[Copa dos Campeões] Brasil vence Japão e leva o título pela quinta vez

Precisando de uma vitória diante do Japão, a seleção brasileira não decepcionou e superou os donos da casa por 3×0 (25×17, 25×18, 25×22) e levantou mais uma vez o troféu da Copa dos Campeões. Na partida de hoje (17), o central Lucão foi o maior pontuador om 16 acertos, sendo responsável também por um terço dos pontos de bloqueio da seleção. O ponteiro Maurício Borges também teve boa atuação durante a partida.

GalleryPic.jpgMesmo errando mais que os japoneses, os brasileiros foram superiores no ataque e bloqueio. Como é de praxe, os japoneses foram melhores nas defesas e recepção, no geral, respondendo bem à variação do saque do Brasil, porém não aproveitando as oportunidades no side-out.

“O nível técnico da competição esteve muito alto e tivemos a reedição da final olímpica. Conquistar o título me deixa muito feliz e hoje contra o Japão nós sabíamos que tínhamos que vencer, então estávamos um pouco nervosos”, comentou o técnico Renan dal Zotto.

O levantador Bruninho, um dos jogadores mais admirados pela torcida japonesa, chamou atenção para a evolução da seleção local. “O Japão está em um novo ciclo e parece que tem jogadores mais jovens e mais altos. Na última vez que jogamos contra eles, eles pareciam mais leves e mais baixos. Eles sempre compensaram isso com uma boa defesa, mas nesse nível de competição você precisa de altura”, disse.

ira-italia-podio-copadoscampeoes2017.jpgItália fica com a prata e Irã com o bronze
Mais cedo os italianos venceram os Estados Unidos por 3×1, jogando a pressão para o Brasil. Porém ficaram com a segunda colocação nos critérios de desempate, uma vez que perderam mais sets que os brasileiros.
O Irã também venceu e conseguiu o bronze inédito. Diante da França, os iranianos fizeram um jogo emocionante decidido no tie-break e vencendo o primeiro set de incríveis 38×36. “Era importante terminar esta competição com uma vitória e finalmente ganhar a medalha. Estou muito feliz e orgulhoso do time, fizemos o nosso melhor. É muito importante para nós [subir ao pódio]. O Irã teve sucesso em campeonatos das categorias de base, mas nunca no adulto. Nossos torcedores acompanharam as partidas e as aproveitaram, porém sem uma medalha algo estava errado, agora nós alcançamos isso”, disse o capitão e levantador Marouf.

Classificação Final – Copa dos Campeões 2017
1º – BRASIL
2º – ITÁLIA
3º – IRÃ

4º – Estados Unidos
5º – França
6º – Japão

Com informações da FIVb
Fotos: FIVb

[Copa dos Campeões] No tie-break, Brasil supera Estados Unidos e fica perto do título

O equilíbrio marcou a vitória do Brasil sobre os Estados Unidos na madrugada deste sábado (16). A partida, decidida no tie-break (26×28, 25×15, 20×25, 25×22, 13×15), teve os americanos com melhor aproveitamento no ataque e o oposto Anderson como maior pontuador (27 acertos).

O grande desafio do Brasil em partidas contra os Estados Unidos é o poder do saque americano, principalmente do oposto Anderson. A recepção brasileira conseguiu controlar o passe sem comprometer o levantamento e a distribuição de jogo de Bruninho. Além disso, o volume de jogo das duas equipes proporcionou bons rallys.

No ataque, os americanos aproveitaram bastante o alcance de seus jogadores e a mão de fora dos bloqueadores brasileiros, principalmente quando Anderson e Bruninho estavam na rede. “Foi uma partida muito parelha porque nos conhecemos muito bem. Os Estados Unidos são muito fortes, com um grande saque e poder de ataque. Eles têm alguns dos melhores atacantes e um levantador muito bom. A diferença se deu em algumas jogadas específicas”, avaliou o levantador Bruninho.

A vitória deu ao Brasil uma vantagem na briga pelo título da Copa dos Campeões. A seleção brasileira depende de si para levantar o troféu, uma vez que entrará em quadra contra o Japão sabendo do resultado necessário para terminar a competição em 1º lugar.

Italycelebratetheirvictory.jpgFrança perde mais uma
Adversária direta do Brasil, a Itália venceu a França por 3×1 e precisa vencer os Estados Unidos para colocar pressão nos brasileiros na última rodada. Com baixas no elenco e sem conseguir render em quadra, a França amargou sua terceira derrota na competição.

