[Liga Mundial] Na reedição da final olímpica, Brasil tem sua melhor atuação e vence a Itália

Dez meses após a final olímpica, Brasil e Itália voltaram a se enfrentar, desta vez pela primeira fase da Liga Mundial, disputada em Pesaro, na Itália. E, assim como aconteceu na Rio 2016, a seleção brasileira saiu vitoriosa: 3 x 1, parciais de (25 x 15, 17 x 25, 25 x 23 e 25 x 22). Vale ressaltar que, Brasil e Itália, com nove e oito títulos respectivamente, são os maiores vencedores desta competição.

Foi a melhor atuação da seleção do técnico Renan Dal Zotto, que encerra  o primeiro final de semana de disputas com duas vitórias e uma derrota. Nesta partida, o volume de jogo brasileiro foi amplamente superior aos dois primeiros jogos, o saque foi mais regular e, novamente, o oposto Evandro foi o maior pontuador, desta vez com 19 pontos. Na segunda semana de jogos, o Brasil viaja para Varna, na Bulgária, para enfrentar Canadá, Polônia e os donos da casa.

O jogo

A seleção brasileira entrou em quadra demonstrando muito volume de jogo e, com dois bloqueios em sequência, abriu vantagem no marcador (6 x 9). A Itália pareceu sentir a pressão imposta pelo adversário e cometeu muitos erros, foram oito ao longo do set, contra quatro dos brasileiros. Com dificuldades em seu ataque, o técnico Gianlorenzo Blengini fez algumas substituições, do outro lado, os atacantes brasileiros seguiam levando vantagem sobre a defesa italiana, com destaque para o oposto Evandro, que fez seis dos 14 pontos nesse fundamento pelo time brasileiro. Com ampla folga no marcador, o Brasil fez 15 x 25, em 26 minutos.

2º set

Quem achou que os italianos voltariam abatidos para a quadra se enganou, o que se viu foi uma Itália vibrante, com um bloqueio afiado, marcaram quatro pontos, e dominaram o set. O passe brasileiro caiu muito e o levantador Bruno não conseguia utilizar a bola rápida pelo meio. Do lado dos anfitriões, Antonov, que entrou para jogar no primeiro set e não saiu mais, conseguiu boas sequências no saque, os atacantes italianos cresceram na partida, sobretudo com Lanza, que foi o responsável pela melhor jogada da parcial [o jogador foi buscar a bola na arquibancada e, no contra-ataque, atacou para finalizar o ponto]. O técnico Renan promoveu muitas mudanças no time, mas a vantagem italiana já era muito ampla (17 x 11) e o time da casa se encaminhou, sem dificuldades, para fechar o set (25 x 17), em 32 minutos.

vettori

–  O oposto Vettori(4), ao lado de Evandro, foram os maiores pontuadores com 19 pontos marcados. [ Foto; FIVB]

3º set Foi o set mais equilibrado, com as duas equipes sacando muito bem, apresentando muito ritmo de jogo e regularidade. Aproveitando os contra-ataques, o Brasil chegou a abrir cinco pontos(10 x 15), porém, o bloqueio italiano e os ataques do oposto Vettori, não deixavam os visitantes desgarrarem no placar por muito tempo(13 x 15). Com vantagem mínima a favor dos brasileiros e o final da parcial se aproximando(18 x 20), os italianos cresceram, fizeram quatro pontos consecutivos e viraram o marcador (22 x 20). Foi a vez da seleção verde e amarela buscar o prejuízo e empatar (23 x 23). Lucarelli foi para o saque e, com dois pontos diretos nesse fundamento, definiu o set a favor dos brasileiros (23 x 25), em 35 minutos.

