[Liga Mundial] Itália termina como lanterna e Bulgária perde vaga na última partida; confira os resultados

Após França e Sérvia garantirem antecipadamente suas vagas na Fase Final da Liga Mundial 2017, o último fim de semana da fase de classificação foi cheio de emoção. Com Bélgica, Polônia, Rússia, Estados Unidos, Bulgária e Canadá brigando pelas últimas vagas. Russos, canadenses e norte-americanos ficaram com as últimas três vagas e vão às finais em Curitiba.

A polêmica escalação dos reservas na derrota para o Brasil custou a classificação da Bulgária para o Final Six. Precisando superar a Argentina e, assim, eliminar os Estados Unidos, a Bulgária foi com força máxima para sua partida derradeira nesta edição. Confiantes após o triunfo diante dos campeões olímpicos, os argentinos acabaram com os sonhos dos europeus e venceram por 3×1, em Córdoba.

Surpresa das primeiras semanas, a Bélgica não conseguiu manter a sequência de vitórias e terminou sua campanha na 7ª colocação, perdendo a última vaga para os americanos no saldo de sets. Enquanto isso, a Itália foi a grande decepção pós-olimpíada. Com uma campanha irregular, a seleção de Gianlorenzo Blengini terminou como lanterna da competição (duas vitórias e sete derrotas) e aguarda mudanças no regulamento da próxima edição para saber se será rebaixada para o Grupo 2.

Confira todos os resultados da terceira semana do Grupo 1 da Liga Mundial 2017:

Grupo H1 – Katowice e Lodz, Polônia
15.06 – Irã 0 x 3 Estados Unidos (17×25, 22×25, 28×30)
15.06 – Polônia 0 x 3 Rússia (22×25, 17×25, 21×25)
17.06 – Estados Unidos 2 x 3 Rússia (29×31, 25×17, 19×25, 29×27, 13×15)
17.06 – Polônia 3 x 0 Irã (25×17, 25×18, 25×22)
18.06 – Rússia 3 x 0 Irã (26×24, 25×18, 25×18)
18.06 – Polônia 1 x 3 Estados Unidos (31×29, 17×25, 25×27, 20×25)

Grupo I1 – Antuérpia, Bélgica
16.06 – Itália 3 x 2 França (20×25, 25×21, 24×26, 25×20, 16×14)
16.06 – Bélgica 2 x 3 Canadá (23×25, 13×25, 26×24, 25×22, 10×15)
17.06 – França 3 x 0 Canadá (25×16, 25×15, 25×21)
17.06 – Itália 1 x 3 Bélgica (22×25, 24×26, 27×25, 16×25)
18.06 – Canadá 3 x 1 Itália (20×25, 25×22, 25×14, 25×22)
18.06 – Bélgica 0 x 3 França (21×25, 16×25, 16×25)

Grupo G1 – Córdoba, Argentina

16.06 – Brasil 3 x 0 Bulgária (25×15, 25×19, 25×22)
16.06 – Argentina 2 x 3 Sérvia (22×25, 25×19, 22×25, 30×28, 12×15)
17.06 – Bulgária 3 x 2 Sérvia (25×18, 20×25, 25×23, 24×26, 15×12)
17.06 – Argentina 3 x 1 Brasil (19×25, 25×21, 25×22, 25×19)
18.06 – Sérvia 1 x 3 Brasil (22×25, 16×25, 25×17, 23×25)
18.06 – Argentina 3 x 1 Bulgária (25×16, 25×21, 23×25, 25×19)

Com informações da FIVb

[Liga Mundial] França segue em boa fase e garante vaga na Fase Final; confira a classificação

Irã, Bulgária e França receberam neste fim de semana a segunda rodada da fase classificatória do Grupo 1 (1ª divisão) da Liga Mundial 2017. Sede do grupo F1, a França conquistou diante de seu torcedor uma das vagas para a Fase Final da competição. O destino, assim como no título inédito de 2015, é o Brasil, dessa vez a cidade é Curitiba. “Estamos classificados. É incrível porque será a terceira vez em três anos! Earvin Ngapeth estará conosco na Antuérpia apesar de ainda estar se recuperando. Porém, precisamos prepara-lo para Curitiba”, disse o treinador francês Laurent Tillie, cuja seleção segue invicta nesta edição da Liga Mundial.

classificacao_ligamundial2017_week2.jpgAinda em terras francesas, os italianos amargaram três derrotas e ocupam a 11ª colocação por critérios de desempate, uma vez que a Argentina, lanterna, tem a mesma campanha e saldo inferior de sets. No formato atual, a seleção pior colocada cairá para o Grupo 2.