No fechamento da rodada, o Japão foi superado mais uma vez, agora pelo Irã. Os iranianos levaram a vitória por 3×1. Todas as partidas estão sendo transmitidas no canal da FIVb no Youtube e ficam disponíveis na galeria de vídeos.

Confira todos os resultados e a tabela da Copa dos Campeões 2017:

12.09
França 0 x 3 Brasil (25×27, 25×27, 22×25)
Itália 2 x 3 Irã (19×25, 25×23, 26×28, 31×29, 11×15)
Japão 0 x 3 Estados Unidos (21×25, 18×25, 13×25)

13.09
Brasil 2 x 3 Itália (25×15, 25×28, 25×27, 25×18, 12×15)
Estados Unidos 2 x 3 Irã (25×20, 25×17, 25×27, 21×25, 12×15)
Japão 0 x 3 França (15×25, 23×25, 23×25)

15.09
Irã 0 x 3 Brasil (22×25, 19×25, 15×25)
França 0 x 3 Estados Unidos (20×25, 17×25, 16×25)
Itália 3 x 1 Japão (25×23, 22×25, 25×20, 25×22)

16.09
Estados Unidos 2 x 3 Brasil (26×28, 25×15, 20×25, 25×22, 13×15)
França 1 x 3 Itália (25×21, 20×25, 22×25, 21×25)
Japão 1 x 3 Irã (25×21, 19×25, 20×25, 14×25)

16.09
23h40* – Itália x Estados Unidos

17.09 (*horário de Brasília)
2h40* – Irã x França
6h15* – Brasil x Japão

Com informações da FIVb
Fotos: FIVb

[Copa dos Campeões] Vitória importante para o Brasil diante do Irã

Após perder para a Itália na segunda rodada, a seleção brasileira se recuperou na Copa dos Campeões com uma vitória por 3×0 diante do Irã. Com parciais de 25×22, 25×19 e 25×15, o Brasil teve como destaques o oposto Wallace (15 pontos) e o central Lucão (14 pontos).

Eficiente no ataque e no bloqueio, a seleção brasileira aproveitou ainda a baixa efetividade iraniana no side-out. O técnico do Brasil, Renan dal Zotto, destacou a qualidade do Irã e elogiou o levantador Marouf. “Estou muito feliz porque a seleção brasileira sacou muito bem e o trabalho de bloqueio e defesa também funcionou bastante e isso é muito positivo devido as dificuldades de jogar contra uma seleção tão rápida como é a do Irã, que tem um dos melhores levantadores do mundo na atualidade”, comentou Renan.

Japão conquista set diante da Itália

MasahiroYanagidaspikesagainstItaly.jpgAnfitriões da competição, os japoneses conseguiram vencer seu primeiro set na Copa dos Campeões. Não foi o suficiente para derrubar a Itália que venceu a partida por 3×1. “Pela primeira vez nesta competição, fomos capazes de vencer um set. É algo bom, mas sinto que poderíamos ter feito melhor. Não acho que a Itália jogou um voleibol sofisticado hoje. Eles cometeram erros e nós não os aproveitamos o bastante, então isso é decepcionante”, disse o treinador do Japão, Yuichi Nakagaichi.

A França continua oscilando em quadra e sofreu a segunda derrota, agora para os Estados Unidos que lideram a competição no último critério de desempate (points average: pontos vencidos divididos por pontos perdidos). O Brasil é vice-líder seguido de Itália (3º), Irã (4º), França (5º) e Japão (6º).

Todas as partidas estão sendo transmitidas no canal da FIVb no Youtube e ficam disponíveis na galeria de vídeos.

Confira todos os resultados e a tabela da Copa dos Campeões 2017:

12.09
França 0 x 3 Brasil (25×27, 25×27, 22×25)
Itália 2 x 3 Irã (19×25, 25×23, 26×28, 31×29, 11×15)
Japão 0 x 3 Estados Unidos (21×25, 18×25, 13×25)

13.09
Brasil 2 x 3 Itália (25×15, 25×28, 25×27, 25×18, 12×15)
Estados Unidos 2 x 3 Irã (25×20, 25×17, 25×27, 21×25, 12×15)
Japão 0 x 3 França (15×25, 23×25, 23×25)

15.09
Irã 0 x 3 Brasil (22×25, 19×25, 15×25)
França 0 x 3 Estados Unidos (20×25, 17×25, 16×25)
Itália 3 x 1 Japão (25×23, 22×25, 25×20, 25×22)

16.09 (*horário de Brasília)
0h40* – Estados Unidos x Brasil
3h40* – França x Itália
7h15* – Japão x Irã
23h40* – Itália x Estados Unidos

17.09 (*horário de Brasília)
2h40* – Irã x França
6h15* – Brasil x Japão

Com informações da FIVb e CBV
Fotos: FIVb

[Copa dos Campeões] Jogando com calma, Brasil supera a França na estreia

A seleção brasileira começou a Copa dos Campeões com vitória no Japão. Na madrugada de hoje (12), o Brasil superou a França por 3×0, parciais de 27×25, 27×25 e 25×22. Lucarelli foi um dos destaques do Brasil na partida, terminando o confronto com 15 pontos marcados, o outro foi a tranquilidade dos brasileiros em quadra.

