sada-mundial2015

Enquanto o Sada Cruzeiro busca o tri, Minas disputa o Mundial de Clubes pela primeira vez

Na manhã desta terça-feira (30), Sada Cruzeiro e Minas Tênis Clube oficializaram a parceria para a realização do Mundial de Clube de 2016. A competição acontece entre 19 e 23 de outubro e terá como sede a cidade de Betim (MG).

Como anfitrião, o Minas participará do Mundial pela primeira vez. Já o Sada Cruzeiro garantiu a vaga como atual campeão sul-americano e busca o terceiro título mundial.

A edição deste ano reunirá, além de Sada e Minas, mais quatro equipes: o campeão europeu Zenit Kazan (Rússia); o campeão asiático Taichung Bank (Taipé Chinesa); o campeão africano Tala’ea El Gaish (Egito); e um representante da Norceca.

DSC02779

[Mineiro] Sada Cruzeiro estreia com vitória por 3 sets a 0 sobre o JF Vôlei

Nesta sexta-feira (26), o JF Vôlei fez sua estreia na temporada 2016/2017 e o adversário foi o Sada Cruzeiro, equipe que os mineiros da Zona da Mata selaram uma parceria há dois meses, o que possibilitou que Juiz de Fora permanecesse mais uma temporada na elite do voleibol. Quando a bola subiu, melhor para os multicampeões, que venceram por 3 a 0 (23×25, 15 x 25 e 20×25).

Além das duas equipes se conhecerem muito bem, uma vez que 11 jogadores da equipe juiz-forana treinavam nas categorias de base celeste e o técnico Henrique Furtado foi auxiliar técnico do time principal do Sada na temporada passada, a partida teve uma emoção a mais para o treinador cruzeirense Marcelo Mendez: esta foi a primeira vez que enfrentou seu filho, o líbero Juan Mendez, que hoje veste a camisa de Juiz de Fora.

 O JOGO

Mineiro 2016 - JF Volei 0 x 3 Sada Cruzeiro - 26.08.2016

O oposto Alan enfrenta o bloqueio adversário. (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei)

Mesmo com o grupo desfalcado dos campeões olímpicos William e Evandro, o Cruzeiro demonstrou a força do seu elenco, mesclando a experiência de Serginho, Leal e Simon, com jovens talentos como Alan, Rodriguinho e Cachopa.  Do outro lado, os donos da casa entraram dispostos a dar trabalho para o time hexacampeão mineiro, liderados pelo oposto Renan Buiatti, de 2,17m. A primeira parcial foi bastante equilibrada, mas na hora decisiva do set a inexperiência em momentos importantes pesaram para o JF Vôlei, dando a vitória por diferença mínima para os visitantes 23×25.

2º set

  O Sada voltou impondo seu ritmo de jogo, o que assustou um pouco os donos da casa. Os jogadores da equipe juiz-forana pareciam perdidos em quadra e assistindo o levantador Cachopa distribuindo bolas de primeiro tempo com seus centrais Isac e Simon, além de explorar o ataque indefensável de Leal pelas pontas.  O marcador foi ampliando cada vez mais a favor dos visitantes, o técnico Henrique Furtado tentou acalmar sua equipe, mas o set já estava se encaminhando com facilidades para o Cruzeiro, que fechou com dez pontos à frente 15×25.

3º set

O JF Vôlei voltou à quadra mais concentrado e reequilibrou o jogo. Porém, a igualdade do set não durou muito. Com a recepção da equipe da casa com dificuldades, o levantador Rodrigo não conseguia trabalhar com jogadas rápidas, o que dificultava a virada de bola.  Do outro lado, o técnico Marcelo Mendez aproveitou para fazer algumas mudanças que deram efeito e não prejudicaram a qualidade do jogo cruzeirense.  No saque do ponteiro Rodriguinho, o Sada Cruzeiro deu números finais ao 3º set, 20x 25, e ao jogo.

Agora o JF Vôlei tem uma semana para trabalhar até o seu próximo compromisso. Na sexta-feira(2), a equipe recebe o Minas Tênis Clube no Ginásio da UFJF e no dia seguinte, sábado(3), as equipes voltam a se enfrentar no mesmo local. Já o Sada Cruzeiro volta a jogar fora de casa, dessa vez contra o Monte Claros no Norte de Minas.

JF Vôlei: Rodrigo Ribeiro, Renan Buiatti, Raphael, Ricardo Jr., Franco, Bruno e o líbero Juan.

Entraram: Fabio Paes e Rômulo

Técnico: Henrique Furtado

Sada Cruzeiro: Fernando Cachopa, Alan, Leal, Rodriguinho, Isac, Simon e o líbero Serginho.

Entraram: Cristiano, Robert, Éder Levi, Leozinho e Pedrão

Técnico: Marcelo Mendez

Apresentacao JF Volei 2016-2017 - 15.08.2016

[Mineiro] Com crias do Cruzeiro, JF Vôlei recebe a equipe da capital na abertura do Estadual

Após apresentar a equipe para a temporada 2016/2017 na última semana, o JF Vôlei fará sua primeira partida oficial na noite desta sexta-feira (26). Logo de cara, os juiz-foranos enfrentam o Sada/Cruzeiro pela abertura do Campeonato Mineiro, às 19h30, no Ginásio da Faefid. No fim de junho, as duas equipes firmaram uma parceria que possibilitou o prosseguimento do projeto de Juiz de Fora e a permanência da equipe na Superliga A.

“Agora vamos enfrentar os meninos que foram para Juiz de Fora. Vai ser um jogo interessante e creio que vai ser bacana para ambas as partes. Até pouco tempo atrás a gente estava treinando com esses garotos aqui também. E agora eles têm essa oportunidade de disputar um Campeonato Mineiro e uma Superliga. Acho que eles vão vir cheios de ambição, cheios de vontade e vão querer mostrar serviço, sabendo que do outro lado tem pessoas, jogadores que eles admiram. Vai ser um crescimento muito importante para eles, vão querer jogar bem e para nós não deixa de ser um incentivo. Temos que entrar com tudo, em busca deste sétimo título seguido do Mineiro”, comentou o ponteiro Filipe.

Vivência para poucos

Antes de chegarem a Juiz de Fora, o elenco da equipe da Zona da Mata realizou seus primeiros treinos no CT do Sada/Cruzeiro onde acompanhou a preparação da seleção masculina da Polônia para os Jogos do Rio. “Foi uma experiência muito enriquecedora, com muita troca de experiência tática, de análise de vídeo, cotidiano e para os meninos também, que puderam acompanhar grandes jogadores e ver que os nossos jogadores jogam de igual para igual com qualquer jogador do mundo. Essa experiência também abriu a visão deles sobre o mercado internacional”, disse o treinador do JF Vôlei, Henrique Furtado.

Para Henrique Furtado, a estreia contra o ex-clube vai ser um momento marcante para todos. “Jogar contra um grande clube como o Cruzeiro, o maior clube do mundo e um dos maiores da história, será excepcional, uma emoção muito grande, um momento muito significativo. Não temos como escolher o adversário, mas temos que entrar bem e jogar bem contra qualquer um. É importante utilizarmos esses jogos para o nosso crescimento”, finalizou.

Com informações do Sada/Cruzeiro

br_ita_final_rio2016

[Olimpíadas] Começo ruim, final de ouro: Brasil é tri no Maracanãzinho

GalleryPic (1)Na tarde deste domingo (21), último dia dos Jogos Olímpicos de 2016, a seleção brasileira fez história e conquistou sua terceira medalha de ouro no vôlei masculino. O título veio após a vitória suada diante da Itália por 3×0 (25×22, 28×26, 26×24) e consagrou o líbero Serginho como um dos maiores medalhistas do Brasil. Além de fechar seu ciclo na seleção, o jogador foi escolhido o MVP dos Jogos.

Com a apoio da torcida, que lotou o Maracanãzinho, a seleção brasileira reverteu o placar em todas as parciais e, numa noite brilhante do levantador Bruninho, Wallace conseguiu dar um nó na defesa italiana. “Estou feliz pelo Bruno, por tudo o que disseram sobre ele, principalmente em Pequim. A dupla Bruninho e Lucão foi imparável, e o Wallace entrou no hall dos grandes jogadores da nossa história”, disse o técnico Bernardinho, que ainda não definiu o seu futuro à frente da seleção.

Os ponteiros Lipe e Lucarelli mantiveram o ritmo e a performance que tiraram o Brasil do buraco na última rodada da fase de grupos contra a França: destruindo a recepção italiana, sobrecarregando o ponteiro Lanza no passe e mandando a pressão para o jovem levantador Gianelli. Do lado europeu, o saque – arma mais potente da equipe – não rendeu na final e contribuiu para o número de erros da seleção italiana.

euaita_podio_rio2016Embora saia do Rio com a derrota, a prata é uma grande conquista para mais uma forte geração italiana que continuará dando trabalho nas competições internacionais.

Despedidas e virada na decisão do bronze

Mais despedidas olímpicas marcaram a decisão do bronze: os veteranos Priddy (EUA), Tetyukhin (Rússia) e David Lee (EUA) não devem participar do ciclo dos Jogos de Tóquio. Campeão em 2008 diante do Brasil, Priddy foi importante na virada americana na conquista do bronze na manhã de hoje. Os Estados Unidos perdiam da Rússia por 2×0 e após a entrada do veterano levou a decisão para o tie-break. “Dói de uma maneira enorme. Quase vencemos. Jogamos melhor do que jogamos contra o Brasil. Jogamos melhor até o fim, mas os resultados não vieram a nosso favor. Não existe ninguém no time que eu possa criticar, todos deram o melhor de si. Quero agradecê-los. Eles são uma equipe excelente e terão um futuro excelente”, disse Tetyukhin.

GetImage

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

br-rus_rio2016

[Olimpíadas] É 2004? Brasil ressurge e Itália chega à final em partida emocionante

Assim como em Atenas 2004, a final do vôlei masculino na Rio 2016 será entre Brasil e Itália, e a decisão do bronze entre Rússia e Estados Unidos. A diferença é que dessa vez a Itália chega mais forte e regular para a disputa do ouro contra os brasileiros amanhã (21).

Italy celebrateOs italianos venceram sua semifinal contra os Estados Unidos por 3×2 (30×28, 26×28, 9×25, 25×22, 15×13), contando com o apoio dos torcedores brasileiros presentes no Maracanãzinho, que de novo pegou no pé do americano Russell, e a liderança de Zaytsev em quadra, o grande nome italiano nos Jogos do Rio. A Itália busca a medalha inédita após bater na trave em 1996, contra a Holanda, e 2004, contra o Brasil.

Já o Brasil e o líbero Serginho chegam à sua quarta final seguida em Olimpíadas, a sexta decisão do voleibol masculino (1984, 1992, 2004, 2008, 2012 e 2016). A classificação veio com a vitória diante da Rússia no fim da noite de ontem (19) e não poderia ter sido de maneira mais perfeita. A vitória em sets diretos foi a melhor atuação brasileira nos Jogos desde a “decisão” contra a França na última rodada da fase de grupos.

Com o saque e a recepção funcionando, os brasileiros foram mais uma vez empurrados pela torcida e jogaram toda a pressão do resultado para os atuais campeões olímpicos. Sem o passe na mão, o levantador Grankin não conseguiu aproveitar os centrais e sobrecarregou o veterano Tetyukhin e o oposto Mikhaylov. “Estabelecemos nosso jogo no saque e perdemos poucos contra-ataques. A Itália merece crédito pela vitória sobre os Estados Unidos com a vitória na recuperação. O time deles cresceu muito com Juantorena”, disse o central Lucão.

BrazilianSrgioDutracelebratestheirclassificationtothefinalsDo lado brasileiro vale destacar, além da atuação impecável da equipe, o baixo número de erros: foram apenas 10 pontos cedidos aos russos em toda a partida, enquanto os adversários deram 25 pontos de graça. “Depois de vencer em Londres e o Campeonato Europeu, não conseguimos repetir o resultado com uma equipe jovem. Cometemos muitos erros e essa foi a principal razão por termos terminado com a derrota contra a forte equipe brasileira. Não conseguimos segurar o saque deles”, avaliou Vladmir Alekno, treinador da Rússia.

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

br-arg_rio2016

[Olimpíadas] Brasil segue na briga pelo ouro com um 2º set para se esquecer

Pela quarta vez seguida a seleção brasileira masculina chega às semifinais dos Jogos Olímpicos e com um gosto especial. A classificação veio após vitória suada contra a Argentina, no Maracanãzinho, por 3×1 (25×22, 17×25, 25×18, 25×23).

Líderes do Grupo B, os argentinos caem mais uma vez nas quartas de final, porém a história poderia ter sido diferente. Jogando bem, os hermanos deram muito trabalho aos brasileiros, principalmente no saque/recepção.

LiberoofArgentinaAlexisGonzleztriestocomfortteammateDeminGonzlezafterlosingthematchtoBrazilAinda na primeira parcial, Lucarelli sentiu uma lesão da coxa direita e deu lugar a Maurício Borges, que demorou para pegar o ritmo na recepção. Do outro lado, Facundo Conte também se lesionou. Com a ajuda dos erros da Argentina, o Brasil conseguiu manter vantagem para abrir 1×0. Entretanto, o 2º set foi um desastre. Muitos erros do Brasil e a eficiência no bloqueio, deram aos argentinos o gás que precisavam para empatar o jogo e continuar sonhando com a semifinal.

Na hora certa, o saque brasileiro entrou e desestabilizou o passe adversário no 3º set. O ponteiro Lipe também se lesionou no confronto, obrigando, inclusive, o retorno de Lucarelli à partida no 4º set. A vitória veio no sufoco, após mais uma parcial equilibrada.

O levantador e capitão da Argentina, Luciano DeCecco disse que esta foi uma partida difícil de se comentar. “O que posso dizer? Tivemos que danças com a menina mais bonita. Jogamos num grande nível durante a semana inteira, mas hoje tivemos um rival difícil. Estou feliz apesar de meu rosto não demonstrar isso. Espero que as pessoas entendam na Argentina que trabalhamos muito forte e que devemos continuar. Hoje estivemos a um ponto de forçar o tie-break”, comentou.

Os brasileiros pegam os russos na semifinal amanhã (19). Na outra decisão de vaga para a final, Estados Unidos e Itália se enfrentam. “É uma geração diferente da de quatro anos atrás em Londres. Ambos os times estão diferentes e vivendo momentos diferentes. Precisamos ser pacientes e estudar. Eles são grandes bloqueadores, mas a recepção não é tão boa”, disse o levantador Bruninho sobre a equipe da Rússia.

Confira os resultados das quartas de final

Jogos Olímpicos 2016

Quartas de final – Masculino – 17.08.2016

Canadá 0 x 3 Rússia (15×25, 20×25, 18×25)
Estados Unidos 3 x 0 Polônia (25×23, 25×22, 25×20)
Itália 3 x 0 Irã (31×29, 25×19, 25×17)
Brasil 3 x 1 Argentina (25×22, 17×25, 25×19, 25×23)

Semifinais – Masculino – 19.08.2016

I) Itália x Estados Unidos
II) Rússia x Brasil

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

jfvolei_2016

De cara nova, JF Vôlei se apresenta para a temporada 2016/2017

No final da tarde de ontem (15), o JF Vôlei apresentou oficialmente a equipe para a temporada 2016/2017. O encontro aconteceu no ginásio da UFJF e contou com a presença de torcedores e representantes dos patrocinadores da equipe mineira.

A base da equipe veio da parceria com o Sada/Cruzeiro, que cedeu 11 jogadores e o treinador Henrique Furtado. Um dos atletas é o líbero Juan Mendez, filho do treinador cruzeirense Marcelo Mendez. “É uma oportunidade que estamos esperando há muito tempo, um sonho de criança. Disputamos a Superliga B, que foi bacana, mas agora vamos para a Superliga A. Agradecemos ao Sada/Cruzeiro, que nos formou, e ao projeto do Juiz de Fora Vôlei por confiarem em nós”, disse o jovem jogador. A estreia no Campeonato Mineiro será contra os cruzeirenses e o pai, no dia 26 de agosto. “Não esperava jogar contra o Sada e meu pai. Vai ser uma partida emocionante”, finalizou.

