Mais forte e repleto de estrelas, Mundial de Clubes começa amanhã (12)

A espera acabou. O Mundial de Clubes Masculino começa amanhã (12) na Polônia e de cara já teremos confrontos diretos por uma vaga nas semifinais da competição. Defendendo o título, o Sada Cruzeiro enfrenta o Lube Civitanova, atual campeão italiano, às 17h30 (horário de Brasília), pelo Grupo A. “Estou feliz que estamos aqui para jogar contra as melhores equipes do mundo. Sabemos que temos um bom time, então esperamos fazer nosso melhor”, disse o treinador do Civitanova, Giampaolo Medei. A partida terá transmissão do Sportv2.

CoachesofparticipatingteamsofgroupAinOpoleGiampaoloMedeiLubeMarceloMendezSadaCruzeiroMostafaKarkhanehTehranAndreaGardiniZaksa.jpgTambém pelo Grupo A, o time polonês do Zaksa Kedzierzyn Kozle enfrenta o Teheran VC, às 14h30 (horário de Brasília). A equipe polonesa é comandada por um dos maiores nomes do voleibol italiano: Andrea Gardini. Para Gardini, o campeonato é uma grande oportunidade para o time, que ocupa a vice-liderança na Plus Liga e é a atual bicampeã nacional. “Estamos orgulhosos de poder fazer parte deste torneio [Mundial]. Estou feliz por ser realizado na Polônia e tenho certeza de que os espectadores nos apoiarão. Espero que possamos jogar a semifinal”, comentou Gardini durante a coletiva dos treinadores e capitães.

Enquanto o Grupo A joga em Opole, o Grupo B realiza seus jogos em Lódz e também terá boa briga pelas duas vagas nas semifinais. Assim como na outra chave, a abertura já promete ser um grande jogo. Vice-campeão em duas oportunidades, o Zenit Kazan enfrenta o Personal Bolívar, a partir das 14h30 (horário de Brasília). “É uma grande honra participar da competição. Acredito que o nível deste torneio está bem alto. Será uma grande celebração do nosso esporte e uma importante oportunidade para vencermos o Mundial de Clubes pela primeira vez”, disse Vladimir Alekno, velho conhecido dos brasileiros e técnico do Zenit.

A primeira rodada se completa com a estreia do Skra Belchatow, outra equipe polonesa classificada para o Mundial, que enfrenta o Shanghai VC, às 17h30 (horário de Brasília). No banco do Belchatow teremos ainda o ídolo polonês Michal Winiarski que encerrou a carreira como jogador na última temporada atuando pelo próprio Belchatow e agora é assistente de Roberto Piazza na equipe.

Com informações da FIVB.
Fotos: FIVB

Anúncios

[Superliga] Caramuru mantém regularidade e vence JF Vôlei fora de casa

DSC09187

Jacu entrou no ginásio e foi o centro das atenções no início do 1º set. (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei)

Com direito a invasão de um jacu, o Ponta Grossa Caramuru Vôlei saiu de Juiz de Fora com uma vitória importante sobre os donos da casa na noite de ontem (2). Os paranaenses fizeram 3×1 (25×20, 29×31, 25×21, 28×26) e se mantiveram na 9ª colocação, agora com oito pontos e duas vitórias. O Troféu Viva Vôlei ficou com o ponteiro Perón do Ponta Grossa.

Na 10ª rodada, o JF Vôlei vai ao Rio Grande do Sul enfrentar o Lebes/Canoas, na quinta-feira (7), às 19h30, com transmissão do Sportv. Enquanto o Ponta Grossa pega o Minas Tênis Clube no dia 13, em Belo Horizonte.

O jogo

O início da partida já foi marcado por um momento inusitado quando o placar marcava 7×8: um jacu entrou no ginásio e pousou nas placas de publicidade. Coube ao central do Ponta Grossa Caramuru, Thales, a retirar o animal da área de jogo para que a partida recomeçasse. Após abrir dois pontos (13×15), Caramuru manteve a vantagem apostando no saque forçado e incomodando os juiz-foranos no bloqueio. Com Leozão sobrando e acionado nos momentos certos pelo levantador Índio, os visitantes levaram a primeira parcial em 20×25.

