção que será adversária dos últimos campeões olímpicos neste sábado (10). A partida será às 10h40 (horário de Brasília) e terá transmissão do Sportv.

Seleções:

Canadá: Walsh, Perrin, Barnes, Hoag, Vigrass, Vandoorn e Bann

Entraram:  Derocco, Sanders, Evans, Van Berkel e Marshall

Técnico:   Stéphane Antiga

Brasil: Bruno, Renan, Maurício Souza, Lucão, Lucarelli, Douglas Souza e Thales

Entraram: Tiago Brendle, Maurício Borges, Éder,Murilo Radke e  Otávio

Técnico: Renan Dal Zotto

 

 

[Fotos: FIVB ; com informações da CBV]

[Liga Mundial] Estados Unidos decepcionam e Bélgica surpreende; confira todos os resultados

O primeiro fim de semana da Liga Mundial 2017 foi repleto de estreias de treinadores e muitas surpresas, a começar pela apresentação da Bélgica no Grupo B1 da 1ª divisão. A seleção europeia já havia feito boas partidas na temporada passada e conseguiu bons resultados na estreia neste ano ao bater Estados Unidos e a atual campeã Sérvia, em Novi Sad. Os americanos foram a decepção do fim de semana: perderam todas as suas partidas, vencendo apenas quatro sets. “A única maneira de melhorar é jogar sob pressão. Temos muitos novos jogadores, é um processo. Aprendemos muito aqui [em Novi Sad], veremos se conseguiremos fazer o melhor das próximas duas semanas”, disse o treinador dos Estados Unidos, John Speraw.

Já classificado para a Fase Final como país-sede, o Brasil iniciou sua campanha com derrota para a Polônia. Porém, o primeiro fim de semana de Renan Dal Zotto à beira da quadra terminou com duas vitórias ainda com um pouco de desconfiança.

No Grupo C1, a França alcançou três vitórias e lidera o ranking geral da competição que definirá os cinco classificados que se juntarão à seleção brasileira, em Curitiba, para o Final Six no próximo mês. Sobre a campanha, o treinador Laurent Tillie se disse surpreso. “Queríamos vencer e estou satisfeito porque o time jogou muito bem e não esperávamos vencer todas as três partidas”.

Na próxima sexta-feira (9), a competição continua em novas sedes e novas composições de grupos: em Teerã, os iranianos recebem Sérvia, Argentina e Bélgica; a Bulgária será a anfitriã para Brasil, Polônia e Canadá; e os franceses terão russos, americanos e italianos como adversários.

Confira todos os resultados da primeira semana do Grupo 1 da Liga Mundial 2017:

Grupo A1 – Pesaro, Itália

02.06 – Brasil 2 x 3 Polônia (20×25, 25×20, 25×19, 22×25, 8×15)
02.06 – Itália 3 x 0 Irã (25×22, 25×23, 25×22)
03.06 – Itália 1 x 3 Polônia (25×21, 17×25, 18×25, 23×25)
03.06 – Irã 1 x 3 Brasil (25×21, 19×25, 22×25, 22×25)
04.06 – Itália 1 x 3 Brasil (15×25, 25×17, 23×25, 22×25)
04.06 – Polônia 1 x 3 Irã (25×18, 23×25, 23×25, 22×25)

Grupo B1 – Novi Sad, Sérvia
02.06 – Bélgica 2 x 3 Canadá (22×25, 25×19, 24×26, 25×22, 13×15)
02.06 – Sérvia 3 x 1 Estados Unidos (25×18, 23×25, 25×20, 25×21)
03.06 – Canadá 3 x 2 Estados Unidos (23×25, 25×19, 18×25, 25×23, 15×11)
03.06 – Bélgica 3 x 0 Sérvia (25×20, 25×18, 25×23)
04.06 – Estados Unidos 1 x 3 Bélgica (23×25, 16×25, 25×22, 26×28)
04.06 – Canadá 1 x 3 Sérvia (23×25, 21×25, 25×20, 20×25)

Grupo C1 – Kazan, Rússia
02.06 – França 3 x 0 Bulgária (25×23, 25×15, 25×22)
02.06 – Rússia 3 x 0 Argentina (25×17, 25×18, 25×19)
03.06 – Bulgária 2 x 3 Argentina (23×25, 25×23, 25×20, 21×25, 12×15)
03.06 – Rússia 1 x 3 França (13×25, 20×25, 25×22, 21×25)
04.06 – Argentina 0 x 3 França (17×25, 25×27, 22×25)
04.06 – Rússia 2 x 3 Bulgária (25×21, 25×15, 22×25, 25×27, 13×15)

Com informações da FIVb.
Foto destaque: FIVb.

[Liga Mundial] Na reedição da final olímpica, Brasil tem sua melhor atuação e vence a Itália

Dez meses após a final olímpica, Brasil e Itália voltaram a se enfrentar, desta vez pela primeira fase da Liga Mundial, disputada em Pesaro, na Itália. E, assim como aconteceu na Rio 2016, a seleção brasileira saiu vitoriosa: 3 x 1, parciais de (25 x 15, 17 x 25, 25 x 23 e 25 x 22). Vale ressaltar que, Brasil e Itália, com nove e oito títulos respectivamente, são os maiores vencedores desta competição.

Foi a melhor atuação da seleção do técnico Renan Dal Zotto, que encerra  o primeiro final de semana de disputas com duas vitórias e uma derrota. Nesta partida, o volume de jogo brasileiro foi amplamente superior aos dois primeiros jogos, o saque foi mais regular e, novamente, o oposto Evandro foi o maior pontuador, desta vez com 19 pontos. Na segunda semana de jogos, o Brasil viaja para Varna, na Bulgária, para enfrentar Canadá, Polônia e os donos da casa.

O jogo

A seleção brasileira entrou em quadra demonstrando muito volume de jogo e, com dois bloqueios em sequência, abriu vantagem no marcador (6 x 9). A Itália pareceu sentir a pressão imposta pelo adversário e cometeu muitos erros, foram oito ao longo do set, contra quatro dos brasileiros. Com dificuldades em seu ataque, o técnico Gianlorenzo Blengini fez algumas substituições, do outro lado, os atacantes brasileiros seguiam levando vantagem sobre a defesa italiana, com destaque para o oposto Evandro, que fez seis dos 14 pontos nesse fundamento pelo time brasileiro. Com ampla folga no marcador, o Brasil fez 15 x 25, em 26 minutos.

2º set

Quem achou que os italianos voltariam abatidos para a quadra se enganou, o que se viu foi uma Itália vibrante, com um bloqueio afiado, marcaram quatro pontos, e dominaram o set. O passe brasileiro caiu muito e o levantador Bruno não conseguia utilizar a bola rápida pelo meio. Do lado dos anfitriões, Antonov, que entrou para jogar no primeiro set e não saiu mais, conseguiu boas sequências no saque, os atacantes italianos cresceram na partida, sobretudo com Lanza, que foi o responsável pela melhor jogada da parcial [o jogador foi buscar a bola na arquibancada e, no contra-ataque, atacou para finalizar o ponto]. O técnico Renan promoveu muitas mudanças no time, mas a vantagem italiana já era muito ampla (17 x 11) e o time da casa se encaminhou, sem dificuldades, para fechar o set (25 x 17), em 32 minutos.

vettori

–  O oposto Vettori(4), ao lado de Evandro, foram os maiores pontuadores com 19 pontos marcados. [ Foto; FIVB]

3º set Foi o set mais equilibrado, com as duas equipes sacando muito bem, apresentando muito ritmo de jogo e regularidade. Aproveitando os contra-ataques, o Brasil chegou a abrir cinco pontos(10 x 15), porém, o bloqueio italiano e os ataques do oposto Vettori, não deixavam os visitantes desgarrarem no placar por muito tempo(13 x 15). Com vantagem mínima a favor dos brasileiros e o final da parcial se aproximando(18 x 20), os italianos cresceram, fizeram quatro pontos consecutivos e viraram o marcador (22 x 20). Foi a vez da seleção verde e amarela buscar o prejuízo e empatar (23 x 23). Lucarelli foi para o saque e, com dois pontos diretos nesse fundamento, definiu o set a favor dos brasileiros (23 x 25), em 35 minutos.

