[Copa Brasil] Depois de estar perdendo por 2 sets a 0, Sesi leva o jogo para o tie break e conquista uma vitória eletrizante

Nesta quinta-feira à noite (19), Sesi (SP) e Sada Cruzeiro (MG) entraram no ginásio do Taquaral, em Campinas (SP), para a disputa da segunda partida da semifinal da Copa do Brasil. Em jogo eletrizante, com direito a viradas espetaculares, o Sesi SP  venceu o jogo no tie break, após estar perdendo por  2 sets a 0. Resultado final: 3 sets a 2 para os paulistas, parciais de (23×25,23×25, 25×23, 25×20 17×15) e agora vai enfrentar o Funvic Taubaté na grande decisão de sábado (21), às 15h0, com transmissão do Sportv 2.

 O jogo

As equipes iniciaram a partida forçando o saque e com isso cometeram muitos erros.  Após

mendez

_ O técnico Marcelo Mendez cobrou muito dos seus jogadores, que responderam dentro de quadra no 1º set. [Foto: Bruno Miani/ Inovafoto/CBV]

invasão por baixo da rede do levantador William, o time paulista abriu dois pontos (9×7). Com Bruninho distribuindo bem as bolas, o Sesi foi ampliando o marcador (16×12). Quando parecia que os paulistas iriam se encaminhar para fechar o set com facilidade, o técnico Marcelo Mendez parou o jogo e cobrou atitude de seus jogadores (21×14). O puxão de orelha fez bem aos cruzeirenses que, na ótima sequência de saques do ponteiro Filipe que proporcionou muitos contra-ataques e bolas de xeque, buscaram uma reação que parecia impossível (21×20). A atitude celeste assustou o Sesi, foi a vez de Marcos Pacheco pedir tempo, mas os seus comandados sentiram o momento e, sem agressividade, viram o adversário virar a parcial (22×23) e sair na frente na semifinal (23×25), em 24 minutos.

 2º set

Os erros voltaram a se acumular, sobretudo no fundamento de saque, e o início foi equilibrado (10×10). No ataque de Théo, a bola pegou na antena e com isso o Cruzeiro abriu dois pontos (14×16).  Sabendo da importância de se manter agressivo para não deixar o Sada se impor, o Sesi aproveitou o contra-ataque para diminuir a desvantagem para apenas um ponto (19×18). Os paulistas não baixaram a guarda, mas, do outro lado, William distribuía bem as jogadas, dificultando o bloqueio adversário que ainda não tinha pontuado na partida. Após ataque de Leal, os mineiros repetiram o placar do set inicial (23×25), abrindo 2 sets a 0, em 48 minutos de partida.

3º set

Os times começaram se revezando à frente do marcador (9×8). Com o passe melhor, Bruno começou a arriscar as bolas de meio com seus centrais Lucão e Aracaju (14×11).  No saque de Leal, o Sada igualou o placar (16×16), provocando o pedido de tempo de Marcos Pacheco. A parada não fez efeito no saque do ponteiro cruzeirense que marcou mais um ponto direto nesse fundamento (16×17). O setor defensivo do Sesi melhorou, bloqueio e contra-ataque, e o time passou a comandar o set no final (24×22). E, no ataque indefensável do oposto Théo, os paulistas fecharam o set (25×23), em 29 minutos.

seeeee

– Após estar perdendo por 2 a 0, o Sesi levou a partida para o quinto set. [Foto: Bruno Miani/Inovafoto/CBV]

4º set

A parcial começou tensa, com os jogadores demonstrando um certo nervosismo. Em disputado ponto, com direito a excelentes defesas, Douglas Souza botou a bola no chão (7×5).Após o segundo árbitro relatar com o juiz principal um xingamento de um integrante da comissão técnica cruzeirense, os mineiros levaram um cartão vermelho, o que resultou em ponto para o adversário (11×10). O Cruzeiro voltou a cometer mais erros e os Sesi aproveitou o momento para abrir vantagem (15×11). No saque de Lucão, a bola bateu na fita e caiu no chão do lado adversário (18×15). Vibrando mais e mais soltos em quadra, os paulistas ditaram o ritmo do final do set (18×22). Apático, o Sada cometia mais erros de jogada que o normal e assistiram o Sesi fechar o set (25×20), em 25 minutos, e levar a decisão da semifinal para o tie-break.