“Antes do jogo, pensamos que não seria fácil, então estávamos um pouco nervosos. Mas resolvemos ser positivos e isso foi visível no nosso jogo. A França é muito forte, tanto fisicamente quanto mentalmente, e isso é o que os torna difíceis de jogar contra”, avaliou o levantador e capitão do Brasil, Bruninho.

Sem o central Le Roux e o ponteiro Ngapeth, os franceses deram trabalho na reta final das duas primeiras parciais e equilibraram o confronto em vários momentos no último set, mesmo assim cederam muitos pontos em erros – 23 ao todo. Uma das novidades na equipe francesa foi a atuação de Kevin Tillie – ponteiro de origem – como líbero, no lugar do titular Grebennikov. “Perdemos de 3×0 e é decepcionante, mas existem pontos positivos. Considerando que chegamos com jogadores lesionados, nosso bloqueio e defesa foram bem. Esperamos levar os aspectos positivos para as próximas partidas”, comentou o treinador Laurent Tillie.

Irã e Estados Unidos também vencem
FarhadGhaemicelebratesafterscoringapoint
A segunda partida do dia foi bastante disputada e terminou com vitória do Irã diante da Itália no tie-break. “Jogamos contra um grande oponente, uma das melhores equipes da Europa. No início da temporada, fomos derrotados por 3×0 perdendo oportunidades. Hoje perdemos a oportunidade de vencer por 3×1, mas estou feliz com a vitória. Chegamos aqui com muitas esperanças e queremos surpreender os times mais fortes. Hoje, já conseguimos a primeira surpresa e teremos mais oportunidades nos próximos dias contra Estados Unidos, Brasil, França e Japão”, disse o montenegrino Igor Kolakovic que assumiu a seleção iraniana neste ano.

No encerramento do primeiro dia, os donos da casa foram superados pelos Estados Unidos com certa facilidade: 3×0, parciais de 21×25, 18×25 e 13×25.

Confira abaixo a tabela da madrugada desta quarta-feira (13):

Copa dos Campeões 2017 – 13.09
0h40 (horário de Brasília) – Brasil x Itália
3h40 (horário de Brasília) – Estados Unidos x Irã
7h15 (horário de Brasília) – Japão x França

Com informações da FIVb
Fotos: FIVb

Copa dos Campeões começa com reencontro entre Brasil e França

A época de fazer o café mais tarde e virar a noite com muito voleibol chegou. Na madrugada desta terça-feira (12) começa a Copa dos Campeões no Japão. De cara o Brasil pega a França, desfalcada de Ngapeth, às 0h40 (horário de Brasília).

A competição, que ocorre de quatro em quatro anos, reúne, além de Brasil e França, os anfitriões (Japão), o Irã, Itália e Estados Unidos. Todas as equipes, exceto Japão e Itália (wild card), qualificaram-se para a disputa do torneio pelo ranking da Federação Internacional.

O Brasil é o atual campão da Copa dos Campeões e participou de todas as edições do torneio, sendo campeão em quatro oportunidades. Para o treinador da seleção brasileira, Renan dal Zotto, a competição é muito importante para o início do ciclo olímpico. “É uma competição importante e a de maior importância desde a Rio 2016. Temos sete jogadores do time olímpico, mas é um novo ciclo e temos também novos membros na comissão técnica. É um novo desafio com uma nova geração de jogadores, uma competição importante para alcançar o nosso próximo objetivo que é uma vaga em Tóquio 2020”, disse Renan.

Ter os Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020 como alvo é unanimidade entre os treinadores. Adversários do Brasil na final dos Jogos em 2016, a seleção italiana vem mudada. “O time da Itália mudou desde as Olimpíadas do Rio, mas temos uma grande oportunidade de jogar contra os melhores times do mundo. Será a primeira vez para muitos jogadores, não só neste torneio, mas com a seleção”, comentou o Gianlorenzo Blengini, que continua à frente da Azurrar.

