[Copa Brasil] Depois de estar perdendo por 2 sets a 0, Sesi leva o jogo para o tie break e conquista uma vitória eletrizante

Nesta quinta-feira à noite (19), Sesi (SP) e Sada Cruzeiro (MG) entraram no ginásio do Taquaral, em Campinas (SP), para a disputa da segunda partida da semifinal da Copa do Brasil. Em jogo eletrizante, com direito a viradas espetaculares, o Sesi SP  venceu o jogo no tie break, após estar perdendo por  2 sets a 0. Resultado final: 3 sets a 2 para os paulistas, parciais de (23×25,23×25, 25×23, 25×20 17×15) e agora vai enfrentar o Funvic Taubaté na grande decisão de sábado (21), às 15h0, com transmissão do Sportv 2.

 O jogo

As equipes iniciaram a partida forçando o saque e com isso cometeram muitos erros.  Após

mendez

_ O técnico Marcelo Mendez cobrou muito dos seus jogadores, que responderam dentro de quadra no 1º set. [Foto: Bruno Miani/ Inovafoto/CBV]

invasão por baixo da rede do levantador William, o time paulista abriu dois pontos (9×7). Com Bruninho distribuindo bem as bolas, o Sesi foi ampliando o marcador (16×12). Quando parecia que os paulistas iriam se encaminhar para fechar o set com facilidade, o técnico Marcelo Mendez parou o jogo e cobrou atitude de seus jogadores (21×14). O puxão de orelha fez bem aos cruzeirenses que, na ótima sequência de saques do ponteiro Filipe que proporcionou muitos contra-ataques e bolas de xeque, buscaram uma reação que parecia impossível (21×20). A atitude celeste assustou o Sesi, foi a vez de Marcos Pacheco pedir tempo, mas os seus comandados sentiram o momento e, sem agressividade, viram o adversário virar a parcial (22×23) e sair na frente na semifinal (23×25), em 24 minutos.

 2º set

Os erros voltaram a se acumular, sobretudo no fundamento de saque, e o início foi equilibrado (10×10). No ataque de Théo, a bola pegou na antena e com isso o Cruzeiro abriu dois pontos (14×16).  Sabendo da importância de se manter agressivo para não deixar o Sada se impor, o Sesi aproveitou o contra-ataque para diminuir a desvantagem para apenas um ponto (19×18). Os paulistas não baixaram a guarda, mas, do outro lado, William distribuía bem as jogadas, dificultando o bloqueio adversário que ainda não tinha pontuado na partida. Após ataque de Leal, os mineiros repetiram o placar do set inicial (23×25), abrindo 2 sets a 0, em 48 minutos de partida.

3º set

Os times começaram se revezando à frente do marcador (9×8). Com o passe melhor, Bruno começou a arriscar as bolas de meio com seus centrais Lucão e Aracaju (14×11).  No saque de Leal, o Sada igualou o placar (16×16), provocando o pedido de tempo de Marcos Pacheco. A parada não fez efeito no saque do ponteiro cruzeirense que marcou mais um ponto direto nesse fundamento (16×17). O setor defensivo do Sesi melhorou, bloqueio e contra-ataque, e o time passou a comandar o set no final (24×22). E, no ataque indefensável do oposto Théo, os paulistas fecharam o set (25×23), em 29 minutos.

seeeee

– Após estar perdendo por 2 a 0, o Sesi levou a partida para o quinto set. [Foto: Bruno Miani/Inovafoto/CBV]

4º set

A parcial começou tensa, com os jogadores demonstrando um certo nervosismo. Em disputado ponto, com direito a excelentes defesas, Douglas Souza botou a bola no chão (7×5).Após o segundo árbitro relatar com o juiz principal um xingamento de um integrante da comissão técnica cruzeirense, os mineiros levaram um cartão vermelho, o que resultou em ponto para o adversário (11×10). O Cruzeiro voltou a cometer mais erros e os Sesi aproveitou o momento para abrir vantagem (15×11). No saque de Lucão, a bola bateu na fita e caiu no chão do lado adversário (18×15). Vibrando mais e mais soltos em quadra, os paulistas ditaram o ritmo do final do set (18×22). Apático, o Sada cometia mais erros de jogada que o normal e assistiram o Sesi fechar o set (25×20), em 25 minutos, e levar a decisão da semifinal para o tie-break.

5º set

A primeira metade do set decisivo foi disputado ponto a ponto, com Théo e Douglas se destacando no time paulista; e Evandro e Leal comandando o ataque cruzeirense. No no placar, (8×7) a favor do Sesi. Depois de mais uma longa troca de bolas, Leal botou a bola no chão e o Cruzeiro em vantagem (9×10). Após erro de ataque de Théo, Marcos Pacheco parou a partida (11×13).  Na volta à quadra, rapidamente o Sesi, no bloqueio de Lucão, deixou tudo igual (13×13), foi a vez de Mendez pedir tempo.  O Cruzeiro teve dois pontos do jogo, mas não aproveitou. Na primeira oportunidade que teve, o time paulista botou a bola no chão (17×15) e deu números finais ao jogo.

