[Liga Mundial] Brasil vence Estados Unidos e está na primeira final com Renan no comando

 A seleção brasileira comandada pelo técnico Renan Dal Zotto, que disputa sua primeira competição no comando da equipe, carimbou sua vaga na final da Liga Mundial. Nesta sexta-feira (7) o Brasil fez seu melhor jogo nesta Fase Final e passou pelos Estados Unidos por 3 sets a 1 (25×20, 23×25, 25×20 e 25×19), na primeira partida de semifinal.

A partida teve uma disputa para maior pontuador do confronto entre o ponteiro Sander, dos EUA, e o oposto Wallace, do Brasil. O jogador norte-americano levou a melhor com 20 pontos, seguido de perto pelo atacante brasileiro que marcou 18 vezes.

Com nove títulos, o Brasil é o maior vencedor, mas busca quebrar um jejum de títulos da Liga que não vem desde 2010. Além disso, os brasileiros têm outro tabu pela frente: conquistar o título em casa, feito que bateu na trave em 2002, em Belo Horizonte, e em 2015, no Rio de Janeiro. O adversário na final sairá do confronto entre França e Canadá. O jogo será no sábado(8), às 23h, com transmissão do Sportv e da Globo.

O jogo

Os anfitriões iniciaram ditando o ritmo da partida e aproveitando contra-ataques (5×1). Porém, a defesa dos Estados Unidos se ajustou e eles diminuíram a desvantagem para apenas um ponto (6×5). Se o Brasil teve um bom início, não se pode falar o mesmo do adversário, foram 10 erros ao longo do set, contra apenas três dos brasileiros. A vantagem dava uma confiança maior para os dos sul-americanos no saque (15×12), além dos bons ataques de Wallace e Lucarelli, que ao lado do ponteiro Sander, foram os maiores pontuadores da parcial com quatro acertos. Após 27 minutos, o Brasil fechou (25×19), depois do erro de saque do levantador Christenson.

Assim como aconteceu no set anterior, o Brasil começou agressivo (5×2). Porém, o sistema bloqueio e defesa dos EUA começou a fazer a diferença e eles viraram a parcial (9×13). Com Bruno utilizando mias os centrais, sobretudo o seu entrosamento com Lucão, o time reagiu e deixou tudo igual (13×13).  Demonstrando mais agressividade, os visitantes voltaram a se impor e abriram uma folga importante (19×22), mas, rapidamente, viram um Brasil reagir e, no contra-ataque, viram a bola resvalar na fita e cair do lado adversário para deixar tudo igual (23×23). Mas, melhor durante maior parte do set, o time do técnico Speraw fechou a parcial (23×25) em 31 minutos.

sander

Com 20 pontos(18 de ataque e 2 de saque), o ponteiro Sander foi o maior pontuador da partida. Foto:FIVB

Com o sistema de bloqueio melhor, pontuando ou amortecendo o ataque do adversário, os brasileiros abriram o dobro de pontos do adversário (12×6).  Com o Brasil dominando, o técnico dos Estados Unidos fez uma mudança colocando Jaeschke para atuar como um falso oposto. Do outro lado, Bruno seguia distribuindo muito bem a bola entre Lucarelli e Wallace, que respondiam colocando a bola no chão na quadra adversária (20 x16). Muito jovens, mas com a tática e técnica bastante conhecida dos norte-americanos, o time diminuiu perigosamente a vantagem brasileira (20×18). A equipe comandada pelo técnico Renan voltou a jogar melhor, utilizaram o apoio das arquibancadas e fecharam a terceira parcial (25×20), em 28 minutos.

O início do quarto set foi o mais equilibrado, com as equipes se revezando à frente do placar. Os Estados Unidos chegaram ao primeiro tempo técnico em vantagem, mas três erros de ataque seguidos dos americanos recolocaram os brasileiros no comando (11×8). A seleção brasileira voltou a utilizar um saque mais tático, jogou uma pressão maior no adversário que sentiu e voltou a cometer erros excessivos,  o levantador Bruno protagonizou jogadas espetaculares  e o Brasil foi se encaminhando para fechar o set e o jogo.  Com a equipe jogando de forma muito consistente, os brasileiros fecharam em (25×19) e o jogo por 3 sets a 1.