Confira a tabela do primeiro dia da Copa dos Campeões 2017:

12.09 – Terça-feira (HORÁRIO DE BRASÍLIA)
0h40 – Brasil x França
3h40 – Itália x Irã
7h15 – Japão x Estados Unidos

Com informações da FIVb
Foto: FIVb

[Liga Mundial] Ngapeth comanda a França e adia o sonho do deca mais uma vez

Mais de 23 mil pessoas compareceram na Arena da Baixada, em Curitiba(PR), para torcer para o Brasil na final da Liga Mundial, em um partida que começou 23h de um sábado e se estendeu pela madrugada fria da capital paranaense. Se o começo foi bem animador para os brasileiros, a França, comandada por Earvin Ngapeth, tratou de acabar com o sonho do décimo título da competição dos brasileiros. Vitória de virada dos europeus por 3 sets a 2, parciais de (21×25, 25×15, 25×23, 19×25 e 15×13) e o bicampeonato para os franceses, que haviam conquistado o primeiro título em 2015, também no Brasil, só que em partida disputada no Ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro.

A partida foi marcada por duas atuações brilhantes e disputa individual: o oposto Wallace e o ponteiro Ngapeth , principais atacantes de suas seleções, tiveram um aproveitamento de ataque acima da média. Com 28 pontos,  Ngapeth foi o grande protagonista, com um arsenal de belas jogadas, uma defesa que o jogador fez no tie-break merece ser destacada. Earvin foi eleito o MVP da competição.

Com nove títulos e maior vencedor, o Brasil não consegue o título desde 2010. Além disso, a equipe do técnico Renan Dal Zotto não conseguiu quebrar mais um tabu: conquistar essa competição em solo brasileiro. Desde 1993 [última vez em que o Brasil conquistou a Liga Mundial em casa, foram 3 tentativas e em nenhuma o Brasil saiu vitorioso.

O jogo

As equipes começaram a final da Liga Mundial demonstrando muito ritmo de jogo. De um lado, destaque para o setor defensivo e para os ataques de Ngapeth e Boyer, do outro, o bloqueio brasileiro teve seu melhor início [foram 3 pontos diretos nesse fundamento], além de Lucarelli e Wallace inspirados, levantando vantagem em relação a defesa adversária. O saque balanceado de Maurício Souza dificultou a recepção francesa e ajudou o time da casa a abrir vantagem (17×14).  Com muito ímpeto, o Brasil não deixava a França reagir, a recepção brasileira foi outro fundamento que funcionou muito bem e Bruno retribuía utilizando as bolas com seus centrais. Após 27 minutos, em ataque indefensável, Maurício Souza definiu o set (25×21) para os donos da casa.

Diferente do set anterior, os brasileiros começaram mal e viram uma França com outra postura em quadra, abrindo rapidamente uma ótima vantagem (3X8). O ataque do Brasil caiu de rendimento e o time foi acumulando erros, o que causou a inversão de 5-1, com Renan Buiatti e Rapha entrando nos lugares de Bruninho e Wallace. A equipe francesa passou a sacar cada vez melhor e o bloqueio, que não havia marcado no set anterior, foi

n

Ngapeth fez 28 pontos e foi o protagonista da final. [Foto: FIVB]

responsável por seis pontos na segunda parcial e foi um dos fundamentos determinantes para os franceses construírem uma margem cada vez maior e definirem o set com incríveis dez pontos de vantagem (15×25), em 21 minutos.

A França voltou à quadra com a mesma intensidade que definiu o segundo set (5×10). Já o Brasil demonstrava apatia, vibrando pouco, tomando decisões precipitadas e observando o adversário jogar (12×16). Se o levantamento brasileiro estava impreciso, Toniutti recebia a bola na mão e aciona, sobretudo, o eficiente e genial Ngapeth. Outro ponto de destaque do time europeu era o líbero Grebennikov, que protagonizou defesas que pareciam impossíveis.  A equipe visitante chegou na reta final do set com três pontos de vantagem (15×18), porém, um desafio a favor dos brasileiros recolocou a seleção sul-americana no set (20×20), restabelecendo um equilíbrio e aumentando a tensão na final.  Porém, Le Roux, em bloqueio em cima de Wallace, deu números finais ao set (23×25), virando a partida para os franceses.

Precisando vencer para continuar com esperanças de conquistar o título, os brasileiros ditaram o início da parcial. Com ótima sequência de saques de Lucarelli, o time nove vezes campeão da Liga Mundial chegou a ter o dobro de pontos do adversário (10×5). Éder, que havia entrado no set anterior, colocou o Brasil com três pontos de vantagem na segunda parada técnica obrigatória (16×13). O levantamento nas pontas do Bruno, que não estava com precisão, melhorou e os ponteiros cresceram o aproveitamento de ataque (22×18).  Jogando mais alegre e empurrados pelos torcedores, a seleção da casa fechou e levou a decisão para o set decisivo.

