[Superliga] JF Vôlei vence Maringá por 3 a 0 e conquista a primeira vitória diante de seu torcedor

Neste sábado (24), jogando no Ginásio da UFJF pela 8ª rodada do returno da Superliga 2017/18, o JF Vôlei enfrentou o Copel/Telecom/Maringá, do experiente levantador Ricardinho, e derrotou o adversário por 3 a 0 (25/22, 25/16, 25/20), conquistando sua primeira vitória dentro de casa. Diante de uma apresentação convincente e agressiva de toda equipe mineira, o prêmio de melhor e quadra ficou com o levantador Henrique Adami, de 21 anos, responsável por armar as jogadas.

Henrique Furtado, técnico de Juiz de Fora, que já vinha aprovando a atuação de sua

Superliga 2017/2018 - JF Vôlei 3 x 0 Copel Telecom Maringa 24.0

– O levantador Adami, 21 anos, que ganhou a titularidade no início do segundo turno, fez uma partida excelente e foi premiado com o prêmio de melhor jogador  da partida. [Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei.com]

equipe nos últimos confrontos, não poupou elogios aos seus jogadores. “O resultado veio com muita luta, com todos jogando bem e com um grande trabalho coletivo”, elogiou. “Não nos deixamos abalar pelas derrotas. É um grupo jovem, que não desiste e que precisa jogar para mostrar todo o potencial.”

Do outro lado, o técnico Alessandro Fadul, que já comandou  o JF Vôlei por duas temporadas, não escondeu a insatisfação com o resultado. “Fizemos um jogo ruim, com muitos erros de saque e recepção que comprometeram nosso jogo”, analisou. “Não tiramos os méritos do JF Vôlei, que fez uma grande partida, mas é decepcionante porque tivemos duas vitórias muito boas e esperávamos manter esse ritmo”, revelou.

Brigando contra o rebaixamento, os três pontos foram fundamentais para o JF Vôlei continuar sonhando com a chance de escapar, faltando ainda três partidas para o encerramento da fase de classificação.  Com o resultado, os mineiros chegaram aos oito pontos e estão em 11º lugar, ultrapassando justamente Maringá, que com sete pontos voltaram para a lanterna da competição.

O jogo

As equipes entraram em quadra demonstrando um ótimo aproveitamento no ataque. Do lado mineiro, Leozinho e Emerson se destacavam nesse fundamento. Do outro, um lado, Ricardinho acionava bastante Alison e Alê, e Maringá se manteve com um ponto de vantagem até a metade da parcial (12×13). Porém, os donos da casa não diminuíram o ritmo e não deixavam o adversário desgarrar no marcador (16×17).  Na reta final do set, os paranaenses cometeram mais erros e viram o bloqueio de Juiz de Fora aparecer para passar à frente do marcador, abrir vantagem e se encaminhar para definir (25×22).

O Copel Telecom não se abateu com a derrota e voltou à quadra ditando o ritmo (6×9), mas essa vantagem não durou muito. Com bloqueios de Rômulo e um saque balanceado de Bruno, que fez estrago na recepção adversária, o JF Vôlei se ajustou e virou o placar (16×12). Maringá voltou a acumular erros e viu os donos da casa abrirem ótima margem (22×14) e se encaminharem para fechar mais um set (25×16), desta vez com maior tranquilidade.

Precisando somar pontos, os paranaenses não se entregaram e, assim como foi no set anterior, comandavam o marcador (3×5), após dois bloqueios seguidos de Wennder. Esse fundamento também foi o destaque de Juiz de Fora, e o time mineiro marcou cinco vezes consecutivas, três vezes com o bloqueio, virando o placar (14×11).  Fadul pediu tempo e modificou algumas vezes sua equipe. A parada fez bem para os visitantes, que voltaram mais ligados e igualaram o set (16×16). Porém, o JF Vôlei permaneceu sólido, não permitiu que o adversário crescesse na reta final e voltou a se impor, abrindo vantagem (23×20) até fechar o set (25×20).

EQUIPES:

JF Vôlei: Adami, Bruno, Rômulo,Leozinho, Raphael,  Emerson. Líbero: Juan Mendez

Entraram: Felipe, Rammé, Wellinton

Técnico: Henrique Furtado

Copel  Telecom Maringá Vôlei: Ricardinho,Ialisson, Wennder, Secco, Alison, Alê, Líbero: Dani

Entraram: Gian, Kaio, Bruno, Matheus, Johan

Técnico: Alessandro Fadul

Anúncios

[Superliga] Maringá vence e assume a décima posição; Minas para diante do Sada

A tarde de ontem (11) prometia um grande clássico entre Minas Tênis Clube e Sada Cruzeiro na capital mineira, e foi o que vimos nos dois primeiros sets do confronto. Apesar da recuperação na segunda parcial, os minastenistas foram dominados no terceiro set encerrando a sequência de seis rodadas seguidas pontuando na Superliga 2016/2017. A vitória por 3×0 (parciais de 23×25, 22×25, 10×25) foi a 17ª do Sada Cruzeiro que segue líder isolado e invicto na competição.

