[Superliga] Cruzeiro volta a vencer Campinas e está a uma vitória de mais uma decisão

Na noite de quinta-feira (13), o Sada Cruzeiro foi à Campinas (SP), enfrentar o Vôlei Brasil Kirin, e levou a melhor sobre os donos da casa, no confronto válido pela semifinal da Superliga Masculina. Em duas horas de partida, Sada venceu por 3 sets a 1, parciais de (25×21,25×19, 21×25 e 25×22), abriu 2 a 0 na série melhor de cinco jogos, e está a uma vitória da sétima final consecutiva da competição.

Com Leal mais uma vez se destacando, foram 18 pontos no jogo, o jogador ficou com o Troféu Viva Vôlei, prêmio dado ao melhor jogador do confronto, através de votação popular via internet. Agora, as equipes voltam a se enfrentar no sábado (22), no ginásio do Riacho, em Contagem (MG), casa do Cruzeiro, podendo ser a partida da classificação mineira.

O jogo:

No saque de Maurício Souza, que atrapalhou a recepção cruzeirense, os donos da casa abriram vantagem (4×0), provocando o pedido de tempo do técnico Marcelo Mendez. A parada fez bem para o time mineiro, que voltou mais ligado, e, no bloqueio de Isac, empatou a parcial (6×6).  Na sequência, o Sada Cruzeiro apresentou mais volume de jogo, aproveitando os contra-ataques e aumentando a vantagem no placar (11×15). Quando parecia que os mineiros iam vencer o set com facilidade, o ponteiro Diogo, de Campinas, foi para o saque, conseguiu uma sequência de quatro pontos para o time campineiro (20×22), mas o poder ofensivo cruzeirense fez a diferença, foram 17 pontos de ataque contra 11 do time paulista, e o Sada Cruzeiro fechou o set (21×25), em 29 minutos.

2º set

O início foi equilibrado (5×5), mas, assim como aconteceu no set anterior, o Cruzeiro se impôs e foi abrindo margem (9×13). O técnico Horácio Dileo parou o set para conversar com seus jogadores, que assimilaram os pedidos do treinador e voltaram à quadra mais agressivos. Com Diogo se destacando, saque e ataque a equipe da casa foi diminuindo a desvantagem (14×16).  A parcial seguiu nervosa e as duas equipes foram advertidas com cartão amarelo, em lances diferentes, por reclamação. O poder de ataque do Brasil Kirin aumentou, foram 11 pontos contra 12 do Cruzeiro, mas a vantagem cruzeirense a no set foi no fundamento bloqueio, foram três para a equipe visitante contra apenas um de Campinas (17×21). Após erro do central Maurício, os cruzeirenses fecharam o set (19×25), em 25 minutos.

temponi

_Ao lado de Leal, Bruno Temponi(2) foi o maior pontuador da partida,com 18 pontos, e aprovou a atuação da equipe. (Foto: Cinara Piccolo)

3º set

 

Os jogadores do Sada voltaram à quadra dispostos a fechar o jogo no terceiro set (0x3), mas, do outro lado, os jogadores do Brasil Kirin não estavam dispostos a facilitarem a vida do adversário.  Com o trio Rivaldo, Bruno Temponi e Diogo crescendo na partida, Campinas virou a parcial e abriu vantagem (9×6), para incendiar a torcida que marcou presença e jogava junto com o time. Se o ataque cruzeirense foi superior nos sets anteriores, a equipe mineira encontrava dificuldades em colocar a bola no chão, o que levou o técnico Marcelo Mendez colocar Alan, o oposto reserva, no lugar de Evandro. Em um momento melhor, o time paulista fez mais aces, bloqueou e atacou mais que o adversário, e levou o set (25×21), após 27 minutos.

4º set

Embalados com a vitória no set anterior, Campinas seguiu comandando o placar (5×3). Evandro, que voltou à quadra no início do quarto set, seguiu com dificuldades no ataque e, novamente, foi substituído por Alan, o oposto titular não gostou da substituição e reclamou com o técnico cruzeirense. Porém, parece que a pequena discussão recolocou os jogadores da equipe mineira mais ligados e, no bloqueio de Isac, os visitantes passaram à frente (5×6). Comandados pelos ataques de Leal, o sada foi abrindo (8×12). Do outro lado, Temponi se destacava nesse fundamento, passava pelo bloqueio adversário, e comandava Campinas que foi buscar o placar (12×13). Alan, que não entrou bem mais uma vez, voltou para a reserva, o tempo no banco fez bem a Evandro, que voltou marcando um ponto de bloqueio e vibrando muito, o que deu um gás mais aos seus companheiros que voltaram a abrir vantagem (17×20).  Valentes, os jogadores do Brasil Kirin se recuperaram e deixaram tudo igual (21×21), mas no final, o bloqueio cruzeirense apareceu, e foi o responsável por dar números finais ao set (22×25) e ao jogo.

Equipes:

Brasil Kirin: Rodriguinho, Rivaldo, Bruno Temponi, Diogo, Vini, Maurício Souza e o líbero Tiago Brendle.

Entraram Jotinha, Baiano e Matheus.

Técnico: Horácio Dileo.

Sada Cruzeiro: William, Evandro, Leal, Filipe, Isac, Simon e o líbero Serginho.

