[Superliga] Canoas garante vaga nos playoffs após vitória sobre o JF Vôlei

O início da noite de ontem (10), em Juiz de Fora, foi de muita chuva e de despedidas. O JF Vôlei, já rebaixado, fez sua última partida em casa na temporada e amargou mais uma derrota. Em jogo válido pela 10ª rodada do returno, a equipe juiz-forana foi derrotada pelo Lebes/Canoas por 3×1, parciais de 25×27, 18×25, 25×19 e 20×25. O troféu Viva Vôlei ficou com o ponteiro Rodrigo, do Canoas. Além de Rodrigo, Abouba e Matheus também se destacaram do lado gaúcho.

Ainda que tenha desestabilizado a recepção da equipe gaúcha em vários momentos da partida, o JF Vôlei voltou a pecar no ataque e não conseguiu levar o duelo para o tie-break. “Pegamos um adversário muito inspirado em algumas ações, e muito inspirado no ataque. Seguimos lutando da forma como podíamos, buscando na defesa, buscando fazer um saque acelerado para complicar a situação do adversário, mas eles tiveram uma constância muito grande no ataque e trabalharam com muita agressividade com passe bom e com passe ruim”, avaliou o treinador do JF Vôlei, Henrique Furtado.

DSC00230.jpg

Marcel Matz faz sua primeira temporada como treinador (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei)

A vitória deu ao Lebes/Canoas a certeza de que estará nos playoffs da Superliga 2017/2018, tendo ainda a possibilidade de passar como 7º colocado. “Não oscilamos muito, até melhoramos no returno. Com essa vitória por 3×1, já pontuamos mais do que no turno. Manter um nível alto a temporada toda é bem difícil, é um time jovem que está experimentando a Superliga como titular pela primeira vez e tem que se provar a todo momento. Hoje [ontem] era um jogo difícil, com muita tensão do nosso lado por buscar um resultado para garantir matematicamente a classificação e com menos tensão para o lado do JF Vôlei. Graças ao desempenho e à concentração dos jogadores, conseguimos a nossa classificação para os playoffs”, disse o técnico do Canoas, Marcel Matz.

Matz, que atuou como assistente técnico em equipes como o Sesi-SP e na seleção brasileira juvenil, faz sua primeira temporada como treinador na Superliga. “Essa está sendo a minha maior missão como profissional. Graças ao trabalho da comissão técnica toda e ao empenho dos jogadores conseguimos os resultados. A seriedade no dia-a-dia e os resultados que aconteceram para o nosso lado, fizeram com que acreditássemos que podíamos cada jogo um pouquinho mais e hoje estamos colhendo os frutos desse trabalho. Foi uma missão bem difícil, muita dúvida no início de como agir sendo responsável pela tomada de decisão final. Estava preparado, mas estou experimentando uma coisa que agora é diferente”.

Ao lado de Marcel Matz está Marcelinho Ramos, que já comandou o Canoas e na última temporada estava no Montes Claros. “Já tinha trabalhado com ele na Ulbra quando eu era estagiário, e sabia que era um cara que tinha condição total de me ajudar. Ele comprando a ideia e vendo que tinha espaço para trabalhar, se sentiu motivado e contribuiu muito para o desempenho do time. A gente vai levando de um jeito que seja bom para a equipe, vai construindo junto com características diferentes e isso deu certo”, comentou Marcel Matz.

Na próxima rodada, a última da fase de classificação, o Lebes/Canoas recebe o Minas Tênis Clube e o JF Vôlei enfrenta, fora de casa, o Corinthians-Guarulhos. Todas as partidas da 11ª rodada do returno acontecem no dia 17 de março e no mesmo horário, às 20h30.

[Sul-americano] Sada Cruzeiro conquista o pentacampeonato; Simon é MVP

A noite de sábado (3) em Montes Claros foi marcada pela bela apresentação do Sada Cruzeiro na final do Sul-americano Masculino de Clubes 2018. Diante de pouco mais de quatro mil espectadores, a Raposa levantou o seu quinto troféu de campeão continental (2012, 2014, 2016, 2017, 2018), igualando o Banespa e Paulistano em número de conquistas.

Na decisão, os cruzeirenses bateram o Lomas Voley por 3×0, parciais de 25×19, 25×18 e 25×20, e se garantiram no Mundial de Clubes. “A Polônia nos espera. Acredito que será muito legal jogar mais um Mundial no final do ano e esse era um dos nossos grandes objetivos. Mas antes disso precisamos pesar em fechar bem a temporada e concentrar todo o nosso trabalho na Superliga. Vamos com tudo! É hora de festejar bastante mais este título do Sul-Americano e desfrutar deste momento antes de voltar a trabalhar pelo próximo título”, comentou o central Simon.

WhatsApp Image 2018-03-04 at 11.26.49Além do título e da vaga para o Mundial, a equipe brasileira teve quatro jogadores escolhidos para a seleção do campeonato: o central Isac, o levantador Uriarte, o ponteiro Leon e o líbero Serginho. Completaram o time o oposto Lorena (Montes Claros), o ponta Lucas Ocampo (LomasVoley) e o central Jonadabe Carneiro (Lomas Voley). O central cubano do Sada Cruzeiro, Simon, levou o prêmio de melhor do campeonato.