5º set

A primeira metade do set decisivo foi disputado ponto a ponto, com Théo e Douglas se destacando no time paulista; e Evandro e Leal comandando o ataque cruzeirense. No no placar, (8×7) a favor do Sesi. Depois de mais uma longa troca de bolas, Leal botou a bola no chão e o Cruzeiro em vantagem (9×10). Após erro de ataque de Théo, Marcos Pacheco parou a partida (11×13).  Na volta à quadra, rapidamente o Sesi, no bloqueio de Lucão, deixou tudo igual (13×13), foi a vez de Mendez pedir tempo.  O Cruzeiro teve dois pontos do jogo, mas não aproveitou. Na primeira oportunidade que teve, o time paulista botou a bola no chão (17×15) e deu números finais ao jogo.

Equipes:

Sada Cruzeiro: William, Evandro, Leal, Filipe, Isac, Simón e Serginho.

Entraram:  Alan, Cachopa, Éder Levi

Técnico: Marcelo Mendez

 Sesi SP:  Bruno, Théo, Douglas Souza, Murilo, Sidão, Aracaju e Serginho.

Entraram: Fábio, Alan, Rafa, Leitzke

Técnico: Marcos Pacheco

[Foto de capa: Bruno Miani/Inovafoto/CBV]

Anúncios

PASSAPORTE CARIMBADO

Nos últimos três jogos na Copa do Mundo de Volei nossa seleção consegiu os 100% e com isso terminou a competição em terceiro lugar e  com o seu objetivo maior alcançado:  VAGA PARA OS JOGOS OLÍMPICOS que acontecem ano que vem. O time de Bernardinho venceu naúltima fase o Irã por 3 sets a 0, a Polônia (em um jog sensacional em que a seleção conseguiu uma virada espetacular) por 3 sets a 2 e fechou sua participação vencendo o Japão, donos da casa por 3 sets a 1.

Rússia ficou com o título e a Polônia com o vice campeonato ficando com as outras duas vagas que a competição distribui.

O levantador Bruninho (um dos resposnáveis  pela reação da seleção nessa última fase) comentou:

“Tivemos que controlar a pressão e a ansiedade de ter que enfrentar Irã, Polônia e Japão sem poder errar. Foram três jogos com a corda no pescoço, mas garantimos a vaga olímpica e isso é o mais importante. O Brasil vai estar em Londres e, mais uma vez, mostramos que o grupo tem muita garra e superação”.

 

 

 

 

 Jogadores e comissão técnica irão desembarcar hoje no Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro, às 19h15, no vôo AF0444, da Air France.

OBJETIVO: LONDRES 2012

A seleção brasileira foi derrotada pelo time TITULAR da Sérvia no último jogo da terceira fase da Copa do Mundo de Volei por 3 sets a 1(27/25, 20/25, 20/25 e 22/25). Não entendeu a palavra “titular” em destaque? Vou explicar…

A seleção Sérvia ocupa o 10º lugar entre as  12 equipes  que disputam  a competição, sem chances de  se classificar para as Olimpíadas através da Copa do Mundo( os três primeiros classificados já garantem vaga para os proximos Jogos Olímpicos) o objetivo da Sérvia foi alterado:  facilitar o caminho das  equipes europeias , fazer com que as 3 vagas que a Copa do Mundo distribui sejam conquistadas pelas equipes do Velho Continente. Assim, no Pré-Olímpico Europeu( outra forma de garantir a vaga para L0ndres 2012) a Sérvia não enfrentaria as principais forças do voleibol do continente e nessa competição também se classificaria para as Olimpíadas.