Apresentacao JF Volei 2016-2017 - 15.08.2016

Quarteto dos “veteranos”: Renan (oposto), Rodrigo (levantador), Fábio Paes (líbero) e Ricardo (ponteiro). [Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei]

Entre as novidades do time está o oposto Renan Buiatti, que estava há dois anos na Itália. Cria do São Bernardo e com passagens pela seleção brasileira, Renan já estava no grupo que passou as últimas semanas treinando em Belo Horizonte antes da vinda para Juiz de Fora. “Tenho que tentar passar essa experiência para eles [mais jovens], ajudar quando estivermos atrás no placar. Vou contar com o Rodrigo [levantador], Fábio [líbero] e com o Ricardo [ponteiro], um ajudando o outro e passar o melhor que a gente puder”, disse. Sobre o aprendizado na liga italiana, o jogador apontou o ataque como sua maior evolução. “Gostei muito de jogar lá fora, foi uma experiência diferente. Eu melhorei muito no ataque, porque lá eles bloqueiam muito e estudam muito. A tática deles é muito forte no bloqueio, então tem que se virar na hora do ataque e ter paciência”.

O líbero Fábio Paes é o único remanescente da equipe que defendeu a camisa do JF Vôlei na última temporada e o levantador Rodrigo Ribeiro retorna à equipe da zona da mata. Fechando o grupo dos “veteranos” está o ponteiro Ricardo, que tem passagens pelo São Bernado e Funvic/Taubaté.

Confira abaixo a relação dos jogadores.

JF Vôlei – elenco 2016/17:

 

Nome Posição Idade Altura Time anterior
Rodrigo Ribeiro Levantador 30 1,90m Montes Claros
Henrique Adami Levantador 18 1,92m Sada Cruzeiro
Rhendrick Resley Levantador 17 1,82m Sada Cruzeiro
Renan Zanatta Buiatti Oposto 26 2,17m Monza (ITA)
Carlos Junio Oposto 19 2,03m Sada Cruzeiro
Ricardo Júnior Ponteiro 25 2,05m Taubaté
Felipi Rammé Ponteiro 19 2m Sada Cruzeiro
Raphael Marcarini Ponteiro 19 2,02m Sada Cruzeiro
Victor Adriano Ponteiro 19 1,93m Sada Cruzeiro
Bruno Gonçalves Central 20 1,98m Sada Cruzeiro
Franco Drago Central 19 2,03m Sada Cruzeiro
Matheusão Central 19 2,04m Sada Cruzeiro
Rômulo Batista Central 21 2m Sada Cruzeiro
Fabio Paes Líbero 31 1,90m JF Vôlei
Juan Mendez Líbero 19 1,82m Sada Cruzeiro
lipe_brasil-franca_rio2016

[Olimpíadas] Com nova formação, Brasil elimina a França

Com o apoio da torcida e mudança na linha de recepção, o Brasil resolveu jogar voleibol e eliminou a promissora seleção francesa na chave masculina da modalidade nos Jogos do Rio. A vibração do ponteiro Lipe e um pedido de Serginho antes do jogo contagiaram a equipe que venceu por 3×1 (25×22, 22×25, 25×20, 25×23) – contando, ainda, com 33 pontos em erros dos europeus.

Precisando vencer para chegar às quartas de final, os brasileiros acertaram o bloqueio e conseguiram manter o equilíbrio no ataque, inclusive com os centrais que finalmente apareceram. Wallace e Lucarelli foram os maiores pontuadores do lado brasileiro (21 e 14 pontos, respectivamente). Apesar da derrota, o oposto Rouzier terminou o confronto como maior pontuador (26 acertos).

FrenchplayersaftertheireliminationoftheOlympicsA equipe de Bernardinho pega a Argentina na próxima fase em busca de uma vaga na semifinal. Os argentinos terminaram em primeiro do Grupo B e chegam fortes para a briga por medalha. O duelo das torcidas será também mais um espetáculo no Maracanãzinho.

“Estávamos sob uma pressão tremenda, mas estou orgulhoso da atitude dos meus jogadores. A maneira com a qual eles se comportaram com a pressão e a coragem que demonstraram. Disse aos jogadores para jogarem todas as partidas como se fossem um playoff”, disse Bernardinho.

Do lado francês, o treinador Laurent Tillie disse que não há arrependimentos. “Foi um torneio incrível, mas temos que trabalhar nossa parte técnica. Adoraria estar no lugar do Canadá porque eles foram capazes de bater a Itália e conseguir a vaga nas quartas de final. Era um grupo muito complicado e com várias equipes fortes”, avaliou o francês.

Confira abaixo os resultados da última rodada da fase de grupos e os cruzamentos das quartas de final.

Jogos Olímpicos 2016

Fase de Grupos – 5ª rodada – Masculino – 15.08.2016

Grupo A

EUA 3 x 0 México (25×23, 25×11, 25×19)
Itália 1 x 3 Canadá (23×25, 17×25, 25×16, 21×25)
Brasil 3 x 1 França (25×22, 22×25, 25×20, 25×23)

Grupo B

Argentina 3 x 0 Egito (25×16, 25×19, 25×20)
Rússia 3 x 0 Irã (25×23, 25×16, 25×20)
Polônia 3 x 0 Cuba (25×18, 25×15, 25×17)

Quartas de final – 17.08.2016

I) Canadá x Rússia
II) EUA x Polônia
III) Itália x Irã
IV) Brasil x Argentina

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

Italycelebrate

[Olimpíadas] Itália anula recepção brasileira, vence e complica os donos da casa

 

No início parecia que a Itália continuaria sem vencer o Brasil em Jogos Olímpicos, porém a força e superioridade tática italiana prevaleceram no Maracanãzinho, dando a vitória para os europeus por 3×1 (23×25, 25×23, 25×22, 25×15).

Mais uma vez atuando muito abaixo de seu potencial, a seleção brasileira amargou mais uma derrota em casa e depende de resultados da última rodada para continuar sonhando com o pódio na Rio 2016.

Apesar de não ter terminado como maior pontuador do confronto, o ponteiro Lanza continua sendo uma das grandes surpresas do time italiano, que tem como grandes nomes Juantorena e Zaytsev.

A vitória garantiu a liderança do Grupo A aos italianos e a classificação para as quartas de final. Para o Brasil só importa a vitória contra a França amanhã (15). “Precisamos treinar mais por razões técnicas para melhorar. Precisamos parar o nervosismo no nosso jogo. A Itália foi bem contra nós, eles sabiam o que fazer”, disse o técnico Bernardinho,

Confira os resultados da rodada

Jogos Olímpicos 2016

Fase de Grupos – 4ª rodada – Masculino – 13.08.2016

Grupo A

EUA 3 x 1 França (25×22, 25×22, 14×25, 25×22)
Canadá 3 x 0 México (25×20, 25×13, 25×22)
Brasil 1 x 3 Itália (25×23, 23×25, 22×25, 15×25)

Grupo B

Irã 3 x 0 Egito (28×26, 25×22, 25×16)
Argentina 3 x 0 Cuba (25×16, 25×14, 25×16)
Polônia 2 x 3 Rússia (18×25, 25×16, 18×25, 25×22, 13×15)

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

 

br_eua-rio_2016

[Olimpíadas] Pela sobrevivência, Estados Unidos calam o Maracanãzinho na primeira derrota brasileira

A última partida da noite de ontem (11) já prometia antes mesmo dos Jogos Olímpicos começarem. Brasil e Estados Unidos protagonizam uma das maiores e mais interessantes rivalidades do voleibol, e o confronto válido pela 3ª rodada da fase de grupos não poderia ter sido melhor.

Enquanto o Brasil contabilizava duas vitórias, os americanos entraram em quadra precisando de um triunfo sobre os brasileiros para continuarem sonhando com a classificação para as quartas de final. E a primeira vitória dos EUA nos Jogos veio por 3×1 (20×25, 23×25, 25×20, 20×25), após quase duas horas de saques potentes e um volume de jogo incrível.

Matt Anderson terminou como maior pontuador (24 pontos: 23 de ataque e 1 de saque) e também foi o grande destaque na equipe de John Speraw. “Que bela partida hoje [ontem], acho que foi bem jogada pelos dois lados. No final foi decidida no saque e recepção. Sacamos com agressividade e passamos muito bem. Também tivemos uma atuação espetacular do Matthew Anderson”, avaliou o central David Lee.

Com a derrota, o Brasil não pôde confirmar matematicamente sua classificação para a próxima fase, o que buscará diante de Itália e França nas últimas rodadas. “Os Estados Unidos jogaram com agressividade nesta partida, jogaram muito bem na linha do saque. Não temos tempo para ficarmos tristes com essa partida porque ainda temos dois confrontos importantes nos próximos dias. Precisamos vencer e melhorar nosso jogo”, disse o técnico Bernardinho.

PolandsplayerscelebratetogetherPolônia e Itália seguem sem perder

Sem conquistar um título de expressão há muito tempo, a Itália segue provando que os Jogos Olímpicos são diferentes. Os italianos seguem invictos no Rio e, com a vitória sobre o México, lideram o Grupo A.

Os poloneses também não perderam na Rio 2016 e estão na ponta no Grupo B. Após dois sets consistentes contra a Argentina (25×21 e 25×19), a Polônia suou para vencer o terceiro set que terminou em 37×35 para os europeus – a parcial foi, inclusive, a mais longa desta edição dos Jogos.

Confira os resultados da rodada

Jogos Olímpicos 2016

Fase de Grupos – 3ª rodada – Masculino – 11.08.2016

Canadá 0 x 3 França (19×25, 16×25, 19×25)
Itália 3 x 0 México (25×17, 25×13, 25×17)
Brasil 1 x 3 EUA (20×25, 23×25, 25×20, 20×25)

Grupo B

Irã 3 x 0 Cuba (25×21, 31×29, 25×16)
Rússia 3 x 0 Egito (25×11, 25×17, 25×9)
Polônia 3 x 0 (25×21, 25×19, 37×35)

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

br_canada_rio2016

[Olimpíadas] Com nova atitude, Brasil vence o Canadá; veja os outros resultados

Apesar da vitória sobre o México no último domingo (7), a seleção masculina de vôlei não fez uma boa partida. Em seu segundo jogo, porém, a história foi outra: os brasileiros mostraram atitude diante da seleção canadense e venceram o confronto por 3×1 (24×26, 25×18, 25×22 e 25×17). Destaque para o levantador Bruninho e o ponteiro Maurício Borges que se recuperou da performance ruim na estreia.

O central Lucão esteve entre os titulares e, após a partida, disse que a as dores no joelho não o incomodaram. “Só não fiz tratamento 24 horas por dia porque precisava dormir, mas o joelho não incomodou quase nada para jogar hoje”, disse.

A seleção do Canadá, que vinha de vitória importante sobre os Estados Unidos, promete embolar a definição dos classificados do Grupo A.

argentina_russia_rio2016Argentinos fazem a festa

O destaque do dia foi para a torcida argentina presente no Maracanãzinho para a partida entre os hermanos e a Rússia. A seleção de Julio Velasco conquistou uma vitória maiúscula sobre os atuais campeões olímpicos por 3×1 (25×18, 18×25, 25×18 e 25×21).

Estados Unidos se complicam

Os norte-americanos amargaram sua segunda derrota nos Jogos, agora diante da Itália. Campeões em 2008, os Estados Unidos caíram por 3×1 (28×26, 20×25, 25×23 e 25×23) e se complicaram na competição. Conseguir a classificação para as quartas de final não é impossível, porém a seleção americana terá que melhorar sua atuação para conquistar pontos nas partidas contra Brasil, França e México.

halim_rio2016Egito faz história

Com uma estreia difícil – quando enfrentaram a Polônia –, a seleção egípcia colocou a alma em quadra para conquistar sua primeira vitória na história dos Jogos Olímpicos. A equipe, que realizou sua aclimatação em Juiz de Fora, venceu Cuba por 3×0 (25×22, 25×15, 25×22).

Polônia e Irã protagonizam primeira “briga”

Quem acompanha o vôlei sabe que as discussões e provocações acontecem durante toda a partida, ainda mais depois de uma disputa equilibrada como a que Polônia e Irã protagonizaram no segundo dia de competição. Ao fim da partida, os poloneses saíram com a vitória por 3×2 e o capitão Kubiak deu uma provocada. Os iranianos não gostaram e a confusão começou.

Confira os resultados da rodada

Jogos Olímpicos 2016

Fase de Grupos – 2ª rodada – Masculino – 09.08.2016

Grupo A

França 3 x 0 México (25×18, 25×12, 25×22)
Itália 3 x 1 EUA (28×26, 20×25, 25×23, 25×23)
Brasil 3 x 1 Canadá (24×26, 25×18, 25×22, 25×17)

Grupo B

Rússia 1 x 3 Argentina (18×25, 25×18, 18×25, 21×25)
Polônia 3 x 2 Irã (25×17, 25×23, 23×25, 20×25, 18×16)
Cuba 0 x 3 Egito (22×25, 15×25, 22×25)

Com informações da Rio 2016.
Fotos: FIVb

br_mexico_rio2016

[Olimpíadas] Brasil estreia com susto e apatia diante do México

Após um sonoro 3×0 da Itália contra a França na partida que abriu o primeiro dia do vôlei masculino nos Jogos do Rio, foi a vez do Brasil fazer sua estreia na competição. O que se viu, porém, foi uma equipe nervosa e assustada diante da vitória mexicana no primeiro set. A torcida sentiu o momento ruim dos brasileiros e conseguiu empurrar a seleção à vitória nos três sets seguintes. As parciais foram 23×25, 25×19, 25×14 e 25×18.

“Nosso saque não foi eficiente no primeiro set e a velocidade que o México apresentou nos pegou de surpresa. Queríamos ter jogado melhor, mas o saque é muito importante no voleibol moderno e, como o nosso não funcionou, a defesa também teve problemas”, analisou o técnico Bernadinho.

Rudy Verhoeff of Canada celebrate

Canadá sobra diante dos EUA

Um dos resultados surpreendentes do dia foi a vitória do Canadá sobre os Estados Unidos por 3×0 (25×23, 25×17, 25×23). Os canadenses sobraram diante dos americanos que cederam 28 pontos em erros.

A apatia francesa no início do primeiro set contra os italianos foi outra surpresa do dia. A seleção italiana chegou a abrir 9×0 na parcial e a atitude da seleção da França custou o resultado, dando a vitória para a Itália por 3×0, parciais de 25×20, 25×20 e 25×15

Confira os resultados da rodada

Jogos Olímpicos 2016

Fase de Grupos – 1ª rodada – Masculino – 07.08.2016

Grupo A

Itália 3 x 0 França (25×20, 25×20, 25×15)
Brasil 3 x 1 México (23×25, 25×19, 25×17, 25×18)
EUA 0 x 3 Canadá (23×25, 17×25, 23×25)

Grupo B

Polônia 3 x 0 Egito (25×18, 25×20, 25×17)
Rússia 3 x 0 Cuba (25×17, 25×19, 22×25, 25×18)
Argentina 3 x 0 Irã (25×23, 26×24, 25×18)

Com informações da Rio 2016
Fotos: FIVb

Amistoso Egito x Minas Tenis Clube

[Jogos Olímpicos] Egito derrota Minas em amistosos e sonha com primeira vitória em Olimpíadas

DSC01262Em Juiz de Fora, a seleção do Egito venceu os dois amistosos contra o Minas Tênis Clube durante sua preparação para os Jogos Olímpicos do Rio. Ontem (28), no primeiro encontro, os egípcios fizeram 3×2 e demonstraram seu bom potencial de ataque e volume de jogo. Já nesta sexta-feira (29), os africanos venceram por 3×0 e também levaram o set “extra”.

As partidas, que aconteceram na Universidade Federal de Juiz de Fora, tiveram grande público, apesar do frio. Além da receptividade da torcida, a descontração dos atletas também chamou bastante atenção. O central egípcio Halim foi um dos que caíram nos braços dos juiz-foranos tanto pela simpatia quanto pelo nome “inusitado”.