Disputando a 6ª colocação com o Minas, o JF Vôlei foi ao Rio Grande do Sul e se recuperou vencendo o Lebes Gedore Canoas por 3×0. No próximo sábado, o time da Zona da Mata mineira recebe o Minas, às 18h, no ginásio da UFJF.

Maringá vence a segunda seguida

Após o triunfo sobre o JF Vôlei no meio da semana, o Copel Telecom Maringá Vôlei fez o dever de casa e conquistou mais uma vitória importante na briga contra o rebaixamento. No ginásio Chico Neto, os paranaenses fizeram 3×1 sobre o lanterna Caramuru Vôlei e assumiram a décima posição na tabela, ultrapassando o São Bernardo Vôlei que foi derrotado pelo Sesi-SP no interior paulista.

No encerramento da rodada, o Montes Claros Vôlei foi superado, em casa, pelo Funvic Taubaté por três sets a um. Confira os resultados da rodada:

Superliga Masculina 2016/2017 – 6ª rodada returno – 11.02.2017
São Bernardo Vôlei 0 x 3 Sesi-SP (23×25, 20×25, 19×25)
Minas Tênis Clube 0 x 3 Sada Cruzeiro (23×25, 22×25, 10×25)
Lebes Gedore Canoas 0 x 3 JF Vôlei (23×25, 26×28, 22×25)
Copel Telecom Maringá Vôlei 3 x 1 Caramuru Vôlei/Castro (26×28, 25×21, 25×21, 25×23)
Bento Vôlei Isabela 0 x 3 Vôlei Brasil Kirin (16×25, 22×25, 22×25)
Montes Claros Vôlei 1 x 3 Funvic Taubaté (20×25, 25×21, 23×25, 21×25)

7ª rodada returno – 18.02.2017
11h – São Bernardo Vôlei x Copel Telecom Maringá Vôlei
14h10 – Sada Cruzeiro x Bento Vôlei Isabela (REDE TV)
18h – JF Vôlei x Minas Tênis Clube
18h30 – Funvic Taubaté x Sesi-SP
20h – Caramuru Vôlei/Castro x Lebes Gedore Canoas
21h30 – Vôlei Brasil Kirin x Montes Claros Vôlei (SPORTV)

[Superliga] Em jogo de viradas e cinco sets, Maringá derrota o JF Vôlei em Minas Gerais

Em sexto lugar na tabela e tentando se consolidar no G8 da tabela, o JF Vôlei recebeu, na noite de quarta-feira(8), o Copel Telecom Maringá, vice-lanterna da Superliga. Mesmo jogando fora de casa e começando perdendo, em um jogo cheio de viradas e emoção do início ao fim, os visitantes demonstraram poder de reação e venceram por 3 sets a 2, parciais de (25×17,21×25, 23×25, 33×31 e 10×15). O oposto Marcílio foi eleito o melhor em quadra e recebeu o troféu VivaVôlei.

Com o resultado, Maringá  conquistou a terceira vitória, chegou aos oito pontos, mas ainda ocupa a 11ª posição da tabela. Na próxima rodada, o time paranaense faz um confronto estadual contra o Caramuru Vôlei Castro, lanterna da Superliga, mas que conseguiu sua primeira vitória na competição nesta rodada, diante de São Bernardo(SP). Já o JF Vôlei chegou aos 22 pontos e se manteve na 6ª posição, porém, tem a  mesma pontuação do Minas Tênis Clube, que está em sétimo. Na próxima rodada Juiz de Fora vai até o Sul enfrentar o Lebes Gedore Canoas, oitavo colocado.

O jogo

O JF Vôlei iniciou a partida demonstrando mais ritmo, com o sistema defensivo bastante eficiente e o saque balanceado, dificultando a recepção do adversário (6×4). Após sequencia de saques do ponteiro Rammé, os donos da casa abriram margem (12×8). Maringá continuou não conseguindo colocar a bola em boas condições para o levantador Ricardinho e Juiz de Fora continuou dominando o set (21×12). O técnico Renato promoveu algumas mudanças na equipe, mas não modificou o andar do set. O JF Vôlei fechou o set em 25×17, após 22 minutos de disputa.

2º set

Como se tivessem anulado o set anterior, Maringá começou a segunda parcial jogando muito melhor do que o set anterior (5×7). Com a recepção ajustada, o levantador Ricardinho pôde distribuir melhor as jogadas, dificultando o trabalho do bloqueio adversário, com destaque para os ataques de Sérgio Félix, Aureliano e Marcílio, esse último que entrou no primeiro set e não saiu mais de quadra(14×20). O JF Vôlei até diminuiu a desvantagem para três pontos (20×23), mas não teve mais tempo para reagir (21×25).