No 2º set, o equilíbrio entre as duas equipes deu o ritmo da partida. Com a maioria dos passes fora da rede, o JF Vôlei foi fazendo o seu jogo pelas extremidades, dividindo a responsabilidade entre os ponteiros, Leozinho e Rammé, e o oposto Emerson. Do outro lado, Índio evitava sobrecarregar o oposto Leozão no início da parcial e contou com o bom aproveitamento dos demais atacantes no side-out. O JF Vôlei teve a chance de fechar o set em 25 pontos, porém o saque do central Maycon entrou e as duas equipes passaram a trocar pontos. Em dois erros de ataque de Caramuru, Juiz de Fora fez 31×29 e empatou a partida.

Ao contrário dos sets anteriores, Caramuru conseguiu abrir vantagem logo no início do 3º set (7×11). Enquanto o posicionamento defensivo de Caramuru proporcionava contra-ataques, Juiz de Fora ainda tinha dificuldades em achar Leozão no bloqueio. Cometendo muitos erros de saque e ataque, os donos da casa não conseguiram reverter o placar e foram superados por 21×25.

Precisando vencer o 4º set para levar a partida para o tie-break, o JF Vôlei começou a parcial mais ligado e incomodando a recepção de Caramuru (6×4). Voltando a marcar bem os ataques de Juiz de Fora, o Caramuru conseguiu encaixar os contra-ataques e reequilibrar a parcial (10×10). Com a boa distribuição de Índio, Ponta Grossa conseguiu manter a regularidade no ataque e vencer a parcial em 26×28, garantindo três pontos na classificação e a segunda vitória.

JF Vôlei
Felipe, Emerson, Bruno, Rômulo, Leozinho, Rammé. Líbero: Juan Mendez
Entraram: Raphael, Matheusão, Adami
Técnico: Henrique Furtado

Ponta Grossa Caramuru Vôlei
Índio, Leozão, Maycon, Thales, Leo, Perón. Líbero: Bruno
Entraram: Rubbo, Dutra, Da Silva.
Técnico: Fábio Sampaio

Bola Rápida – Lucarelli fora da Superliga e lances do Italiano

DSC02901.jpg

Peça importante para o Taubaté e para a seleção brasileira, Lucarelli ficará fora da 1ª fase da Superliga (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei – arquivo)

– Durante a derrota para o Vôlei Renata, o ponteiro Lucarelli se lesionou. Ontem (26), o jogador da EMS Taubaté Funvic passou por exames que constataram ruptura do tendão de Aquiles do pé direito e terá que passar por cirurgia. Lucarelli ficará fora das quadras por pelo menos quatro meses, perdendo, portanto, o restante do turno e o returno da Superliga. Em nota divulgada pelo Vôlei Taubaté, o médico da equipe, Alexandre de Paiva, não garante o retorno do atleta para a fase final da Superliga.

– Atuando pelo Personal Bolívar no Campeonato Argentino, o oposto brasileiro Theo é o segundo maior pontuador da competição com 129 acertos (111 de ataque,  8 de saque, 10 de bloqueio) em sete partidas disputadas. A equipe argentina participará do Mundial de Clubes no próximo mês e está no Grupo B com o Shanghai VC, Skra Belchatow e Zenit Kazan.

– O Campeonato Italiano está na 9ª rodada do turno e o Civitanova segue líder da competição com 26 pontos. Olha só o que o levantador Christenson aprontou na vitória contra o Perugia no domingo (26).

Com informações da EMS Taubaté Funvic, Lube Volley Civitanova e Aclav

 

[Superliga] Enfim saindo do zero: JF Vôlei vence Maringá no tie-break

Antes mesmo de começar, a partida entre Copel Telecom Maringá Vôlei e JF Vôlei já era uma promessa de equilíbrio e importância. Acumulando derrotas na competição, as duas equipes entraram em quadra no ginásio Chico Neto com o mesmo objetivo: sair do zero. Após mais de 2h30 de duelo, o JF Vôlei saiu com a vitória por 2×3, parciais de 25×21, 20×25, 21×25, 33×31 e 21×23.

38562156271_5235207f57_b

Destaque na temporada, Leozinho marcou 38 pontos na vitória diante do Maringá. (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei – arquivo)

Com incríveis 38 pontos, o ponteiro Leozinho foi o grande destaque da partida. Eleito como melhor jogador na vitória do JF Vôlei, o jogador superou a própria marca de 32 pontos feitos na derrota para o Minas na 1ª rodada da competição.