Em Teerã, a Sérvia terminou o fim de semana com três vitórias e apenas um set perdido, assumindo a vice-liderança geral e encaminhando sua classificação para defender o título conquistado no ano passado.

Enquanto isso, a seleção brasileira teve como desfalque o oposto Evandro, lesionado. Apesar das vitórias sobre Canadá e Polônia, o Brasil segue oscilando bastante. Contra a Bulgária, sede da segunda semana, os comandados de Renan dal Zotto cometeram 39 erros e sofreram com os saques adversários.

Com a classificação francesa, quatro vagas para o Final Six ainda estão em aberto e serão definidas nesta semana quando se encerra a fase de classificação. Argentina (Córdoba), Polônia (Katowice e Lodz) e Bélgica (Antuérpia) serão as sedes da última rodada. A Fase Final acontece entre os dias 4 e 8 de julho, na Arena da Baixada, casa do Atlético Paranaense.

Confira todos os resultados da segunda semana do Grupo 1 da Liga Mundial 2017:

Grupo D1 – Teerã, Irã
09.06 – Sérvia 3 x 0 Argentina(25×18, 25×22, 25×23)
09.06 – Irã 3 x 2 Bélgica (23×25, 25×17, 25×22, 23×25, 15×12)
10.06 – Bélgica 3 x 2 Argentina (23×25, 25×20, 25×23, 24×26, 15×6)
10.06 – Irã 1 x 3 Sérvia (20×25, 23×25, 25×16, 16×25)
11.06 – Sérvia 3 x 0 Bélgica (25×22, 25×18, 25×20)
11.06 – Irã 3 x 2 Argentina (29×27, 25×20, 20×25, 23×25, 15×11)

Grupo E1 – Varna, Bulgária
09.06 – Canadá 1 x 3 Brasil (25×23, 20×25, 22×25, 23×25)
09.06 – Bulgária 3 x 2 Polônia (25×16, 20×25, 19×25, 25×23, 16×14)
10.06 – Brasil 3 x 1 Polônia (25×21, 25×20, 17×25, 25×19)
10.06 – Canadá 3 x 1 Bulgária (27×25, 30×28, 21×25, 25×23)
11.06 – Polônia 3 x 1 Canadá (25×21, 27×25, 20×25, 25×19)
11.06 – Brasil 1 x 3 Bulgária (22×25, 19×25, 25×23, 19×25)

Grupo F1 – Pau, França
09.06 – Itália 0 x 3 Estados Unidos (22×25, 23×25, 23×25)
09.06 – França 3 x 1 Rússia (25×12, 22×25, 25×21, 25×18)
10.06 – Estados Unidos 3 x 0 Rússia (25×20, 25×22, 25×22)
10.06 – França 3 x 1 Itália (21×25, 25×21, 25×21, 26×24)
11.06 – Itália 2 x 3 Rússia (33×31, 23×25, 25×21, 23×25, 10×15)
11.06 – França 3 x 1 Estados Unidos (25×20, 18×25, 25×22, 25×21)

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

[Liga Mundial] Na reedição da final olímpica, Brasil tem sua melhor atuação e vence a Itália

Dez meses após a final olímpica, Brasil e Itália voltaram a se enfrentar, desta vez pela primeira fase da Liga Mundial, disputada em Pesaro, na Itália. E, assim como aconteceu na Rio 2016, a seleção brasileira saiu vitoriosa: 3 x 1, parciais de (25 x 15, 17 x 25, 25 x 23 e 25 x 22). Vale ressaltar que, Brasil e Itália, com nove e oito títulos respectivamente, são os maiores vencedores desta competição.