4º set

O quarto set começou igual ao anterior, com os brasileiros comandando o marcador, mas os italianos, incentivados pela torcida, correndo atrás do placar desfavorável (4 x 8). A Itália não se entregou  e usando o bloqueio, igualou a parcial(16 x 16). Mauricio Souza, no saque balanceado, voltou a dar vantagem para os visitantes (16 x 21). Com cinco pontos de vantagem, os brasileiros chegaram ao ponto do jogo, mas viram Vettori ter uma ótima passagem no saque e a diferença diminuir para apenas dois pontos(22 x 24). Porém, o oposto italiano sacou para fora e definiu o set (22 x 25), em 34 minutos, e o jogo por 3 sets a 1.

Itália: Giannelli, Vettori, Lanza ,Randazzo, Piano, Buti e líbero Colaci

Entraram: Balaso, Pesaresi, Antonov, Sabbi, Botto

Técnico:  Gianlorenzo Blengini

Brasil: Bruno, Evandro, Lucarelli, Maurício Borges, Éder, Maurício Souza e  líbero Thales

Entraram: Tiago Brendle, Renan Murilo Radke, Rodriguinho, Otávio

Técnico: Renan Dal Zotto

[Foto: FIVB]

[Liga Mundial] Mudanças e um respiro para o Brasil na vitória contra o Irã

Após estreia apática diante da Polônia, a seleção brasileira mudou de atitude em quadra e conseguiu superar o Irã por 3×1 (20×25, 25×19, 25×22 e 25×22), em Pesaro. A equipe de Renan Dal Zotto entrou para a partida também com mudanças no elenco: o central Otávio e o líbero Thales vieram como titulares nos lugares de Lucão e Tiago Brendle, respectivamente. O líbero do Lebes Gedore Canoas foi um dos destaques brasileiros ao lado do oposto Evandro que terminou a partida com 27 pontos e o posto de maior pontuador.

Para o Irã, esta é a segunda derrota na competição. Ontem (2), os comandados de Igor Kolakovic foram superados pela Itália por 3×0. Amanhã (4), os iranianos fecham o primeiro fim de semana da Liga Mundial enfrentando a Polônia, às 12h, enquanto o Brasil pega a Itália, às 9h (horário de Brasília).

O líbero Thales foi titular na vitória contra o Irã. (Foto: Fivb)

O jogo

Os iranianos começaram bem o confronto, com bastante volume de jogo e boa leitura de bloqueio. O saque brasileiro não foi suficiente para afetar a recepção adversária, facilitando o trabalho do levantador Marouf que abusou das bolas de meio-fundo. Após a parada do 16º ponto, os iranianos aproveitaram os erros do Brasil e abriram cinco pontos (15×20). A vantagem se manteve e o Irã fechou a primeira parcial em 20×25.

Com dificuldades para virar as bolas de primeiro tempo, o levantador Bruninho acionou bastante o oposto Evandro nos contra-ataques. A confiança foi aumentando e, com a melhora na virada de bola, o Brasil conseguiu tomar o controle do placar aproveitando ainda a queda na potência dos ataques adversários. Com tranquilidade na reta final, o Brasil conseguiu empatar o confronto ao vencer a segunda parcial por 25×19.

A terceira parcial foi marcada pelo equilíbrio do início ao fim. O volume de jogo foi um dos pontos altos do sets, com três pontos do oposto Evandro após belas defesas do líbero Thales incendiando a equipe. Mesmo com os ataques de Gharfour e os saques de Ghaemi, a seleção brasileira conseguiu conter a reação iraniana e levar o set em 25×22.

Enquanto o bloqueio iraniano continuou forte, o saque foi um dos pontos fortes da seleção brasileira no quarto set. Mais tranquilos, os brasileiros conseguiram abrir cinco pontos (15×10) e administrar a vantagem apesar da arrancada do Irã após a segunda parada obrigatória. O alívio veio após a boa passagem de Otávio no saque devolver a vantagem para o Brasil e o ponteiro Lucarelli marcar o último ponto da partida (25×22).

Irã

Ebadipour, Ghaemi, Marouf, Adel Gholami, Ghafour, Masoud Gholami. Líberos: Marandi e Heydari

Entraram: Salafzoon, Mirzajanpour, Manavinezhad, Ghara.

Técnico: Igor Kolakovic

Brasil

Bruninho, Evandro, Otávio, Maurício Souza, Lucarelli, Maurício Borges. Líbero: Thales

Entraram: Renan, Murilo Radke, Rodriguinho, Éder

Técnico: Renan Dal Zotto

Fotos: FIVb

[Liga Mundial] No duelo dos novos técnicos, Polônia leva a melhor sobre o Brasil

Com novidades em suas comissões técnicas, Polônia e Brasil se enfrentaram na estreia da Liga Mundial, em Pesaro (ITA), e os poloneses levaram a melhor. Comandados pelo italiano Ferdinando De Giorgi, os europeus venceram por 3×2 (25×20, 20×25, 19×25, 25×22 e 15×8).

Estreando como treinador da seleção brasileira, Renan Dal Zotto não ousou com os titulares e muito menos durante a partida, ao contrário de De Giorgi que modificou bastante a formação de sua equipe. Destaque para o jovem polonês Sliwka que entrou durante o jogo no lugar do veterano Kurek cuja atuação foi abaixo do esperado, e o oposto Konarski, com 20 pontos no jogo.

O Brasil terminou a partida cedendo 30 pontos em erros para os adversários, enquanto os poloneses cometeram 18 erros contabilizados em pontos para o Brasil.

Amanhã (3), o Brasil enfrenta o Irã, às 12h, e a Polônia encara a Itália, a partir das 9h – horário de Brasília.

O jogo

O oposto Evandro foi o maior pontuador com 22 acertos (Foto: FIVb)

Os poloneses começaram a partida mais ligados e abriram três pontos no início do 1º set (0x3). Após pegar ritmo no bloqueio, os brasileiros conseguiram passar à frente dificultando a virada de bola polonesa (10×8). Porém, na reta final do set, a Polônia encaixou uma boa sequência de saques e no contra-ataque do central Bieniek fechou o set em 25×20.

Na segunda parcial, a seleção brasileira conseguiu manter uma boa atuação. Ao contrário do que vem testando em outras competições, a FIVb não extinguiu as paradas técnicas obrigatórias do 8º e 16º pontos na Liga Mundial. Na segunda parada técnica, a vantagem sul-americana era de quatro pontos (16×12). O descanso acordou os poloneses que encostaram (18×17). Ainda assim, os erros dos europeus fizeram a diferença e o Brasil devolveu o placar do primeiro set (20×25).

Com o empate brasileiro, o treinador da Polônia, Ferdinando De Giorgi, começou a testar o banco: sacou Kurek e colocou em quadra o jovem Sliwka durante o set. Mantendo o ritmo do set anterior e com bom volume de jogo, o Brasil não deu brechas para as tentativas de reação polonesas, fechando o 3º set com dois aces do ponteiro Lucarelli (19×25).