Na prática, a Sérvia já enfrentou a Rússia e a Itália sem seus principais jogadores, resultado: 2 derrotas e nenhuma tristeza pelos resultado negativos.  Contra o Brasil vimos uma Sérvia com suas principais forças e  jogadores como o oposto Milijkovic e um ponteiro passador Nikic em um grande dia passando facilmente pelo bloqueio brasileiro e colocando a bola na quadra brasileira.

Giba comentou a situação após a derrota brasileira:

“-A Sérvia parece que não se importa muito com o campeonato, mas, sim, em fazer com que o maior número de times europeus se classificassem, facilitando o pré-olímpico para eles. Sabemos que a nossa classificação continua dependendo só da gente. Vamos buscar os nove pontos na próxima fase para garantir a nossa vaga de qualquer jeito”, disse.

Mas não se pode colocar a culpa da derrota  da seleção brasileira apenas pelo fato da Sérvia ter entrado com o time titular contra o Brasil, nossa seleção jogou bem abaixo do esperado, ao todo foram 32 erros o que contribuiu para a terceira derrota da seleção verde e amarela.

O técnico Bernardinho também comentou sobre o desempenho de sua equipe:

“Contra a Rússia e Estados Unidos, por exemplo, erramos pouco e vencemos bem. A Sérvia jogou solta, tranquila, e o excesso de erros cometidos por nós acabou nos penalizando.”

 

A seleção brasileira no momento está em quarto lugar e ainda enfrenta Irã, Polônia(líder do campeonato) e a seleção da casa Japão para conquistar uma das vagas olímpicas.

 

 

NÃO ESTAVA NOS PLANOS…

 

A seleção brasileira entrou em quadra sabendo das as principais características do time cubano : o vigor físico e o saque forte, no primeiro set a tática brasileira até funcionou bem, porém, Cuba cresceu muito no jogo e venceu a partida por 3 sets a 2 (17X 25, 25X 22, 25 X 22, 20 X 25 e 15 X 12),  segunda derrota do Brasil na competição.

1º set:

      O Brasil começou de forma arrasadora, quando o placar marcava 4 a 2 , a seleção já tinha  marcado  1 ponto de ataque,2 de bloqueios e 1 de saque.

Com o oposto Hernandez e o ponteiro passador Leon jogando abaixo do que sabem a vantagem brasileira foi se estendendo, na segunda parada técnica obrigatória o placar marcava 16 X 9. No final do set Cuba marcou 4 pontos seguidos, mas a folga no placar a favor do Brasil era extensa e não deu para Cuba reagir: 25 X 17. A seleção marcou 8 pontos de bloqueio e Giba foi o maior pontuador do set.

2º set:

     O saque cubano começou a entrar com Hernandez, do lado brasileiro o capitão Giba continuava sendo o destaque. Com um bloqueio, a seleção caribenha chegou na frente do placar, 8 X 6.

Murilo, discreto no ataque era fundamental na recepção e principalmente no saque, assim a seleção virou o jogo: 11 X 9, mas com um erro brasileiro de saque e um ace de Hernandez, Cuba igualou o placar e na seqüência com um saque e um bloqueio chegaram a abrir 2 pontos.

A seleção jogava bem, após belas defesas e um saque forçado de Murilo  ficaram na frente do placar,20 X 19. Cuba pontuava no contra- ataque e contando com ótimos ataques do canhoto Hernandez, Cuba fechou o set: 25 X 22.

     3º set:

     A vitória no segundo set deu moral a  seleção cubana, no primeiro tempo técnico a vantagem era de 5 pontos : 8 x 3. Bernardinho promoveu a inversão do 5:1 , mas optou por colocar Wallace no lugar do Théo, saíram Marlon e Vissotto.