4º set

O quarto set começou igual ao anterior, com os brasileiros comandando o marcador, mas os italianos, incentivados pela torcida, correndo atrás do placar desfavorável (4 x 8). A Itália não se entregou  e usando o bloqueio, igualou a parcial(16 x 16). Mauricio Souza, no saque balanceado, voltou a dar vantagem para os visitantes (16 x 21). Com cinco pontos de vantagem, os brasileiros chegaram ao ponto do jogo, mas viram Vettori ter uma ótima passagem no saque e a diferença diminuir para apenas dois pontos(22 x 24). Porém, o oposto italiano sacou para fora e definiu o set (22 x 25), em 34 minutos, e o jogo por 3 sets a 1.

Itália: Giannelli, Vettori, Lanza ,Randazzo, Piano, Buti e líbero Colaci

Entraram: Balaso, Pesaresi, Antonov, Sabbi, Botto

Técnico:  Gianlorenzo Blengini

Brasil: Bruno, Evandro, Lucarelli, Maurício Borges, Éder, Maurício Souza e  líbero Thales

Entraram: Tiago Brendle, Renan Murilo Radke, Rodriguinho, Otávio

Técnico: Renan Dal Zotto

[Foto: FIVB]

Anúncios

[Mundial de Clubes] Nova data, nova sede, nova fórmula

Após muita especulação, o Mundial Masculino de Clubes terá nova casa em 2017 e fugirá do calor brasileiro. O torneio será realizado entre os dias 11 e 17 de dezembro, na Polônia – em duas cidades a serem definidas –, e terá nova fórmula para definir os oito clubes participantes.

Além dos campeões continentais (América do Sul, Europa e Ásia), terão vaga: o vencedor da Liga Polonesa (anfitriões), dois campeões nacionais dos países melhores colocados no ranking da Federação Internacional de Voleibol (FIVb) e dois wild cards. Com a reformulação, o Mundial passa a privilegiar equipes mais fortes e o equilíbrio dentro da própria competição.

O torneio, assim como em edições anteriores, terá dois grupos com quatro equipes. As duas melhores colocadas avançam para as semifinais.

De volta ao calendário da FIVb em 2009, o Mundial de Clubes já teve como sedes Doha (Qatar), Betim (Brasil), Belo Horizonte (Brasil), São Paulo (Brasil), Milão (Itália), Parma (Itália) e Treviso (Itália). O Trentino é o maior campeão (quatro títulos), seguido pelo Sada Cruzeiro que venceu o torneio três vezes.

Campeões Mundial Masculino de Clubes

Betim 2016 – Campeão: Sada Cruzeiro (Brasil)
Betim 2015 – Campeão: Sada Cruzeiro (Brasil)
Belo Horizonte 2014 – Campeão: Belgorie Belgorod (Rússia)
Betim 2013 – Campeão: Sada Cruzeiro (Brasil)
Qatar 2012 – Campeão: Trentino (Itália)
Qatar 2011 – Campeão: Trentino (Itália)
Qatar 2010 – Campeão: Trentino (Itália)
Qatar 2009 – Campeão: Trentino (Itália)
Treviso 1992 – Campeão: Misura Mediolanum Milano (Itália)
São Paulo 1991 – Campeão: Il Messaggero Ravenna (Itália)
Milão 1990 – Campeão: Mediolanum Milano (Itália)
Parma 1989 – Campeão: Maxicono Parma (Itália)

 

Com informações da FIVb
Fotos: FIVb

[Pré-olímpico] Polônia conquista vaga olímpica de forma antecipada

A equipe polonesa conquistou a primeira vaga olímpica disponível no Pré -olímpico Mundial, depois de derrotarem a Venezuela por 3×0 (25-21, 25-18, 25-17) no Tokyo Metropolitan Gymnasium (Japão).  Foi a quinta vitória em cinco jogos dos poloneses, que garantiram a classificação para a Olimpíada com duas rodadas de antecipação.

Após não conseguirem se classificar na Copa do Mundo e ter visto o sonho mais uma vez adiado no Pré-olímpico europeu, os atuais campeões mundiais foram ao Japão decididos a carimbar o passaporte para o Rio. Esta será a nona vez da Polônia na maior competição esportiva do mundo, que conquistou a medalha de ouro uma vez, em 1976, nos Jogos Olímpicos de Montreal (Canadá).