MOC é bronze
Anfitriões da competição, o Montes Claros Vôlei venceu a disputa do terceiro lugar contra o Personal Bolívar (ARG). O Pequi Atômico fez 3×1, parciais de 26×28, 25×23, 25×23, 25×15.

Com informações da CSV, Lomas Voley e Sada Cruzeiro.
Foto destaque: Uarlen Valerio/O Tempo (via Sada Cruzeiro)
Foto interna: Reprodução Instagram Sada Cruzeiro

[Superliga] JF Vôlei vence Maringá por 3 a 0 e conquista a primeira vitória diante de seu torcedor

Neste sábado (24), jogando no Ginásio da UFJF pela 8ª rodada do returno da Superliga 2017/18, o JF Vôlei enfrentou o Copel/Telecom/Maringá, do experiente levantador Ricardinho, e derrotou o adversário por 3 a 0 (25/22, 25/16, 25/20), conquistando sua primeira vitória dentro de casa. Diante de uma apresentação convincente e agressiva de toda equipe mineira, o prêmio de melhor e quadra ficou com o levantador Henrique Adami, de 21 anos, responsável por armar as jogadas.

Henrique Furtado, técnico de Juiz de Fora, que já vinha aprovando a atuação de sua

Superliga 2017/2018 - JF Vôlei 3 x 0 Copel Telecom Maringa 24.0

– O levantador Adami, 21 anos, que ganhou a titularidade no início do segundo turno, fez uma partida excelente e foi premiado com o prêmio de melhor jogador  da partida. [Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei.com]

equipe nos últimos confrontos, não poupou elogios aos seus jogadores. “O resultado veio com muita luta, com todos jogando bem e com um grande trabalho coletivo”, elogiou. “Não nos deixamos abalar pelas derrotas. É um grupo jovem, que não desiste e que precisa jogar para mostrar todo o potencial.”

Do outro lado, o técnico Alessandro Fadul, que já comandou  o JF Vôlei por duas temporadas, não escondeu a insatisfação com o resultado. “Fizemos um jogo ruim, com muitos erros de saque e recepção que comprometeram nosso jogo”, analisou. “Não tiramos os méritos do JF Vôlei, que fez uma grande partida, mas é decepcionante porque tivemos duas vitórias muito boas e esperávamos manter esse ritmo”, revelou.

Brigando contra o rebaixamento, os três pontos foram fundamentais para o JF Vôlei continuar sonhando com a chance de escapar, faltando ainda três partidas para o encerramento da fase de classificação.  Com o resultado, os mineiros chegaram aos oito pontos e estão em 11º lugar, ultrapassando justamente Maringá, que com sete pontos voltaram para a lanterna da competição.

O jogo

As equipes entraram em quadra demonstrando um ótimo aproveitamento no ataque. Do lado mineiro, Leozinho e Emerson se destacavam nesse fundamento. Do outro, um lado, Ricardinho acionava bastante Alison e Alê, e Maringá se manteve com um ponto de vantagem até a metade da parcial (12×13). Porém, os donos da casa não diminuíram o ritmo e não deixavam o adversário desgarrar no marcador (16×17).  Na reta final do set, os paranaenses cometeram mais erros e viram o bloqueio de Juiz de Fora aparecer para passar à frente do marcador, abrir vantagem e se encaminhar para definir (25×22).

O Copel Telecom não se abateu com a derrota e voltou à quadra ditando o ritmo (6×9), mas essa vantagem não durou muito. Com bloqueios de Rômulo e um saque balanceado de Bruno, que fez estrago na recepção adversária, o JF Vôlei se ajustou e virou o placar (16×12). Maringá voltou a acumular erros e viu os donos da casa abrirem ótima margem (22×14) e se encaminharem para fechar mais um set (25×16), desta vez com maior tranquilidade.

Precisando somar pontos, os paranaenses não se entregaram e, assim como foi no set anterior, comandavam o marcador (3×5), após dois bloqueios seguidos de Wennder. Esse fundamento também foi o destaque de Juiz de Fora, e o time mineiro marcou cinco vezes consecutivas, três vezes com o bloqueio, virando o placar (14×11).  Fadul pediu tempo e modificou algumas vezes sua equipe. A parada fez bem para os visitantes, que voltaram mais ligados e igualaram o set (16×16). Porém, o JF Vôlei permaneceu sólido, não permitiu que o adversário crescesse na reta final e voltou a se impor, abrindo vantagem (23×20) até fechar o set (25×20).

EQUIPES:

JF Vôlei: Adami, Bruno, Rômulo,Leozinho, Raphael,  Emerson. Líbero: Juan Mendez

Entraram: Felipe, Rammé, Wellinton

Técnico: Henrique Furtado

Copel  Telecom Maringá Vôlei: Ricardinho,Ialisson, Wennder, Secco, Alison, Alê, Líbero: Dani

Entraram: Gian, Kaio, Bruno, Matheus, Johan

Técnico: Alessandro Fadul