Wallace marcou 2 pontos importantes, no outro lado da rede Leon, (ponteiro passador de 18 anos e titular da seleção desde os 14) crescia no jogo 10 X 6 para Cuba no marcador.

A seleção buscava o marcador, após uma recuperação de bola sensacional de Giba o Brasil encostou no placar, 12 X 10, obrigando o técnico Orlando Samuels a parar o jogo. A parada fez bem ao time cubano, marcando 3 pontos seguidos abriram 15 X 10.

O Brasil até empatou o marcador, mas não conseguia passar na frente, Leon e Hernandez fizeram a diferença, 20 X 17. Após erro de saque de Vissotto, 25 X 22 Cuba.

4º set:

Atrás do placar , só restava ao Brasil vencer e provocar o tiebreak, Bruninho e Wallace começaram como titular.   Com dois  aces de Giba, 6 X 4 no placar a favor do Brasil.

Na segunda parada técnica a folga no marcador era de 5 pontos: 16 X 11. Administrando a folga no placar, a seleção fechou o set por 25 X 20

5 ºset:

No set de desempate Cuba liderou na maior parte,  abriram 3 pontos  7 X 4, mas após a troca de lado obrigatória o Brasil emaptou o jogo, 8 X 8 mas nao conseguia ficar a frente no marcador. Cuba voltou a abrir 2 pontos, Leon foi o grande destaque do set. A seleção não consgeuiu reagir e Cuba fechou o set por 15 X 12 e o jogo por 3 sets a 2.

 

Foi a segunda derrota brasileira na Copa do Mundo de Volei, mas o Brasil ainda sonha com o titulo pois ainda tem um confronto direto com a líder Polônia( jogo acontece na madrugada de sexta para sábado).

INGREDIENTE A MAIS NO CLÁSSICO BRASIL X ARGENTINA

A seleção brasileira venceu o clássico contra a Argentina por 3 sets a 0(25/22, 25/20 e 25/21) na estreia da terceira fase da Copa do Mundo de Volei, a competição que é disputada no Japão parecia acontecer no Brasil. A cidade d Hamamatsu (local da competição), é uma cidade com grande números de  brasileiros,  por isso, a arquibancada estava tomada de verde e amarelo e o coro de ” Brasil, Brasil “ecoava no ginásio.Porém, o que mais chamou a atenção no jogo ocorreu fora das quatro linhas.

Dentro das quadras, a fim de não levar sustos como no jogo anterior diante da China,  o Brasil entrou com o time titular Marlon, Sidão, Lucão, Giba,  Murilo, Leandro Vissotto e o líbero Serginho.

O JOGO:

1º set:

As seleções entram em quadra  contra a seleção brasileira dispostas a jogar tudo o que sabem. E não foi diferente contra os hermanos. A seleção argentina começou melhor no jogo e já abriu vantagem logo no início, com desfalque do ponteiro Facundo Conte( sentiu dores no joelho), os ataques ficaram por conta do oposto Federico Pereyra( que atua no Brasil na equipe de Montes Claros)  e do ponteiro Rodrigo Quiroga, sem consegui encaixar o bloqueio o Brasil tinha dificuldades em passar na frente do marcador, a vantagem só veio no 14 X 12. A seleção até consgeuiu uma folga no marcador no fim do set, mas a Argentina  voltou a igualar o placar: 22 X 22. Bernardinho parou o jogo e na volta do tempo técnico só deu Brasil: 25 X22.