Foi a melhor atuação da seleção do técnico Renan Dal Zotto, que encerra  o primeiro final de semana de disputas com duas vitórias e uma derrota. Nesta partida, o volume de jogo brasileiro foi amplamente superior aos dois primeiros jogos, o saque foi mais regular e, novamente, o oposto Evandro foi o maior pontuador, desta vez com 19 pontos. Na segunda semana de jogos, o Brasil viaja para Varna, na Bulgária, para enfrentar Canadá, Polônia e os donos da casa.

O jogo

A seleção brasileira entrou em quadra demonstrando muito volume de jogo e, com dois bloqueios em sequência, abriu vantagem no marcador (6 x 9). A Itália pareceu sentir a pressão imposta pelo adversário e cometeu muitos erros, foram oito ao longo do set, contra quatro dos brasileiros. Com dificuldades em seu ataque, o técnico Gianlorenzo Blengini fez algumas substituições, do outro lado, os atacantes brasileiros seguiam levando vantagem sobre a defesa italiana, com destaque para o oposto Evandro, que fez seis dos 14 pontos nesse fundamento pelo time brasileiro. Com ampla folga no marcador, o Brasil fez 15 x 25, em 26 minutos.

2º set

Quem achou que os italianos voltariam abatidos para a quadra se enganou, o que se viu foi uma Itália vibrante, com um bloqueio afiado, marcaram quatro pontos, e dominaram o set. O passe brasileiro caiu muito e o levantador Bruno não conseguia utilizar a bola rápida pelo meio. Do lado dos anfitriões, Antonov, que entrou para jogar no primeiro set e não saiu mais, conseguiu boas sequências no saque, os atacantes italianos cresceram na partida, sobretudo com Lanza, que foi o responsável pela melhor jogada da parcial [o jogador foi buscar a bola na arquibancada e, no contra-ataque, atacou para finalizar o ponto]. O técnico Renan promoveu muitas mudanças no time, mas a vantagem italiana já era muito ampla (17 x 11) e o time da casa se encaminhou, sem dificuldades, para fechar o set (25 x 17), em 32 minutos.

vettori

–  O oposto Vettori(4), ao lado de Evandro, foram os maiores pontuadores com 19 pontos marcados. [ Foto; FIVB]

3º set Foi o set mais equilibrado, com as duas equipes sacando muito bem, apresentando muito ritmo de jogo e regularidade. Aproveitando os contra-ataques, o Brasil chegou a abrir cinco pontos(10 x 15), porém, o bloqueio italiano e os ataques do oposto Vettori, não deixavam os visitantes desgarrarem no placar por muito tempo(13 x 15). Com vantagem mínima a favor dos brasileiros e o final da parcial se aproximando(18 x 20), os italianos cresceram, fizeram quatro pontos consecutivos e viraram o marcador (22 x 20). Foi a vez da seleção verde e amarela buscar o prejuízo e empatar (23 x 23). Lucarelli foi para o saque e, com dois pontos diretos nesse fundamento, definiu o set a favor dos brasileiros (23 x 25), em 35 minutos.

4º set

O quarto set começou igual ao anterior, com os brasileiros comandando o marcador, mas os italianos, incentivados pela torcida, correndo atrás do placar desfavorável (4 x 8). A Itália não se entregou  e usando o bloqueio, igualou a parcial(16 x 16). Mauricio Souza, no saque balanceado, voltou a dar vantagem para os visitantes (16 x 21). Com cinco pontos de vantagem, os brasileiros chegaram ao ponto do jogo, mas viram Vettori ter uma ótima passagem no saque e a diferença diminuir para apenas dois pontos(22 x 24). Porém, o oposto italiano sacou para fora e definiu o set (22 x 25), em 34 minutos, e o jogo por 3 sets a 1.

