[Europeu] Rússia e Alemanha dominam a seleção do Campeonato; Mikhaylov é MVP

Depois de duas decisões emocionantes no domingo (3), o Campeonato Europeu de Seleções elegeu os melhores jogadores da fase final da competição. Além do troféu de campeões europeus, três russos também levaram para casa títulos individuais: o oposto Mikhaylov foi escolhido o MVP do torneio; e o ponteiro Volkov e o levantador Grankin foram eleitos para a seleção do campeonato.

Vice-campeões pela Alemanha, o ponteiro Kaliberda, o oposto Grozer e o central Böhme também foram reconhecidos. Completam o time dos sonhos do Europeu 2017, o líbero belga Stuer e o central sérvio Lisinac.

dream-team-europeu2017.jpg

Na ordem: Böhme, Lisinac, Grozer, Grankin; Kaliberda, Volkov, Stuer, Mikhaylov (Fotos: CEV)

Dream Team – Seleção do Campeonato – Europeu 2017
MVP: Mikhaylov (Rússia)
Ponteiros: Kaliberda (Alemanha) e Volkov (Rússia)
Centrais: Lisinac (Sérvia) e Böhme (Alemanha)
Oposto: Grozer (Alemanha)
Levantador: Grankin (Rússia)
Líbero: Stuer (Bélgica)

Fotos: CEV.lu

Anúncios

[Europeu] Em final emocionante, Rússia vence Alemanha no tie-break

A final do Europeu reservou grandes emoções para os torcedores de Rússia e Alemanha neste domingo (3), em Cracóvia (Polônia). Após cinco sets e reviravoltas, os russos conquistaram o título continental com o triunfo diante dos alemães por 3×2 (19×25, 25×20, 22×25, 25×17, 13×15). Mais cedo, a Sérvia superou a Bélgica também por 3×2 e ficou com o bronze.

003059_CEV_EUROVOLLEY_M_20170903-232303.JPGA Rússia, que não havia perdido um set na competição até a partida final, sofreu bastante em sua linha de recepção. O equilíbrio no saque deu aos alemães uma pequena vantagem diante dos russos que não conseguiram manter o passe na mão dos levantadores Grankin e Butko durante o confronto. Porém, conseguiram aproveitar os deslizes da Alemanha no set decisivo e conquistar o seu 14º título Europeu.

Mesmo sem o título, o grupo alemão fez história ao chegar ao pódio pela primeira vez e colocou três jogadores na seleção do campeonato. Além disso, o oposto Grozer foi o maior pontuador da final com 27 pontos.

O jogo

A partida começou já exigindo bastante do sistema defensivo das duas seleções. Com a linha de recepção sofrendo com os saques do ponteiro Volkov, o treinador da Alemanha, Andrea Giani, parou a partida em 2×6. Sem o passe na mão, o levantador Kampa acabou forçando demais o jogo em cima do oposto Grozer, facilitando a marcação russa (9×13). A equipe alemã conseguiu equilibrar a parcial, porém cometeu muitos erros no saque e no ataque, dando tranquilidade para os adversários fecharem o 1º set em 19×25.

2º set
Ao contrário do set anterior, a Alemanha se ajustou no passe e ajudar a distribuição de jogo do levantador Kampa, que mostrou boa sintonia com os ponteiros nas jogadas de meio-fundo (4×2). DO lado russo, o levantador Grankin passou a ter dificuldades após boa sequência de saques dos adversários, e os atacantes também não estavam sendo efetivos no ataque (10×6). Comandando o placar e tranquilos na defesa, a Alemanha se manteve equilibrada no ataque (18×11) e jogando a pressão para o outro lado. Elétrico, o oposto Grozer empatou o confronto (25×20).

220949_CEV_EUROVOLLEY_M_20170903-214742.JPG3º set
Após a pausa (quase eterna) de dez minutos entre os sets, o bloqueio russo voltou a aparecer (5×7). Assim como no 1º set, os erros de saque da Alemanha e a eficiência russa no mesmo fundamento, principalmente com o ponteiro Volkov, colocaram a Rússia na frente (6×10). A equipe de Andrea Giani tentou parar os russos nos bloqueios e contra-ataques, porém, mais uma vez, caiu nos próprios erros. Aproveitando as oportunidades cedidas e os ataques do oposto Mikhaylov, os russos voltaram à frente no jogo e fecharam o set em 22×25.