2º set:

O início do segundo set brasileiro foi melhor e relação ao primeiro, Leandro Vissotto foi o destaque do set e do jogo( no total foram 17 pontos do nosso oposto). Mas na segunda parada obrigatória uma discussão entre o líbero Serginho e o técnico Bernardinho chamou a atenção. O placar marcava 16 X 13 para o Brasil, mas Serginho insatisfeito com os erros infantis do Brasil resolveu desabafar, sobrando até para o técnico brasileiro que acostumado a gritar, dessa vez apenas ouviu. No fim do jogo Serginho minimizou o desentendimento:

Líbero Serginho (Fonte: FIVB)

“- Esse tipo de coisa faz parte. Não conseguimos jogar calados. A nossa equipe tem um espírito guerreiro dentro da quadra e isso foi uma discussão normal. Já havia acontecido outras vezes. O importante é que o campeonato segue e  vamos continuar unidos como sempre. Se for pra discutir e vencer por 3 a 0 sempre, não tem problema.”

A seleção não se deixou se abater após o desentendimento e fechou o set: 25 X 20, abrindo 2 sets a 0 no jogo.

     3º set:

Novamente um início de set equilibrado, mas com bons saques de Giba a seleção abriu no placar 11 X 7. Com um bom volume de jogo a seleção se encaminhava para fechar  a partida.  Na segunda parada técnica o placar mostrava 16 X 10 pra seleção brasileira. No final, a Argentina até tentou diminuir a diferença, mas já nao dava tempo: 25 X 21 para o Brasil e 3 sets a 0 no placar final.

No fim do jogo o Técnico Bernardinho fez sua análise do jogo:

“- Estivemos um pouco apáticos no início do jogo e, independentemente do resultado, temos que buscar uma melhora de atuação sempre. Acho que hoje não alcançamos esse objetivo de melhorar e de usar o jogo de hoje como um degrau a mais para conseguir um desempenho ainda melhor”.

O penúltimo confronto da seleção brasileira será às 4h, segunda-feira, contra a seleção de Cuba. Os canais SPORTV, GLOBO e Esporte Interativo transmitem a partida.

Confira a sguir o momento em que o  líbero Serginho e o técnico Bernardinho discutem:

CLÁSSICO SUL-AMERICANO

Confronto sul- americano nesta madrugada, Brasil  e Argentina se enfrentam na estreia da terceira fase da Copa do Mundo de Volei que acontece no Japão.

Será o quarto confronto entre as duas seleções este ano, já se enfrentaram em dois jogos amistosos e na final do Sul-americano (competição vencida pelo Brasil). O técnico Bernardinho fez uma análise do jogo e espera um confronto difícil:

_”A Argentina é um rival tradicional do Brasil. Uma equipe que, historicamente, sempre foi uma pedra no sapato e que, em muitas disputas importantes, venceu o Brasil. É uma equipe jovem, com grandes jogadores que são filhos das antigas gerações vencedoras da Argentina, e muito bem comandada pelo Weber” – disse Bernardinho.

  O jogo será domingo às 4h horas , SPORTV,GLOBO e ESPORTE  INTERATIVO transmitem a partida

NO SUFOCO MAS NO FIM DEU A LÓGICA…

Seleção ouve atenta o técnico Bernardinho na vitória sobre a China por 3 sets a 1. Fonte: FIVB

Ao contrário da tradicional equipe de  voleibol feminino, a seleção masculina da China  sem muita tradição na modalidade resolveu complicar a vida da seleção brasileira. A equipe chinesa que ainda nao tinha vencido sets, venceu o seus primeiros sets no jogo contra o Brasil, levou o jogo ao tie-break, porém, na hora decisiva deu a lógica;  vitória brasileira por 3 sets a 2 ,(23 X 25, 25  X10, 25X 18 , 19 X25 e 15X  ). Contra o time asiático,  Bernardinho escalou um time diferente em relação ao que ganhou do time da Rússia no jogo anterior.  Os jogadores que começaram  a partida foram: Bruno, Theo, Gustavo( primeiro jogo em que o experiente central  foi relacionado nessa Copa do Mundo de Volei), João Paulo Bravo, Murilo, Rodrigão e o líbero Serginho.