Na próxima sexta-feira (1), o Maringá vai a Belo Horizonte enfrentar o Minas Tênis Clube, às 20h30. Enquanto o JF Vôlei recebe o Ponta Grossa Caramuru Vôlei no sábado (2), às 18h, no ginásio da UFJF.

O jogo

Com a tensão para buscar a primeira vitória na competição, as duas equipes começaram a partida segurando um pouco na potência dos ataques. Errando muitos saques, Juiz de Fora compensou as falhas nos ataques e contra-ataques pelas extremidades (12×12). Quando teve a oportunidade, Maringá assumiu a vantagem no placar com a boa atuação de oposto Alisson e do ponteiro Kaio (18×15). A variação de saques do Maringá foi minando a recepção de Juiz de Fora, dificultando a utilização dos centrais mineiros (23×19). Com folga no marcador, Maringá acabou com o ataque adversário no bloqueio e levou o 1º set em 25×21.

No 2º set, a diminuição nos erros de saque deu aos visitantes maiores possibilidades de recuperação e, ao contrário do set anterior, conseguiu segurar a vantagem aberta no placar (8×12). Mesmo com a melhora no passe, o levantador Felipe continuou acionando o ponteiro Leozinho e a equipe foi se aproveitando dos erros de Maringá em todos os fundamentos (18×22). Após a entrada de Adami e Raphael na inversão 5-1, Juiz de Fora venceu o set em 20×25.

Vencer o 3º set significava conquistar o primeiro ponto na competição, e a parcial começou equilibrada (7×7). Maringá continuou errando saques e tendo dificuldades na recepção, principalmente com o ponteiro Alê – alvo preferido dos visitantes durante toda a partida.

Renato Lúcio promoveu mudanças no Maringá, porém Juiz de Fora continuou com boa tática no saque, forçando Ricardinho a explorar os atacantes nas extremidades (10×12). Os donos da casa conseguiram manter a vantagem de dois pontos na passagem do oposto Emerson no saque e, com o bloqueio ajudando a defesa, Juiz de Fora aproveitou os contra-ataques para ampliar no marcador. No bloqueio de Emerson e Bruno em cima de Thiago Alves, o JF Vôlei fez 21×25 e 1×2 no jogo.

A maior estabilidade na recepção deu ao levantador Felipe a oportunidade de acionar os centrais Rômulo e Bruno, que já faziam bom trabalho no bloqueio (8×9). Após abrir dois pontos de vantagem, Juiz de Fora viu Maringá ressurgir no set com o líbero Gian defendendo bastante e com o restante da equipe mudando a tática no saque (20×20). No contra-ataque, os visitantes tiveram dois match-points, porém o bloqueio de Maringá fechou a porta (24×24). Depois de longa troca de pontos, Maringá levou o set em 33×31, garantindo também seu primeiro ponto na Superliga.

Se o 4º set terminou de maneira emocionante, a disputa no tie-break não foi diferente. Com as equipes se alternando no comando do placar, qualquer erro era perigoso (7×8). Assumindo a ponta no momento certo, Maringá teve a chance de matar a partida, mas Juiz de Fora conseguiu marcar bem o ataque do oposto Alisson Bastos (14×14). Assim como aconteceu no empate do set anterior, as duas equipes trocaram pontos e vantagens até que, em dois erros de ataque de Alê, Juiz de Fora venceu o tie-break em 21×23, conquistando sua primeira vitória na Superliga 2017/2018.

Copel Telecom Maringá Vôlei
Ricardinho, Alisson Bastos, Ialisson, Wennder Kaio, Alê. Líbero: Gian
Entraram: Jean Carlos, Brasília, Johan, Leitzke, Bruno, Thiago Alves
Técnico: Renato Lúcio

JF Vôlei
Felipe, Emerson, Bruno, Rômulo, Leozinho, Rammé. Líbero: Juan Mendez
Entraram: Raphael, Adami, Franco
Técnico: Henrique Furtado

Foto destaque: Rodrigo Araújo/Copel Telecom Maringá Vôlei
Foto interna: Lucilia Bortone/Sacandoovolei

[Superliga] Grande batalha de cinco sets e vitória corintiana sobre o Caramuru

No encerramento da 7ª rodada do turno da Superliga 2017/2018, o Ponta Grossa Caramuru Vôlei recebeu, no fim da noite de ontem (21), o Corinthians-Guarulhos num duelo que, apesar do placar no 1º set, foi bastante equilibrado. O Caramuru deu muito trabalho aos visitantes, principalmente no saque e no bloqueio, que tiveram que suara bastante para vencer por 3×2 (25×16, 21×25, 23×25, 30×28, 12×15).