4º set
Buscando levar o jogo para o tie-break, a Alemanha veio com tudo no 4º set. Com bloqueios em momentos importantes e os erros do ataque russo, a seleção alemã conquistou a confiança necessária para arriscar no saque (12×9). Perdidos em quadra, os russos viram os adversários abrir oito pontos (18×10). Restava apenas se reorganizar para o tie-break, e foi o que o treinador Sergey Shylapnikov fez após tirar o levantador Butko e recolocar Grankin em quadra. Mais uma vez, Grozer fechou o set para a Alemanha (25×17) e o título foi decidido no set desempate.

5º set
Um set de tiro curto pede mais atenção das equipes e, assim, o equilíbrio ditou o ritmo do tie-break. Na virada de quadra, a Alemanha vencia por 8×7, porém os russos conseguiram a virada com um ponto de Volkov explorando o bloqueio alemão (8×9). A Alemanha passou pecar nos ataques e a sofrer com a presença do bloqueio russo, que tinha três atacantes na rede (9×12). Com a confiança minada, o saque alemão, que antes havia feito estrago na recepção dos russos, perdeu a potência e deu a tranquilidade necessária para a armação das jogadas dos adversários. Oscilante em outros momentos, o oposto Mikhaylov apareceu no momento certo e fechou o set em 13×15.

Rússia
Grankin, Mikhaylov, Volkov, Volvich, Vlasov, Berezkho. Líberos: Martynyuk e Golubev
Entraram: Kliuka, Butko, Zhigalov, Kurkaev.
Técnico: Sergey Shylapnikov

Alemanha
Kampa, Grozer, Krick, Kaliberda, Fromm, Böhme. Líbero: Zenger
Entraram: Schott, Hirsch, Zimmermann
Técnico: Andrea Giani

Fotos: CEV.lu

[Europeu] Rússia, Sérvia, Alemanha e Bélgica na briga pelo ouro

A edição 2017 do Europeu Masculino de Seleções tem sido cheia de surpresas com as eliminações da anfitriã Polônia, da atual campeã França e da atual vice-campeã olímpica Itália na fase mata-mata. Hoje (2), as quatro seleções restantes brigam pela vaga na final do torneio. Às 12h30 (horário de Brasília), Sérvia e Alemanha fazem a primeira semifinal, na sequência, Rússia e Bélgica decidem a segunda vaga.

Após levar a Eslovênia ao vice-campeonato em 2015, o treinador Andrea Giani chega mais uma vez às semifinais, agora com a seleção alemã e tentará mais uma campanha histórica: a Alemanha nunca conseguiu terminar o Europeu com um pódio, sendo seu melhor resultado um quarto lugar em 1967 e 1971. Enquanto isso, seus adversários chegam ao Top 4 pela décima vez em 12 edições. “Todos na Sérvia já falam em uma medalha de ouro, mas temos que nos concentrar apenas na Alemanha. Temos que tentar e superar isso, e então podemos pensar em algo além”, disse o capitão da Sérvia Stankovic.

A Rússia é a única seleção entre as semifinalistas a chegar a esta etapa sem perder um set, o que a coloca como grande favorita. “Sabemos que a Bélgica é um bom time e não seria justo entrar em detalhes, já que só acompanhamos a última partida contra a Itália”, comentou o treinador russo Sergey Shylapnikov.

Os canais ESPN transmitem as semifinais do Europeu 2017.

Com informações da CEV.
Foto: CEV.lu

[Europeu] Oito equipes brigam pelas últimas vagas nas quartas-de-final

Serão definidos nesta quarta-feira (30) os últimos classificados às quartas-de-final do Europeu Masculino 2017. Em Cracóvia, a Bulgária pega a Finlândia, às 12h30*, e Polônia e Eslovênia se enfrentam a partir das 15h30*. Enquanto isso, em Katowice, a Itália decide uma vaga contra a Turquia (às 12h30*), e França e República Tcheca encerram a rodada, às 15h30*. (*Horário de Brasília).