Equipes:

Sada Cruzeiro: William, Evandro, Leal, Filipe, Isac, Simón e Serginho.

Entraram:  Alan, Cachopa, Éder Levi

Técnico: Marcelo Mendez

 Sesi SP:  Bruno, Théo, Douglas Souza, Murilo, Sidão, Aracaju e Serginho.

Entraram: Fábio, Alan, Rafa, Leitzke

Técnico: Marcos Pacheco

[Foto de capa: Bruno Miani/Inovafoto/CBV]

PASSAPORTE CARIMBADO

Nos últimos três jogos na Copa do Mundo de Volei nossa seleção consegiu os 100% e com isso terminou a competição em terceiro lugar e  com o seu objetivo maior alcançado:  VAGA PARA OS JOGOS OLÍMPICOS que acontecem ano que vem. O time de Bernardinho venceu naúltima fase o Irã por 3 sets a 0, a Polônia (em um jog sensacional em que a seleção conseguiu uma virada espetacular) por 3 sets a 2 e fechou sua participação vencendo o Japão, donos da casa por 3 sets a 1.

Rússia ficou com o título e a Polônia com o vice campeonato ficando com as outras duas vagas que a competição distribui.

O levantador Bruninho (um dos resposnáveis  pela reação da seleção nessa última fase) comentou:

“Tivemos que controlar a pressão e a ansiedade de ter que enfrentar Irã, Polônia e Japão sem poder errar. Foram três jogos com a corda no pescoço, mas garantimos a vaga olímpica e isso é o mais importante. O Brasil vai estar em Londres e, mais uma vez, mostramos que o grupo tem muita garra e superação”.

 

 

 

 

 Jogadores e comissão técnica irão desembarcar hoje no Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro, às 19h15, no vôo AF0444, da Air France.

OBJETIVO: LONDRES 2012

A seleção brasileira foi derrotada pelo time TITULAR da Sérvia no último jogo da terceira fase da Copa do Mundo de Volei por 3 sets a 1(27/25, 20/25, 20/25 e 22/25). Não entendeu a palavra “titular” em destaque? Vou explicar…

A seleção Sérvia ocupa o 10º lugar entre as  12 equipes  que disputam  a competição, sem chances de  se classificar para as Olimpíadas através da Copa do Mundo( os três primeiros classificados já garantem vaga para os proximos Jogos Olímpicos) o objetivo da Sérvia foi alterado:  facilitar o caminho das  equipes europeias , fazer com que as 3 vagas que a Copa do Mundo distribui sejam conquistadas pelas equipes do Velho Continente. Assim, no Pré-Olímpico Europeu( outra forma de garantir a vaga para L0ndres 2012) a Sérvia não enfrentaria as principais forças do voleibol do continente e nessa competição também se classificaria para as Olimpíadas.

Na prática, a Sérvia já enfrentou a Rússia e a Itália sem seus principais jogadores, resultado: 2 derrotas e nenhuma tristeza pelos resultado negativos.  Contra o Brasil vimos uma Sérvia com suas principais forças e  jogadores como o oposto Milijkovic e um ponteiro passador Nikic em um grande dia passando facilmente pelo bloqueio brasileiro e colocando a bola na quadra brasileira.

Giba comentou a situação após a derrota brasileira:

“-A Sérvia parece que não se importa muito com o campeonato, mas, sim, em fazer com que o maior número de times europeus se classificassem, facilitando o pré-olímpico para eles. Sabemos que a nossa classificação continua dependendo só da gente. Vamos buscar os nove pontos na próxima fase para garantir a nossa vaga de qualquer jeito”, disse.

Mas não se pode colocar a culpa da derrota  da seleção brasileira apenas pelo fato da Sérvia ter entrado com o time titular contra o Brasil, nossa seleção jogou bem abaixo do esperado, ao todo foram 32 erros o que contribuiu para a terceira derrota da seleção verde e amarela.

O técnico Bernardinho também comentou sobre o desempenho de sua equipe:

“Contra a Rússia e Estados Unidos, por exemplo, erramos pouco e vencemos bem. A Sérvia jogou solta, tranquila, e o excesso de erros cometidos por nós acabou nos penalizando.”

 

A seleção brasileira no momento está em quarto lugar e ainda enfrenta Irã, Polônia(líder do campeonato) e a seleção da casa Japão para conquistar uma das vagas olímpicas.