Enquanto o Renan Dal Zotto mantinha sua formação titular e com trocas momentâneas, De Giorgi foi remontando seu time. No 4º set, nenhuma das equipes conseguia desgarrar no placar (13×13). Sem a mesma eficiência nos ataques e bloqueio, o Brasil tomou a virada no finalzinho do set e a Polônia levou a partida para o tie-break (25×22)

No set decisivo os poloneses atropelaram os brasileiros. Sem conseguir pontuar no sideout e contra-ataques, a seleção brasileira ficou sem ação diante da potência de Sliwka e Konarski. Caçado pelos saques da Polônia durante toda a partida, o ponteiro Maurício Borges pouco pôde fazer no tie-break (6×13). Apáticos, os brasileiros viram os poloneses comemorarem a primeira vitória na Liga Mundial 2017 (15×8).

Brasil
Bruninho, Evandro, Lucão, Maurício Souza, Lucarelli, Maurício Borges. Líbero: Brendle
Entraram: Douglas Souza, Otávio, Murilo Radke, Renan
Técnico: Renan Dal Zotto

Polônia
Drzyzga, Konarski, Bieniek, Lemanski, Kubiak, Kurek. Líbero: Zatorski
Entraram: Muzaj, Buszek, Sliwka, Klos, Lomacz
Técnico: Ferdinando De Giorgi

Fotos: FIVb

Enxuta, edição 2017 da Liga Mundial começa na próxima sexta-feira (2)

Seguindo a fórmula do ano passado, a Liga Mundial 2017 começa nesta semana para as três divisões da competição. Itinerante, o campeonato terá três semanas classificatórias para as duas primeiras divisões e duas semanas para as equipes da 3ª divisão.

lm-2.jpgA seleção brasileira, que não vence a Liga Mundial desde 2010, está na elite e faz sua estreia na sexta-feira (2) contra a Polônia, em Pesaro (Itália). Nesta primeira rodada, os brasileiros estão no Grupo A1 ao lado de Itália, Polônia e Irã.

Atual campeã, a Sérvia abre sua campanha recebendo Bélgica, Canadá e Estados Unidos em Novi Sad, pelo Grupo B1. “Quis rejuvenescer a equipe e formar um time para Tóquio 2020. O fato de sermos jovens não significa que seremos menos ambiciosos em 2017”, disse o treinador e ídolo sérvio Nikola Grbic.

A terceira chave (C1) terá como sede da primeira rodada a cidade de Kazan, na Rússia, onde os anfitriões terão a companhia de Bulgária, França e Argentina.

Brasil e Itália são os únicos países a participarem de todas as edições da competição continental cuja primeira edição aconteceu em 1990. Em 2017 a Liga Mundial será disputada por 36 países separados em três divisões.

Confira abaixo a tabela do primeiro fim de semana:

LIGA MUNDIAL 2017
A1 – Pesaro, Itália

02.06 – 12h* – BRASIL x Polônia
02.06 – 15h* – Itália x Irã
03.06 – 09h* – Polônia x Itália
03.06 – 12h* – Irã x BRASIL
04.06 – 09h* – Itália x BRASIL
04.06 – 12h* – Polônia x Irã

B1 – Novi Sad, Sérvia
02.06 – 11h* – Bélgica x Canadá
02.06 – 14h* – Sérvia x Estados Unidos
03.06 – 11h* – Canadá x Estados Unidos
03.06 – 14h* – Bélgica x Sérvia
04.06 – 11h* – Estados Unidos x Bélgica
04.06 – 14h* – Canadá x Sérvia

C1 – Kazan, Rússia
02.06 – 10h10* – França x Bulgária
02.06 – 13h10* – Rússia x Argentina
03.06 – 10h10* – Bulgária x Argentina
03.06 – 13h10* – Rússia x França
04.06 – 10h10* – Argentina x França
04.06 – 13h10* – Rússia x Bulgária
*Horário de Brasília
Com informações da FIVb

[Liga Mundial] Com novatos, Brasil enfrenta o primeiro desafio após a ‘era Bernardinho’

Renan dal Zotto, novo técnico da seleção masculina de vôlei, estreia, nesta sexta-feira(02) oficialmente no comando da equipe. O Brasil, nove vezes campeão da Liga Mundial, irá fazer três jogos nesta semana, respectivamente contra Polônia, Irã e Itália, com todos os confrontos da primeira rodada sendo realizados na cidade de Pesaro, na Itália. Na segunda semana de competições, a sede será Varna, na Bulgária, e, fechando a fase classificatória, os brasileiros irão viajar para Córdoba, na Argentina. A fase final será disputada na Arena da Baixada, em Curitiba, entre os dias 4 a 8 de julho.

otavio

_  Um dos novatos, o oposto Otávio disputa posição com três campeões olímpicos: Maurício Souza, Lucão e  Éder. (Foto: Daniel Zappe/ Divulgação CBV)

Dos 18 jogadores que treinavam no Centro de Treinamento em Saquarema (RJ), 14 foram relacionados para essa etapa, sendo oito campeões olímpicos: o levantador Bruno, os centrais Éder, Maurício Souza e Lucão, os ponteiros Lucarelli, Douglas Souza e Maurício Borges e o oposto Evandro. Os outros atletas convocados foram o levantador Murilo Radke, o oposto Renan Buiatti, o ponteiro Rodriguinho, o central Otávio e os líberos Thales e Tiago Brendle.

Os outros quatro atletas seguem treinando no Brasil, na Vila Leopoldina, sede do Sesi SP, e deverão ser aproveitados na Argentina, são eles: Rapha (levantador), Lipe (ponteiro), Lucas Lóh (ponteiro) que se recupera de uma lesão nas costas, e Wallace (oposto), que na semana passada acompanhou o nascimento do filho Max. Isac (central) e Rafael Araújo (oposto), que não fazem parte da lista da competição, foram convidados para treinar.

Confira a tabela de jogos da primeira fase do Brasil:

jogos bra

 

 *horário oficial de Brasília 

Fotos: Daniel Zappe/MPIX/CBV

Seleção Juvenil vence Copa Pan-americana e garante vaga no Mundial

De forma invicta, a seleção masculina sub-21 conquistou ontem (21), no Canadá, o título da Copa Pan-americana após vencer a seleção cubana por 3×1 (25×23, 17×25, 25×18 e 25×18). Além da medalha de ouro, os brasileiros garantiram vaga no Campeonato Mundial da categoria que será realizado na República Tcheca no próximo mês. “O primeiro set não foi fácil, disputado lá em cima, mas conseguimos fechar. No segundo, não estivemos bem e eles fecharam com um pouco de facilidade. No terceiro set, voltamos a jogar bem, sacamos bem, quebramos o asse deles e tiveram dificuldade na virada. No quarto, ganhamos bem. Tivemos na frente o tempo todo impondo o ritmo de jogo, funcionou muito nem o nosso sistema defensivo e saímos com a vitória. Brasil campeão e classificado para o Mundial”, avaliou o treinador Nery Tambeiro.

sub21-copapanamericana_norceca_005

O Brasil teve ainda dois jogadores premiados individualmente: o ponteiro Vitor Birigui terminou como MVP da Copa e Henrique Honorato foi escolhido o 2º ponteiro da seleção do campeonato.

Apesar do vice-campeonato, Cuba também saiu classificado para o Mundial. O treinador de Cuba, Nicolas Vives Coffigny, ficou satisfeito com a apresentação de sua equipe no Canadá. “Estou muito feliz que nós conquistamos uma medalha de prata e nos qualificamos para o Campeonato Mundial Sub-21 como melhores classificados na zona da Norceca. Sinto que o time está melhorando”, disse.