Após vencer a Liga Mundial neste ano, a França busca o bicampeonato europeu. A última equipe a vencer o Campeonato Europeu duas vezes seguidas foi a Itália, em 2003 e 2005.

Vice-campeões em 2015 depois de uma campanha inédita, a Eslovênia não fez uma boa fase classificatória nesta Fase Final na Polônia: venceu uma vez e perdeu duas partidas, todas em sets diretos. Já os poloneses terminaram na segunda colocação no Grupo A.

As seleções da Sérvia, Alemanha, Rússia e Bélgica já estão classificadas para as quartas-de-final por terem terminado a fase classificatória em primeiro lugar de seus grupos.

Os canais ESPN transmitem o Europeu 2017 para o Brasil.

Com informações da CEV.
Foto: CEV

[Europeu] Diante de público recorde, Sérvia cala torcida na Polônia

O primeiro dia da Fase Final do Europeu 2017 viu o recorde de público em uma partida de vôlei ser quebrado na Polônia. Foram 65.407 torcedores presentes ontem (24) no Estádio Nacional de Varsóvia para o duelo entre os donos da casa e a Sérvia, porém, os torcedores poloneses saíram da arena com um gosto amargo. Após 1h30 de jogo, a Sérvia, com boa combinação de saque-bloqueio, superou a Polônia por 3×0 (25×22, 25×22, 25×20).

205517__CGF1268.JPGA partida foi equilibrada em todas as parciais com as equipes se alternando na liderança do marcador, mas os poloneses pecaram bastante nos momentos decisivos e não conseguiram equilibrar sua linha de recepção. O ponteiro Petric (Sérvia) foi o maior pontuador com 15 pontos (12 de ataque, 2 de saque e 1 de bloqueio).

Na primeira rodada do Grupo A ainda tivemos a partida entre Finlândia e Estônia, que terminou com o triunfo dos finlandeses no tie-break. No Grupo C, a Rússia superou a Bulgária por 3×0, mesmo resultado da vitória da Eslovênia sobre a Espanha. Os grupos B e D começam seus duelos nesta sexta-feira (25).

Todas as partidas estão sendo transmitidas no Youtube e Facebook da Confederação Europeia. No Brasil, os canais ESPN são os detentores dos direitos e hoje transmitem a partida entre Alemanha e Itália a partir das 15h20.

Confira a tabela e os resultados do Europeu Masculino de Seleções 2017:

Grupo A
24.08 – Finlândia 3 x 2 Estônia (25×21, 25×22, 25×27, 22×25, 15×9)
24.08 – Polônia 0 x 3 Sérvia (22×25, 22×25, 20×25)
26.08 – Estônia x Sérvia
26.08 – Finlândia x Polônia
28.08 – Sérvia x Finlândia
28.08 – Estônia x Polônia

Grupo B
25.08 – República Tcheca x Eslováquia
25.08 – Alemanha x Itália
27.08 – Eslováquia x Itália
27.08 – República Tcheca x Alemanha
28.08 – Eslováquia x Alemanha
28.08 – Itália x República Tcheca

Grupo C
24.08 – Bulgária 0 x 3 Rússia (23×25, 20×25, 19×25)
24.08 – Espanha 0 x 3 Eslovênia (25×27, 15×25, 16×25)
26.08 – Rússia x Eslovênia
26.08 – Bulgária x Espanha
28.08 – Eslovênia x Bulgária
28.08 – Rússia x Espanha

Grupo D
25.08 – Holanda x Turquia
25.08 – França x Bélgica
27.08 – Turquia x Bélgica
27.08 – Holanda x França
28.08 – Bélgica x Holanda
28.08 – Turquia x França

Fotos: CEV.lu

 

[Europeu] Em noite fantástica de Rouzier, França conquista o Europeu pela 1ª vez

A França conquistou pela primeira vez o Campeonato Europeu de Seleções ao vencer a Eslovênia por 3×0 (25×19, 29×27 e 29×27), em Sófia, Bulgária. Apesar da vitória em sets diretos, a partida foi bastante equilibrada. Este é o terceiro título francês na temporada 2015 – os Le Bleus venceram a 2ª divisão da Liga Mundial e o Final Six da mesma competição no Rio de Janeiro.