Entraram Alan, Fernando Cachopa e Éder Levi.

Técnico: Marcelo Mendez.

 

[Foto: Cinara Piccolo/Vôlei Brasil Kirin]

Anúncios

[Superliga] De virada, São José vence JF Vôlei

Ainda não foi dessa vez que saiu a primeira vitória do JF Vôlei na Superliga. A equipe mineira entrou em quadra neste sábado (19) contra o São José Vôlei (SP), em confronto válido pela décima rodada do turno da competição, e, diante de sua torcida, conquistou um ponto, mas foi superado pelos visitantes por 2 x 3 (25 x 21, 25 x 18, 26x 24, 18 x 25 e 20 x 22), em um jogo emocionante. O oposto Alemão, que entrou no decorrer do jogo no lugar de Lorena, ficou com o troféu Viva Vôlei. Pelo lado mineiro, o destaque foi o ponteiro Renato, que marcou 26 pontos.

Com esse resultado, Juiz e Fora segue sem vencer na competição, são dez jogos e dez derrotas e apenas três pontos conquistados. O próximo e último jogo do ano será na segunda (21), contra o líder Sada/Cruzeiro, na casa do adversário. Já São José chegou aos 12 pontos e conquistou a quarta vitória e na 11ª rodada enfrenta o vice-líder Taubaté.

O JOGO

Os donos da casa começaram melhor e com um bloqueio ajustado, pararam o ataque de Lorena e Diogo, principais atacantes da equipe paulista, abrindo vantagem logo no início da partida (8×4). Na sequência do jogo, São José voltou mais ligado e deixou tudo igual no set (10×10). No ótimo saque de Diogo, São Jose à frente pela primeira vez na partida (12×13), mas, rapidamente, Juiz de Fora retomou a liderança e chegou ao segundo tempo técnico com vantagem (16×14). Os visitantes voltaram a equilibrar o set (19 x19) e, novamente, o JF Vôlei abriu dois pontos importantes no fim do set (21×19) e se encaminhou para vencer o 1º set (25 x21), em 28 minutos.

2º set

Os jogadores de São José voltaram para a segunda parcial mais concentrados (1×4), forçando o técnico do time mineiro, Alessandro Fadul, gastar um tempo técnico de forma precipitada. A parada fez bem à equipe, que reequilibrou o set (6×7), após sequência de saques do ponteiro Renato. Com ótima recepção e aproveitando a queda de rendimento de Juiz de Fora, a equipe paulista chegou liderando a parcial no segundo tempo técnico (11 x 16). A equipe paulista aumentou a vantagem construída no set para sete pontos e fechou sem dificuldades (18×25), em 26 minutos.

3º set

O time paulista saiu na frente (1×3). No tempo técnico os visitantes tinham o dobro de pontos do adversário (4×8), após ataque do oposto Alemão que entrou no lugar de Lorena no decorrer do segundo set (10×13). O jogo seguiu nervoso e dois jogadores levaram cartão amarelo, Renato, pelo lado de Juiz de Fora, e Diogo, por São José. Na sequência, empurrados pelo torcedor, os mineiros empataram o set (23 x 23). Após erro de rodizio dos visitantes, os donos da casa retomaram o marcador e tiveram o set point (24 x 25) e fecharam após erro de São José (24×26), em 35 minutos.

 

4º set

O set começou polêmico antes mesmo da bola rolar, o juiz aplicou cartão vermelho para o líbero Mário Júnior, que na troca de lado das equipes, discutiu com seus companheiros de time. Na sequência, o ponteiro Diogo foi excluído da partida, pois na confusão, partiu para discutir com o líbero de sua equipe. Quando a bola enfim rolou, foi o começo de set mais equilibrado da partida (7×6). Após o tempo técnico, o time paulista voltou mais ligado e conseguiu abrir no marcador (15×19). Os jogadores de Juiz de Fora já pareciam pensar no quinto e último set e não reagiram (18×25), em 29 minutos.

 

5º set

O quinto set reservou muitas emoções para os torcedores que estavam no ginásio. Os visitantes começaram melhor e venciam por (5 x 8) na troca de lado. Quando parecia que o set ia se encaminhar facilmente para São José Vôlei, JF Vôlei reequilibrou o tie break. Depois de ótimos saques de Mark, os donos da casa encostaram (11 x 12), e empatou após o juiz aplicar outro cartão para os paulistas. Em seguida as equipes trocaram pontos, quando São José tinha match point, após outra reclamação dos jogadores paulistas, o árbitro mostrou novo cartão vermelho, o quarto do jogo, desta vez para o ponteiro Hugo, que já jogou pela equipe mineira. Após muita tensão em quadra e nas arquibancadas, os visitantes fecharam o tie break (20 x 22), em 30 minutos.

EQUIPES:

JF VÔLEI: Felipe, Djalma, Leandro, Renato, Igor Diego, Fabio Paes

Entraram: Tarik, Mark, Ricardo

Técnico: Alessandro Fadul

SÃO JOSÉ VÔLEI:  Rodriguinho, Cristian, Brunão, Lorena, Diogo, Hugo, Mário Junior

Entraram: Lucas Salim, Alemão, Éverton

Técnico: Leonardo de Carvalho