Classificação Final Copa Pan-americana Sub-21 2017

1. Brasil
2. Cuba
3. Canadá
4. Guatemala
5. Porto Rico
6. Chile
7. Barbados
Com informações da CBV, FIVb e Norceca
Fotos: Norceca

Bola Rápida – Seleções

– A seleção brasileira juvenil (sub-21) está no Canadá disputando a Copa Pan-Americana que dá vaga para o Mundial da categoria. Na noite de ontem (16), o grupo comandado por Nery Tambeiro fez sua estreia diante da seleção de Barbados. A partida foi tranquila para os brasileiros que venceram por 3×0, parciais de 25×12, 25×8 e 25×12. Hoje (17), o Brasil enfrenta a Guatemala.

– Com preços salgados, a venda de ingressos para a Fase Final da Liga Mundial começou na segunda-feira (15) no portal do Atlético Paranaense. Clientes do Banco do Brasil, sócios do CAP e participantes do Programa Eu Sou do Vôlei podem adquirir os bilhetes com desconto; estudantes, professores, idosos, doadores de sangue, jovens de baixa renda e portadores de necessidades especiais têm direito à meia-entrada. O Final Six do Grupo 1 da competição será realizado na Arena da Baixada, em Curitiba, entre os dias 4 e 8 de julho.

– Todos os 18 jogadores convocados pelo novo treinador da seleção adulta, Renan Dal Zotto, já estão treinando no Centro de Desenvolvimento de Voleibol em Saquarema, se preparando para a estreia na Liga Mundial no dia 2 de junho contra a Polônia.

Com informações da CBV e FIVb
Foto destaque: 
Daniel Zappe/MPIX/CBV

[Superliga] Sada Cruzeiro conquista o penta e se torna o maior campeão da competição

“A imagem do Cruzeiro resplandece”, a frase do hino nacional brasileiro define o que há sete temporadas faz o Sada Cruzeiro, que quebra recordes e levanta taça atrás de taça. Neste domingo (7), no Mineirinho, em Belo Horizonte (MG), diante de 13.956 torcedores, a maioria torcida celeste, mais um capítulo vitorioso foi escrito, o time derrotou o Funvic Taubaté por 3 sets a 1, parciais de (25×22,25×22, 18×25 e 25×19) em 1h57 de partida, se consagrou pentacampeão da Superliga, o que transformou o time mineiro em maior vencedor da competição, superando Minas e Florianópolis, que têm quatro títulos cada um.

Com uma campanha quase que perfeita, O Sada chegou a decisão com apenas uma derrota em toda a Superliga [22 jogos e 21 vitórias], sendo o único placar desfavorável, justamente para Taubaté, no final do segundo turno da competição, quanto atuou com o grupo quase todo reserva, pois já estava com folga no primeiro lugar da classificação. Vale ressaltar que ao longo dessa Superliga estiveram em quadra 10 dos 12 jogadores campeões olímpicos [sendo apenas dois do Cruzeiro, William e Evandro] uma disputa de alto nível, o que enaltece ainda mais a trajetória cruzeirense.

O JOGO

A tão aguardada final entre Cruzeiro e Taubaté, respectivos primeiro e segundo colocados na fase de classificação, seria decidida a favor da equipe que encontrasse esse equilíbrio entre ataque e defesa e, foi assim que os mineiros começaram melhor. Com bons saques e dificultando a recepção de Taubaté, o Sada abriu vantagem (10×7), o que causou o pedido de tempo técnico de Taubaté. Na volta à quadra, o time do Vale do Paraíba voltou mais ligado, foi tirando a diferença no placar e no bloqueio de Lucarelli, passou a liderar o marcador (13×14). Esse fundamento estava afiado nos dois times, o que equilibrou a parcial (17×17). Mas no momento final, a equipe mineira cresceu, não desperdiçou contra-ataques, teve uma sequência indefensáveis de saques de Leal (22×19), o que fez o Cruzeiro se distanciar e ainda provocou a entrada de Japa no lugar de Lucarelli para tentar melhorar a recepção. Porém, a mudança foi tardia e não causou efeito no placar, que foi vencido pelos anfitriões por 25×22, em 29 minutos.

2º set

Taubaté começou mais agressivo e, contando com erros de ataques do Cruzeiro, abriu uma ótima vantagem (3×7), o técnico Marcelo Mendez pediu tempo. A parada fez bem ao time mineiro que voltou mais ligado, rapidamente tiraram a desvantagem e igualaram o placar (8×8). Com dois saques indefensáveis de Éder, Wallace marcou mais um ponto para o Funvic, que abriu dois pontos (15×17). Os cruzeirenses foram buscar o placar, em jogada de pura habilidade de Filipe que explorou o bloqueio e deixou tudo igual (20×20). Mais uma vez, o saque foi determinante para definir os números finais do set, no ponto direto nesse fundamento de Leal, o time celeste passou a comandar o marcador (21×20). Leo, jovem jogador cruzeirense, entrou para sacar e, com um saque balanceado, permitiu o contra-ataque mineiro, que terminou com um lindo ataque Simón (23×21). E o baixinho William, acostumado a levantar bolas incríveis, definiu o set cm um lindo bloqueio (25×22), 32 minutos.

serginho e filipe

– Jogando juntos há sete temporadas, Serginho e Filipe comemoram mais um título.  O líbero se transforou no maior vencedor da competição, com sete títulos. (Foto: Divulgação/CBV/Inovafoto)

3º set 

Assim como havia acontecido anteriormente, o Taubaté abriu (3×7). Japa, que entrou no lugar de Lóh, no início desse set, marcou dois pontos consecutivos, ampliando a vantagem do time paulista (4×10).  O Cruzeiro demonstrou uma reação e Funvic respondeu parando a parcial (13×15).  Com Lucarelli crescendo na partida tanto na recepção quanto no ataque, o ponteiro fez sete pontos ao longo do set, o time paulista se impôs e não deixava o rival reagir. Com o crescimento de Lucarelli, o levantador Rapha pôde distribuir mais as jogadas no ataque, não sobrecarregando o oposto Wallace (18×23). E, de novo, o saque foi fundamental, desta vez para que o Funvic Tabaté vencesse o set, com uma ótima vantagem, após ace de Éder (25×18), em 26 minutos.

4º set

As equipes começaram o set errando muito saque (4×4). Um bom saque, concluída com a bola de xeque, colocaram o Cruzeiro com dois pontos de vantagem (9×7). Em uma jogada excepcional de William, que deixou Evandro sem bloqueio, os cruzeirenses abriram margem (13×9), levantando o ginásio do Mineirinho.  Se por um lado a recepção não funcionava, Mário Jr foi substituído por Matheus, do outro lado, Serginho colocava a bola nas mãos de seu levantador. O time mineiro impôs um ritmo forte e Taubaté não sobre como reagir (18×11).  O time paulista apresentava nervosismo e ansiedade para concluir o ponto, o que não foi bom para a equipe. Após longa troca de bolas, Leal marcou, dando o match point para o Sada, que finalizou o set (25×19) e a partida, após Isac bloquear.

 

[Superliga] Em jogo quase perfeito, Sada Cruzeiro vence Brasil Kirin e avança para sua sétima final consecutiva

E o time do Sada Cruzeiro (MG) segue fazendo história. Neste sábado (22), a equipe voltou ao ginásio do Riacho, em Contagem (MG) contra o Vôlei Brasil Kirin (SP) para a disputa do jogo três da semifinal. E, com um jogo coletivo beirando a perfeição, o time mineiro derrotou o time campineiro por 3 sets a 0, parciais de (25×12, 25×18 e 26×24) e avançou para sua sétima final consecutiva da competição. Vale ressaltar que o Cruzeiro é o atual tricampeão consecutivo, tem quatro títulos da Superliga Masculina 2016/2017 e poderá buscar o penta diante da sua torcida, já que a final será realizada no dia 07 de maio, no ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte (MG).