Destaque para o oposto Rouzier que fez uma partida memorável, sendo responsável por 21 pontos franceses na decisão. Rouzier também foi escolhido o melhor jogador da final. (Confira os escolhidos para a seleção do campeonato)

Mais cedo, a Itália conquistou o bronze ao vencer a Bulgária por 3×1 (25×20, 25×14, 23×25 e 25×20) encerrando sua temporada conturbada após confusões na Liga Mundial, dispensa de jogadores, troca de treinador e incrível classificação para a Rio 2016 na Copa do Mundo do Japão.

Rouzier comemora o título com o veterano Pujol (Foto: CEV)

O jogo

Os franceses começaram a partida mais ligados e na primeira parada obrigatória estavam 3 pontos à frente dos eslovenos (8×5). A vantagem da França chegou a cinco pontos (11×6), forçando pedido de tempo de Andrea Giani. Mesmo com a chamada do treinador, os eslovenos não responderam em quadra. Num erro da recepção, a França marcou o 13º ponto no saque de Le Roux (13×7). Os eslovenos tentaram a reação após longo rally (15×12), porém os franceses ampliaram a vantagem em novo ace do central Le Roux (20×15). Foi num ataque de Rouzier pela saída que a França deu ponto final no set (25×19)

2º set

A Eslovênia não se deu por vencida, aproveitou os erros franceses e chegou ao primeiro tempo técnico com cinco pontos de vantagem (3×8). Os comandados de Andrea Giani iam administrando a vantagem até que a França acordou, diminuiu a diferença (15×16) e empatou com Ngapeth (17×17). Numa boa passagem de Gasparini pelo saque, a Eslovênia abriu dois pontos (19×21). A vantagem foi ampliada e os eslovenos tiveram o ponto do set nas mãos (21×24). Com a frieza de Ngapeth, a França salvou cinco set points e virou a vantagem. No ace de Rouzier, os franceses fecharam a parcial em 29×27.

3º set

A virada no set anterior deu mais gás para os franceses. Rouzier não tomou conhecimento do bloqueio esloveno e deu vantagem à sua seleção (4×3). Na sequência, Ngapeth aproveitou o contra-ataque e fez 5×3. Os franceses foram administrando a vantagem de dois pontos, até que Urnaut empatou (17×17) e o central Kozamernik virou para a Eslovênia (17×18). Apesar da incrível reação, a liderança eslovena não durou muito. Após quatro pontos seguidos de Rouzier, a França recuperou a vantagem no marcador (22×21). As equipes trocaram pontos até que Ngapeth aproveitou contra-ataque e fez 29×27, repetindo o placar do 2º set para dar à França seu primeiro título europeu.

Fotos: Confédération Européenne de Volleyball – CEV

[Europeu] Eslovênia surpreende Itália e disputa final inédita

Depois desta incrível campanha é capaz de Andrea Giani ganhar uma estátua em solo esloveno. O ídolo italiano transformou a seleção da Eslovênia em uma das maiores surpresas da Fase Final do Campeonato Europeu. Não satisfeitos em conseguir classificações históricas, os eslovenos deixaram para trás duas grandes forças mundiais: Polônia (nas quartas) e Itália (na semifinal, com direito a 25×13 no 1º set a favor da Eslovênia).

Neste sábado, a Eslovênia dominou os italianos, venceu por 3×1 (25×13, 23×25, 25×20 e 25×20) e garantiu um lugar na final de amanhã. Será a primeira medalha eslovena em um Europeu de Seleções – em agosto, os eslovenos foram campeões da Liga Européia. O adversário na final será definido na partida entre Bulgária e França.

O técnico da Eslovênia, Andrea Giani não conteve a alegria após sua equipe derrotar a seleção pela qual também fez história. “Esta vitória pertence à história do voleibol esloveno. Estou muito orgulhoso do meu time. Vencemos a Polônia nas quartas de final: os campeões mundiais! Hoje derrotamos a Itália, vice-campeões da Copa do Mundo. São equipes que estão entre as melhores do mundo. E Agora temos a oportunidade de vencer o Campeonato Europeu. Incrível!”, disse.

* Com informações da CEV

Foto: CEV