[Superliga] Ajustes e muito estudo para Taubaté e JF Vôlei nos playoffs

Após dois sets equilibrados, o JF Vôlei não conseguiu manter o ritmo e vencer um set diante da Funvic Taubaté, na Zona da Mata mineira, no último sábado (18). Apesar da derrota, o técnico do JF Vôlei, Henrique Furtado, gostou da atitude da equipe em sua primeira participação nos playoffs. “Senti o grupo guerreiro, como foi durante o campeonato todo, buscando demais a vitória. É importante fazer o jogo ficar longo e, a cada ponto que passa, ir aprendendo a jogar de igual para igual contra esses adversários nesse momento da competição. Gostei muito da luta e da entrega do time”, disse. O treinador apontou o ataque como principal fundamento a ser trabalhado para a sequência dos confrontos em Taubaté e, mais uma vez, ressaltou o poder do saque adversário.

O líbero do Juiz de Fora, Fábio Paes, também destacou, além do saque de Taubaté, o ataque do time do Vale do Paraíba. “Eles vieram com a mesma filosofia de forçar o saque e conseguimos segurar em alguns momentos. Mas acho que o que fez a diferença foi o ataque, acho que eles foram mais felizes no ataque. Vamos ver os vídeos para observar o que tivemos de falhas para tentar consertar o mais rápido possível para não errar no jogo de quinta-feira”.

Do lado da Funvic Taubaté, o levantador Rapha colocou a diminuição dos erros e a agressividade no saque como fatores determinantes para a vitória paulista na primeira partida das quartas-de-final. “Com isso, o nosso bloqueio funcionou um pouco melhor, o nosso sistema defensivo [também]. Nossa concentração no saque e na defesa em conjunto com nosso contra-ataque foram as coisas mais importantes em relação ao outro jogo”, avaliou o jogador se referindo à derrota para o próprio JF Vôlei na última rodada da fase de classificação.

O ponteiro Lucarelli retornou à equipe após se recuperar de lesão. (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei)

Já o treinador da equipe paulista, Cézar Douglas, acredita que há fatores a serem trabalhados, principalmente na leitura tática. “Foi uma estratégia bem definida do Juiz de Fora, que nem vou citar porque precisamos nos preparar para a próxima partida sabendo que eles usaram de uma certa estratégia que funcionou. Temos que tomar cuidado e sair dela mais rápido do que saímos nesse [primeiro] jogo”, avaliou. Cézar Douglas também comentou o retorno do ponteiro Lucarelli, que fez sua segunda partida após mais de um mês fora devido a uma lesão. “Ele estava mais ambientado com a situação de jogo, apesar de não ter sido utilizado tanto no ataque – na rede, principalmente –, ele estava mais ligado na leitura do jogo, teve um momento importante no final do primeiro set, com um saque. Acreditamos que ele possa evoluir mais ainda no aspecto técnico depois dessa readaptação”, comentou.

Na próxima quinta-feira (23), as duas equipes voltam a se enfrentar na busca por um vaga nas semifinais. O segundo confronto será em Taubaté, assim como a terceira partida da melhor de cinco marcada para a segunda-feira (27).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s