Itália: Giannelli, Vettori, Lanza ,Randazzo, Piano, Buti e líbero Colaci

Entraram: Balaso, Pesaresi, Antonov, Sabbi, Botto

Técnico:  Gianlorenzo Blengini

Brasil: Bruno, Evandro, Lucarelli, Maurício Borges, Éder, Maurício Souza e  líbero Thales

Entraram: Tiago Brendle, Renan Murilo Radke, Rodriguinho, Otávio

Técnico: Renan Dal Zotto

[Foto: FIVB]

[Olimpíadas] É 2004? Brasil ressurge e Itália chega à final em partida emocionante

Assim como em Atenas 2004, a final do vôlei masculino na Rio 2016 será entre Brasil e Itália, e a decisão do bronze entre Rússia e Estados Unidos. A diferença é que dessa vez a Itália chega mais forte e regular para a disputa do ouro contra os brasileiros amanhã (21).

Italy celebrateOs italianos venceram sua semifinal contra os Estados Unidos por 3×2 (30×28, 26×28, 9×25, 25×22, 15×13), contando com o apoio dos torcedores brasileiros presentes no Maracanãzinho, que de novo pegou no pé do americano Russell, e a liderança de Zaytsev em quadra, o grande nome italiano nos Jogos do Rio. A Itália busca a medalha inédita após bater na trave em 1996, contra a Holanda, e 2004, contra o Brasil.

Já o Brasil e o líbero Serginho chegam à sua quarta final seguida em Olimpíadas, a sexta decisão do voleibol masculino (1984, 1992, 2004, 2008, 2012 e 2016). A classificação veio com a vitória diante da Rússia no fim da noite de ontem (19) e não poderia ter sido de maneira mais perfeita. A vitória em sets diretos foi a melhor atuação brasileira nos Jogos desde a “decisão” contra a França na última rodada da fase de grupos.

Com o saque e a recepção funcionando, os brasileiros foram mais uma vez empurrados pela torcida e jogaram toda a pressão do resultado para os atuais campeões olímpicos. Sem o passe na mão, o levantador Grankin não conseguiu aproveitar os centrais e sobrecarregou o veterano Tetyukhin e o oposto Mikhaylov. “Estabelecemos nosso jogo no saque e perdemos poucos contra-ataques. A Itália merece crédito pela vitória sobre os Estados Unidos com a vitória na recuperação. O time deles cresceu muito com Juantorena”, disse o central Lucão.

BrazilianSrgioDutracelebratestheirclassificationtothefinalsDo lado brasileiro vale destacar, além da atuação impecável da equipe, o baixo número de erros: foram apenas 10 pontos cedidos aos russos em toda a partida, enquanto os adversários deram 25 pontos de graça. “Depois de vencer em Londres e o Campeonato Europeu, não conseguimos repetir o resultado com uma equipe jovem. Cometemos muitos erros e essa foi a principal razão por termos terminado com a derrota contra a forte equipe brasileira. Não conseguimos segurar o saque deles”, avaliou Vladmir Alekno, treinador da Rússia.

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

[Liga Mundial] De virada, Brasil vence os Estados Unidos e enfrenta a França na semifinal

A seleção brasileira já entrou em quadra nesta sexta-feira (15) com a classificação para as semifinais garantidas e por isso o técnico Bernardinho usou a oportunidade para testar os reservas. Do outro lado, os Estados Unidos precisavam ganhar e somar três para avançar na competição. E os norte-americanos começaram muito bem, abrindo dois sets a zero, mas quando tudo parecia favorável, o que se viu foi uma reação da seleção brasileira, que virou a partida e venceu por 3 sets a 2, parciais de 24-26,21-25,28-26,25-21 e 15-12.  O oposto Evandro foi o maior pontuador do confronto com 25 pontos.

Com o resultado o Brasil avançou em primeiro lugar do grupo, eliminaram os Estados Unidos e classificaram a Itália. A Sérvia completa o grupo de quatro seleções classificadas. No sábado (16), serão realizadas as semifinais, às 12h30, Itália e Sérvia se enfrentam, na sequência, às 15h30, Brasil e França decidem um lugar na grande final da Liga Mundial.