Veja mais imagens dos confrontos: Jogo 1 | Jogo 2


Amistoso Egito x Minas Tenis ClubeO período dos egípcios em Juiz de Fora se encerra nos próximos dias quando a equipe parte para o Rio de Janeiro, onde dará continuidade aos treinamentos para a estreia nos Jogos, no dia 7 de agosto, contra a Polônia. A tarefa não será fácil, porém a evolução do grupo já foi sentida pela comissão técnica. “Alcançamos todos os nossos objetivos até agora, entre eles chegar ao Rio em um bom nível, uma vez que tínhamos três jogadores recém-integrados à equipe, dois deles voltando de lesão. Jogamos bem os amistosos, principalmente a segunda partida”, disse o técnico Sherif Elshemerly.

O treinador vê como possível o sonho da primeira vitória em uma edição de Jogos Olímpicos. “Nosso maior objetivo nos Jogos é vencer uma partida pela primeira vez. Esperamos nos apresentar bem na estreia contra a Polônia e, após essa partida, analisaremos nosso confronto com Cuba”, finalizou.

Os egípcios estão no Grupo B ao lado de Argentina, Polônia, Cuba, Irã e Russia Recentemente a equipe disputou a 2ª divisão da Liga Mundial que teve o Canadá como campeão.

Fotos: Lucilia Bortone/Sacandoovolei

Treino Egito 25072016

[Jogos Olímpicos] Canadá, Polônia e Egito realizam amistosos com equipes brasileiras

Falta pouco mais de uma semana para a abertura dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro e diversas seleções já estão em solo brasileiro para aclimatação. Campeões mundiais em 2014, os poloneses escolheram Belo Horizonte e o CT do Sada/Cruzeiro para seus treinamentos; já o Canadá, que venceu o Grupo 2 da Liga Mundial em 2016, está em Taubaté.

Treino Egito 25072016

Egito treina em Juiz de Fora desde a última segunda-feira (25) [Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei]

Apesar de não figurarem entre as grandes equipes no cenário mundial, a seleção egípcia é uma das delegações que utiliza o Centro Olímpico da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Entretanto, a preparação dessas equipes não se limita a treinamentos. Na noite de hoje (28) e na tarde de amanhã (29), o Egito faz amistosos com o Minas Tênis Clube no ginásio da UFJF. A entrada é restrita para aqueles que se cadastraram no Portal da Universidade.

Também na sexta-feira, o ginásio do Riacho, em Contagem, será o palco do primeiro confronto entre Sada/Cruzeiro e Polônia; o segundo encontro entre poloneses e cruzeirenses acontece na terça-feira (2). A venda de ingressos começou nesta quinta-feira na Sede Administrativa do clube mineiro.

No sábado (30), o Funvic/Taubaté abre os portões do Abaeté para o amistoso contra o Canadá, que chegou ontem (27) à cidade do Vale do Paraíba. Para o Taubaté esta será uma oportunidade de fortalecer a preparação da equipe para a Copa São Paulo que será disputada no próximo mês.

Com informações do Sada/Cruzeiro, UFJF e Vôlei Taubaté

mu

[Jogos Olímpicos] Com surpresa na lista, Bernardinho divulga os 12 atletas convocados

Depois de conquistar o vice-campeonato da Liga Mundial, nesta segunda-feira (18), Bernardinho definiu os 12 atletas que irão disputar os Jogos Olímpicos.A grande surpresa foi o corte do bicampeão mundial Murilo, o jogador que se recuperava de uma contusão na panturrilha esquerda e já não tinha participado da fase final da Liga Mundial, era o ponteiro mais experiente do Brasil. Os outros dois jogadores cortados foram o central Isac , que também vinha se recuperando de lesão nas costas e o líbero Tiago Brendle, que perdeu a disputa para o experiente Serginho.

Murilo Endres é bicampeão mundial (2006 e 2010), e foi escolhido como o melhor jogador do mundo em 2010. Nas duas últimas Olimpíadas (2008 e 2012), foi vice-campeão olímpico, sendo eleito o MVP dos Jogos de Londres.  Porém, nos últimos anos o jogador vem sofrendo com lesões, foram duas cirurgias no ombro, algumas leves contusões e só nesta Liga Mundial, o ponteiro sofreu com estiramento no peito e uma contusão na panturrilha.

A seleção brasileira chega na manhã desta terça- feira(18) no país e os jogadores terão dois dias de folga e se reapresentam na sexta-feira(22), em Saquarema, Rio de Janeiro para o treinamento final para a Olimpíada.

O Brasil está no grupo A da Olimpíada, ao lado de Canadá, Estados Unidos, França, México e Itália. A estreia brasileira será no dia 07/08, contra os mexicanos. O grupo B tem Argentina, Cuba,Egito, Irã, Polônia e Rússia.

Lista de convocados

Levantadores: Bruno e William

Opostos: Wallace e Evandro

Ponteiros: Lucarelli, Maurício Borges, Lipe e Douglas Souza

Centrais: Lucas, Éder e Maurício Souza

Líbero: Serginho

[ Foto: Internet]

TeamSerbiahappywiththetrophy

[Liga Mundial] Sérvia vence a Liga Mundial pela primeira vez

A seleção da Sérvia fez história na Polônia neste domingo (17) ao vencer pela primeira vez a Liga Mundial. Vice-campeã em 2015, a Sérvia derrotou o Brasil com um sonoro 3×0 (25×22, 25×22 e 25×21) e teve Ivovic como MVP da competição. O oposto brasileiro Wallace foi o maior pontuador do confronto com 18 pontos.

Abaixo do que vinham apresentando na competição, os brasileiros viram os sérvios abrirem vantagem no placar em todos os sets. Apático e sem poder de reação, o Brasil amargou sua segunda derrota no torneio, mais uma vez para a Sérvia, e o sexto ano sem título da Liga Mundial.

Mais uma vez entre os melhores da competição, o central sérvio Lisinac falou sobre o título inédito. “Foi a partida dos sonhos e jogamos de maneira fantástica. Do início ao fim controlamos o jogo e finalmente derrotamos o Brasil”, disse. “Eles são conhecidos por jogarem o seu melhor nas finais, por isso estamos bastante felizes por termos dominado esse jogo e vencido em sets diretos”, completou.

Campeão olímpico em 2000, o técnico e ex-levantador sérvio Nikola Grbic aproveitou a oportunidade para agradecer seus jogadores. “Quero agradecer a todos, jogadores e comissão técnica, porque me agüentaram por três meses, até quando fui insuportável. Pedi a eles que entrassem nessa final para jogar como jogaram. Estou orgulhoso desse time, porque confiaram em mim, tiveram fé em mim e me seguiram”, disse.

Seleção do campeonato

MVP: Marko Ivovic
Ponteiros: Ivovic e Rouzier (oposto)
Centrais: Lisinac e Maurício Souza
Levantador: Gianellli
Oposto: Wallace
Líbero: Grebenikov

serrrrrrrr

[Liga Mundial] De virada, Brasil vence os Estados Unidos e enfrenta a França na semifinal

A seleção brasileira já entrou em quadra nesta sexta-feira (15) com a classificação para as semifinais garantidas e por isso o técnico Bernardinho usou a oportunidade para testar os reservas. Do outro lado, os Estados Unidos precisavam ganhar e somar três para avançar na competição. E os norte-americanos começaram muito bem, abrindo dois sets a zero, mas quando tudo parecia favorável, o que se viu foi uma reação da seleção brasileira, que virou a partida e venceu por 3 sets a 2, parciais de 24-26,21-25,28-26,25-21 e 15-12.  O oposto Evandro foi o maior pontuador do confronto com 25 pontos.

Com o resultado o Brasil avançou em primeiro lugar do grupo, eliminaram os Estados Unidos e classificaram a Itália. A Sérvia completa o grupo de quatro seleções classificadas. No sábado (16), serão realizadas as semifinais, às 12h30, Itália e Sérvia se enfrentam, na sequência, às 15h30, Brasil e França decidem um lugar na grande final da Liga Mundial.

O JOGO

O Brasil entrou em quadra bastante modificado com o levantador William, os ponteiros Maurício Borges e Douglas Souza, os centrais Éder e Isac, o oposto Evandro e o líbero Tiago Brendle. Já os EUA entraram com força máxima e controlando o marcador com ataques de Anderson e Sander 15- 19. Os brasileiros buscaram o placar e conseguiram reduzir a diferença ponto a ponto até igualar nos 24, mas os EUA voltaram a pontuar duas vezes seguidas e fecharam o set 24 – 26.

 2º set

 De novo os norte-americanos começaram ditando o ritmo 6- 9, mas o Brasil deixou tudo igual 10- 10, após um lance excepcional do levantador William, levantando de manchete para o central Isac. O set seguiu equilibrado, com as equipes se revezando, mas com boa sequência de saque de Anderson, bola de xeque de Holt e bloqueio de David Lee, os Estados Unidos abriram quatro pontos e fecharam a segunda parcial 21 – 25.

 3º set

bra bra baaa.jpg

_William,Lipe, Éder e Evandro comemoram mais um ponto do Brasil. (Foto: FIVB/Divulgação)

 O ponteiro Russell sofreu uma lesão na coxa e teve que se retirar de quadra, com isso, o experiente Priddy entrou em quadra e os EUA seguiram dominando o marcador 7- 10. Com Matt Anderson virando todas as bolas, parecia que a vitória estava se encaminhando para os americanos 18- 21, que chegaram a ter a bola do jogo no ace de Christenson, mas o Brasil não se entregou, virou e fechou o set em 28-26.

4º set

 Precisando da vitória para continuar vivo na competição, o técnico Speraw colocou em quadra Thomas Jaeschke e Murphy Troy, nos lugares de Anderson e Priddy para tentar dar um novo gás para sua equipe. Embalado com a vitória no set anterior, os brasileiros seguiram dominando o placar 16×13, fecharam o set 25-21, eliminando os Estados Unidos da competição antes mesmo do fim da partida.

5º set

 Já eliminados, a vitória passou a ser obrigação para os EUA, que começaram melhor o set decisivo e lideravam o placar na troca de lado de quadra 5- 8. Porém, os brasileiros não iriam desistir de buscar a vitória, com Evandro botando todos os ataques no chão e com dois bloqueios de Éder, os brasileiros viraram o placar para 13-12. Os norte-americanos sentiram o golpe e não conseguiram pontuar, resultado, 15-12 para o Brasil.

 

_Com informações e fotos da FIVB

Serbiaplayerscelebrate

[Liga Mundial] Sérvia vence a Polônia e se garante na semifinal

A Sérvia é a única entre as seis seleções que disputam a fase final que não vai participar dos Jogos Olímpicos, mas a equipe segue motivada para brigar pelo título da Liga Mundial. Mesmo enfrentando os poloneses, anfitriões da competição, os sérvios saíram vitoriosos por 3 sets a 1, 25-23, 25-20, 18-25, 25-18.

O poderoso saque sérvio voltou a ser o diferencial, foram dez na partida, quatro pontos desse fundamento foram do ponteiro Marko Ivonic, que terminou como o maior pontuador do confronto, com 18 pontos. O bloqueio também foi outra arma dos sérvios, que pontuaram 14 vezes e pararam os ataques de Konarski, Mika,  Kurek e cia.

tab

_ Classificação do grupo após duas rodadas. (Imagem: FIVB

 

Com a vitória, a Sérvia se juntou ao Brasil, garantindo de forma antecipada a classificação para a semifinal da Liga Mundial. Nesta sexta-feira(15), franceses e sérvios se enfrentam para definir o segundo colocado do grupo J , que ainda  poderá ser França ou Polônia. O jogo será às 12h30, com transmissão do Sportv.

 

_ Com fotos da FIVB(Federação Internacional de Voleibol

italia_eua

[Liga Mundial] Itália se recupera e vence os Estados Unidos

A seleção italiana se recuperou da derrota para o Brasil e venceu os Estados Unidos nesta quinta-feira (14) por 3×1, parciais de 25×22, 27×25, 26×28 e 25×21. A vitória mantém a Itália na briga pela classificação e encaminhou a vaga do Brasil nas semifinais do próximo sábado. Apesar de dominar no ataque, os americanos sofreram bastante com erros e deram 37 pontos de graça para os adversários.

O ponteiro Juantorena foi o grande destaque da partida, sendo decisivo para a vitória no quarto set. O jogador foi, inclusive, o maior pontuador do confronto com 23 pontos, sendo 20 deles de ataque.

Do lado dos Estados Unidos, o saque e bloqueio recolocaram a equipe na partida após a derrota no 1° set, porém os americanos não conseguiram conter a recuperação italiana no último set e amargaram a derrota na estreia do Final Six.

Amanhã (15), os Estados Unidos enfrentam o Brasil e definem a última vaga do grupo.

polska-br

[Liga Mundial] Brasil e Polônia vencem na primeira rodada do Final Six

A Fase Final da Liga Mundial 2016 começou ontem (13) na Polônia, e os donos da casa começaram a campanha com vitória, de virada, contra a França por 3×2 (21×25, 17×25, 25×17, 28×26 e 15×12).

Os franceses, atuais campeões da competição, dominaram os poloneses nos dois primeiros sets, porém a Polônia cresceu na partida sendo liderada por Konarski, substituto de Kurek, Mika e Bieniek. Ainda assim, o oposto francês Rouzier terminou o confronto como maior pontuador com 25 acertos. Esta foi a primeira vitória da Polônia sobre a frança desde 2007.

Brasil estreia com vitória

Já a seleção brasileira manteve o ritmo e a boa fase ao vencer a Itália por 3×0 (25×18, 25×20 e 25×19). Destaque para o saque (oito pontos) e o volume de jogo da equipe de Bernardinho que conseguiu parar o ataque italiano com nove pontos de bloqueio. O ponteiro Lucarelli foi o maior pontuador (14 pontos), seguido pelo “faz-tudo” Zaytsev, com 13.

Após a partida, o treinador italiano Gianlorenzo Blengini apontou o saque brasileiro como um dos pontos determinantes para a vitória adversária. “Nós não jogamos como queríamos. A grande diferença foi o saque e o ataque. Não conseguimos encontrar uma solução para sair da dificuldade e os atacantes brasileiros fizeram tudo o que quiseram. Tivemos um problema com a recepção e as bolas de primeiro tempo; a eficiência do nosso ataque não foi o suficiente para brigar hoje”, disse.

O Final Six segue hoje (14), em Cracóvia, com os confrontos: Estados Unidos x Itália e Polônia x Sérvia. O Brasil volta à quadra na sexta-feira (15), às 15h30, quando enfrenta os americanos.

As semifinais serão disputadas no sábado (16) e a final no domingo (17).

Fotos destaque: FIVb

GalleryPic-2-768x512

[Liga Mundial] Sem dificuldades, Brasil vence Itália na abertura da fase final

 

A seleção brasileira estreou muito bem diante da Itália na fase final da Liga Mundial, fase que está sendo disputada em Cracóvia, na Polônia.  O Brasil se impôs e não deu chances aos italianos, vitória por 3×0, parciais de 25-18, 25-20 e 25-19.  O ponteiro Lucarelli, que era dúvida antes do jogo por causa de uma lombalgia, foi novamente o maior pontuador da partida, com 14 pontos. Amanhã (14), os brasileiros têm folga e voltam à quadra na sexta (15), às 15h30, para um duelo diante dos Estados Unidos. O jogo terá transmissão do Sportv.

Um fundamento que ganhou elogio do sempre exigente Bernardinho foi o saque, para o comandante brasileiro, esse foi a chave do bom jogo de sua equipe. “Eu acho que fizemos um bom jogo. Estamos trabalhando duro no saque, é muito importante para todos os times do mundo. Talvez nos anos anteriores tivemos problema neste elemento, mas nós estamos tentando corrigi-lo”

Bruno, levantador e capitão da seleção verde e amarelo também elogiou a equipe, mas fez questão de ressaltar que não tem nada ganho. “É claro que estamos felizes com o resultado, pois competimos e vencemos uma forte equipe, mas não podemos ser muito confiantes, porque há um longo caminho pela frente. A Itália não jogou o máximo das suas capacidades e precisamos lembrar disso. Nos Jogos Olímpicos nós estaremos no mesmo grupo e teremos de estar focados como o hoje para fazer o mesmo.

