[Europeu] Rússia e Alemanha dominam a seleção do Campeonato; Mikhaylov é MVP

Depois de duas decisões emocionantes no domingo (3), o Campeonato Europeu de Seleções elegeu os melhores jogadores da fase final da competição. Além do troféu de campeões europeus, três russos também levaram para casa títulos individuais: o oposto Mikhaylov foi escolhido o MVP do torneio; e o ponteiro Volkov e o levantador Grankin foram eleitos para a seleção do campeonato.

Vice-campeões pela Alemanha, o ponteiro Kaliberda, o oposto Grozer e o central Böhme também foram reconhecidos. Completam o time dos sonhos do Europeu 2017, o líbero belga Stuer e o central sérvio Lisinac.

dream-team-europeu2017.jpg

Na ordem: Böhme, Lisinac, Grozer, Grankin; Kaliberda, Volkov, Stuer, Mikhaylov (Fotos: CEV)

Dream Team – Seleção do Campeonato – Europeu 2017
MVP: Mikhaylov (Rússia)
Ponteiros: Kaliberda (Alemanha) e Volkov (Rússia)
Centrais: Lisinac (Sérvia) e Böhme (Alemanha)
Oposto: Grozer (Alemanha)
Levantador: Grankin (Rússia)
Líbero: Stuer (Bélgica)

Fotos: CEV.lu

Anúncios

[Europeu] Em final emocionante, Rússia vence Alemanha no tie-break

A final do Europeu reservou grandes emoções para os torcedores de Rússia e Alemanha neste domingo (3), em Cracóvia (Polônia). Após cinco sets e reviravoltas, os russos conquistaram o título continental com o triunfo diante dos alemães por 3×2 (19×25, 25×20, 22×25, 25×17, 13×15). Mais cedo, a Sérvia superou a Bélgica também por 3×2 e ficou com o bronze.

003059_CEV_EUROVOLLEY_M_20170903-232303.JPGA Rússia, que não havia perdido um set na competição até a partida final, sofreu bastante em sua linha de recepção. O equilíbrio no saque deu aos alemães uma pequena vantagem diante dos russos que não conseguiram manter o passe na mão dos levantadores Grankin e Butko durante o confronto. Porém, conseguiram aproveitar os deslizes da Alemanha no set decisivo e conquistar o seu 14º título Europeu.

Mesmo sem o título, o grupo alemão fez história ao chegar ao pódio pela primeira vez e colocou três jogadores na seleção do campeonato. Além disso, o oposto Grozer foi o maior pontuador da final com 27 pontos.

O jogo

A partida começou já exigindo bastante do sistema defensivo das duas seleções. Com a linha de recepção sofrendo com os saques do ponteiro Volkov, o treinador da Alemanha, Andrea Giani, parou a partida em 2×6. Sem o passe na mão, o levantador Kampa acabou forçando demais o jogo em cima do oposto Grozer, facilitando a marcação russa (9×13). A equipe alemã conseguiu equilibrar a parcial, porém cometeu muitos erros no saque e no ataque, dando tranquilidade para os adversários fecharem o 1º set em 19×25.

2º set
Ao contrário do set anterior, a Alemanha se ajustou no passe e ajudar a distribuição de jogo do levantador Kampa, que mostrou boa sintonia com os ponteiros nas jogadas de meio-fundo (4×2). DO lado russo, o levantador Grankin passou a ter dificuldades após boa sequência de saques dos adversários, e os atacantes também não estavam sendo efetivos no ataque (10×6). Comandando o placar e tranquilos na defesa, a Alemanha se manteve equilibrada no ataque (18×11) e jogando a pressão para o outro lado. Elétrico, o oposto Grozer empatou o confronto (25×20).

220949_CEV_EUROVOLLEY_M_20170903-214742.JPG3º set
Após a pausa (quase eterna) de dez minutos entre os sets, o bloqueio russo voltou a aparecer (5×7). Assim como no 1º set, os erros de saque da Alemanha e a eficiência russa no mesmo fundamento, principalmente com o ponteiro Volkov, colocaram a Rússia na frente (6×10). A equipe de Andrea Giani tentou parar os russos nos bloqueios e contra-ataques, porém, mais uma vez, caiu nos próprios erros. Aproveitando as oportunidades cedidas e os ataques do oposto Mikhaylov, os russos voltaram à frente no jogo e fecharam o set em 22×25.