3º set

Os paranaenses começaram comandando o marcador com vantagem de dois pontos (3×5), mas após ataque de Renan, o time mineiro passou à frente e levantou a torcida (7×6).O lance deu um gás a mais para Juiz de Fora que foi abrindo (17×14). Porém, o Copel Telecom Maringá conseguiu se recuperar e deixou tudo igual (18×18). Mais agressivos, os visitantes pontuaram no contra-ataque e no bloqueio, em sequência, para passar à frente no placar e abrir dois pontos (18×20), vantagem que o time visitante manteve até o fim do set para virar o jogo em 2 sets a 1 (23×25).

4º set

Embalados, Maringá ditava o ritmo do jogo e abriu cinco pontos logo no início da parcial (2×7). Neste momento, o técnico Henrique Furtado já havia gastado os seus dois pedidos de tempo. Parecia que o set se encaminharia facilmente para o time do Paraná (15×20), mas JF não desistiu, mesmo com o placar desfavorável. Com bons ataques de Renan e saques de Bruno e Rodrigo, o JF Vôlei diminuiu o placar para dois pontos (21×23). Parecia que a reação mineira tinha começado tarde, pois Maringá teve o primeiro ponto para dar números finais à partida (22×24). Mas Juiz de Fora foi buscar o empate (24×24), para a alegria dos torcedores, que, a partir desse ponto, não conseguiram mais assistir à partida sentados. Os donos da casa salvaram mais sete bolas decisivas de Maringá, viraram a parcial e, quando tiveram o primeiro set point, fecharam o set (33×31), após 39 minutos, com dois pontos consecutivos do central Diego, levando a decisão para o tie break.

5º set

Com o ginásio incentivando o time de Juiz de Fora após a virada memorável, o que se esperava era um JF Vôlei entrando em quadra se impondo, mas o que se viu foram erros de Juiz de Fora, foram seis ao longo do set mais curto. Do lado dos visitantes, com a recepção funcionando, o experiente levantador Ricardinho explorou bastante as bolas rápidas com os centrais Aureliano e Ualas  além de poder contar com uma noite inspirada do oposto Marcilio e do ponteiro Sérgio Félix. Resultado: o Copel Telecom Maringá não deu chances para Juiz de Fora(2×9). Com um ritmo alucinante, a equipe minou o adversário, aproveitou os erros dos mineiros e levou o quinto set, em 16 minutos, conquistando a terceira vitória na Superliga.

Equipes:

JF Vôlei: Rodrigo,  Ricardo, Rammé, Renan,Diego, Bruno  e Fábio Paes.

Entraram: Juan Mendez, Franco, Moreno, Adami

Técnico: Henrique Furtado

Copel Telecom Maringá: Ricardinho, Renato, Aranha,  Sérgio Félix,Mudo, Aureliano, e Felipe.

Entraram: Secco,  Marcilio,Pedro, Michael, Gentil, Ualas

Técnico – Renato Lúcio

[Superliga] Ricardinho diz que a equipe de Maringá pode fechar as portas

Campeão olímpico em 2004, o levantador Ricardinho também é presidente do Maringá Vôlei (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei)

A pré-temporada curta, campanha irregular na Superliga e a lesões marcaram a temporada 2015/2016 do Copel Telecom Maringá. A equipe está em Juiz de Fora para a disputa da Seletiva para a Superliga Masculina 2016/2017 e decide hoje (30), às 19h30, a última vaga para o campeonato nacional contra o Juiz de Fora Vôlei.

Logo após a vitória de Maringá sobre o UPIS/Brasília, o levantador e presidente do clube paranaense, Ricardinho, disse ser um absurdo a existência de uma seletiva e também afirmou não ser certa a continuidade da equipe caso a vaga não seja conquistada esta noite. “Uma das equipes ficará fora e se a gente não permanecer, o projeto [de Maringá] acaba porque nossos patrocinadores são baseados na Superliga A. Uma das minhas reclamações como presidente é que a gente tem verba para permanecer na Série A e seria um absurdo a gente ter que ficar fora tendo uma equipe, enquanto outras caem e deixam de existir. Vamos ver, senão vou ter que fechar as portas e seguir a minha vida”, declarou.

Ricardinho também não poupou a CBV. “Como presidente, reclamo muito da existência de uma seletiva como essa. É um absurdo tanto para quem vem da Superliga B quanto para quem disputa a Série A. Acho que foi feita da forma errada. Fico triste, por tudo que fiz e venho fazendo pelo voleibol, em ver o que vem acontecendo principalmente com as equipes com recurso menor que sofrem bastante. Acho que a CBV deveria ajudar e estimular a equipe a permanecer [no esporte] e isso não vem acontecendo, é uma pena”, completou.

O jogador afirmou ainda que a partir de quinta-feira (31), o clube apresentará reclamações à Confederação. “As reclamações necessárias vão acontecer por parte de Maringá, não sei o que vai acontecer com Juiz de Fora. [Maringá e Juiz de Fora] São equipes que já tem um projeto de sucesso, independente se é de time grande, pequeno ou médio, são projetos reais e importantes que geram emprego para esse voleibol que dizem ser o melhor do mundo. Acredito que a CBV deveria fazer algo um pouco diferente do que foi feito nessa seletiva”, disse.