O JOGO

A Itália abriu o placar com um ponto espetacular com Juantorena.  Os jogadores do técnico Roberto Blengini começaram melhores e construíram uma vantagem de dois pontos, mas o Brasil não desistiu e levou 8-7 no primeiro tempo técnico fora.  Após a volta da parada técnica os brasileiros se acertaram e impulsionados pelos ataques da dupla Lucarelli-Wallace construíram uma vantagem16-12. Zaytsev tentava recolocar a Itália no set, mas no ataque de Maurício Souza os brasileiros venceram a parcial 25-18.

wallace

_  Wallace enfrenta bloqueio de Zaytsev e Birarelli. (Foto: FIVB/Divulgação)

 Assim como no set anterior, a Azzurra iniciou na frente, mas viu o adversário virar o placar 10-7. Sem intensidade a Itália via os brasileiros comandarem o marcador 14-8. Os italianos buscaram uma reação 17-14, mas que foi rapidamente interrompida pelo Brasil 25-20.

O Brasil construiu uma vantagem de três pontos no primeiro tempo técnico 8-5. Porém, a Itália não estava disposta a entregar a partida tão facilmente para o adversário e fez uma primeira metade de set equilibrada 14-14. Novamente o volume de jogo brasileiro fez a diferença e eles voltaram a dominar o set 20-15, e se encaminharam para fechar o set 25-19, após ataque do central Maurício, que realizou uma ótima partida.

– Com fotos e informações da FIVB

bra bra

[Liga Mundial] Maiores vencedores da competição, Brasil e Itália se enfrentam na abertura da fase final

Depois de se classificar em primeiro lugar, foram nove vitórias e apenas uma derrota, a seleção brasileira faz nesta quarta-feira (13) sua estreia na etapa final da Liga Mundial, disputada em Cracóvia, na Polônia. As seis seleções que garantiram um lugar para a última fase da competição foram divididas em dois grupos com três equipes em cada.  No grupo J1 estão Brasil, Itália e Estados Unidos, já o grupo K1 é composto pela Sérvia, França e pela anfitriã Polônia.  A partida de abertura da fase final será entre os maiores vencedores do torneio, o Brasil, com nove conquistas, enfrenta a Itália, que é detentora de oito títulos da Liga Mundial. A partida será às 12h30, com transmissão do Sportv.

O técnico Bernardinho destacou a força do adversário. “Eles têm opções de troca, já que o Zaytsev está jogando de ponteiro e pode alternar como oposto, e estamos esperando para conhecer como vai ser contra o nosso time. A Itália tem um vigor físico enorme e depende muito disso. Saque e bloqueio, sistema defensivo, talvez seja o ponto alto deles. A entrada do Juantorena, o cubano naturalizado, deu um algo a mais no sentido de força e capacidade de decidir”.

bernaaaaaaaa

_  Bernardinho poderá não contar com Lucarell, seu principal jogador. (Foto: FIVB/divulgação)

Com 15 atletas  disponíveis, o técnico brasileiro poderá ter  dor de cabeça para a partida diante da Itália. O  ponteiro Lucarelli, principal jogador do Brasil, que já havia sido poupado na última partida  sentindo dores nas costas, teve  uma lombalgia confirmada.  Vale ressaltar que  dois ponteiros, Murilo e Lipe,também se recuperam de lesões, estiramento no peito e um problema muscular na panturrilha, respectivamente. Bernardo ainda tem no  elenco  Maurício Borges e o jovem Douglas Souza, jogadores menos experientes, mas que vem atuando.

Competição

As seis seleções que garantiram um lugar para a última fase da competição foram divididas em dois grupos, no grupo J é composto por Brasil, Itália e Estados Unidos, já no grupo K estão Sérvia, França e pela anfitriã Polônia. Os dois melhores colocados de cada grupo estarão garantidos na fase semifinal.

tabela final

_   As seis seleções classificadas para fase final: Brasil(1º), EUA(2º), Sérvia(3º), França(4º), Itália(5º) e  a Plônia(10º), classificada por ser sede da fase final. (Imagem: FIVB/site)

 

br_belgica

[Liga Mundial] Brasil sofre para vencer a Bélgica e confirma vaga nas finais

Em Nancy (França), o Brasil precisou de cinco sets para derrotar a seleção da Bélgica no último fim de semana da fase de classificação da Liga Mundial 2016. A vitória por 3×2 teve parciais de 20×25, 25×23, 22×25, 25×23 e 15×11, e garantiu o Brasil no Final Six da competição. O maior pontuador foi o belga Gert van Walle com 26 acertos, seguido do brasileiro Wallace com 23.

Apesar da vitória, os brasileiros jogaram muito abaixo do ideal, desperdiçando contra-ataques e parando no volume de jogo belga, enquanto a seleção da Bélgica demonstrou boa preparação tática e poder de reação. A seleção brasileira também apresentou inúmeros momentos de instabilidade e demora para troca de peças em quadra. Foi só no tie-break que os brasileiros acertaram a marcação e pararam o ataque dos europeus.

Amanhã (3), os brasileiros enfrentam os franceses na última partida da primeira fase da Liga Mundial.

Foto destaque: FIVb

IMG_5050 (1)

[Superliga] JF Vôlei anuncia parceria com Sada Cruzeiro para a temporada 2016/2017

O JF Vôlei convocou a imprensa nesta manhã de quarta-feira (29) para anunciar a parceira com o Sada/Cruzeiro para a disputa da temporada 2016/2017 da Superliga Masculina de Vôlei. No encontro realizado no Independência Trade Hotel, em Juiz de Fora, o diretor esportivo da equipe de Belo Horizonte, Flávio Pereira, definiu a junção como uma cooperação técnica, já que os cruzeirenses irão ceder 10 jogadores da base, além do treinador, Henrique Furtado, que atuou como auxiliar técnico da equipe profissional da Raposa na última temporada. O restante da comissão técnica será definida em algumas semanas.

Flávio explicou a importância dessa fusão para as duas equipes. “O Sada Cruzeiro tem a necessidade de colocar esses jovens para jogar. Esses meninos olham o Leal [um dos melhores jogadores do mundo], e sabem que se jogam na mesma posição [ponteiro passador], dificilmente conseguirão uma vaga no time titular e terão que trabalhar muito para conseguir ser até o 3º ponteiro da equipe. Então, para atrair mais jogadores e ajudar na formação destes, é interessante e motivacional saber que eles têm a possibilidade de jogar, aparecer, evoluir e amadurecer na prática do voleibol. E é bom para Juiz de Fora que terá uma base de onde partir, porque é diferente ter que contratar 14 jogadores, para apenas 4 ou 5. Além disso, os jogadores já são entrosados e estão treinando desde janeiro”.

IMG_5043

– Mauricio Bara explica que a parceria foi fundamental para a sexta participação consecutiva do JF Vôlei na Superliga. (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovôlei.com).

O diretor do JF Vôlei, Maurício Bara Filho, foi enfático ao declarar que sem essa solução, a equipe do interior não iria participar da Superliga, principal competição da modalidade no país. “ Sem a parceria a gente não jogaria, tentei minimizar isso, mas é a realidade, a gente ia ter que refazer todo o nosso planejamento. Ela veio em um momento e em um modelo muito importante. Esse ano provavelmente serão cedidos cerca de 10 atletas, e vamos trabalhar pontualmente para reforçar a equipe, isso é uma necessidade”.

Quem também esteve presente no encontro foi Marcelo Mendez, técnico do Sada Cruzeiro. O comandante celeste declarou que vai acompanhar de perto esse projeto e tentará vir a Juiz de Fora  de 15 em 15 dias para participar de reuniões. “A expectativa é muito boa.  Para nós é muito importante esse tipo de projeto, pois temos muitos meninos com potencial”. Questionado sobre a necessidade de se ter paciência no comando com essas jovens promessas, sem cobrar muitos resultados, Mendez falou. “ É preciso um equilíbrio entre resultados e evolução técnica. Sabemos que o aprendizado é muito mais fácil quando se ganha, mas será muito difícil pois serão jogos contra equipes adultas. Nós temos que estar cientes de que eles são jovens e focar na evolução, de onde começaram e de onde finalizaram”, concluiu.

IMG_5044

– Marcelo Mendez, técnico da equipe profissional do Sada Cruzeiro, tem boas expectativas para o projeto. (Foto: Lucilia Botone/Sacandoovolei.com).

Ainda sem datas definidas, a previsão é de que esses atletas se apresentem em Juiz de Fora no começo de agosto, junto com os reforços, visando o Campeonato Mineiro, primeira competição do ano, que  ocorrerá no final de agosto.

ira x bra

[Liga Mundial] Brasil bate Irã e volta a vencer na competição

 A seleção brasileira que havia perdido a invencibilidade na rodada anterior para a Sérvia, voltou a vencer na Liga Mundial. Jogando em Belgrado(Sérvia), os brasileiros voltaram a vencer o Irã, desta vez por 3 a 1 (25×18, 24×26,25×16 e 25×17 ) .  O maior pontuador do confronto foi o oposto Wallace, com 17 acertos.

Promovendo mudanças na sua equipe titular, Bernardo deu oportunidade para o líbero Tiago Brendle e para  o ponteiro Maurício Borges começarem a partida. O ponteiro já havia entrado em quadra no jogo contra a Sérvia, após Lipe sentir uma lesão que foi diagnosticada na manhã desta sexta-feira(24), como um estiramento na panturrilha esquerda. Maurício foi bem na partida e foi o segundo maior pontuador da partida, com 16 pontos.

O Brasil volta à quadra neste sábado(25), diante da Bulgária , para o encerramento da segunda rodada da competição. A partida será às 11 horas e com transmissão do Sportv.

O JOGO

Em bloqueio em Isac, os iranianos abriram vantagem (2×0). Após longa troca de bola, o ataque jogou para fora e os brasileiros abriram dois pontos, vantagem que se manteve até o tempo técnico (8×6). Com dois pontos de saque de Lucarelli e uma ótima sequência nesse fundamento do ponteiro brasileiro, o Brasil abriu boa margem (14×8). Lucão, atacando pela saída de rede, marcou mais um ponto (18×13). Lucarelli conseguiu outra ótima passagem no saque (22×15). Sem dificuldades, os brasileiros fecharam o set (25×18), em 33 minutos.

2º set

No rali, o Irã tomou o marcador no ataque de Gholami (3×4). No bloqueio de Seyed em Mauricio Borges, os asiáticos chegaram à frente no tempo técnico (6×8). A virada de bola brasileira caiu e do outro lado, os jogadores iranianos demonstravam confiança (8×11). Com a recepção funcionando, o levantador Marouf distribuía as jogadas, dificultando o trabalho do bloqueio brasileiro. Após bloqueio de Manavinezhad,a seleção de Raul Lozano abriu quatro pontos(13×17). O central Maurício Souza entrou para sacar, com um saque balanceado a mudança fez efeito e os brasileiros encostaram (20×21), mas no bloqueio de Seyed, os iranianos deram números finais ao set (24×26), em 37 minutos

3º set

O bloqueio brasileiro enfim funcionou e, logo no início da 3ª parcial, foram dois pontos seguidos nesse fundamento, com Isac e Wallace (4×2). Depois do ataque do oposto, os brasileiros chegaram ao tempo técnico com três pontos à frente (8×5). O levantador Marouf seguia desequilibrando para o lado iraniano, com uma excelente bola pelo meio com Gholami, os iranianos buscaram o marcador (11 x10). Com mais volume de jogo, a seleção brasileira voltou a abrir (16×12). O sistema defensivo também cresceu e os brasileiros dominaram com tranquilidade o placar (22x 16). No bloqueio de Isac, o Brasil venceu o 3º set (25×16), em 31 minutos.

4º set

Decidido a não dar chances ao adversário, o Brasil voltou à quadra vibrante e rapidamente abriu (5×1). No bloqueio simples de Maurício Borges, o Brasil marcou mais um ponto (9×3). Os brasileiros seguiram ditando o ritmo do set (11x 3). E manteve a ótima vantagem no segundo tempo técnico(16×9). Apático em quadra, o Irã apenas via os brasileiros se distanciarem, no erro de saque de Seyed, o   Brasil marcou mais um ponto (22 a 13) e se encaminhou para fechar o set(25×17) com facilidades.

 EQUIPES:

BRASIL: Bruno, Lucarelli, Maurício Borges, Isac, Lucão, Wallace e Tiago Brendle

Entraram:  Evandro, William, Maurício Souza

Técnico: Bernardinho

IRÃ: Marouf, Marandi, Ghara, Manavinezhad, Mahmoudi, Gholami e Seyed

Entraram:  Ebadipour, Mirzajanpour, Behbodi

Técnico: Raul Lozano

servia

[Liga Mundial] Com 20 pontos de saque, Sérvia domina o Brasil e segue invicta na competição

Na tarde desta quinta-feira(23), a seleção brasileira masculina de vôlei conheceu sua primeira derrota na Liga Mundial. Em partida realizada na Arena de Belgrado(Sérvia), o Brasil começou bem, mas acabou sofrendo com o saque sérvio, foram 20 pontos neste fundamento,  levaram a virada  e perderam por 3 a 1 , parciais de (25×19, 15×25, 21×25 e 22×25). Com 18 pontos, o central sérvio Lisinac e o ponteiro brasileiro Ricardo Lucarelli, foram os maiores pontuadores da partida.

Com o resultado, a Sérvia somou três pontos e lidera o grupo com 12, já o Brasil não pontuou e permanece com nove. Mas sem tempo para lamentar,  o Brasil volta à quadra nesta sexta-feira(24), contra o Irã. O jogo será às 11 horas e o Sportv irá transmitir.

O JOGO

A partida começou com erros dois lados. Do lado brasileiro, o saque forçado não entrava, já do lado sérvio, o oposto Atanasjievic não conseguia botar a bola no chão.  No saque balanceado de Mauricio, os visitantes chegaram à frente no tempo técnico (5×8). O sistema defensivo começou a fazer diferença e no contra-ataque os brasileiros abriram cinco pontos (11×16).  Mais constante nos fundamentos, o Brasil manteve a vantagem confortável e em 30 minutos levou o primeiro set (19×25), após ataque de Wallace.

2º set

Depois de perderem o primeiro set na competição, a Sérvia voltou à quadra com uma nova postura. Desde o início da segunda parcial, o saque foi o diferencial para os donos da casa (11×7). Com uma sequência de aces, a equipe brasileira apenas via o adversário abrir ampla vantagem (15×9). Bernardinho promoveu a troca do oposto e levantador, entrando William e Evandro nos lugares de Wallace e Bruno, respectivamente, mas foram poucas as vezes que a defesa brasileira conseguia recepcionar e pontuar (23×13). No novo ponto direto de saque do set[ o 11º no jogo], a Sérvia fechou o set com diferença de dez pontos (25×15), em 29 minutos.

3º set

Embalada com a vitória no set anterior, os sérvios chegaram à frente na parada obrigatória (8×6). Apresentando um excelente volume de jogo e com o crescimento do ataque, a Sérvia foi abrindo vantagem (10×7).  O técnico brasileiro substituiu Lucão e colocou Éder, mas os jogadores brasileiros continuaram sem conseguir marcar ponto no bloqueio. Do outro lado, os europeus fizeram dois pontos seguidos nesse fundamento e ampliaram o placar (14×8). O saque sérvio voltou a fazer estrago na recepção adversária (20×14), com boa sequência de saque forçado de Lipe, os brasileiros esboçaram uma reação (21×19), porém, os europeus frearam a reação adversária e fecharam o 3º set (25×21) e viraram a partida.