4º set
Buscando levar o jogo para o tie-break, a Alemanha veio com tudo no 4º set. Com bloqueios em momentos importantes e os erros do ataque russo, a seleção alemã conquistou a confiança necessária para arriscar no saque (12×9). Perdidos em quadra, os russos viram os adversários abrir oito pontos (18×10). Restava apenas se reorganizar para o tie-break, e foi o que o treinador Sergey Shylapnikov fez após tirar o levantador Butko e recolocar Grankin em quadra. Mais uma vez, Grozer fechou o set para a Alemanha (25×17) e o título foi decidido no set desempate.

5º set
Um set de tiro curto pede mais atenção das equipes e, assim, o equilíbrio ditou o ritmo do tie-break. Na virada de quadra, a Alemanha vencia por 8×7, porém os russos conseguiram a virada com um ponto de Volkov explorando o bloqueio alemão (8×9). A Alemanha passou pecar nos ataques e a sofrer com a presença do bloqueio russo, que tinha três atacantes na rede (9×12). Com a confiança minada, o saque alemão, que antes havia feito estrago na recepção dos russos, perdeu a potência e deu a tranquilidade necessária para a armação das jogadas dos adversários. Oscilante em outros momentos, o oposto Mikhaylov apareceu no momento certo e fechou o set em 13×15.

Rússia
Grankin, Mikhaylov, Volkov, Volvich, Vlasov, Berezkho. Líberos: Martynyuk e Golubev
Entraram: Kliuka, Butko, Zhigalov, Kurkaev.
Técnico: Sergey Shylapnikov

Alemanha
Kampa, Grozer, Krick, Kaliberda, Fromm, Böhme. Líbero: Zenger
Entraram: Schott, Hirsch, Zimmermann
Técnico: Andrea Giani

Fotos: CEV.lu

[Europeu] Em campanha histórica, Alemanha disputa o ouro contra a Rússia

Andrea Giani conseguiu de novo. O italiano levou mais uma seleção à disputa inédita do título europeu: em 2015, levou a Eslovênia ao vice-campeonato, e, em 2017, foi a vez de conduzir a Alemanha a seu primeiro pódio no torneio. A conquista veio ao bater a favorita Sérvia na semifinal, ontem (2), em Cracóvia, por 3×2 (24×26, 15×25, 25×18, 27×25, 15×13).

202133_CEV_EUROVOLLEY_M_20170902-200539Após abrir 2×0 na partida, a Sérvia perdeu dois match points no quarto set, viu a Alemanha ressurgir nos erros adversários para levar o jogo para o tie-break. Bem disputado do início ao fim, o quinto set terminou com vitória alemã na vantagem mínima. “Foi uma partida incrível, especialmente depois de perdermos dois sets no início. É importante que nossos jogadores acreditem que poderiam vencer, e é igualmente importante lutar até o fim. Vencemos vários jogos antes deste torneio, porque trabalhamos muito e melhoramos nosso sistema de jogo. Quando voltamos à quadra depois da pausa [do 2º para o 3º set], fizemos um bom trabalho com nossos atacantes e bloqueadores. Nosso jogo defensivo foi muito importante nessa partida também”, avaliou Andrea Giani, treinador da seleção alemã.

Do lado sérvio, algumas críticas ao sistema de desafio e à parada de dez minutos entre o 2º e 3º sets – algo comum em competições no Japão, por exemplo, e “regra” do torneio que vai de encontro às tentativas estranhas da Federação Internacional para diminuir o tempo de jogo e atrair visibilidade na TV, como o teste realizado no Mundial Sub-23 –, porém sem diminuir o mérito adversário. “Após essa longa parada entre os sets, a Alemanha melhorou bastante seu jogo, enquanto nós cometemos alguns erros. Ficamos surpresos que começamos a perder o controle, mas agora temos que nos preparar para a próxima partida e lutar com todas as forças pela medalha de bronze”, disse o oposto Atanasijevic.