O jogo

A partida começou com uma ótima sequência de saques do central Simón, que dificultou muito a recepção e, consequentemente, a virada de bola do time paulista (5×1). Após pedido de tempo do Horácio Dileo, Campinas voltou melhor, com bons saques de Vini e volume de jogo, o time diminuiu a desvantagem para dois pontos (6×4). Porém, com um saque impressionante, foram 4 pontos diretos nesse fundamento, o time mineiro abriu o dobro de pontos do adversário (12×6). Além disso, todos os jogadores do elenco cruzeirense em quadra jogando muito bem, Filipe e Serginho defendendo tudo no fundo de quadra, William com suas bolas perfeitas e Isac, Evandro, Leal e Simón seguiam com seus ataques indefensáveis (21×12). Com todo esse ímpeto celeste, o Kirin pouco conseguiu jogar, perdendo o set por (25×12), em 21 minutos.

2º set

O início do segundo set foi igual ao anterior, com um pedido de tempo técnico de Campinas logo no início pata tentar conter o ritmo cruzeirense (5×1). Na sequência, o levantador reserva Jotinha entrou no lugar de Rodriguinho, para tentar promover uma mudança no time visitante. Porém, o ritmo alucinante do Sada não diminuiu (14×7). Com um poder ofensivo arrasador, foram 15 pontos de ataque, contra apenas seis do Brasil Kirin, o time mandante não dava chances para o adversário. Os paulistas estavam irreconhecíveis e, nervosos em quadra, o time cometia erros infantis (18×9). Após 22 minutos, o time do Sada fechou mais uma parcial, desta vez por (25×18).

3º set

Sem nada a perder, os jogadores de Campinas voltaram com uma outra postura para a quadra. No bloqueio e no contra-ataque, o time abriu dois pontos pela primeira vez no jogo (3×5). A recepção campineira melhorou e o levantador Rodriguinho começou a acionar mais o oposto Rivaldo (10×13). Experiente, a equipe celeste foi tirando a desvantagem ponto a ponto e, no bloqueio de Leal, o set ficou empatou (16×16).  Com Leal chamando a responsabilidade do ataque, os mineiros passaram à frente e conseguiram abrir margem (20×17). Com o ginásio jogando junto com o Cruzeiro, o time da casa chegou ao ponto da vaga para a final(24 x21). Porém, a ansiedade de dar números finais ao jogo permitiu o empate do time de Campinas (24×24). Porém, Evandro colocou a bola no chão e parou com a sequência do adversário. E, para terminar a partida, no saque, o oposto celeste deu números finais ao jogo (26×24).  Muito regular, como na maioria das vezes, o ponteiro Filipe foi eleito o melhor jogador em quadra.

Equipes:

Sada Cruzeiro: William, Evandro, Simón, Isac, Filipe, Leal e o líbero Serginho.

Entraram: Cachopa, Alan

Técnico: Marcelo Mendez

 Vôlei Brasil Kirin: Rodriguinho, Rivaldo, Maurício Souza, Vini, Bruno Temponi, Diogo  e o líbero Tiago Brendle

Entraram: Jotinha , Baiano, Matheus

Técnico: Horácio Dileo

[Foto: Reprodução Sada Cruzeiro/Twitter]

[Superliga] Com direito a set mais longo da temporada e definição no quinto set, Sesi vence Taubaté e provoca quarto jogo

Nada definido no confronto entre Funvic Taubaté e Sesi SP. Nesta sexta-feira(21),  as equipes entraram em quadra pelo terceiro jogo da série melhor de cinco da semifinal da Superliga Masculina, no ginásio do Abaeté, em Taubaté(SP), que poderia definir o confronto, já que o time do interior paulista vencia por 2 a 0.

Porém, em um jogo muito disputado e com um primeiro set com 41 minutos de duração, o maior dessa edição da Superliga,  o Sesi venceu, fora de casa,  por 3 sets a 2, parciais de (37×35, 21×25, 19×25,25×21 e 15 x 10), levando a disputa para o jogo 4. A partida será na quinta-feira(27), às 19h30, no ginásio Lauro Gomes, em São caetano do Sul (SP), com mando de campo do Sesi.

Em partida em que os opostos lideraram suas equipes, o oposto Théo, do Sesi, marcou pontos em todos os fundamentos, 27 no total, sendo dois de ataque, dois de saque e 23 de ataque, e foi eleito o melhor jogador do confronto, com 15% de votação, que é realizada  em voto popular no site da Confederação Brasileira de Vôlei(CBV).

O jogo

A equipe de Taubaté começou arrasador, com dois pontos de bloqueio e ace de Lucarelli (3×0). O time mandante foi se mantendo à frente do placar com o dobro de pontos do adversário (8×4). Com o decorrer do set, o passe foi chegando melhor nas mãos do levantador Bruno, que pôde distribuir melhor as jogadas e diminuir a desvantagem (12×11).  Comandados pelos ataques de Wallace, o Funvic voltou a crescer no set e abrir vantagem, após mais um bloqueio, o quarto da equipe (16×13). Do outro lado, o saque apareceu e, com dois pontos diretos nesse fundamento do central Lucão, o Sesi voltou para o jogo (20×18). É verdade que Taubaté teve duas bolas para fechar o set (24×22), mas o adversário reagiu e foi a vez dos visitantes terem a chance de fechar o set (26×27). O equilíbrio se restabeleceu e os dois times desperdiçaram boas chances de encerrar o set, que só foi decidido no bloqueio simples de Théo, após 41 minutos, com o placar de (35×37).

2º set

Assim como aconteceu na parcial anterior, o Funvic Taubaté iniciou melhor e liderando o marcador com boa margem (5×2). O saque, do Sesi voltou a funcionar e o time diminuiu o prejuízo (14×13). Determinados a não deixarem os visitantes reagirem novamente, os mandantes voltaram a ditar o ritmo do set, com destaque para o oposto Wallace, destaque no ataque, que com muita variação, ora ataque explosivo, ora explorando o bloqueio adversário, manteve o seu time à frente (19×16). O time do interior paulista seguiu cometendo poucos erros, foram seis ao longo do set contra nove do adversário, e se encaminhou para fechar o set em 27 minutos, após erro de ataque de Murilo (25×21).

theeeeeeeeeeeeeeeo

– Com 27 pontos( 2 de ataque, 2 de bloqueio e 23 de ataque), o oposto Théo foi o maior pontuador do confronto e recebeu o troféu VIva Vôlei. (Foto: Bruno Miani/CBV)

3º set

Os mandantes começaram à frente, com Lucas Lóh marcando ponto no bloqueio e no contra-ataque (6×4). No erro de Éder, a parcial empatou (9×9).  Com os times sendo liderados pelos opostos, Wallace, por Taubaté, e Théo, do lado do Sesi, o ataque de ambas as equipes se sobressaia sobre o bloqueio (13×10). Com os ponteiros do Sesi tendo dificuldades com a recepção do saque, sobretudo dos saques de Lucarelli, o treinador Marcos Pacheco colocou Fábio e Alan para jogar, nos lugares de Vaccari e Murilo. Porém, demonstrando muito volume de jogo, Funvic seguiu dominado o placar (20×15) e, com boa margem, fecharam o set por (25×19), em 25 minutos, virando o jogo para 2 sets a 1.

4º set

Rafa, levantador reserva do Sesi, começou o quarto set como titular. Quando a bola subiu, os times se revezavam na liderança do placar. Com dois pontos consecutivos de saque de Riad, o time visitante abriu dois pontos (9×11). Théo, bastante acionado, cravava a bola no chão e dava segurança na virada de bola (12×16). Com o jogo chegando nos momentos decisivos, a rivalidade foi crescendo e seguiu com muita reclamação dos times, o que gerou um cartão amarelo para Fábio, jogador do Sesi.  Se o time da casa pouco errou na parcial anterior, nesse set foram 11 erros de Taubaté, contra apenas cinco dos visitantes, o que dificultou uma possível reação (23×18). Após outro longo set, 31 minutos, o Sesi fechou em (21×25), levando a decisão para o quinto set.