4º set

Com mais intensidade, a Sérvia comandou o placar desde o início (7×5). A seleção brasileira sentiu o ritmo do adversário e errava demais (5×8). Apáticos em quadra, os jogadores brasileiros não conseguiam pontuar nos contra-ataques (15×8). Sem pontuar no bloqueio nos três primeiros sets, Éder marcou o primeiro ponto da equipe nesse fundamento (15×9). O ponteiro Lipe sentiu algo e foi substituído por Maurício Borges. Novamente a troca de oposto e levantador foi feita no Brasil, a mudança deu um novo gás ao time. Lucarelli foi para o saque com o Brasil perdendo por (18×13), com ótima sequência, os brasileiros viraram para (18×20). Embalada com a virada improvável, a seleção brasileira abriu três pontos (19×22), mas viram o saque desequilibrar novamente(22×22) Com ace de Lisiac, o sete do jogador na partida,  a Sérvia chegou ao match point (24×22) e após erro do ataque brasileiro, os sérvios fecharam o set (25×22) e o jogo por 3 sets a 1.

 EQUIPES:

SÉRVIA: Nikic, Atanasjievic, Lisinac, Podrascanin, Jokovic, Ivovic, Majstorovic

Entraram:

Técnico: Nikola Grbic

BRASIL: Bruno, Lucarelli, Lipe, Mauricio Souza Lucão, Wallace e Serginho

Entraram:  Evandro, William, Éder, Maurício Borges

Técnico: Bernardinho

 

– Foto da FIVb (Federação Internacional de Vôlei)

 

ser

[Liga Mundial] Confronto Sérvia x Brasil vai determinar o último invicto

Após o término da primeira semana da Liga Mundial, só duas equipes do Grupo Mundial não perderam, Sérvia e Brasil. E nesta quinta-feira (23), essas duas seleções têm um encontro marcado em Belgrado (Sérvia), em partida válida pela segunda rodada do torneio, para definir quem se manterá invicto no grupo F [que ainda conta com Irã e Bulgária], será o 23º confronto entre as seleções na competição e  a equipe verde e amarela leva ampla vantagem, são 18 vitórias brasileiras. O jogo será às 14h e terá transmissão do Sportv.

Na primeira rodada o Brasil venceu o Irã (3 a 0), a Argentina (3 a 0) e os Estados Unidos (3 a 1), nos jogos disputados no Rio de Janeiro. Já os sérvios jogaram na Rússia e venceram os donos da casa, Bulgária e Sérvia por 3 sets a 0. Ainda sem perder sets, primeiro critério de desempate, os sérvios lideram a classificação, apesar de terem a mesma pontuação dos brasileiros, nove pontos.

tabela

A seleção de Bernardinho viajou para Belgrado na terça feira(21) com 14 jogadores: os levantadores Bruno e William, os opostos Wallace e Evandro, os centrais Éder, Isac e Maurício Souza, os ponteiros Murilo, Lipe, Lucarelli, Maurício Borges e Douglas, e os líberos Serginho e Tiago Brendle.

lucaaaaaaaaaaao

_Depois de ver o nascimento de Théo, Lucão chegou à Servia nesta quarta-feira(22). (Foto: Reprodução Facebook/CBV)

O central Lucão chegou na Sérvia apenas nesta quarta(22), o jogador chegou um dia depois dos seus companheiros, pois estava em São Paulo acompanhando o nascimento do seu primeiro filho.

 

Foto de capa: FIVB/Divulgação

braeua

[Liga Mundial] Brasil vence Estados Unidos e termina a primeira rodada invicto

O Brasil conquistou sua terceira vitória no Grupo Mundial da Liga Mundial, depois de uma grande vitória sobre os Estados Unidos por 3 a 1(25×19, 25×15, 22×25 e 25×22), na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico. Mesmo com o horário incomum [a partida começou às 23h10], a equipe da casa contou com o apoio de mais de 9.000 torcedores, que incentivaram sua seleção do início ao fim.

Em mais uma ótima atuação da equipe brasileira, Wallace foi o maior pontuador dos donos da casa com 18 pontos, seguido de perto por Ricardo Lucarelli com 17, mas o maior pontuador do duelo foi o oposto Matt Anderson, que terminou a noite com 19 acertos.

O JOGO

 O Brasil começou a partida fazendo valer o mando de campo. Com saque forçado atrapalhando a recepção dos americanos, os brasileiros foram ampliando o marcador. Do lado brasileiro, o levantador Bruno não tinha problemas para distribuir as jogadas. Com Sander e Anderson, principais atacantes dos EUA, muito abaixo do esperado, a seleção da casa fechou o 1º set no contra-ataque de Lucarelli (25×19)

2º set

 Os jogadores brasileiros que já haviam apresentado um ótimo volume de jogo no set inicial, voltaram com um ritmo mais intenso, e o sistema defensivo tocando em todas as bolas de ataque dos norte-americanos. O central Éder marcou dois pontos consecutivos de saque e Wallace dois de bloqueio, aumentando a vantagem brasileira.  Com os Estados Unidos perdidos em quadra, o técnico John Speraw modificou sua equipe colocando o levantador Kawika Shoji e o experiente ponteiro Priddy, mas as mudanças não surtiram efeito. O Brasil manteve o serviço forte e fechou o set(25-15).

3º set

Os Estados Unidos voltaram para o terceiro set jogando melhor, enquanto o Brasil não manteve a eficiência no saque. Reid Priddy continuou em quadra e deu mais regularidade ao time. Com o saque americano começando a fazer estrago na recepção adversária e David Lee parando o ataque brasileiro com bloqueios, os EUA fecharam a terceira parcial (22×25).

4º set

Depois de ganhar o terceiro set os americanos equilibraram a partida. David Lee, Taylor Sander e Matt Anderson levaram os EUA à frente no segundo tempo técnico. Porém, quando parecia que o jogo iria se encaminhar para o set desempate, o saque brasileiro voltou a fazer a diferença. Com dois pontos nesse fundamento, o central Éder deu a vitória no set para os brasileiros (25×21), que fecharam o jogo em 3 a 0.

EQUIPES:

BRASIL: Bruno, Lucarelli, Lipe, Éder, Lucão, Wallace e Serginho

Entraram: Evandro e William

Técnico: Bernardinho

ESTADOS UNIDOS:  Christenson, Sander, Russel, Holt, Lee, Anderson e Erik Shoji

Entraram: Kawika Shoji, Smith e Priddy

Técnico: John Speraw

 

Com fotos e informações da FIVb (Federação Internacional de Vôlei)

braarg

[Liga Mundial] Brasil não dá chances à Argentina e vence segunda partida consecutiva

Jogar um clássico sempre gera expectativas e cautela, mesmo quando o retrospecto é amplamente favorável, como é o caso de Brasil, que aplicou a 23ª vitória consecutiva em cima da Argentina na Liga Mundial. Dessa vez os brasileiros venceram por 3 a 0(25×21,25×13 e 26×24), na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico do Rio de Janeiro, em partida válida pela segunda rodada do primeiro final de semana da competição. Com o resultado, os brasileiros conquistaram a segunda vitória, já que haviam vencido o Irã na estreia. Do outro lado,  os argentinos acumularam a segunda derrota.

Foi outra ótima apresentação do Brasil, demonstrando consistência em todos os fundamentos, sendo agressivos no saque e com muito volume de jogo no sistema defensivo. Com 19 pontos de Lucarelli (16 de ataque, 2 de saques e 1 de bloqueio), o ponteiro foi o maior pontuador da partida. Outro destaque brasileiro foi Douglas Souza, o jovem jogador fez sua estreia como titular na Liga Mundial e foi o segundo maior pontuador do jogo, com 9 acertos.

A última partida da primeira rodada do torneio será contra os Estados Unidos, neste sábado(18),às 23h10, com transmissão da Globo e o SporTV.

O JOGO:

A seleção argentina começou o jogo direcionando o saque no jovem ponteiro Douglas Souza, que no início encontrou uma certa dificuldade em recepcionar, mas nada que prejudicasse o Brasil, que fez uma primeira metade de set equilibrada com os hermanos (12×12). A equipe da casa retomou a liderança do placar após o levantador Bruno surpreender a recepção adversária com saque balanceado, no contra-ataque, Isac botou os brasileiros à frente (17×16). Na sequência, no erro de ataque de Poglajen, os brasileiros abriram dois pontos (18×16). Com o saque não tão eficiente quanto no jogo anterior, coube ao bloqueio se destacar, nesse fundamento, Lucareli fechou o set (25×21).

 2º set

souzaaaaaaaaOs saques dos donos da casa começaram a fazer estrago na recepção argentina, promovendo contra-ataques, pontos diretos e bola de xeque. No primeiro tempo técnico o Brasil tinha o dobro de pontos do adversário (8×4). Com muito volume de jogo, defesas sensacionais e com Lucarelli liderando o ataque, os brasileiros não deixavam espaço para a Argentina reagir (16×9). Douglas Souza também estava com ótimo aproveitamento e marcou quatro pontos consecutivos (2 ataques, 1 bloqueio e 1 de ataque), ampliando a vantagem brasileira para dez pontos (21×11). Após ataque de Lucarelli explorando o bloqueio adversário, o Brasil fechou em (25×13).

3º set

Após o apagão do set anterior, a Argentina voltou à quadra melhor no serviço e recepção e levou uma vantagem inicial, chegando à frente no tempo técnico pela primeira vez na partida (6×8). Os brasileiros ficaram em desvantagem por pouco tempo, no ponto de saque de Lucarelli, o jogo ficou igual (8×8). E demonstrando novamente um excelente ritmo de jogo, os brasileiros lideravam a segunda parada técnica (16×14). A vantagem de dois pontos para o Brasil se estendeu até o fim do set (24×22). No ataque de Lucarelli, o Brasil fechou o set(26×24) e o jogo por 3 a 0.

EQUIPES:

BRASIL: Bruno, Lucarelli, Douglas Souza, Isac, Lucão, Wallace e Serginho

Entraram: Evandro, William, Lipe

Técnico: Bernardinho

ARGENTINA: De Cecco, Bruno Lima,Nicolas Bruno, Solé, Ramos, Poglajen e González

Entraram: Uriarte, Palacios, Martínez, Crer, Quiroga, Santucci

Técnico:  Julio Velasco

 

Fotos: FIVB

Brazilcelebratesthewonaction

[Liga Mundial] Com destaque para o saque, Brasil vence na estreia por 3 sets a 0

Se a seleção brasileira estava sem ritmo de jogo a torcida não percebeu. Com saques eficientes[foram dez pontos diretos nesse fundamento contra apenas dois do adversário], o Brasil venceu o Irã por 3 sets a 0, parciais de (25×19,25×16 e 28×26), na estreia da Liga Mundial, competição que acontece nesse primeiro final de semana na Arena Carioca 1, Rio de Janeiro. O maior pontuador da partida foi o central Lucão com 17 acertos: sendo 12 em ataques, 1 de bloqueio e 4 em aces.

Lucarelli, ponteiro do Brasil ,foi outro destaque da partida com 16. O jogador falou da vontade brasileira de estrear bem. “Estávamos ansiosos para começar o campeonato, treinamos muito e sabíamos do volume de jogo do Irã, que é uma equipe que defende muito bem e por isso tínhamos que ter  paciência para enfrentá-los”.

O capitão e levantador Bruno também falou sobre a partida de estreia. “É um bom primeiro passo, mas sabemos que temos que melhorar muito. É disso para melhor. Falta um pouco de entrosamento, mas é o tempo que vai dar isso para a gente. Agora é descansar e se preparar para amanhã”.

Nesta sexta-feira (17), os brasileiros voltam à quadra, dessa vez para um clássico sul-americano contra a Argentina. A partida será às 14h10, com transmissão do Sportv e Rede Globo.

O JOGO:

A seleção brasileira começou a partida impondo seu ritmo. Com a recepção funcionando, o levantador Bruno abusava das jogadas rápidas, sobretudo com o central Lucão (5×1). Do outro lado, o levantador Marouf não conseguia distribuir as jogadas e viu o adversário abrir no marcador (16×10).  O técnico argentino Raul Lozano, que comanda o Irã modificou sua equipe, mas os asiáticos não conseguiam reagir. Bernardinho também fez a inversão de levantador e oposto e, ao contrário do adversário, não perdeu o ritmo e seguiu avassalador. Após bloqueio de Lucão, o Brasil fechou o set (25×19).

 2º set

O Irã começou à frente (0x2), mas já no primeiro tempo técnico o Brasil comandava o placar com dois pontos de vantagem (8×6), após ponto de saque de Bruno. O saque balanceado do adversário não fazia muito efeito na recepção brasileira comandada por Serginho, o que facilitava a distribuição de bolas do levantador brasileiro com seus atacantes (16×12). No ataque de Lucarelli, os brasileiros venceram com grande margem o segundo set(25×16).

3º set

Precisando da vitória para sobreviver no jogo, o Irã voltou com uma nova postura, vibrando mais e jogando a responsabilidade para os donos da casa (3×5). Após ace de Mahmoudi, Bernardinho parou a partida para frear o ritmo do adversário (3×6), mas a equipe visitante chegou à frente pela primeira vez no tempo técnico (7×8). O set seguiu mais equilibrado que os anteriores e o Brasil só tomou a liderança no segundo tempo técnico, após lindo ataque na paralela de Lucarelli (16×15).

O set seguiu com equilíbrio e as equipes trocando pontos. Lucão deixou o Brasil com chances de definir a partida (24×22), mas o Irã reagiu e empatou a parcial (24×24) e até chegou a ter o set point (24×25). Porém, com Maurício, os brasileiros voltaram a empatar (26×26), quando Lucarelli foi para o saque. Com dois pontos nesse fundamento, o ponteiro brasileiro definiu o set (28×26) e o Brasil fechou em 3 x 0.

EQUIPES:

BRASIL: Bruno, Lucarelli, Murilo, Maurício Souza, Lucão, Wallace e Serginho

Entraram: Evandro, William

Técnico: Bernardinho

IRÃ: Marquf, Ebadipour, Gholami, Mahmoudi, Zarini,Seyed, Maran

Entraram: Mobasheri,Mahdavi, Mirzajanpour, Manavinezhad

Técnico: Raul Lozano

 Fotos: FIVb/ Divulgação

js_treinoseleoBRA_15062016-30

[Liga Mundial] Em casa, Brasil enfrenta Irã na estreia da competição

A 50 dias do início dos Jogos Olímpicos, a seleção brasileira masculina de vôlei faz nesta quinta-feira (16), sua estreia na Liga Mundial, competição que definirá os 12 jogadores que irão defender o Brasil nas Olimpíadas. Maior vencedora da competição com nove conquistas, a seleção de Bernardinho começa sua caça pelo décimo título diante do Irã, às 14h10, com transmissão do Sportv e Globo. As partidas serão realizadas na Arena Carioca 1, que fica dentro do Parque Olímpico, no Rio de Janeiro. Os brasileiros ainda vão enfrentar mais dois adversários neste primeiro final de semana, na sexta – feira (17)  enfrentará a Argentina, às 14h10, e no sábado(18), às 23h10 os Estados Unidos.

A equipe brasileira participou de todas as edições da Liga Mundial, são 27 participações e são nove títulos conquistados (1993, 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009 e 2010). Já o Irã participa pela 4ª vez do torneio e tem uma semifinal disputada em 2014 como melhor participação. Essa será a sexta partida entre as equipes na Liga Mundial e se engana quem acha que o Brasil leva vantagem nos confrontos diretos. Nos cinco primeiros duelos, todos aconteceram em 2014, a seleção asiática lidera por três vitórias, contra duas dos brasileiros.

bernardo

_ A seleção de Bernardinho é a equipe com maior números de títulos da Liga Mundial, mas não vence desde 2010. (Fotos: Inovafoto/CBV)

Bernardinho ressaltou a importância da competição, mas sem esconder que é um teste para ajustar e definir sua equipe para a Olimpíada. “A Liga Mundial é o grande evento teste antes dos Jogos Olímpicos, mas é claro que é uma competição importante em si. Estamos há algum tempo engasgados na busca por esse decacampeonato, mas a preocupação maior é crescer, jogar bem e se sentir confiante durante a disputa da Liga para, em agosto, chegarmos no melhor momento”.