Na entrevista coletiva, o técnico Stéphane Antiga comentou sobre esse longo caminho percorrido pela seleção polonesa. “Este foi um longo processo com muitos torneios e jogos [mais de 20 partidas]. Nós finalmente estamos classificados. Somos uma equipe mais forte por causa desta experiência. Nós queríamos a classificação hoje. Estou muito feliz pelos jogadores.”

PolandqualifyfortheRio2016OlympicGames

_ Seleção polonesa comemora a vaga para os Jogos Olímpicos, a terceira participação seguida. (Foto: FIVb/Divulgação)

O ponteiro e capitão polonês Michal Kubiak, foi o maior pontuador da partida com 13 pontos e não escondeu a felicidade pelo feito. “É uma sensação incrível ir aos Jogos Olímpicos duas vezes seguidas. É um sonho se tornado realidade. Nós não conseguimos nos classificar através Copa do Mundo ou campeonatos europeus, mas, finalmente, nós estamos indo para os Jogos Olímpicos. Vencemos cinco partidas seguidas, embora o nosso nível não esteja tão bom. Agora, vamos para o Rio e tentar vencer lá “, concluiu.

Classificação

Quem também está muito próximo de se classificar é a França, que na abertura da rodada venceu o Canadá por 3 sets a 0.  Confira a tabela

polskaCom fotos e informações da FIVb

Definida a tabela do Mundial de Clubes

A Federação Internacional de Voleibol (FIVb) divulgou a tabela oficial do Mundial Masculino de Clubes que será realizado entre os dias 27 e 31 de outubro em Betim.

O Sada/Cruzeiro será mais uma vez anfitrião da competição internacional que ainda conta com a participação do Zenit Kazan (Rússia), Arecibo Capitanes Club (Porto Rico), Paykan Tehran VC (Irã), Ahly Sporting Club (Egito) e UPCN San Juan (Argentina).
As seis equipes foram divididas em dois grupos onde os dois primeiros se classificam para as semifinais.

Em 2014, o Belgorie Belgorod, da Rússia, levou o título ao vencer o Al-Rayyan, do Qatar.

mundial

Brasil leva virada da Sérvia e perde primeiro jogo na Liga Mundial

por Luara Herédia

Nesta sexta-feira,12, a seleção brasileira enfrentou a Sérvia em Novi Sad.  Mesmo começando melhor, o Brasil  levou a virada, que pôs fim à sequência vitoriosa. O time da casa venceu no tie- break por 3 a 2, parciais de 22/25, 23/25, 25/23, 25/21 e 15/13.

Apesar da derrota, a seleção ainda está na liderança do Grupo A com 12 pontos, seguida de Itália (8), Sérvia (7) e Austrália (3). Por ser o anfitrião, o Brasil tem presença garantida na fase final da competição, de 15 a 19 de julho, no Rio de Janeiro.

_ Foto: FIVB- Federação Internacional de Voleibol

_ Na estreia de Brunino, Brasil leva a virada diante da Sérvia (Foto: FIVB- Federação Internacional de Voleibol)

O oposto Wallace, maior pontuador do jogo com 24 pontos,falou depois do jogo – ” Faltou manter o bom ritmo que conseguirmos impor nos dois primeiros sets, quando agredimos bastante no saque. No terceiro e no quarto já não foi tão bom, assim como no quinto. Temos que repensar para o próximo jogo. Não podemos ser tão irregulares assim no domingo.As equipes voltam a se enfrentar neste domingo, às 15h10 (de Brasília), em Belgrado.

Apesar da derrota, a seleção ainda está na liderança do Grupo A com 12 pontos, seguida de Itália (8), Sérvia (7) e Austrália (3). Por ser o anfitrião, o Brasil tem presença garantida na fase final da competição, de 15 a 19 de julho, no Rio de Janeiro.