5º set

O início do set decisivo começou melhor para os visitantes que, no erro de Éder, foram para a troca de lado de quadra com dois pontos à frente (6×8). Com Théo chamando a responsabilidade e marcando pontos de ataque atrás do outro e pontuando também no bloqueio, o Sesi foi ampliando a vantagem (6×10). Do outro lado, Wallace tentava recolocar o Taubaté no jogo (10×13). Porém, no bloqueio de Lucão, o Sesi deu números finais ao set (10×15) e ao jogo por 3 sets a 2 para os visitantes.

Equipes:

Funvic Taubaté: Rapha, Wallace, Lucas Lóh, Lucarelli, Otávio, Éder e o líbero Mário Jr.

Entraram:  Japa, Gelinski, Renan, Matheus.

Técnico: Cézar Douglas

Sesi SP: Bruninho, Théo, Murilo, Vaccari, Lucão, Riad e o líbero Serginho.

Entraram: Rafa, Alan, Fábio, Leitzke e Johan.

Técnico: Marcos Pacheco

[Foto: Bruno Miani/Inovafoto/CBV]

[Superliga] Em jogo de 5 sets, Taubaté supera o Sesi mais uma vez e abre 2 a 0 na série

Neste sábado (15), SESI SP e Funvic Taubaté (SP) voltaram à quadra para a disputa do segundo confronto da série melhor de cinco da Superliga Masculina e, assim como aconteceu no primeiro jogo, Taubaté saiu vitorioso, desta vez por 3 sets a 2, parciais de (25×23,21×25, 25×18, 19×25 e 15×13 ) e está a uma vitória da final da competição.

A partida, que teve mando de campo do Sesi, foi realizada no ginásio Lauro Gomes, em São Caetano do Sul (SP) e não na Vila Leopoldina, casa do time da capital paulista durante toda temporada, pois o ginásio não tem a capacidade mínima de 2000 expectadores, uma das exigências da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) a partir dos playoffs.

 A terceira rodada, que poderá definir o finalista desse duelo, será na próxima sexta-feira (21), às 21h, no ginásio do Abaeté, em Taubaté (SP), com transmissão do Sportv 2. Na outra semifinal, o Sada Cruzeiro também poderá carimbar sua vaga na final se vencer o Vôlei Brasil Kirin, no sábado (22), às 21h30, no ginásio do Riacho, em Contagem (MG).

– Com 21, 9 % de votos, o ponteiro Lucarelli foi eleito o melhor jogador da partida. (Foto: Wander Roberto/ Divulgação CBV]

O jogo:

O time de Taubaté começou melhor (1×4). O ataque de ambas as equipes trabalhava muito bem, sobretudo com Théo, pelo lado do Sesi, e Lucarelli, pelo lado do Funvic, eles marcaram, respectivamente, seis e cinco pontos, totalizando 13 pontos de ataque para cada time na primeira parcial.  O saque foi outro fundamento que funcionou para os dois times e equilibrou a partida. Após excelente saque de Vaccari, o set ficou igual (15×15). Nesse mesmo fundamento, após tempo técnico de Cézar Douglas, o time do Vale da Paraíba aproveitou para voltar a abrir vantagem (15×17). No final, o bloqueio de Taubaté começou a amortecer os ataques do adversário e, nos contra-ataques, a equipe foi ampliando (17×22). Quando parecia que o set já estava decidido, o levantador Bruninho conseguiu excelente sequência no saque e reequilibrou o jogo (23×24). Porém, o oposto Wallace decidiu (23×25), após 27 minutos.

2º set

O início foi mais equilibrado (4×4). Após ataque do oposto Théo, os anfitriões abriram dois pontos pela primeira vez na partida (10×8). Com o central Riad liderando o bloqueio, três no set, sua equipe foi se distanciando na liderança do placar (15×11). Se por um lado a equipe da capital paulista demonstrava um ritmo melhor, Taubaté parecia ter diminuído a intensidade, a linha de recepção encontrava uma certa dificuldade e o ataque caiu de rendimento (19×14). Do lado do Sesi, com o passe chegando na mão do Bruno e com o ataque afiado, foram 15 pontos nesse fundamento contra 10 do adversário, Théo comandava o time, que fechou o set (25×21), em 27 minutos, e igualou o jogo, após erro de saque do oposto de Taubaté.

3º set

– Sesi fez uma grande partida, mas não foi suficiente para igualar a série. (Foto: Wander Roberto/Divulgação CBV]

No ritmo da vitória no set anterior, a equipe mandante começou ditando o ritmo (6×4). Temendo que o adversário abrisse muita margem logo no início Taubaté parou a partida. O saque do Sesi continuou muito agressivo e eficiente, dificultando a virada de bola do Funvic (16×13). O oposto Wallace não conseguia colocar a bola no chão e os ponteiros, Lucarelli e Lucas Lóh, também não tinham caminho fácil (16×13). Depois de 19 segundos de rali, com direito a defesas incríveis de Serginho e Murilo, o ponto terminou no ataque de Théo (18×14). Após 25 minutos, o Sesi fechou o set (25×18), virando o jogo.

4º set

Dispostos a levarem o jogo para o tie- break, Taubaté apresentava o volume de jogo do primeiro set (6×9). O oposto Wallace reapareceu na partida e voltou a desequilibrar, com saques eficientes e ataques indefensáveis (11×16).  A virada de bola do Sesi caiu e o técnico Marcos Pacheco mudou sua equipe, os ponteiros Fábio e Alan entram nos lugares de Murilo e Vaccari. Após longa troca de bolas, que terminou com um ponto de Taubaté, o oposto Wallace recebeu cartão amarelo por causa de uma comemoração efusiva (13×20). Com o passe chegando perfeito na mão de Rapha, o levantador podia ousar mais na distribuição das jogadas, após uma pipe de Lucarelli, o Taubaté venceu a parcial (19×25), levando o jogo para o set decisivo.

5º set

O tie break começou com o Taubaté bloqueando melhor e abrindo vantagem (5×8). Além disso, o ataque do Sesi voltou a cair e, do outro lado, o Taubaté apresentava muito volume de jogo e aproveitava os contra-ataques (10×13). Porém, com apoio da torcida e comandados dentro de quadra por um bom saque, o time mandante reagiu e diminuiu a desvantagem (12×13). Porém, à frente durante todo a última parcial, o Funvic Taubaté deu números finais ao set (13×15), depois de um ataque do oposto Wallace.

Equipes:

SESI SP: Bruno, Théo, Murilo, Vaccari, Lucão, Riad e o  líbero Serginho.

Entraram: Leitzke, Alan, Rafa, Fábio e Johan.

Técnico: Marcos Pacheco

FUNVIC TAUBATÉ: Rapha, Wallace, Lucas Lóh, Lucarelli, Otávio, Éder e o líbero Mário Jr.

Entraram: Japa, Renan e Gelinski.

Técnico: Cézar Douglas

[Fotos:  Wander Roberto/ InovaFoto/ CBV]

[Superliga] Cruzeiro volta a vencer Campinas e está a uma vitória de mais uma decisão

Na noite de quinta-feira (13), o Sada Cruzeiro foi à Campinas (SP), enfrentar o Vôlei Brasil Kirin, e levou a melhor sobre os donos da casa, no confronto válido pela semifinal da Superliga Masculina. Em duas horas de partida, Sada venceu por 3 sets a 1, parciais de (25×21,25×19, 21×25 e 25×22), abriu 2 a 0 na série melhor de cinco jogos, e está a uma vitória da sétima final consecutiva da competição.