Rússia atropela Bélgica
Na outra semifinal, os russos venceram a Bélgica em tranquilos 3×0, parciais de 25×14, 25×17 e 25×17. A Rússia segue sem perder sets nessa Fase Final do Europeu e briga pelo 14º título na competição hoje (3) contra a Alemanha.

A final entre Alemanha e Rússia começa às 15h30 (horário de Brasília) e terá transmissão da ESPN Extra.

Com informações da CEV.
Fotos: CEV.lu

 

[Europeu] Rússia, Sérvia, Alemanha e Bélgica na briga pelo ouro

A edição 2017 do Europeu Masculino de Seleções tem sido cheia de surpresas com as eliminações da anfitriã Polônia, da atual campeã França e da atual vice-campeã olímpica Itália na fase mata-mata. Hoje (2), as quatro seleções restantes brigam pela vaga na final do torneio. Às 12h30 (horário de Brasília), Sérvia e Alemanha fazem a primeira semifinal, na sequência, Rússia e Bélgica decidem a segunda vaga.

Após levar a Eslovênia ao vice-campeonato em 2015, o treinador Andrea Giani chega mais uma vez às semifinais, agora com a seleção alemã e tentará mais uma campanha histórica: a Alemanha nunca conseguiu terminar o Europeu com um pódio, sendo seu melhor resultado um quarto lugar em 1967 e 1971. Enquanto isso, seus adversários chegam ao Top 4 pela décima vez em 12 edições. “Todos na Sérvia já falam em uma medalha de ouro, mas temos que nos concentrar apenas na Alemanha. Temos que tentar e superar isso, e então podemos pensar em algo além”, disse o capitão da Sérvia Stankovic.

A Rússia é a única seleção entre as semifinalistas a chegar a esta etapa sem perder um set, o que a coloca como grande favorita. “Sabemos que a Bélgica é um bom time e não seria justo entrar em detalhes, já que só acompanhamos a última partida contra a Itália”, comentou o treinador russo Sergey Shylapnikov.

Os canais ESPN transmitem as semifinais do Europeu 2017.

Com informações da CEV.
Foto: CEV.lu

[Europeu] Oito equipes brigam pelas últimas vagas nas quartas-de-final

Serão definidos nesta quarta-feira (30) os últimos classificados às quartas-de-final do Europeu Masculino 2017. Em Cracóvia, a Bulgária pega a Finlândia, às 12h30*, e Polônia e Eslovênia se enfrentam a partir das 15h30*. Enquanto isso, em Katowice, a Itália decide uma vaga contra a Turquia (às 12h30*), e França e República Tcheca encerram a rodada, às 15h30*. (*Horário de Brasília).

Após vencer a Liga Mundial neste ano, a França busca o bicampeonato europeu. A última equipe a vencer o Campeonato Europeu duas vezes seguidas foi a Itália, em 2003 e 2005.

Vice-campeões em 2015 depois de uma campanha inédita, a Eslovênia não fez uma boa fase classificatória nesta Fase Final na Polônia: venceu uma vez e perdeu duas partidas, todas em sets diretos. Já os poloneses terminaram na segunda colocação no Grupo A.

As seleções da Sérvia, Alemanha, Rússia e Bélgica já estão classificadas para as quartas-de-final por terem terminado a fase classificatória em primeiro lugar de seus grupos.

Os canais ESPN transmitem o Europeu 2017 para o Brasil.

Com informações da CEV.
Foto: CEV

[Champion’s League] Zenit Kazan é campeão e garante vaga do Mundial de Clubes; Leon é eleito MVP

O Zenit Kazan (RUS) conseguiu a virada diante do Trentino Diatec (ITA) na final da Champion’s League e conquistou mais uma vez o título europeu de clubes. Na decisão de domingo (17), o Zenit venceu o Trentino por 3×2 (23×25, 22×25, 25×17, 27×25 e 15×13) e foi campeão pela quarta vez.