O JOGO

O Brasil entrou em quadra bastante modificado com o levantador William, os ponteiros Maurício Borges e Douglas Souza, os centrais Éder e Isac, o oposto Evandro e o líbero Tiago Brendle. Já os EUA entraram com força máxima e controlando o marcador com ataques de Anderson e Sander 15- 19. Os brasileiros buscaram o placar e conseguiram reduzir a diferença ponto a ponto até igualar nos 24, mas os EUA voltaram a pontuar duas vezes seguidas e fecharam o set 24 – 26.

 2º set

 De novo os norte-americanos começaram ditando o ritmo 6- 9, mas o Brasil deixou tudo igual 10- 10, após um lance excepcional do levantador William, levantando de manchete para o central Isac. O set seguiu equilibrado, com as equipes se revezando, mas com boa sequência de saque de Anderson, bola de xeque de Holt e bloqueio de David Lee, os Estados Unidos abriram quatro pontos e fecharam a segunda parcial 21 – 25.

 3º set

bra bra baaa.jpg

_William,Lipe, Éder e Evandro comemoram mais um ponto do Brasil. (Foto: FIVB/Divulgação)

 O ponteiro Russell sofreu uma lesão na coxa e teve que se retirar de quadra, com isso, o experiente Priddy entrou em quadra e os EUA seguiram dominando o marcador 7- 10. Com Matt Anderson virando todas as bolas, parecia que a vitória estava se encaminhando para os americanos 18- 21, que chegaram a ter a bola do jogo no ace de Christenson, mas o Brasil não se entregou, virou e fechou o set em 28-26.

4º set

 Precisando da vitória para continuar vivo na competição, o técnico Speraw colocou em quadra Thomas Jaeschke e Murphy Troy, nos lugares de Anderson e Priddy para tentar dar um novo gás para sua equipe. Embalado com a vitória no set anterior, os brasileiros seguiram dominando o placar 16×13, fecharam o set 25-21, eliminando os Estados Unidos da competição antes mesmo do fim da partida.

5º set

 Já eliminados, a vitória passou a ser obrigação para os EUA, que começaram melhor o set decisivo e lideravam o placar na troca de lado de quadra 5- 8. Porém, os brasileiros não iriam desistir de buscar a vitória, com Evandro botando todos os ataques no chão e com dois bloqueios de Éder, os brasileiros viraram o placar para 13-12. Os norte-americanos sentiram o golpe e não conseguiram pontuar, resultado, 15-12 para o Brasil.

 

_Com informações e fotos da FIVB

[Liga Mundial] Sem dificuldades, Brasil vence Itália na abertura da fase final

 

A seleção brasileira estreou muito bem diante da Itália na fase final da Liga Mundial, fase que está sendo disputada em Cracóvia, na Polônia.  O Brasil se impôs e não deu chances aos italianos, vitória por 3×0, parciais de 25-18, 25-20 e 25-19.  O ponteiro Lucarelli, que era dúvida antes do jogo por causa de uma lombalgia, foi novamente o maior pontuador da partida, com 14 pontos. Amanhã (14), os brasileiros têm folga e voltam à quadra na sexta (15), às 15h30, para um duelo diante dos Estados Unidos. O jogo terá transmissão do Sportv.

Um fundamento que ganhou elogio do sempre exigente Bernardinho foi o saque, para o comandante brasileiro, esse foi a chave do bom jogo de sua equipe. “Eu acho que fizemos um bom jogo. Estamos trabalhando duro no saque, é muito importante para todos os times do mundo. Talvez nos anos anteriores tivemos problema neste elemento, mas nós estamos tentando corrigi-lo”

Bruno, levantador e capitão da seleção verde e amarelo também elogiou a equipe, mas fez questão de ressaltar que não tem nada ganho. “É claro que estamos felizes com o resultado, pois competimos e vencemos uma forte equipe, mas não podemos ser muito confiantes, porque há um longo caminho pela frente. A Itália não jogou o máximo das suas capacidades e precisamos lembrar disso. Nos Jogos Olímpicos nós estaremos no mesmo grupo e teremos de estar focados como o hoje para fazer o mesmo.