 – Com fotos e informações da CBV(Confederação Brasileira de Vôlei) 

GetImage (1)

[Jogos Olímpicos] Seleção de Bernardinho cai em ‘grupo da morte’

Com o fim do pré-olímpico de vôlei e a definição das 12 seleções masculinas que irão disputar a Olimpíada, competição que acontece entre os dias 7 a 21 de agosto, no Rio de Janeiro. Nesta segunda-feira (6), foram divulgados como ficou a divisão. A equipe da casa está no Grupo A, ao lado de Canadá, Estados Unidos, França, México e Itália. Do outro lado, no Grupo B, estão Argentina, Cuba, Egito, Polônia, Rússia e Irã, que fará sua estreia na principal competição esportiva. Se classificam para a segunda fase os quatro primeiros colocados de cada grupo.

O Grupo A  já pode ser considerado o “da morte” da fase  inicial dos Jogos Olímpicos, pois conta com rivais tradicionais como Itália, segunda maior vencedora da Liga Mundial,apenas atrás dos brasileiros; EUA que foram campeões olímpicos em 2008; a França, que vem crescendo no cenário mundial nos últimos anos e é a atual campeã da Liga Mundial; além de Canadá e México que podem aprontar diante de seus adversários.

Veja como cada seleção garantiu a classificação para os Jogos Olímpicos:

MenGroupsOGArgentina –Pré-olímpico sul-americano; Brasil – País sede; Canadá – Pré-olímpico Mundial/Tóquio;
Cuba –Pré-olímpico Norceca; Egito –  Pre- olímpico africano; EUA – Campeã da Copa do Mundo 2015; França – Pré-olímpico Mundial/Tóquio; Itália –Vice-campeã da Copa do Mundo 2015; Irã –  Pré-olímpico Mundial/Tóquio; México – Pré-olímpico Mundial/Cidade do México; Polônia – Pré-olímpico Mundial/Tóquio; Rússia –Pré-olímpico Europeu
Com fotos e informações da FIVb

IrancelebrateOlympicqualification

[Pré-olímpico] Após vitória contra a Polônia, Irã conquista vaga inédita para os Jogos Olímpicos

A seleção do Irã vem sendo a maior surpresa no cenário mundial e todo o trabalho, que começou com o argentino Julio Velasco, foi recompensado na madrugada de hoje (4) durante o Pré-olímpico disputado no Japão. Os iranianos bateram a Polônia por 3×1 (25×20, 25×18, 20×25 e 34×32), e garantiram vaga nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Esta será a primeira vez em que a seleção masculina de vôlei do Irã se classifica para os Jogos.

“É momento para comemorar: é a primeira vez que isso acontece na história para o Irã. Estou muito feliz que conseguimos a vaga para as Olimpíadas. Não conseguimos a classificação há quatro anos, perdemos a vaga por um set para a Austrália, e era uma memória ruim. Esta deve ter sido a última chance para alguns dos jogadores. Fizemos história”, disse o capitão iraniano, o levantador Marouf.

fran_venAlém dos iranianos, os franceses também conseguiram vaga na Rio 2016. A conquista veio após vitória apertada contra a Venezuela por 3×2 (25×21, 23×25, 25×11, 20×25 e 15×9)

Austrália mantém chance viva

No primeiro confronto do dia, os australianos conseguiram uma vitória importante diante da China. O triunfo por 3×1 (25×23, 25×22, 20×25 e 26×24) manteve a esperança dos volleyroos viva para alcançar a última vaga olímpica do Pré-olímpico.

Os australianos ocupam a 4ª posição na tabela, empatados com o Canadá, que por critérios de desempate ocupam a 5ª posição. Os canadenses também venceram nessa rodada: 3×1 contra o Japão, parciais de 23×25, 25×19, 25×21 e 25×19.

O Pré-olímpico termina na madrugada deste domingo (5) com os confrontos: Irã x Venezuela (hoje, às 22h10 – horário de Brasília); Canadá x China (domingo, 0h55 – horário de Brasília); Austrália x Polônia (domingo, 3h40 – horário de Brasília); e França x Japão (domingo, 7h20 – horário de Brasília).

Com informações e imagens da FIVb

Polandcelebrate

[Pré-olímpico] Polônia conquista vaga olímpica de forma antecipada

A equipe polonesa conquistou a primeira vaga olímpica disponível no Pré -olímpico Mundial, depois de derrotarem a Venezuela por 3×0 (25-21, 25-18, 25-17) no Tokyo Metropolitan Gymnasium (Japão).  Foi a quinta vitória em cinco jogos dos poloneses, que garantiram a classificação para a Olimpíada com duas rodadas de antecipação.

Após não conseguirem se classificar na Copa do Mundo e ter visto o sonho mais uma vez adiado no Pré-olímpico europeu, os atuais campeões mundiais foram ao Japão decididos a carimbar o passaporte para o Rio. Esta será a nona vez da Polônia na maior competição esportiva do mundo, que conquistou a medalha de ouro uma vez, em 1976, nos Jogos Olímpicos de Montreal (Canadá).

Na entrevista coletiva, o técnico Stéphane Antiga comentou sobre esse longo caminho percorrido pela seleção polonesa. “Este foi um longo processo com muitos torneios e jogos [mais de 20 partidas]. Nós finalmente estamos classificados. Somos uma equipe mais forte por causa desta experiência. Nós queríamos a classificação hoje. Estou muito feliz pelos jogadores.”

PolandqualifyfortheRio2016OlympicGames

_ Seleção polonesa comemora a vaga para os Jogos Olímpicos, a terceira participação seguida. (Foto: FIVb/Divulgação)

O ponteiro e capitão polonês Michal Kubiak, foi o maior pontuador da partida com 13 pontos e não escondeu a felicidade pelo feito. “É uma sensação incrível ir aos Jogos Olímpicos duas vezes seguidas. É um sonho se tornado realidade. Nós não conseguimos nos classificar através Copa do Mundo ou campeonatos europeus, mas, finalmente, nós estamos indo para os Jogos Olímpicos. Vencemos cinco partidas seguidas, embora o nosso nível não esteja tão bom. Agora, vamos para o Rio e tentar vencer lá “, concluiu.

Classificação

Quem também está muito próximo de se classificar é a França, que na abertura da rodada venceu o Canadá por 3 sets a 0.  Confira a tabela

polskaCom fotos e informações da FIVb

fran_can-2016

[Pré-olímpico] França domina partida e garante mais uma vitória na briga pela vaga olímpica

torcida_franca

Torcedores comemoraram nas arquibancadas com a imagem do ponteiro Marechal (Reprodução YouTube/FIVb)

Em partida tranquila, a atual campeã europeia França passou pelo Canadá por 3×0 (25×17, 25×17 e 25×16). Essa foi a quarta vitória francesa em cinco jogos no Pré-olímpico Mundial realizado no Japão.

Os destaques foram a torcida francesa presente no ginásio e o oposto francês Rouzier que terminou o confronto com 14 pontos (11 de ataque, 2 de saque e 1 de bloqueio). O maior pontuador da partida foi o ponteiro Ngapeth, com 15 acertos.

Vale ressaltar ainda o número de erros canadenses no duelo da quinta rodada da competição: 19 pontos cedidos.

O jogo

Enquanto a França foi para a partida com seu time titular, o Canadá mudou completamente sua composição. O jogo começou equilibrado até os canadenses cometerem erros bobos que deram três pontos de graça para os franceses (7×10). Na largadinha de Rouzier, a França aumentou a vantagem, provocando o pedido de tempo de Glenn Hoag (7×11). Apesar da diminuição nos erros, a seleção canadense não conseguia encostar no placar (11×15). Com bom aproveitamento na defesa e contra-ataques, os franceses não tiveram dificuldades para fechar o set em 17×25.

2º set

Após um 1º set desastroso, Glenn Hoag provocou mudanças na linha de passe, colocando o ponteiro Nicholas Hoag em quadra. No ace do central Le Roux, os franceses abriram 0x3 no início do 2º set. O empate canadense também veio num ponto de saque no 22 (3×3). Mantendo o ritmo do set anterior, a França conseguiu abrir três pontos novamente (5×8). Irritado, Glenn Hoag pediu tempo com 8×12 no placar. Na volta, Ngapeth marcou mais um ace (8×13). Em um erro de ataque canadense, os franceses abriram seis pontos (10×16). Sem poder de reação, não restou muito o que fazer do lado canadense e mais uma vez o set foi vencido pelos franceses por 17×25.

3º set

Apesar de terem o jogo nas mãos, a França não baixou a guarda e abriu 0x4. O Canadá se recuperou e diminuiu a vantagem no bloqueio de Hoag em cima de Ngapeth (2×4). Na passagem de Rouzier no saque, a França conseguiu abrir seis pontos de frente, sendo dois de saque (5×11). Assim como nas duas primeiras parciais, os franceses fecharam o set e o jogo com tranquilidade (16×25).

Fotos: FIVb

fran_aus

[Pré-olímpico] Com direito a 44×42 no último set, França supera a Austrália

Na madrugada desta quarta-feira (1º), o Pré-olímpico Mundial viu o set mais longo de toda a competição até aqui: 44×42. Os responsáveis foram a França e a Austrália que fizeram a segunda partida do dia em Tóquio. Na disputa, a seleção francesa saiu vitoriosa fazendo 3×1 diante dos volleyroos, parciais de 25×22, 25×18, 16×25 e 44×42.

O substituto do capitão Edgar na partida, o oposto Paul Carroll foi o maior pontuador do confronto com 34 acertos (31 de ataque e 3 de saque). “Se jogarmos assim contra qualquer equipe, nós venceremos. A França é um dos melhores times no mundo. Se tivéssemos jogado dessa maneira contra o Irã ou qualquer outra equipe, teríamos tido a chance de vencer. Estamos orgulhosos de nossa performance”, avaliou Carroll.

pol_chinaPolônia vence mais um tie-break

Quatro jogos, quatro vitórias, três tie-breaks. Essa é a campanha da atual campeã mundial Polônia. Dessa vez, o triunfo veio de virada diante da China (28×26, 25×20, 16×25, 17×25 e 10×15).

Completaram a rodada: Venezuela 0x3 Canadá (20×25, 20×25 e 25×27); e Japão 1×3 Irã (20×25, 25×19, 22×25 e 25×27).

Confira a classificação e próximos jogos

01/06 – 22h10 (horário de Brasília) – Canadá x França
02/06 – 0h55 (horário de Brasília) – Irã x China
02/06 – 3h40 (horário de Brasília) – Polônia x Venezuela
02/06 – 7h20 (horário de Brasília) – Austrália x Japão

class_4arodada

Com fotos e informações da FIVb

polska_japan

[Pré-olímpico] Polônia vence Japão, segue invicta e assume a liderança

A equipe polonesa segue sem conhecer derrotas no Pré-olímpico Mundial, torneio que está sendo disputado em Tóquio (Japão). Desta vez, a vítima foi a equipe da casa, que foi superada por 0x3 (25-22, 25-16,25-23). Diante de ataques eficientes do ponteiro japonês Ishikawa, maior pontuador da partida com 17 pontos, a atual campeã mundial contou com ótima atuação do central Mozdzonek e do oposto Kurek, que marcaram juntos 25 pontos para a Polônia, sendo 13 e 12 pontos, respectivamente.

Após a partida, Kubiak, capitão polonês comemorou a atuação de sua equipe. “Este foi provavelmente o nosso melhor jogo do torneio até agora. Estamos felizes em ganhar contra o Japão, que é uma equipa muito perigosa”, ressaltou.

Com o resultado, a Polônia somou sua terceira vitória no campeonato e ocupa o primeiro lugar da tabela com sete pontos, mesma pontuação da França, vice-líder, mas que já sofreu uma derrota no Pré-olímpico para os poloneses. Em terceiro lugar está a China, com seis pontos conquistados, duas vitórias e uma derrota.

Sem título

Outros resultados 

Na abertura da rodada, o  Canadá conquistou  a sua primeira vitória no torneio ao vencer a Austrália no quinto set.

A China venceu a segunda partida após derrotar a Venezuela por 3 x 0 (25-16, 25-18, 25-15). Com um jogo quase perfeito, foram apenas 10 erros na partida, a equipe chinesa não deu chances ao lanterna da competição. Foram 34 pontos de ataque, 10 de bloqueios e sete pontos diretos de saque. O maior pontuador da partida foi o ponteiro  Qingyao Dai, com 17 pontos.

A França se recuperou da  derrota por 3x 2 para a Polôniana última rodada,  vencendo o Irã por 3×0(25-20 , 25-18 , 25-22 ). Em um duelo de ataques equilibrados, foram 39 pontos neste fundamente para ambas as equipes, o bloqueio fez a diferença, foram 11 dos franceses, contra apenas dois dos iranianos. Além disso, o ponteiro Antonin Rouzier, com 18 pontos, foi o destaque do duelo.

Próximos jogos

 31/05 – 22h10 (horário de Brasília) – Venezuela x Canadá

01/06 – 00h55 (horário de Brasília) – França x Austrália

01/06 – 03h40 (horário de Brasília) – China x Polônia

01/06 -07h15 (horário de Brasília) – Japão x Irã

– Com fotos e informações da FIVb

canada_aust

[Pré-olímpico] No duelo entre Schmitt e Edgar, ponteiro Hoag se destaca na vitória canadense diante da Austrália

Em seu terceiro tie-break seguido, o Canadá conseguiu sua primeira vitória no Pré-olímpico Mundial, competição disputada em Tóquio (Japão). Após duelo cheio de viradas, os canadenses superaram a seleção da Austrália por 2×3 (19×25, 26×24, 25×20, 27×29, 11×15).

Bastante acionado, o oposto Tom Edgar (Austrália) foi o maior pontuador do confronto com 33 acertos. Entretanto, o ponteiro canadense Nicholas Hoag foi o destaque da partida. Hoag, que é filho do técnico Glenn Hoag, foi responsável por 23 pontos, sendo sete de saque.

Na próxima rodada, o Canadá enfrenta a Venezuela e os australianos pegam a poderosa seleção da França.

O jogo

Fora do time titular, o ponteiro australiano Nathan Roberts, que se lesionou na vitória contra a Venezuela, deu lugar a Sanderson no sexteto inicial. Os australianos chegaram a liderar o placar no início do set, porém os canadenses aproveitaram os contra-ataques e tinha 6×8 na primeira parada técnica. Logo a partida voltou a se reequilibrar com as equipes trocando pontos. Na reta final da parcial, os volleyroos cometeram dois erros de ataque que facilitaram a arrancada canadense e Santilli colocou Nathan Roberts em quadra. No bloqueio para cima de Sam Walker, o Canadá fez 19×25.

2º set

O 2º set começou da mesma maneira que o primeiro: canadenses abrindo vantagem, porém logo superados (6×4). O Canadá voltou a reequilibrar a partida e retomou a liderança, mais uma vez, em erros de ataque dos adversários e bons saques (14×17). A recuperação australiana veio com bom volume de jogo e um ponto de saque do central Mote (19×19). No momento decisivo, os canadenses tiveram o primeiro set point (23×24). Porém, o bloqueio e a decisão de arriscar no saque deram à Austrália seu primeiro set point no jogo (25×24). Na sequência, os volleyroos não desperdiçaram o contra-ataque e empataram a partida (26×24).

3º set

Assim como nas duas primeiras parciais, o equilíbrio deu a tônica do início do 3º set (6×5). No bloqueio de Hoag para cima de Nathan Roberts, os canadenses conseguiram o empate (8×8). Porém, os volleyroos recuperaram a vantagem de dois pontos no bloqueio em Schmitt (10×8) e foram a três também num bloqueio em cima de Hoag (11×8). Liderados pelo ponteiro Hoag, os canadenses buscaram o empate. Após boa passagem de Nathan Roberts no saque, a Austrália voltou a abrir três pontos (17×14). Sofrendo na recepção, os canadenses deixaram o bloqueio australiano crescer (20×15). Confiantes, os australianos mantiveram a calma e fecharam a parcial em 25×20.

4º set

Correndo atrás do empate e levar a decisão para o tie-break, a seleção canadense começou atenta no ataque. Na passagem de Schmitt pelo saque, os canadenses abriram três pontos de vantagem, forçando pedido de tempo de Santilli (3×6). A parada recolocou os volleyroos no set (8×7). Após longo rally, os canadenses retomaram a ponta no ataque de Hoag pela entrada de rede (8×9). Na volta da segunda parada obrigatória, os canadenses chegaram a abrir dois pontos (15×17). Trocando pontos, o set foi decidido no detalhe a favor dos canadenses, apesar do maior número de erros (27×29).