Apesar da boa atuação, o Trentino não conseguiu parar a reação do Zenit e os ataques potentes do cubano Leon. “Estou desapontado porque tínhamos o jogo nas mãos e o deixamos escapar. O Zenit Kazan tinha algo que nós não tínhamos. Estou orgulhoso como argentino de ter conquistado a medalha de prata na Champion’s League. Agora temos que voltar para casa, analisar essa partida e nos preparar para a sequência do Campeonato Italiano”, disse o central argentino do Trentino Sebastian Solé.

Assim como o Sada/Cruzeiro no Brasil e América do Sul, o Zenit Kazan domina os campeonato Russo e Europeu. Além de conquistar o campeonato continental, a equipe russa venceu o Campeonato Russo, a Copa da Rússia e a Supercopa da Rússia. “Estamos preparados para continuar a jogar nesse nível. O desafio é representado pelo nível dos time que querem nos derrotar. Como todos puderam ver, não é fácil se manter nesse ritmo. Nós tivemos dificuldades na semifinal e na final. Como um grupo unido, nossa força é conseguir encontrar a fórmula certa para vencer”, analisou o ponteiro Matt Anderson.

O Final Four foi realizado no último fim de semana em Cracóvia (POL) e contou ainda com o Cucine Lube Banca Marche Civitanova (ITA) e o Asseco Resovia Rzeszow (POL). O time italiano ficou com a terceira colocação após derrotar os poloneses na disputa do bronze.

Leon é eleito MVP e Melhor Ponteiro

Tanto a escolha do Melhor Jogador quanto as escolhas para a seleção do campeonato não tiveram surpresas. O cubano, naturalizado polonês, Wilfredo Leon foi eleito o MVP. Leon também foi escolhido como um dos melhores ponteiros da Champion’s League. Confira abaixo a lista:

Seleção do Campeonato

Melhor líbero: Jénia Grebennikov (FRA/Cucine Lube CIVITANOVA)
Melhor Central: Russell Holmes (USA/Asseco Resovia RZESZOW)
Segundo Melhor Central: Sebastian Solé (ARG/TRENTINO Diatec)
Melhor Ponteiro: Wilfredo Leon Venero (CUB/Zenit KAZAN)
Segundo Melhor Ponteiro: Tine Urnaut (SLO/TRENTINO Diatec)
Melhor Oposto: Maxim Mikhailov (RUS/Zenit KAZAN)
Melhor Levantador: Simone Giannelli (ITA/TRENTINO Diatec)

Most Valuable Player: Wilfredo Leon Venero (CUB/Zenit KAZAN)

Com informações da CEV.

Fotos: CEV.lu

Rouzier é eleito MVP do Europeu e jovem italiano é o melhor levantador

Após performance espetacular na final do Europeu, o oposto francês Antonin Rouzier foi eleito MVP do campeonato. Na final deste domingo (18), Rouzier foi responsável por 21 pontos de sua equipe que venceu a competição continental pela primeira vez.

Na seleção do campeonato, a grande surpresa ficou com a escolha do melhor levantador. O italiano Simone Giannelli, de 19 anos, foi eleito o melhor da posição. Giannelli assumiu o posto na Azzurri ainda na Fase Final da Liga Mundial, após o corte do veterano Travica por indisciplina.

O troféu Fair Play ficou com a lenda búlgara Vladimir Nikolov.

Confira abaixo a lista completa dos escolhidos.

MVP: Antonin Rouzier (França)

Levantador: Simone Giannelli (Itália)
Oposto: Ivan Zaytsev (Itália)
Ponteiros: Ngapeth (França) e Urnaut (Eslovênia)
Centrais: Viktor Yosifov (Bulgária) e Teodor Todorov (Bulgária)
Líbero: Grebennikov (França)

Troféu Fair Play: Vladimir Nikolov (Bulgária)

*Com informações da Confédération Européenne de Volleyball – CEV

Foto: Confédération Européenne de Volleyball – CEV