Com eleição online, o Troféu Viva Vôlei ficou com o ponteiro Fábio que entrou durante a partida e ajudou os corintianos na recuperação após a derrota na primeira parcial.

No sábado (25), o Corinthians recebe o Sesi-SP, às 21h30, e o Caramuru pega o Lebes Canoas, às 20h, no Paraná.

O jogo
Embalados pela primeira vitória na competição, o Caramuru veio quente para o jogo e com a marcação de bloqueio afiada (7×2). Apostando no seu poder de saque, os donos da casa conseguiram imprimir um forte ritmo de jogo e desestabilizar a recepção dos visitantes. Vendo o set escapar, o treinador do Corinthians-Guarulhos, Alexandre Stanzioni, promoveu mudanças na equipe que sofria bastante para virar no side-out (17×8). Com o passe na mão, o levantador do Caramuru, Índio, conseguiu fazer boa distribuição de jogo, chamando o oposto Leozão e o ponteiro Perón nos momentos certos. Após a entrada de Fábio no lugar de Mineiro, o Corinthians conseguiu rodar algumas bolas, mas nada que ameaçasse a vitória de Caramuru que fechou em 25×16, em um ataque de Leozão na saída de rede.

23905243_1754199388216071_7721974322946491289_n

Torcida fez a diferença para o Caramuru (Foto: José Tramontin/Ponta Grossa Caramuru Vôlei)

No 2º set a história foi diferente. Os visitantes ajustaram o bloqueio e a recepção, ajudando na distribuição do levantador Rodrigo que pôde colocar os centrais no jogo, desafogando o oposto Rivaldo (4×7) e acionando também o ponteiro Fábio. Com o acúmulo de erros de saque e sem imprimir a mesma pressão do set anterior, o Caramuru caiu de rendimento e teve que apostar em seu volume de jogo para proporcionar contra-ataques. Apesar que reequilibrar o jogo, os donos da casa cometeram erros em momentos decisivos que deram ao Corinthians tranquilidade para fechar o set em 21×25 e empatar a partida.

Rallys e bloqueios marcaram o início do 3º set para ambos os lados (5×4). Apesar de continuar errando saques, o Caramuru conseguiu aproveitar os erros de ataque do Corinthians para encostar no marcador após os visitantes abrirem três pontos de vantagem (17×18). A recuperação do Caramuru colocou pressão nos corintianos (21×21), porém, em um erro da arbitragem – que marcou bola fora em um ace de Léo –, o Corinthians fechou o set em 23×25.

Contando com a boa atuação do ponteiro Fábio, o Corinthians começou muito bem no 4º set (8×12). Com o incentivo da torcida, o Caramuru foi crescendo na parcial e o saque voltou a entrar, principalmente na passagem do central Maycon no fundamento (18×16). Sentindo a pressão, os corintianos voltaram a cometer erros na recepção e no ataque. Após longa troca de pontos, o Caramuru fechou a parcial em 30×28 com dois erros seguidos do oposto Rivaldo.

No início do tie-break, o Caramuru mostrava ter controle da partida e voltou a ter consistência no saque (5×1). Após pedido de tempo de Stanzioni, os visitantes voltaram a pontuar nos erros do Caramuru e empataram a disputa (7×7). Na virada de lado, o Corinthians aproveitou o nervosismo dos donos da casa e, no momento decisivo, abriu dois pontos (12×14) e fechou o set em 12×15.