5º set

Sem diminuir o ritmo, o Canadá aproveitou a queda de rendimento dos australianos para abrir 2×5. O saque potente de Schmitt deu aos canadenses a vantagem de quatro pontos na virada de lado (4×8). Sem reação, os volleyroos viram a segunda vitória escapar novamente (7×12). No ataque do central Duff, o Canadá conquistou o set e sua primeira vitória no Pré-olímpico (11×15).

Fotos: FIVb

polska-france_2016

[Pré-olímpico] Na partida mais esperada do Pré-olímpico, Polônia vence a França por 3×2

konarskiEm mais um tie-break, a Polônia conseguiu sua segunda vitória no Pré-olímpico Mundial disputado no Japão. O triunfo veio após a virada diante da França, parciais de 22×25, 13×25, 31×29, 25×17 e 15×12.

A entrada do oposto Konarski no 3º set como titular deu novos ânimos à equipe que conseguiu a arrancada para a vitória nos últimos três sets. Konarski foi, inclusive, o maior pontuador polonês (19 pontos) e o francês Ngapeth foi o maior pontuador da partida (22 pontos).

O capitão francês, Toniutti, lamentou a derrota e a vitória que escapou no 3º set. “Os dois primeiros sets foram bons. É triste terminar com esse resultado, pois tivemos a chance de vencer no 3º set. Eles mudaram o ritmo do jogo e a atitude na partida”, disse.

Para o treinador da Polônia, o francês Antiga, ter um banco de alto nível ajudou muito na virada. “Foi uma bela vitória para nós. A França vencia por 2×0, mas nós não desistimos. Temos sorte de ter jogadores de alto nível no banco que entraram e viraram o jogo a nosso favor”, avaliou.

Todas as seleções folgam hoje e voltam à disputa das vagas olímpicas amanhã (30).

Confira os resultados da rodada, próximas partidas e a classificação até aqui.

2ª rodada

Canadá 2 x 3 Irã (29×27, 25×19, 20×25, 21×25 e 14×16)

Venezuela 1 x 3 Austrália (25×19, 20×25, 10×25 e 19×25)

França 2 x 3 Polônia (25×22, 25×13, 29×31, 17×25 e 12×15)

Japão 0 x 3 China (20×25, 22×25, 23×25)

3ª rodada

30/05 – 22h10 (horário de Brasília) – Austrália x Canadá

31/05 – 00h55 (horário de Brasília) – China x Venezuela

31/05 – 3h40 (horário de Brasília) – Irã x França

31/05 – 7h20 (horário de Brasília) – Polônia x Japão

classificacao_2arodada

Com fotos e informação da FIVb

iran_can_2016

[Pré-olímpico] Irã consegue virada e vence Canadá no tie-break

IranheadcoachLOZANORaulLuciocelebratesvictoryoverCanadaA vitória canadense parecia que viria fácil após abrir 2×0 na partida, porém os iranianos reencontraram sua força para empatar o confronto e vencer o tie-break (29×27, 25×19, 20×25, 21×25 e 14×16).

Apesar da derrota, Gavin Schmitt terminou o confronto como maior pontuador (27 pontos: 22 de ataque, 2 de bloqueio e 3 de saque).

As equipes folgam hoje e voltam à quadra amanhã (30). O Canadá enfrenta a Austrália às 22h10 (horário de Brasília) e o Irã pega a França na madrugada do dia 31, às 3h40 (horário de Brasília).

O jogo

A boa distribuição de jogo do levantador Sanders sem sobrecarregar seus atacantes, principalmente o oposto Schmitt que fez sua primeira partida como titular, ajudou os canadenses a abrir vantagem na parcial. Irã cresceu pouco antes da 2ª parada técnica e reequilibrou o set. Após várias trocas de pontos, um erro de ataque iraniano deu o set para o Canadá 29×27.

2º set

Canadá conseguiu abriu dois pontos no início na parcial, assim como fez no 1º set, e em dois pontos de saque de Schmitt ampliou (8×4). O bloqueio iraniano não encontrava os atacantes adversários, e, sem confiança, os atacantes iranianos não aproveitaram seu poderio nos golpes, facilitando a vida da defesa canadense (18×10). Após pedido de tempo de Raul Lozano, o Irã fez três pontos seguidos em belos rallys. Sem nada a perder, os iranianos foram com tudo para o saque e conseguiram diminuir a vantagem adversária mais uma vez (18×15). Aproveitando a larga vantagem do segundo terço do set, o Canadá fez 2×0 na partida (25×19).

3º set

A vantagem de três pontos conquistada pelo Irã no início do 3º set chegou a ser ameaçada em algumas oportunidades, porém o levantador iraniano Marouf reencontrou o caminho que deu aos iranianos a vitória na estreia. Matando os pontos no side-out e aproveitando as oportunidades nos contra-ataques, o Irã se mostrou mais vibrante em quadra (11×15). Errando saques, os canadenses foram dando pontos de graça aos adversários. Com o aproveitamento no saque em queda, os canadenses não conseguiam compensar no ataque e bloqueio. Em mais um erro de saque do Canadá, o Irã venceu o 3º set por 25×20.

4º set

Embalados pela recuperação no set anterior, os iranianos não diminuíram o ritmo no ataque. Após o ace de Ghaemi, o Irã conseguiu abrir dois pontos (10×12). Sofrendo com os saques adversários, a seleção canadense foi perdendo a confiança e os ponteiros iranianos foram ganhando terreno. Mais uma vez, a boa distribuição de jogo de Marouf e o grande volume de jogo mantiveram a vantagem do Irã que venceu o set em 25×21.

5º set

Sentindo a recuperação iraniana, os canadenses erravam bastante e facilitaram a vida adversária no início do set decisivo (1×3). Com a recepção abaixo do ideal, o levantador Sanders teve dificuldades para distribuir as jogadas (4×7). Após rally, os canadenses conseguiram empatar a parcial e passar à frente no placar pela primeira vez (9×8). Porém, a reação parou ali e, confiantes, os jogadores iranianos voltaram a crescer e venceram o tie-break em 16×14.

Fotos: FIVb

pol_canada

[Pré-olímpico] Em batalha de cinco sets, Polônia derrota o Canadá

Os poloneses não tiveram vida fácil contra os canadenses. No retorno do oposto Gavin Schmitt às quadras, o Canadá deu trabalho aos campeões mundiais que só conseguiram a vitória no tie-break (25×18, 17×25, 25×21, 18×25 e 15×9). “Essa foi uma vitória importante. Sabíamos que o Canadá jogaria melhor que no ano passado, estudamos os vídeos. O oposto [Schmitt] foi bem no saque e ataque, e tivemos que jogar bem para vencer”, disse o treinador da Polônia, o francês Stephane Antiga.

ngapeth_pre_olimpicoNa última partida da primeira rodada, o Japão fez 3×1 diante da Venezuela, fazendo a alegria da torcida. Mais cedo, o Irã venceu a Austrália com facilidade e a França passou pela China por 3×1 (25×13, 22×25, 25×23 e 25×21).

O Pré-olímpico Mundial está sendo transmitido no canal da FIVb no Youtube e todas as partidas realizadas continuam disponíveis na plataforma.

Confira abaixo a tabela da 2ª rodada.

28.05 (sábado) – Canadá x Irã – 22h (Horário de Brasília)

29.05 (domingo) – Venezuela x Austrália – 0h55 (Horário de Brasília)

29.05 (domingo) – França x Polônia – 3h40 (Horário de Brasília)

29.05 (domingo) – Japão x China – 7hh15 (Horário de Brasília

Com informações e fotos da FIVb

iran_aus_pre_olimpico

[Pré-olímpico] Irã estreia com vitória diante da Austrália

Volume de jogo e confiança deram ao Irã sua primeira vitória no Pré-olímpico Mundial disputado no Japão. O triunfo veio logo na estreia contra seu grande rival nos últimos anos: a Austrália. Com facilidade, a equipe comandada pelo argentino Raul Lozano fez 3×0 (25×19, 25×17 e 25×18) em pouco mais de 80 minutos.

Na próxima rodada, os Volleyroos enfrentam a Venezuela e os iranianos pegam os canadenses.

AustraliasNathanRobeetsattacksoverIrandefenseO jogo

Sem poder contar com o capitão Tom Edgar, lesionado, entre os titulares, Roberto Santilli colocou o canhoto Paul Carroll para começar a partida. Do lado iraniano, nenhuma surpresa entre os titulares. Com o bloqueio funcionando, os iranianos ganharam confiança no 1º set. Australianos conseguiram a equilibrar a parcial com bloqueio, bom saques e aproveitando a momentânea desatenção iraniana. Porém, após a segunda parada obrigatória, os volleyroos passaram a cometer vários erros e colocaram os iranianos com vantagem de cinco pontos (20×15). Sem dificuldades, a seleção comandada por Raul Lozano levou o 1º set por 25×19

Com o levantador Marouf solto em quadra, não demorou para o Irã abrir vantagem no início do 2º set (4×1). O Irã também aproveitou os bloqueios do central Gholami para manter o domínio do placar. Os erros continuaram a aparecer do lado australiano, dando tranquilidade ao Irã para definir os pontos e abrir larga vantagem (16×10). No fim, os iranianos fecharam a parcial em 25×17.

Dando continuidade das alterações feitas durante o segundo set, Roberto Santilli colocou o oposto Edgar e o central Guymer em quadra. Confiantes, os iranianos não demoraram para acertar a marcação e desestabilizar os ataques australianos (11×6). A potência de ataque de Ghafour também foi um dos destaques do Irã na terceira parcial. Assim como nos dois primeiros sets, os iranianos mantiveram o ritmo e fecharam o set em 25×18.

Fotos: FIVb

Evento JF Volei - 16.05.2016

[Superliga] JF Vôlei lança financiamento coletivo online para montar equipe

A torcida do JF Vôlei sempre foi considerada o “sétimo” jogador da equipe, incentivando o time do início ao fim, mesmo nos momentos mais complicados como na temporada 2015/2016 na qual Juiz de Fora garantiu a vaga para mais uma Superliga após vencer a disputa da Seletiva. Vaga conquistada, mas a permanência da equipe mineira ainda não está concretizada para a temporada 2016/2017.

Com o orçamento bastante reduzido e enfrentando dificuldades em concretizar patrocínios, o JF Vôlei inovou e lançou, nesta segunda-feira (16), o projeto de financiamento coletivo online, o crowfunding, um programa em que o torcedor fará uma doação através de uma plataforma online e participará efetivamente na manutenção da equipe. A iniciativa é uma parceria com a empresa paulista Colabore.

Evento JF Volei - 16.05.2016

Heglison Toledo apresentou o projeto para a imprensa, torcedores e parceiros do JF Vôlei. (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovôlei.com)

Apresentada pelo supervisor do JF Vôlei, Heglison Toledo, a proposta tem uma meta de arrecadação de R$100.000(cem mil reais) e prazo de 90 dias. Os interessados em colaborar devem fazer um cadastro na página da ação e escolher um valor para contribuir, que varia entre R$30,00(trinta reais) a $200,00(duzentos reais), sendo possível também escolher valores maiores do que o estimulado. Com essa forma alternativa, Toledo se mostrou otimista para atingir a cotação. “Continuaremos correndo atrás dos patrocínio, mas confiamos na torcida, que sempre se mostrou muito fiel ao time”.

O executivo da Colabore, Adriano Tegani, falou sobre os benefícios que a iniciativa pode trazer não só para a equipe, mas também para a cidade e fez questão de reforçar a seriedade e comprometimento da plataforma. “O crowfunding serve para as pessoas tirarem os projetos do papel e viabilizar o projeto. No caso do JF Vôlei, o objetivo é montar a equipe para participar pela sexta temporada consecutiva da Superliga. Usaremos o poder da internet e a paixão da torcida para captar os recursos para continuar o bom trabalho que vem sendo feito. Além disso, o doador poderá consultar a quantidade que já foi adquirida, e ao fim irá receber a prestação de contas”.

modena-scudetto

[Italiano] Modena encerra jejum de 14 anos e volta a conquistar o Scudetto

O DHL Modena venceu o Sir Safety Conad Perugia hoje (8) no terceiro jogo da melhor de cinco da final do Campeonato Italiano e encerrou o jejum de 14 anos sem um Scudetto. O triunfo veio após uma grande partida que só foi decidida no tie-break (23×25, 25×20, 17×25, 25×16 e 15×13).

Esta foi a 12ª conquista do Modena no Campeonato Italiano e encerrou a temporada brilhante da equipe comandada por Angelo Lorenzetti. Além do Scudetto, o Modena foi campeão da Supercopa e da Copa Itália.

A partida de hoje também foi a despedida de Bruninho e Lucão que acertaram com o Sesi-SP para a Superliga 2016/2017.

013201_CEV-CLM_20160417-210524

[Champion’s League] Zenit Kazan é campeão e garante vaga do Mundial de Clubes; Leon é eleito MVP

O Zenit Kazan (RUS) conseguiu a virada diante do Trentino Diatec (ITA) na final da Champion’s League e conquistou mais uma vez o título europeu de clubes. Na decisão de domingo (17), o Zenit venceu o Trentino por 3×2 (23×25, 22×25, 25×17, 27×25 e 15×13) e foi campeão pela quarta vez.

Apesar da boa atuação, o Trentino não conseguiu parar a reação do Zenit e os ataques potentes do cubano Leon. “Estou desapontado porque tínhamos o jogo nas mãos e o deixamos escapar. O Zenit Kazan tinha algo que nós não tínhamos. Estou orgulhoso como argentino de ter conquistado a medalha de prata na Champion’s League. Agora temos que voltar para casa, analisar essa partida e nos preparar para a sequência do Campeonato Italiano”, disse o central argentino do Trentino Sebastian Solé.

Assim como o Sada/Cruzeiro no Brasil e América do Sul, o Zenit Kazan domina os campeonato Russo e Europeu. Além de conquistar o campeonato continental, a equipe russa venceu o Campeonato Russo, a Copa da Rússia e a Supercopa da Rússia. “Estamos preparados para continuar a jogar nesse nível. O desafio é representado pelo nível dos time que querem nos derrotar. Como todos puderam ver, não é fácil se manter nesse ritmo. Nós tivemos dificuldades na semifinal e na final. Como um grupo unido, nossa força é conseguir encontrar a fórmula certa para vencer”, analisou o ponteiro Matt Anderson.

O Final Four foi realizado no último fim de semana em Cracóvia (POL) e contou ainda com o Cucine Lube Banca Marche Civitanova (ITA) e o Asseco Resovia Rzeszow (POL). O time italiano ficou com a terceira colocação após derrotar os poloneses na disputa do bronze.

Leon é eleito MVP e Melhor Ponteiro

Tanto a escolha do Melhor Jogador quanto as escolhas para a seleção do campeonato não tiveram surpresas. O cubano, naturalizado polonês, Wilfredo Leon foi eleito o MVP. Leon também foi escolhido como um dos melhores ponteiros da Champion’s League. Confira abaixo a lista:

Seleção do Campeonato

Melhor líbero: Jénia Grebennikov (FRA/Cucine Lube CIVITANOVA)
Melhor Central: Russell Holmes (USA/Asseco Resovia RZESZOW)
Segundo Melhor Central: Sebastian Solé (ARG/TRENTINO Diatec)
Melhor Ponteiro: Wilfredo Leon Venero (CUB/Zenit KAZAN)
Segundo Melhor Ponteiro: Tine Urnaut (SLO/TRENTINO Diatec)
Melhor Oposto: Maxim Mikhailov (RUS/Zenit KAZAN)
Melhor Levantador: Simone Giannelli (ITA/TRENTINO Diatec)

Most Valuable Player: Wilfredo Leon Venero (CUB/Zenit KAZAN)

Com informações da CEV.