 

Foto de Capa via Confederação Brasileira de Vôlei(CBV)

[Liga Mundial] Brasil passa pela Rússia e pega Estados Unidos na semi

O Brasil precisava de apenas um set para confirmar a vaga da semifinal e conseguiu. A partida foi longa, mas o Brasil confirmou também o 1º lugar no Grupo J1 da Fase Final da Liga Mundial após a vitória contra Rússia, ontem (7), na Arena da Baixada. A partida, de altos e baixos das duas seleções, só foi decidida no tie-break com vitória brasileira, parciais de 25×18, 18×25, 25×19, 22×25 e 16×14.

Destaque para os 17 pontos de bloqueio da equipe russa e os 25 pontos do ponteiro Lucarelli, que chamou a responsabilidade no ataque. “Tivemos nossos apagões hoje [ontem], assim como aconteceu contra o Canadá. Sabíamos que podíamos nos recuperar durante a partida, diminuir os erros e jogar com a bola mais segura até o momento certo para reagir”, disse o levantador Bruninho.

Agora, o Brasil pega os Estados Unidos na semifinal de hoje (7), às 15h. A outra vaga na final será decidida na partida entre Canadá e França, às 17h40.

França joga para o gasto

Enquanto o Canadá chega às semifinais pela primeira vez, os franceses, campeões em 2015, estão pelo terceiro ano consecutivo disputando medalha na Liga Mundial. A equipe francesa precisava de dois sets para eliminar a Sérvia e carimbar a vaga na semifinal, e assim o fez. Após abrir 2×0, os franceses desaceleraram e, sem necessidade, deixaram os adversários levar a partida para o tie-break. No fim, vitória francesa por 3×2, parciais de 25×21, 25×20, 17×25, 18×25 e 15×11.

Confira os resultados e a tabela da fase de classificação.

Fase Final Liga Mundial 2017 – Curitiba, Brasil

04.07 – Brasil 3 x 1 Canadá (25×21, 17×25, 25×19, 25×19)
04.07 – França 3 x 2 Estados Unidos (27×25, 20×25, 26×24, 17×25, 15×12)

05.07 – Rússia 0 x 3 Canadá (23×25, 27×29, 17×25)
05.07 – Sérvia 1 x 3 Estados Unidos (22×25, 23×25, 25×19, 22×25)

06.07 – Brasil 3 x 2 Rússia (25×18, 18×25, 25×19, 22×25, 16×14)
06.07 – França 3 x 2 Sérvia (25×21, 25×20, 17×25, 18×25, 15×11)

07.07 – Semifinal I – 15h05 – BRASIL x Estados Unidos [Sportv e Rede Globo]
07.07 – Semifinal II – 17h40 – França x Canadá [Sportv]

08.07 – 3º lugar e Final

Com informações da FIVb.
Foto: FIVb

[Liga Mundial] 4 de julho amargo: França supera Estados Unidos em cinco sets

Líder incontestável na 1ª fase, a seleção francesa entrou em quadra como franca favorita no confronto diante dos Estados Unidos, em Curitiba, no fim da tarde de ontem (4). Porém, os torcedores que ficaram na Arena da Baixada viram um grande jogo que só foi decidido no tie-break – mais cedo, o Brasil abriu o Final Six com vitória sobre o Canadá. Com Ngapeth retomando o ritmo de jogo e Lyneel inspirado, os franceses saíram com a vitória por 3×2, parciais de 27×25, 20×25, 26×24, 17×25 e 15×12.

Franceteam.jpg

Equipe francesa brincou com o frio de Curitiba na foto oficial do time. (Foto: FIVb)

O equilíbrio se manteve do início ao fim, e logo no 1º set as equipes já mostraram que não desistiriam fácil. “Tenho que dizer que não sei como vencemos hoje, porque no 1º e 5º sets parecia que os americanos nos tinham nos bolsos. Vi muita frustração na minha equipe; os Estados Unidos estavam jogando muito bem e nó s queríamos jogar bonito em vez de jogar com eficiência. Felizmente, o banco trouxe soluções”, comentou o treinador da França, Laurent Tillie.

Do lado norte-americano, a decepção da derrota tem que dar lugar à recuperação para o importante duelo contra a Sérvia, como avaliou o técnico John Speraw. “Acredito que melhoramos bastante nas últimas cinco, seis semanas, e como prova temos esta partida contra a França. Entretanto, não tomamos conta de algumas situações favoráveis a nós e perdemos o jogo, mas ainda temos uma oportunidade e podemos fazer melhor para chegar às semifinais”, disse.