Embalados com a vitória no set anterior, os brasileiros começaram à frente, após dois ataques de Lucarelli e se manteve à frente até a troca de lado (8×6). Na sequência, os franceses entram no set, buscaram a parcial e viraram. Novamente o saque francês fez a diferença e o central Le Roux conseguiu uma ótima sequência, levando seu time ao match point. Após 19 minutos, Clevernout colocou a bola no lado brasileiro e deu o bicampeonato para a França.   Mais cedo o Canadá bateu os Estados Unidos e conquistaram o inédito terceiro lugar.

Equipes:

Brasil: Bruno, Wallace, Lucarelli, Maurício Borges, Maurício Souza, Lucão. Líbero: Thales

Entraram:  Renan Buiatti, Rapha. Éder, Tiago Brendle

Técnico: Renan Dal Zotto

França: Toniutti, Ngapeth, Le Roux, Boyer, Clevernot, Chinenyeze. Líbero:Grebennikov

Entraram:  Brizard, Rossard, Lyneel

Técnico:  Tillie Laurent

 

 

[Fotos: FIVB]

[Liga Mundial] França garante pódio e será adversário do Brasil na final

Dona da melhor campanha da fase de classificação, a seleção francesa confirmou a boa fase nesta Liga Mundial e venceu o Canadá na segunda semifinal desta sexta-feira (7). O triunfo por 3×1, na Arena da Baixada, foi mais um em que o ponteiro Earvin Ngapeth mostrou por que é considerado o melhor da sua posição atualmente. O jogador do Modena terminou o confronto como maior pontuador, com 24 acertos.

O volume de jogo e o saque foram as grandes armas dos Les Bleus diante do Canadá. “Eles fizeram uma boa partida na defesa, mas nós esperávamos isso. Eles são muito bons nesse fundamento, e quando jogamos contra, às vezes ficamos um pouco frustrados porque atacamos bem e com confiança, ainda assim eles conseguem defender e fazer muito bem a transição de contra-ataque”, analisou o capitão canadense Perrin. Neste sábado (8), às 20h, o Canadá encerra sua campanha histórica na Liga Mundial contra os Estados Unidos na disputa pelo bronze. “Agora vamos para a disputa do bronze como se fosse qualquer outra partida. Claro que será muito bom conquistar uma medalha e jogar contra nossos rivais, os Estados Unidos. Será uma boa partida”, completou o ponteiro.

Campeões em 2015 no Rio de Janeiro, os franceses disputam mais uma final em solo brasileiro, porém dessa vez contra os anfitriões. “Foi um jogo difícil, porque o Canadá jogou bem e colocou pressão com seus bloqueios. Felizmente, Ngapeth fez uma bela partida e trouxe a equipe de volta para o jogo. Estamos orgulhosos de estar aqui, no Brasil, jogando contra os anfitriões numa final da Liga Mundial. Será um grande desafio: o Brasil é a melhor seleção do mundo e queremos competir para ver em qual nível estamos”, disse o treinador da França, Laurent Tillie.

Após jogos em horários razoáveis durante toda a Fase Final, a decisão está marcada para o final da noite deste sábado e vai invadir a madrugada fria de Curitiba. Brasil e França entram em quadra às 23h05, com transmissão do Sportv, Rede Globo e FIVb.

Confira todos os resultados:

Fase Final Liga Mundial 2017 – Curitiba, Brasil

04.07 – Brasil 3 x 1 Canadá (25×21, 17×25, 25×19, 25×19)
04.07 – França 3 x 2 Estados Unidos (27×25, 20×25, 26×24, 17×25, 15×12)

05.07 – Rússia 0 x 3 Canadá (23×25, 27×29, 17×25)
05.07 – Sérvia 1 x 3 Estados Unidos (22×25, 23×25, 25×19, 22×25)

06.07 – Brasil 3 x 2 Rússia (25×18, 18×25, 25×19, 22×25, 16×14)
06.07 – França 3 x 2 Sérvia (25×21, 25×20, 17×25, 18×25, 15×11)

07.07 – Semifinal I – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25×20, 23×25, 25×20, 25×19)
07.07 – Semifinal II – França 3 x 1 Canadá (25×19, 22×25, 25×19, 25×21)

08.07 – 3º lugar – 20h – Estados Unidos x Canadá
08.07 – Final – 23h05 – Brasil x França

Com informações da FIVb.
Foto: FIVb