Com Leal mais uma vez se destacando, foram 18 pontos no jogo, o jogador ficou com o Troféu Viva Vôlei, prêmio dado ao melhor jogador do confronto, através de votação popular via internet. Agora, as equipes voltam a se enfrentar no sábado (22), no ginásio do Riacho, em Contagem (MG), casa do Cruzeiro, podendo ser a partida da classificação mineira.

O jogo:

No saque de Maurício Souza, que atrapalhou a recepção cruzeirense, os donos da casa abriram vantagem (4×0), provocando o pedido de tempo do técnico Marcelo Mendez. A parada fez bem para o time mineiro, que voltou mais ligado, e, no bloqueio de Isac, empatou a parcial (6×6).  Na sequência, o Sada Cruzeiro apresentou mais volume de jogo, aproveitando os contra-ataques e aumentando a vantagem no placar (11×15). Quando parecia que os mineiros iam vencer o set com facilidade, o ponteiro Diogo, de Campinas, foi para o saque, conseguiu uma sequência de quatro pontos para o time campineiro (20×22), mas o poder ofensivo cruzeirense fez a diferença, foram 17 pontos de ataque contra 11 do time paulista, e o Sada Cruzeiro fechou o set (21×25), em 29 minutos.

2º set

O início foi equilibrado (5×5), mas, assim como aconteceu no set anterior, o Cruzeiro se impôs e foi abrindo margem (9×13). O técnico Horácio Dileo parou o set para conversar com seus jogadores, que assimilaram os pedidos do treinador e voltaram à quadra mais agressivos. Com Diogo se destacando, saque e ataque a equipe da casa foi diminuindo a desvantagem (14×16).  A parcial seguiu nervosa e as duas equipes foram advertidas com cartão amarelo, em lances diferentes, por reclamação. O poder de ataque do Brasil Kirin aumentou, foram 11 pontos contra 12 do Cruzeiro, mas a vantagem cruzeirense a no set foi no fundamento bloqueio, foram três para a equipe visitante contra apenas um de Campinas (17×21). Após erro do central Maurício, os cruzeirenses fecharam o set (19×25), em 25 minutos.

temponi

_Ao lado de Leal, Bruno Temponi(2) foi o maior pontuador da partida,com 18 pontos, e aprovou a atuação da equipe. (Foto: Cinara Piccolo)

3º set

 

Os jogadores do Sada voltaram à quadra dispostos a fechar o jogo no terceiro set (0x3), mas, do outro lado, os jogadores do Brasil Kirin não estavam dispostos a facilitarem a vida do adversário.  Com o trio Rivaldo, Bruno Temponi e Diogo crescendo na partida, Campinas virou a parcial e abriu vantagem (9×6), para incendiar a torcida que marcou presença e jogava junto com o time. Se o ataque cruzeirense foi superior nos sets anteriores, a equipe mineira encontrava dificuldades em colocar a bola no chão, o que levou o técnico Marcelo Mendez colocar Alan, o oposto reserva, no lugar de Evandro. Em um momento melhor, o time paulista fez mais aces, bloqueou e atacou mais que o adversário, e levou o set (25×21), após 27 minutos.

4º set

Embalados com a vitória no set anterior, Campinas seguiu comandando o placar (5×3). Evandro, que voltou à quadra no início do quarto set, seguiu com dificuldades no ataque e, novamente, foi substituído por Alan, o oposto titular não gostou da substituição e reclamou com o técnico cruzeirense. Porém, parece que a pequena discussão recolocou os jogadores da equipe mineira mais ligados e, no bloqueio de Isac, os visitantes passaram à frente (5×6). Comandados pelos ataques de Leal, o sada foi abrindo (8×12). Do outro lado, Temponi se destacava nesse fundamento, passava pelo bloqueio adversário, e comandava Campinas que foi buscar o placar (12×13). Alan, que não entrou bem mais uma vez, voltou para a reserva, o tempo no banco fez bem a Evandro, que voltou marcando um ponto de bloqueio e vibrando muito, o que deu um gás mais aos seus companheiros que voltaram a abrir vantagem (17×20).  Valentes, os jogadores do Brasil Kirin se recuperaram e deixaram tudo igual (21×21), mas no final, o bloqueio cruzeirense apareceu, e foi o responsável por dar números finais ao set (22×25) e ao jogo.

Equipes:

Brasil Kirin: Rodriguinho, Rivaldo, Bruno Temponi, Diogo, Vini, Maurício Souza e o líbero Tiago Brendle.

Entraram Jotinha, Baiano e Matheus.

Técnico: Horácio Dileo.

Sada Cruzeiro: William, Evandro, Leal, Filipe, Isac, Simon e o líbero Serginho.

Entraram Alan, Fernando Cachopa e Éder Levi.

Técnico: Marcelo Mendez.

 

[Foto: Cinara Piccolo/Vôlei Brasil Kirin]

[Superliga] Taubaté passa por Juiz de Fora e encara o Sesi na semi

Só falta um semifinalista a ser conhecido na Superliga 2016/2017. No início da noite de ontem (27), a Funvic Taubaté superou a jovem equipe do JF Vôlei por 3×0 (25×21,25×18, 25×14), e ficou com a terceira vaga nas semifinais da competição nacional. Com o saque afiado e bela atuação do levantador Rapha, o Taubaté aproveitou o baixo rendimento do oposto Renan, do JF Vôlei, e levou a série quartas-de-final em três jogos a zero. Na semifinal, o time do interior de São Paulo enfrenta o Sesi-SP.

Em entrevista ao Sportv após o jogo, o ponteiro Lucarelli avaliou o desempenho da equipe contra o JF Vôlei. “Dos quatro jogos que fizemos em sequência contra JF Vôlei (o último da fase classificatória e os três dos playoffs pelas quartas de final), o de hoje foi o melhor disparado. Nosso contra-ataque foi muito bom, e esse era um ponto que precisávamos evoluir. Temos que ter um jogo desse como parâmetro e tentar sempre melhorar”, disse Lucarelli, eleito melhor em quadra na última partida das quartas-de-final.

Apesar da eliminação, o JF Vôlei sai competição com sua melhor temporada na conta desde que chegou à elite do voleibol brasileiro, em 2011. Contando com atletas e parte da CT vindos da parceria com o Sada Cruzeiro, o Juiz de Fora já pensa no futuro. “Foi uma campanha histórica para o esporte de Juiz de Fora. Não é fácil conseguir doze vitórias – é só pegar as estatísticas dos últimos anos e analisar. Lembrando que vencemos seis partidas no tie-break, que poderiam ter mudado nossa história caso terminassem de outra forma. O sucesso veio com muita luta. Viemos batalhando por isso há quase dez anos. Já estamos na rua em busca da viabilização da temporada 2017/18. Agora, precisamos aumentar significativamente o nosso aporte financeiro para jogar uma Superliga de maneira digna também fora de quadra. A partir de hoje, esta é a nossa batalha”, disse o diretor técnico e idealizador do projeto, Maurício Bara.

Sada aguarda definição do adversário

Sem dificuldades para fechar a série em três a zero diante do Lebes Gedore Canoas, o Sada Cruzeiro aguarda a definição do confronto entre Vôlei Brasil Kirin e Montes Claros Vôlei. Os paulistas lideram por 2×0 e podem fechar a conta na próxima quinta-feira (30), em Campinas.