Nesta quarta-feira (5), os franceses descansam enquanto os americanos enfrentam a Sérvia, às 17h40. Antes, às 15h05, a Rússia faz sua estreia contra o Canadá.

Confira os resultados e a tabela da fase de classificação.

Fase Final Liga Mundial 2017 – Curitiba, Brasil

04.07 – Brasil 3 x 1 Canadá (25×21, 17×25, 25×19, 25×19)
04.07 – França 3 x 2 Estados Unidos (27×25, 20×25, 26×24, 17×25, 15×12)

05.07 – 15h05 – Rússia x Canadá
05.07 – 17h40 – Sérvia x Estados Unidos

06.07 – 15h05 – Brasil x Rússia
06.07 – 17h40 – França x Sérvia

07.07 – Semifinais
08.07 – 3º lugar e Final

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

[Olimpíadas] É 2004? Brasil ressurge e Itália chega à final em partida emocionante

Assim como em Atenas 2004, a final do vôlei masculino na Rio 2016 será entre Brasil e Itália, e a decisão do bronze entre Rússia e Estados Unidos. A diferença é que dessa vez a Itália chega mais forte e regular para a disputa do ouro contra os brasileiros amanhã (21).

Italy celebrateOs italianos venceram sua semifinal contra os Estados Unidos por 3×2 (30×28, 26×28, 9×25, 25×22, 15×13), contando com o apoio dos torcedores brasileiros presentes no Maracanãzinho, que de novo pegou no pé do americano Russell, e a liderança de Zaytsev em quadra, o grande nome italiano nos Jogos do Rio. A Itália busca a medalha inédita após bater na trave em 1996, contra a Holanda, e 2004, contra o Brasil.

Já o Brasil e o líbero Serginho chegam à sua quarta final seguida em Olimpíadas, a sexta decisão do voleibol masculino (1984, 1992, 2004, 2008, 2012 e 2016). A classificação veio com a vitória diante da Rússia no fim da noite de ontem (19) e não poderia ter sido de maneira mais perfeita. A vitória em sets diretos foi a melhor atuação brasileira nos Jogos desde a “decisão” contra a França na última rodada da fase de grupos.

Com o saque e a recepção funcionando, os brasileiros foram mais uma vez empurrados pela torcida e jogaram toda a pressão do resultado para os atuais campeões olímpicos. Sem o passe na mão, o levantador Grankin não conseguiu aproveitar os centrais e sobrecarregou o veterano Tetyukhin e o oposto Mikhaylov. “Estabelecemos nosso jogo no saque e perdemos poucos contra-ataques. A Itália merece crédito pela vitória sobre os Estados Unidos com a vitória na recuperação. O time deles cresceu muito com Juantorena”, disse o central Lucão.

BrazilianSrgioDutracelebratestheirclassificationtothefinalsDo lado brasileiro vale destacar, além da atuação impecável da equipe, o baixo número de erros: foram apenas 10 pontos cedidos aos russos em toda a partida, enquanto os adversários deram 25 pontos de graça. “Depois de vencer em Londres e o Campeonato Europeu, não conseguimos repetir o resultado com uma equipe jovem. Cometemos muitos erros e essa foi a principal razão por termos terminado com a derrota contra a forte equipe brasileira. Não conseguimos segurar o saque deles”, avaliou Vladmir Alekno, treinador da Rússia.

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

[Olimpíadas] Pela sobrevivência, Estados Unidos calam o Maracanãzinho na primeira derrota brasileira

A última partida da noite de ontem (11) já prometia antes mesmo dos Jogos Olímpicos começarem. Brasil e Estados Unidos protagonizam uma das maiores e mais interessantes rivalidades do voleibol, e o confronto válido pela 3ª rodada da fase de grupos não poderia ter sido melhor.

Enquanto o Brasil contabilizava duas vitórias, os americanos entraram em quadra precisando de um triunfo sobre os brasileiros para continuarem sonhando com a classificação para as quartas de final. E a primeira vitória dos EUA nos Jogos veio por 3×1 (20×25, 23×25, 25×20, 20×25), após quase duas horas de saques potentes e um volume de jogo incrível.