Fotos: CEV.lu

bernardocoletiva

Convocação para amistosos e Liga Mundial marca retorno de Wallace Martins à seleção

Na manhã desta terça-feira (12), o técnico da seleção masculina, Bernardinho, anunciou a lista de convocados para a disputa de amistosos e da Liga Mundial 2016. Entre as surpresas estão a convocação do oposto Wallace Martins, vice-campeão da Superliga 2015/2016 com o Vôlei Brasil Kirin, e do jovem ponteiro do Sesi-SP, Douglas Souza, além da ausência do líbero Mário Júnior, que defendeu o São José na última temporada.

Ao todo, 18 atletas foram chamados e a preparação para a temporada começa na segunda-feira (18), em Saquarema. Durante a coletiva, Bernardinho afirmou que, apesar de não estarem na lista, outros atletas serão observados. Entre os citados estão o oposto Leandro Vissotto e os ponteiros Dante e Maurício Borges – todos atuam do exterior.

A Liga Mundial começa no dia 17 de junho e terá formato diferente da última edição. A França é a atual campeã da competição intercontinental.

Confira a lista:

LEVANTADORES

levantadores_001

CENTRAIS

centrais1
centrais2

OPOSTOS
opostos

PONTEIROS

pont1 pont2

LÍBEROS

lib

finalmasculinasuper_32 (1)

[Superliga] Com temporada vitoriosa dentro de fora das quadras, Leal tem um só desejo

Yoandry Leal Hidalgo, 27 anos, nascido em Havana, Cuba, e há quatro anos é o ponteiro da equipe do Sada/Cruzeiro, time mais vitorioso da história do voleibol nacional. No domingo (10), Leal venceu a sua terceira Superliga, a quarta da equipe mineira, e fechou com chave de ouro mais uma temporada recheada de conquistas.

Só em 2015/2016 o Cruzeiro venceu o Campeonato Mineiro, Copa do Brasil, Supercopa, Sul-americano e Mundial de Clubes. Com 22 acertos na grande final, Leal foi eleito o melhor jogador da decisão. Muito feliz com mais uma conquista individual, o jogador falou que apenas cumpriu com seu dever e não deixou de ressaltar a equipe.  “Acho que essa é minha função. A minha e do Wallace. Temos a responsabilidade de virar bola. Preciso cumprir o meu papel e está sendo bom. Em cinco campeonatos que disputei fui o melhor jogador. Nós fizemos uma temporada maravilhosa. Não tenho palavras para descrever a sensação que estou sentindo. Não tem nada parecido ganhar tudo o que ganhamos”.

O ponteiro também comentou sobre o favoritismo do Sada/Cruzeiro e como o time soube lidar com a perda do 1º set e virar o jogo. “Todo mundo quer ganhar da gente. Foi um jogo muito difícil onde quem errou pouco ganhou. Entramos bem, mas aconteceu aquele 1 a 0 que não deveria. E a gente não podia mais errar para não ter surpresa. Numa decisão você tem que estar 120%”.

Ao ser questionado se o time ainda tem metas a serem atingidas, o jogador foi contundente. “Sempre temos, nós trabalhamos muito. É um time que tem uma base de seis anos, por isso estamos dominando. Se alguém vai ser capaz de fazer o mesmo que conseguimos? Acho que se conseguirem montar uma boa equipe e uma boa estrutura há uma possibilidade. Aqui todos os anos nós temos uma meta diferente”.

Acumulando títulos dentro das quatro linhas, Leal ainda conquistou mais um, desta vez fora das quadras: a cidadania brasileira, o que deixou mais perto do sonho de defender a seleção brasileira, mas pelas regras da Federação Internacional de Vôlei (FIVB), são necessários dois anos de prazo contando a partir da data do recebimento da documentação na Suíça [sede da Instituição], ou seja, Leal só poderia vestir oficialmente a “amarelinha” em 2018.

IMG_4425

_ Leal em momento de descanso. [Foto: Mariangela Herédia]

Com esse sonho adiado um pouco mais, Leal seguirá voando alto pelo Cruzeiro e visando mais conquistas. O brasileiro naturalizado revelou que renovou o contrato com o time mineiro até 2018, mas que agora só tem um desejo. “Descansar, nós precisamos muito de férias depois dessa temporada”, disse rindo.

[Foto de capa:        CBV/Divulgação]

sada_final_superliga_2016

[Superliga] Em jogaço, Sada Cruzeiro vira sobre Brasil Kirin e conquista o tetracampeonato

A final da Superliga 2015/2016, disputada nesta manhã de domingo, em Brasília, reservou muita emoção. Para quem apostava em um jogo fácil para o Cruzeiro, viu um jogo em que o Vôlei Brasil Kirin demonstrou muita garra, assim como já havia demonstrado ao longo da temporada, e exigiu o máximo dos cruzeirenses, que tiveram que virar partida para conquistar o tetra da competição. No final, o Sada Cruzeiro fez 3×1 em cima do Vôlei Brasil Kirin (23×25,25×23, 25×15 e 30×28), e levou seu terceiro título consecutivo na Superliga. O ponteiro Leal, com 22 acertos, foi eleito o melhor jogador em quadra e recebeu o Viva Vôlei.

O técnico Marcelo Mendez fez questão de ressaltar mais um recorde quebrado por sua equipe. Agora, Cruzeiro tem quatro títulos da competição, assim como Minas e a extinta Cimed. “Somos um time que fez história no Brasil e a felicidade é muito grande. O nosso grupo é batalhador e sempre acreditou na comissão técnica e no projeto do Sada Cruzeiro. O resultado disso tudo são os títulos e as vitórias que tivemos”, disse.


Leia também: Com trabalho intenso de preparação física, Sada/Cruzeiro se livra de lesões, apesar
da maratona de jogos
Final da competição reserva expectativa de quebra de recordes

Pelo lado do Brasil Kirin, muito emocionado, o ponteiro Lucas Loh lamentou a derrota, mas elogiou a campanha dos campineiros.“Fica um gostinho ruim na boca. O nosso time tinha qualidade e um grupo unido para ganhar essa final. Fico até emocionado, é difícil falar nessa hora. É muito difícil ganhar destes caras, e infelizmente não deu. Por outro lado estou muito feliz por ajudar a trazer o projeto pela primeira vez a uma final. É um orgulho muito grande. Vamos batalhar ainda mais para conseguir melhores resultados. O Sada também começou assim, eu estava lá. Fui vice no Mineirinho contra o Sesi-SP com eles. Espero que a gente siga os passos do Sada”, explicou Lucas Loh.

 O JOGO

 A final começou com muito volume de jogo. Com a recepção das equipes funcionando muito bem, os levantadores Gonzalez, Brasil Kirin, e William, do Sada, variavam as jogadas, complicando o bloqueio adversário. No primeiro tempo técnico, a diferença era mínima (8×7), a favor dos cruzeirenses. Na volta à quadra, o Cruzeiro imprimiu um ritmo e abriu três pontos (13×10), com ponto de saque de Leal. Porém, a vantagem não durou muito, com o sistema defensivo muito bem e com os jogadores demonstrando muita concentração, Campinas foi buscar o placar desfavorável (17×15), empatou (19×19). A equipe campineira seguiu embalada e aproveitando os erros do adversário, que errava mais do que o normal, o Brasil Kirin abriu dois pontos (19×21). Os tricampeões até empataram o set (22×22), mas viram Campinas aproveitar o contra-ataque com o ponteiro Olteanu e  fechar o set (23×25), em 30 minutos.

 2º set

A segunda parcial começou como terminou o set anterior, com Lucas Lóh tendo um ótimo aproveitamento de ataque e colocando sua equipe à frente (4×6). No tempo técnico o Sada chegou com vantagem mínima (8×7) e, na sequência, abriu três pontos (12×9) após ponto de saque do central Isac. Porém, o saque balanceado em Filipe fez efeito e a recepção cruzeirense caiu, com as principais jogadas de ataque do Cruzeiro, Leal e Wallace, muito marcadas, Campinas buscou o placar e empatou (12×12). Daí por diante o equilíbrio do set se restabeleceu (16×15) e as equipes se alternavam à frente do placar (20×21). Após belas defesas, Leal botou a bola no chão com uma largadinha na paralela (22×21). O final do set voltou a ficar igual (23×23, mas com ace de Éder, o Sada devolveu o placar sofrido no primeiro set e igualou a parcial (25×23), em 31 minutos.

 3º set

O terceiro set começou com o sistema defensivo do Cruzeiro funcionando muito bem o que proporcionava contra-ataques. No tempo técnico, a equipe mineira tinha o dobro de pontos do adversário (8×4). O técnico Alexandre Stanzioni promoveu a inversão do 5×1, tirando Gonzalez e Wallace e entrando, Michael e Jotinha.  Do lado mineiro, Wallace e Leal começaram a desequilibrar, colocando o time em ótima vantagem (14×8) e com o bloqueio cruzeirense marcando duas vezes seguidas. A inversão de Campinas não fez muito efeito e Santioni voltou com seus titulares e promoveu outra substituição, colocando Vini para jogar no lugar de Luizinho.  O Sada seguiu com ampla margem no tempo técnico (16×11). Após ataque. Leal fez um gesto balançando a cabeça, mas olhando para o seu lado da quadra. O time de Campinas não gostou e foi reclamar com o juiz,o que  gerou um discussão na rede. Na sequência o árbitro chamou os capitães para conversar e a partida prosseguiu O lance polêmico fez bem ao cubano naturalizado brasileiro, que fez dois pontos de bloqueio consecutivos ampliando o marcador (23×14). E com o bloqueio se destacando, o Cruzeiro fechou o set nesse fundamento, após bloqueio de Isac (25×15), em 25 minutos.

 4º set

Precisando vencer o set para manter vivas as chances de buscar o título, Campinas voltou a demonstrar um ritmo de jogo maior e reequilibrou o início do set (6×6). Com dois aces seguidos de Lucas Lóh, Campinas passou à frente (8×9). Aproveitando os contra-ataques o Sada abriu dois pontos (13×11), mas viu o adversário chegar ao tempo técnico em vantagem, após bola de xeque de Maurício (15×16).  O ponteiro Piá, que ao longo da semana fez um tratamento intenso de recuperação entrou para jogar o 4º set e foi determinante para sua equipe que abriu dois pontos importantes no final do set (18×20). Querendo definir logo o jogo e evitar o tie break, o Cruzeiro foi buscar o placar (20×20).  Os times voltaram a trocar pontos e no ataque de Leal, o Sada Cruzeiro chegou ao match point (24×23), mas o set ainda reservava emoções para o torcedor.  O jogo seguiu com as duas equipes lutando muito. Após, 37 minutos, o Sada Cruzeiro fechou (30×28) , conquistando o tetracampeonato.

EQUIPES

SADA CRUZEIRO:  William, Wallace, Isac, Éder, Filipe e Leal. Líbero: Serginho

Entraram: Cachopa. Alan

Técnico: Marcelo Mendez

 VOLEI BRASIL KIRIN: Gonzalez, Wallace, Luizinho, Maurício, Lucas Lóh e Olteanu. Líbero: Tiago Brendle

Entraram: Ygor Ceará, Piá, Michael, Jotinha, Vini

Técnico: Alexandre Stanzioni

[Fotos: CBV/Divulgação; Sada Cruzeiro]

 

[Foto: CBV/Reprodução Facebook]

[Superliga] Final da competição reserva expectativa de quebra de recordes

Primeiro e terceiro colocados na fase classificatória da Superliga, Cruzeiro e Campinas vão se enfrentar na grande decisão que acontece neste domingo (10), às 9h45, em Brasília, no jogo 150 da competição. Além do título, a partida promete reservar ao amante do vôlei recordes, duelos de xarás e um confronto de alto nível. Confira algumas curiosidades da final.

Experiência x estreia

Se por um lado o Sada está na sua sexta final consecutiva da Superliga e tem três títulos, o Brasil Kirin jogará a sua primeira final da principal competição do calendário nacional.

Recorde pessoal

Filipe, ponteiro do Cruzeiro, está muito perto de se tornar o segundo maior pontuador da Superliga. O atleta que é titular do time mineiro tem atualmente 3702 pontos e só precisa de dois acertos para ultrapassar o oposto Lorena, de São José dos Campos, que tem 3703. Ezinho, ex jogador do Minas, lidera com 3728 pontos.  Mas o jogador deixou o recorde pessoal como segundo plano, para o ponta, o tetracampeonato é o foco da final.

Tetracampeonato

Na temporada 1994/95, o Campeonato Brasileiro de Vôlei começou a se chamar Superliga. Desde então, duas equipes conquistaram quatro títulos:  Minas Tênis Clube, que era chamado de Telemig Celular, e a extinta equipe de Cimed/Florianópolis. Neste domingo, o Sada/Cruzeiro pode se tornar a terceira equipe a conquistar essa façanha.

Reis da Superliga

O ex jogador do Cruzeiro, Douglas Cordeiro, o levantador Bruninho, o líbero Serginho e o central Éder, os dois últimos jogadores do Cruzeiro, são os atletas que possuem mais títulos de Superliga: seis, mas se conquistarem a competição, Éder e Serginho ultrapassam os dois  outros adversários.  o líbero Serginho ainda tem outro recorde, são treze finais desta competição no currículo.

wallaceeeeeees

Duelo de Wallaces

A final travará o duelo entre Wallace x Wallace. Isso mesmo, teremos um duelo de grandes opostos que, além de jogarem na mesma posição, dividem o mesmo nome. Wallace Souza  do Cruzeiro,  chega para a decisão como o 4º maior pontuador da temporada com 380 pontos, 20 a mais do que Wallace Martins, seu xará que atua no Brasil Kirin, que tem 360 na atual temporada e ocupa o sexto lugar do ranking. A partida promete ter uma disputa sadia para o maior pontuador do confronto.

[Foto de capa: Gabriel Inamine/Vôlei Brasil Kirin]

 

kiriiiiiiiiiiin

[Superliga] Jogadores do Brasil Kirin colocam o rival como favorito, mas estão confiantes no título inédito

Depois de vencer um duelo complicado nas semifinais, que só foi decidido no tie- break no 3º jogo diante de Taubaté, neste domingo (10), o time do Brasil Kirin joga pela primeira vez, em seus seis anos de história, a decisão da Superliga Masculina de Vôlei. A partida será realizada às 9h40, no ginásio Nilson Nelson, em Brasília, contra a forte equipe do Sada/Cruzeiro.

Se a experiência pesa a favor dos mineiros, afinal são seis finais consecutivas, Campinas já demonstrou durante a temporada que pode enfrentar qualquer equipe. É verdade que ainda não venceu o Sada/Cruzeiro na temporada, mas os jogadores e comissão técnica apostam que final é um jogo diferente e com campo neutro dá ainda mais confiança.

Chegando ao treino da véspera da final, o técnico Alexandre Stanzioni foi perguntando sobre a expectativa para o jogo, bem humorado, o treinador respondeu“ Minha expectativa é de vencer! O que estiver ao nosso alcance vamos fazer. Eles já têm muitos[títulos], chegou a nossa vez”, disse rindo e demonstrando otimismo. O discurso também foi adotado pelo oposto Wallace.

 “O favoritismo é deles, mas, se trata de uma final em jogo único e, assim, qualquer coisa de errado que aconteça pode comprometer. Nós acreditamos muito nesse título. Ao longo do returno e dos playoffs nosso time cresceu bastante, depois passamos por uma semifinal muito dura e isso aumentou a nossa expectativa”.

Para Tiago Brendle, líbero do Brasil Kirin, a equipe não te um destaque, um jogador que sobressai sobre os demais, para ele, o que fez o time chegar a decisão foi todos os jogadores jogando bem. Mas a verdade é que o Campinas se destaca em algumas posições individuais. O oposto Wallace é o sexto maior pontuador, com 360 pontos de ataque. O ponteiro Lucas Lóh tem 52% de aproveitamento de ataque e ocupa o 9º lugar do ranking.

Outro fundamento é o bloqueio, o central Maurício Souza está em segundo lugar com 63 pontos. E Tiago Brendle tem mais de 88% em aproveitamento nas defesas. Além desses, o saque é outro ponto forte da equipe, sobretudo com Maurício e o central reserva Vini, que sempre entra muito bem no fundamento.Com tantos esses destaques, a partida promete muita emoção ao torcedor.

[Foto: Vôlei Brasil Kirin/ Reprodução Facebook ]