Ponta Grossa Caramuru Vôlei
Índio, Leozão, Thales, Maycon, Leo, Perón. Líbero: Bruno
Entraram: Antony, Rubbo, Dutra, Japa, Gustavo
Técnico: Fábio Sampaio

Corinthians-Guarulhos
Rodrigo, Rivaldo, Sidão, Luizinho, Mineiro, Ceará. Líbero: Felipe
Entraram: Matoso, Gabriel, Fábio
Técnico: Alexandre Stanzioni

Foto destaque: Thiago Paes/CBV

Surpresa! Estados Unidos terão campeonato nacional

Após longas décadas sem uma liga nacional, os norte-americanos terão um campeonato profissional de voleibol. Em seu site, a National Volleyball Association (NVA) aponta, na página dos jogadores inscritos, o ano de 2018 como a primeira temporada da competição que terá um evento em Las Vegas no mês que vem*. “Até agora as palavras ‘se tornar profissional’ significavam ir ao exterior para competir com os melhores atletas da indústria. A Associação Nacional de Voleibol está aqui para mudar isso. É hora de trazer a emoção, transpiração e competição de uma liga profissional de vôlei para os Estados Unidos da América”.

A NVA já conta com oito equipes: Academy United (Califórnia), Arizona Sizzle (Arizona), Blizzard Volleyball (Califórnia), Chicago Lights Out VBC (Illinois), Icemen (Illinois), Rising Tide (Washington DC), Team LVC (Nova Iorque) e Team Pineapple (Indiana). Todas estão confirmadas para o torneio dos dias 8, 9 e 10 de dezembro de 2017 no MGM Grand na cidade de Las Vegas. Informações sobre o formato da competição ainda não foram divulgadas.

Entre os jogadores confirmados estão o campeão olímpico e membro do Hall da Fama, Lloy Ball (Team Pineapple) e o central Russell Holmes (Blizzard Volleyball), que defendeu os Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012 e o Minas Tênis Clube na temporada 2010/2011. “Eu me sinto extremamente agradecido por ter a oportunidade de trabalhar de perto com os responsáveis por fazer isso possível. É um grande momento para o esporte nos Estados Unidos”, disse Holmes em sua conta no Instagram.

* Atualizada em 16.11.2017 às 16h05 para incluir a informação sobre o torneio de Las Vegas
Com informações da NVA.
Imagem destaque: Reprodução Facebook

[Superliga] Rodada do 3×0 tem 1ª vitória do Caramuru; confira os resultados

A 6ª rodada do turno da Superliga 2017/2018 terminou com resultados curiosos: todas as seis partidas foram vencidas em sets diretos. No clássico mineiro (apelidado de matriz versus filial), o Sada Cruzeiro superou o JF Vôlei, em Juiz de Fora, na abertura da rodada no dia 10. Minas Tênis Clube e Montes Claros Vôlei foram derrotados por EMS Taubaté Funvic e Sesi-SP, respectivamente. Na renovada Vila Leopoldina, o MOC ainda protagonizou, no sábado (11), um desentendimento entre o oposto Lorena e o treinador Sérgio Cunha durante um pedido de tempo no 2º set.

leozao-caramuruAinda no sábado, tivemos o confronto paranaense entre Copel Telecom Maringá e Ponta Grossa Caramuru Vôlei, no ginásio Chico Neto. Com destaque para o ponteiro Perón e o oposto Leozão – eleito melhor do jogo, o Caramuru conquistou sua primeira vitória na competição, deixando Maringá na lanterna por mais uma rodada.

Enquanto isso, o Sesc-RJ segue na cola dos líderes e passou pelo Lebes Canoas, acumulando cinco vitórias em seis partidas. No encerramento da rodada, o Corinthians-Guarulhos recebeu o Vôlei Renata e também venceu.

Superliga Masculina 2017/2018 – 6ª rodada turno – 10, 11 e 12.11
JF Vôlei 0 x 3 Sada Cruzeiro (20×25, 19×25, 16×25)
Copel Telecom Maringá Vôlei 0 x 3 Ponta Grossa Caramuru Vôlei (21×25, 21×25, 18×25)
Sesc-RJ 3 x 0 Lebes Canoas (25×16, 25×19, 25×17)
EMS Taubaté Funvic 3 x 0 Minas Tênis Clube (25×21, 25×20, 25×22)
Sesi-SP 3 x 0 Montes Claros Vôlei (25×18, 25×17, 25×22)
Corinthians-Guarulhos 3 x 0 Vôlei Renata (25×20, 25×16, 25×21)

Foto destaque: Rodrigo Araújo/Maringá Vôlei