Matt Anderson terminou como maior pontuador (24 pontos: 23 de ataque e 1 de saque) e também foi o grande destaque na equipe de John Speraw. “Que bela partida hoje [ontem], acho que foi bem jogada pelos dois lados. No final foi decidida no saque e recepção. Sacamos com agressividade e passamos muito bem. Também tivemos uma atuação espetacular do Matthew Anderson”, avaliou o central David Lee.

Com a derrota, o Brasil não pôde confirmar matematicamente sua classificação para a próxima fase, o que buscará diante de Itália e França nas últimas rodadas. “Os Estados Unidos jogaram com agressividade nesta partida, jogaram muito bem na linha do saque. Não temos tempo para ficarmos tristes com essa partida porque ainda temos dois confrontos importantes nos próximos dias. Precisamos vencer e melhorar nosso jogo”, disse o técnico Bernardinho.

PolandsplayerscelebratetogetherPolônia e Itália seguem sem perder

Sem conquistar um título de expressão há muito tempo, a Itália segue provando que os Jogos Olímpicos são diferentes. Os italianos seguem invictos no Rio e, com a vitória sobre o México, lideram o Grupo A.

Os poloneses também não perderam na Rio 2016 e estão na ponta no Grupo B. Após dois sets consistentes contra a Argentina (25×21 e 25×19), a Polônia suou para vencer o terceiro set que terminou em 37×35 para os europeus – a parcial foi, inclusive, a mais longa desta edição dos Jogos.

Confira os resultados da rodada

Jogos Olímpicos 2016

Fase de Grupos – 3ª rodada – Masculino – 11.08.2016

Canadá 0 x 3 França (19×25, 16×25, 19×25)
Itália 3 x 0 México (25×17, 25×13, 25×17)
Brasil 1 x 3 EUA (20×25, 23×25, 25×20, 20×25)

Grupo B

Irã 3 x 0 Cuba (25×21, 31×29, 25×16)
Rússia 3 x 0 Egito (25×11, 25×17, 25×9)
Polônia 3 x 0 (25×21, 25×19, 37×35)

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

[Liga Mundial] De virada, Brasil vence os Estados Unidos e enfrenta a França na semifinal

A seleção brasileira já entrou em quadra nesta sexta-feira (15) com a classificação para as semifinais garantidas e por isso o técnico Bernardinho usou a oportunidade para testar os reservas. Do outro lado, os Estados Unidos precisavam ganhar e somar três para avançar na competição. E os norte-americanos começaram muito bem, abrindo dois sets a zero, mas quando tudo parecia favorável, o que se viu foi uma reação da seleção brasileira, que virou a partida e venceu por 3 sets a 2, parciais de 24-26,21-25,28-26,25-21 e 15-12.  O oposto Evandro foi o maior pontuador do confronto com 25 pontos.

Com o resultado o Brasil avançou em primeiro lugar do grupo, eliminaram os Estados Unidos e classificaram a Itália. A Sérvia completa o grupo de quatro seleções classificadas. No sábado (16), serão realizadas as semifinais, às 12h30, Itália e Sérvia se enfrentam, na sequência, às 15h30, Brasil e França decidem um lugar na grande final da Liga Mundial.

O JOGO

O Brasil entrou em quadra bastante modificado com o levantador William, os ponteiros Maurício Borges e Douglas Souza, os centrais Éder e Isac, o oposto Evandro e o líbero Tiago Brendle. Já os EUA entraram com força máxima e controlando o marcador com ataques de Anderson e Sander 15- 19. Os brasileiros buscaram o placar e conseguiram reduzir a diferença ponto a ponto até igualar nos 24, mas os EUA voltaram a pontuar duas vezes seguidas e fecharam o set 24 – 26.

 2º set

 De novo os norte-americanos começaram ditando o ritmo 6- 9, mas o Brasil deixou tudo igual 10- 10, após um lance excepcional do levantador William, levantando de manchete para o central Isac. O set seguiu equilibrado, com as equipes se revezando, mas com boa sequência de saque de Anderson, bola de xeque de Holt e bloqueio de David Lee, os Estados Unidos abriram quatro pontos e fecharam a segunda parcial 21 – 25.

 3º set

bra bra baaa.jpg

_William,Lipe, Éder e Evandro comemoram mais um ponto do Brasil. (Foto: FIVB/Divulgação)

 O ponteiro Russell sofreu uma lesão na coxa e teve que se retirar de quadra, com isso, o experiente Priddy entrou em quadra e os EUA seguiram dominando o marcador 7- 10. Com Matt Anderson virando todas as bolas, parecia que a vitória estava se encaminhando para os americanos 18- 21, que chegaram a ter a bola do jogo no ace de Christenson, mas o Brasil não se entregou, virou e fechou o set em 28-26.