SUPERLIGA MASCULINA 16/17

Quartas de final

Terceira rodada

25.03 – Sada Cruzeiro 3 x 1 Lebes/Gedore/Canoas (25/16, 25/18, 21/25 e 25/19)

26.03 – Sesi-SP 3 x 0 Minas Tênis Clube (25/22, 25/20 e 25/22)

27.03 – Funvic Taubaté 3 x 0 JF Vôlei (25/21, 25/18 e 25/14)

30.03 (QUINTA-FEIRA) – Vôlei Brasil Kirin (SP) x Montes Claros Vôlei (MG), às 21h55, no ginásio do Taquaral, em Campinas (SP) – REDETV e no SporTV.com

 

Com informações da CBV e JF Vôlei

[Superliga] Ajustes e muito estudo para Taubaté e JF Vôlei nos playoffs

Após dois sets equilibrados, o JF Vôlei não conseguiu manter o ritmo e vencer um set diante da Funvic Taubaté, na Zona da Mata mineira, no último sábado (18). Apesar da derrota, o técnico do JF Vôlei, Henrique Furtado, gostou da atitude da equipe em sua primeira participação nos playoffs. “Senti o grupo guerreiro, como foi durante o campeonato todo, buscando demais a vitória. É importante fazer o jogo ficar longo e, a cada ponto que passa, ir aprendendo a jogar de igual para igual contra esses adversários nesse momento da competição. Gostei muito da luta e da entrega do time”, disse. O treinador apontou o ataque como principal fundamento a ser trabalhado para a sequência dos confrontos em Taubaté e, mais uma vez, ressaltou o poder do saque adversário.

O líbero do Juiz de Fora, Fábio Paes, também destacou, além do saque de Taubaté, o ataque do time do Vale do Paraíba. “Eles vieram com a mesma filosofia de forçar o saque e conseguimos segurar em alguns momentos. Mas acho que o que fez a diferença foi o ataque, acho que eles foram mais felizes no ataque. Vamos ver os vídeos para observar o que tivemos de falhas para tentar consertar o mais rápido possível para não errar no jogo de quinta-feira”.

Do lado da Funvic Taubaté, o levantador Rapha colocou a diminuição dos erros e a agressividade no saque como fatores determinantes para a vitória paulista na primeira partida das quartas-de-final. “Com isso, o nosso bloqueio funcionou um pouco melhor, o nosso sistema defensivo [também]. Nossa concentração no saque e na defesa em conjunto com nosso contra-ataque foram as coisas mais importantes em relação ao outro jogo”, avaliou o jogador se referindo à derrota para o próprio JF Vôlei na última rodada da fase de classificação.

O ponteiro Lucarelli retornou à equipe após se recuperar de lesão. (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei)

Já o treinador da equipe paulista, Cézar Douglas, acredita que há fatores a serem trabalhados, principalmente na leitura tática. “Foi uma estratégia bem definida do Juiz de Fora, que nem vou citar porque precisamos nos preparar para a próxima partida sabendo que eles usaram de uma certa estratégia que funcionou. Temos que tomar cuidado e sair dela mais rápido do que saímos nesse [primeiro] jogo”, avaliou. Cézar Douglas também comentou o retorno do ponteiro Lucarelli, que fez sua segunda partida após mais de um mês fora devido a uma lesão. “Ele estava mais ambientado com a situação de jogo, apesar de não ter sido utilizado tanto no ataque – na rede, principalmente –, ele estava mais ligado na leitura do jogo, teve um momento importante no final do primeiro set, com um saque. Acreditamos que ele possa evoluir mais ainda no aspecto técnico depois dessa readaptação”, comentou.

Na próxima quinta-feira (23), as duas equipes voltam a se enfrentar na busca por um vaga nas semifinais. O segundo confronto será em Taubaté, assim como a terceira partida da melhor de cinco marcada para a segunda-feira (27).

[Superliga] Fora de casa, Funvic Taubaté se impõe, vence JF Vôlei e sai na frente nos playoffs

O JF Vôlei recebeu, neste sábado (18), em Juiz de Fora (MG), a equipe do Funvic Taubaté (SP), na primeira partida da série melhor de cinco jogos dos playoffs. Ao contrário do jogo da semana anterior, quando os mineiros venceram por 3 a 2, desta vez, a experiente equipe de Taubaté, que conta com três campeões olímpicos: Wallace, Lucarelli e Éder, venceram por 3 a 0, parciais de (29×27, 25x 23 e 25×18), em 1h45minutos.

Agora, os paulistas irão realizar as duas próximas partidas em casa, no ginásio do Abaeté, em Taubaté (SP). O próximo jogo entre as equipes será na quinta-feira (23), às 21h55, com transmissão da RedeTV e do SporTV.com.

O JOGO

A partida começou muito equilibrada. Com os ataques de ambas as equipes muito bem, nenhuma equipe conseguia abrir (8×8).  O set seguiu com os times se revezando à frente do marcador (16×17). Em um set tão equilibrado, o oposto Wallace fez a diferença e, no contra-ataque, colocou o time paulista com vantagem de dois pontos (18×20). A diferença a favor dos visitantes permaneceu e a equipe chegou a ter duas chances de fechar o set (22×24), mas foi a vez do oposto de Juiz de Fora, Renan, chamar a responsabilidade e deixar tudo igual (24×24), para delírio da torcida presente. Porém, na sequência, a experiência de Taubaté pesou e depois de um saque de Lucarelli que dificultou a recepção mineira, a equipe do Funvic Taubaté fechou o set (27×29), em 33minutos.

2º set

No bloqueio de Diego, os donos da casa abriram o placar (1×0), mas, rapidamente, com boa sequência de saques de Wallace, que proporcionou contra-ataques para os paulistas, o Funvic abriu ótima vantagem (4×10). Juiz de Fora sentiu o ritmo adversário e acumulou erros, fazendo o treinador promover a troca de seu oposto e levantador, entraram Moreno e Adami, nos lugares de Rodrigo e Renan, respectivamente. A mexida deu resultado e o time mineiro foi tirando a desvantagem no set pouco a pouco, com o bloqueio do JF Vôlei crescendo, sobretudo com o central Bruno (13×15). A equipe da Zona da Mata até teve a bola na mão para deixar tudo igual (20×21), mas a jovem equipe desperdiçou ataque e o time taubateano seguiu à frente (23×24). O ponteiro de Juiz de Fora, Ricardo foi tentar uma deixadinha e o bloqueio de Taubaté botou a bola no chão no lado adversário (23×25), dando números finais ao segundo set, em 33 minutos.

3º set

Assim como aconteceu no set anterior, o time paulista começou ditando o ritmo do set (2×7), com Otávio bloqueando muito bem e recebendo muitas bolas do levantador Rapha (3×12). A torcida tentava jogar junto com o time e tentava empurrar a equipe mineira que, mais uma vez, tentava fazer um set de recuperação (10×16). Com Rapha fazendo uma distribuição perfeita, o bloqueio adversário encontrava dificuldades para parar o ataque de Taubaté (12×19). Determinados a não cometer o erro do set anterior, quando deixaram Juiz de Fora crescer na parcial, Wallace botava no chão todas as bolas que recebia (15×22), encaminhando a vitória no set (18×25), em 27 minutos, e no jogo por 3 a 0. Em votação popular, o oposto Wallace foi escolhido o melhor jogador da partida e recebeu o Troféu Viva Vôlei.

EQUIPES:

JF VÔLEI: Rodrigo, Ricardo, Rammé, Renan, Bruno Diego e Fábio Paes

Entraram: Juan Mendez, Franco, Raphael, Moreno e Adami,

Técnico: Henrique Furtado

FUNVIC TAUBATÉ:  Raphael, Lucas Lóh, Lucarelli, Otávio, Éder, Wallace e Mário Jr.

Entraram: Matheus, Gelinski e Renan

Técnico: Cézar Douglas