O JOGO

A Itália abriu o placar com um ponto espetacular com Juantorena.  Os jogadores do técnico Roberto Blengini começaram melhores e construíram uma vantagem de dois pontos, mas o Brasil não desistiu e levou 8-7 no primeiro tempo técnico fora.  Após a volta da parada técnica os brasileiros se acertaram e impulsionados pelos ataques da dupla Lucarelli-Wallace construíram uma vantagem16-12. Zaytsev tentava recolocar a Itália no set, mas no ataque de Maurício Souza os brasileiros venceram a parcial 25-18.

wallace

_  Wallace enfrenta bloqueio de Zaytsev e Birarelli. (Foto: FIVB/Divulgação)

 Assim como no set anterior, a Azzurra iniciou na frente, mas viu o adversário virar o placar 10-7. Sem intensidade a Itália via os brasileiros comandarem o marcador 14-8. Os italianos buscaram uma reação 17-14, mas que foi rapidamente interrompida pelo Brasil 25-20.

O Brasil construiu uma vantagem de três pontos no primeiro tempo técnico 8-5. Porém, a Itália não estava disposta a entregar a partida tão facilmente para o adversário e fez uma primeira metade de set equilibrada 14-14. Novamente o volume de jogo brasileiro fez a diferença e eles voltaram a dominar o set 20-15, e se encaminharam para fechar o set 25-19, após ataque do central Maurício, que realizou uma ótima partida.

– Com fotos e informações da FIVB

[Liga Mundial] Maiores vencedores da competição, Brasil e Itália se enfrentam na abertura da fase final

Depois de se classificar em primeiro lugar, foram nove vitórias e apenas uma derrota, a seleção brasileira faz nesta quarta-feira (13) sua estreia na etapa final da Liga Mundial, disputada em Cracóvia, na Polônia. As seis seleções que garantiram um lugar para a última fase da competição foram divididas em dois grupos com três equipes em cada.  No grupo J1 estão Brasil, Itália e Estados Unidos, já o grupo K1 é composto pela Sérvia, França e pela anfitriã Polônia.  A partida de abertura da fase final será entre os maiores vencedores do torneio, o Brasil, com nove conquistas, enfrenta a Itália, que é detentora de oito títulos da Liga Mundial. A partida será às 12h30, com transmissão do Sportv.

O técnico Bernardinho destacou a força do adversário. “Eles têm opções de troca, já que o Zaytsev está jogando de ponteiro e pode alternar como oposto, e estamos esperando para conhecer como vai ser contra o nosso time. A Itália tem um vigor físico enorme e depende muito disso. Saque e bloqueio, sistema defensivo, talvez seja o ponto alto deles. A entrada do Juantorena, o cubano naturalizado, deu um algo a mais no sentido de força e capacidade de decidir”.

bernaaaaaaaa

_  Bernardinho poderá não contar com Lucarell, seu principal jogador. (Foto: FIVB/divulgação)

Com 15 atletas  disponíveis, o técnico brasileiro poderá ter  dor de cabeça para a partida diante da Itália. O  ponteiro Lucarelli, principal jogador do Brasil, que já havia sido poupado na última partida  sentindo dores nas costas, teve  uma lombalgia confirmada.  Vale ressaltar que  dois ponteiros, Murilo e Lipe,também se recuperam de lesões, estiramento no peito e um problema muscular na panturrilha, respectivamente. Bernardo ainda tem no  elenco  Maurício Borges e o jovem Douglas Souza, jogadores menos experientes, mas que vem atuando.

Competição

As seis seleções que garantiram um lugar para a última fase da competição foram divididas em dois grupos, no grupo J é composto por Brasil, Itália e Estados Unidos, já no grupo K estão Sérvia, França e pela anfitriã Polônia. Os dois melhores colocados de cada grupo estarão garantidos na fase semifinal.

tabela final

_   As seis seleções classificadas para fase final: Brasil(1º), EUA(2º), Sérvia(3º), França(4º), Itália(5º) e  a Plônia(10º), classificada por ser sede da fase final. (Imagem: FIVB/site)