4º set

 Precisando da vitória para continuar vivo na competição, o técnico Speraw colocou em quadra Thomas Jaeschke e Murphy Troy, nos lugares de Anderson e Priddy para tentar dar um novo gás para sua equipe. Embalado com a vitória no set anterior, os brasileiros seguiram dominando o placar 16×13, fecharam o set 25-21, eliminando os Estados Unidos da competição antes mesmo do fim da partida.

5º set

 Já eliminados, a vitória passou a ser obrigação para os EUA, que começaram melhor o set decisivo e lideravam o placar na troca de lado de quadra 5- 8. Porém, os brasileiros não iriam desistir de buscar a vitória, com Evandro botando todos os ataques no chão e com dois bloqueios de Éder, os brasileiros viraram o placar para 13-12. Os norte-americanos sentiram o golpe e não conseguiram pontuar, resultado, 15-12 para o Brasil.

 

_Com informações e fotos da FIVB

[Liga Mundial] Brasil vence Estados Unidos e termina a primeira rodada invicto

O Brasil conquistou sua terceira vitória no Grupo Mundial da Liga Mundial, depois de uma grande vitória sobre os Estados Unidos por 3 a 1(25×19, 25×15, 22×25 e 25×22), na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico. Mesmo com o horário incomum [a partida começou às 23h10], a equipe da casa contou com o apoio de mais de 9.000 torcedores, que incentivaram sua seleção do início ao fim.

Em mais uma ótima atuação da equipe brasileira, Wallace foi o maior pontuador dos donos da casa com 18 pontos, seguido de perto por Ricardo Lucarelli com 17, mas o maior pontuador do duelo foi o oposto Matt Anderson, que terminou a noite com 19 acertos.

O JOGO

 O Brasil começou a partida fazendo valer o mando de campo. Com saque forçado atrapalhando a recepção dos americanos, os brasileiros foram ampliando o marcador. Do lado brasileiro, o levantador Bruno não tinha problemas para distribuir as jogadas. Com Sander e Anderson, principais atacantes dos EUA, muito abaixo do esperado, a seleção da casa fechou o 1º set no contra-ataque de Lucarelli (25×19)

2º set

 Os jogadores brasileiros que já haviam apresentado um ótimo volume de jogo no set inicial, voltaram com um ritmo mais intenso, e o sistema defensivo tocando em todas as bolas de ataque dos norte-americanos. O central Éder marcou dois pontos consecutivos de saque e Wallace dois de bloqueio, aumentando a vantagem brasileira.  Com os Estados Unidos perdidos em quadra, o técnico John Speraw modificou sua equipe colocando o levantador Kawika Shoji e o experiente ponteiro Priddy, mas as mudanças não surtiram efeito. O Brasil manteve o serviço forte e fechou o set(25-15).

3º set

Os Estados Unidos voltaram para o terceiro set jogando melhor, enquanto o Brasil não manteve a eficiência no saque. Reid Priddy continuou em quadra e deu mais regularidade ao time. Com o saque americano começando a fazer estrago na recepção adversária e David Lee parando o ataque brasileiro com bloqueios, os EUA fecharam a terceira parcial (22×25).

4º set

Depois de ganhar o terceiro set os americanos equilibraram a partida. David Lee, Taylor Sander e Matt Anderson levaram os EUA à frente no segundo tempo técnico. Porém, quando parecia que o jogo iria se encaminhar para o set desempate, o saque brasileiro voltou a fazer a diferença. Com dois pontos nesse fundamento, o central Éder deu a vitória no set para os brasileiros (25×21), que fecharam o jogo em 3 a 0.

EQUIPES:

BRASIL: Bruno, Lucarelli, Lipe, Éder, Lucão, Wallace e Serginho

Entraram: Evandro e William

Técnico: Bernardinho

ESTADOS UNIDOS:  Christenson, Sander, Russel, Holt, Lee, Anderson e Erik Shoji

Entraram: Kawika Shoji, Smith e Priddy

Técnico: John Speraw

 

Com fotos e informações da FIVb (Federação Internacional de Vôlei)