O JOGO

1 set:

Como é o forte das equipes asiáticas, a China começou defendendo muito bem e virando nos contra-ataques, na primeira parada obrigatória, 8 X 7 para o adversário. Com um bloqueio simples em cima do ponteiro passador João Paulo Bravo o time chinês abriu três pontos de vantagem: 12 X 9.  Bernardinho promoveu a inversão do 5X 1, saíram Murilo e Bruninho, entraram Marlon e Wallace. Mas no segundo tempo técnico, 16 X 11 para os chineses. O time brasleiro encostou no placar contando com pontos de contra-ataque o que acabou provocando o pedido de tempo do técnico chinês, 18 X 16.  Decididos a não entregar o set no fim, a seleção chinesa atuava muito bem, com belas combinações de  jogadas rápidas de meio de rede ( jogada típica brasileira), defesas e ataques eficientes, a China surpreendentemente venceu o Brasil: 25 X 23.

China surpreendentemente vence o 1º set: 25 X 23

    2 set:

Disposto a espantar a zebra a  equipe       brasileira voltou muito mais concentrada no  jogo, com 3 X 0 no placar, o técnco chinês foi obrigado a parar o jogo logo no início do set. Sacando e  bloqueando melhor e contando com bons ataques dos principais atacantes, a vantagem era de 6 pontos no primeiro tempo técnico: 8 X2. A China continuava dependente do principal atacante P. Chen e em um bloqueio simples do jogador em cima do Murilo a equipe chinesa tentava uma reação no placar, 11 X 7. Na segunda parada técnica, 16 X 7 para o Brasil, João Paulo Bravo foi o destaque da seleção no set.  Com uma postura  bem mais confiante, contra-atacando e sacando bem a equipe brasileira atropelou a chinesa :25 X 10 . 

Ataque de Ping Chen, melhor jogador chinês ( FIVB)

3 set:

O início de set mais equilibrado, as duas equipes ficaram trocando pontos.  No primeiro tempo técnico: 8 X 7 para o Brasil.  A seleção foi abrindo no placar e a vantagem era de quatro pontos no segundo tempo técnico,16 X 12. E com um ace, a equipe brasileira  sem sustos fechou o set , 25 X 18.

4 set:

Na frente do placar ( 2 sets a 1, de virada), a equipe brasileira entrou determinada a fechar o jogo no 4º set e assim evitar o tie-break. Após um lindo ataque do ponteiro passador Murilo e um ponto de vantagem, a seleção foi à frente no tempo técnico.

Porém a China queria ganhar  mais um set sobre o Brasil e assim conquistar seu primeiro ponto na competição. Na segunda parada técnica, 16 X 12 para os chineses. Com uma bela vantagem chinesa, Bernardinho promoveu a entrada do central Lucão em busca de um bloqueio para diminuir o placar em relação ao time chinês. Mas  a troca de centrais não foi eficiente, com uma atuação inconstante do Brasil, a China veneu o set por 25 X 19, levando o jogo ao quinto e decisivo set.

 5 set:

A seleção entrou no set decisivo com alterações: Lucão e Wallace começaram como titular nos lugares de Gustavo e Theo. Com um ótimo volume de jogo a seleção foi com uma folga no placar na troca de lado de quadra, 8 X 3.

O oposto Wallace entrou atacando e sacando muito bem  e foi determinante para a boa atuação da equipe brasileira no último set. E com um bloqueio simples de Lucão( que também entrou no último set) , o Brasil fechou o jogo: 15 X 8.

Com o jogo de 5 sets diante da China, a seleção perde a liderança da competição . Agora a seleção mudará novamente de sede para a disputa da terceira fase da competição. Após passar por Kagoshima, o Brasil deixa Kumamoto e segue rumo a Humamatsu. O primeiro confronto será um clássico sul-americano, Brasil X Argentina, madrugada de sábado para domingo, 4h da manhã. SPORTV, GLOBO e ESPORTE INTERATIVO transmitem a partida.