UFJF conquista a segunda vitória e entra no G8 da Superliga

por Luara Herédia

Os jogadores e comissão técnica demonstram união após a vitória diante da equipe de Maringá.

Os jogadores e comissão técnica demonstram união após a vitória diante da equipe de Maringá.

 

A UFJF conquistou sua segunda vitória na Superliga Masculina. Jogando diante de sua torcida que marcou presença e incentivou o time do início ao fim, a Federal derrotou na noite de sábado, 23, o Moda/ Maringá por 3 x 1. Parciais de 21 x19, 10 x21, 21 x18 e 25 x23. Com a vitória, o time de Juiz de Fora chegou aos sete pontos na competição, e entrou no G8, posição que classifica os mineiros para a próxima etapa da competição.

A partida marcou o reencontro dentro das quadras de dois irmãos. Do lado dos donos da casa, o levantador titular da Federal, Danilo Gelinski  enfrentou a equipe do irmão mais velho, Thiago Gelinski, que atua na mesma posição do caçula.

Os maiores pontuadores do jogo foram o oposto Lorena e o ponteiro Renato, ambos jogadores de Maringá, que marcaram 15 pontos. Já o Troféu Viva Vôlei, dado ao melhor jogador da partida ficou com o  central Jardel da UFJF. O próprio jogador ficou surpreso com a escolha  e brincou com a situação: “O troféu não é para mim (risos), é do Victor Hugo (central), ele jogou muito hoje e vou passar para ele no vestiário”, explicou.

 

O JOGO

O oposto De Paula abriu o placar do jogo, 1×0. Em início equilibrado, as equipes trocavam pontos, no primeiro tempo técnico, os donos da casa tinham um ponto de vantagem 7 x 6. A UFJF abriu dois pontos , mas com erro de ataque permitiu os paranaenses empatarem o set. Na segunda parada obrigatória, a Federal tinha vantagem mínima de um ponto em relação ao adversário 14 x 13. O técnico Carlos Augusto “Chiquita” fez a inversão de 5 x 1 em sua equipe, o levantador Xuxa e o oposto Daniel entraram na partida. Na sequência, Jardel recolocou a UFJF à frente, 17 x 16, em lance em que os jogadores de Maringá ficaram pedindo bola fora o árbitro Anderson Caçador advertiu as duas equipes com cartão amarelo. No final do set os visitantes cometeram erros e permitiram a UFJF abrir vantagem e fechar o set com três pontos de vantagem, 21 x 18.

2º set

 Após perder o set anterior, o Moda/ Maringá retornou à quadra imprimindo um ritmo forte e abriu 3 X 0. O ponteiro Reffatti marcou o primeiro ponto dos donos da casa 3 x 1. Com bloqueio, os visitantes abriram 6 x 1, forçando o técnico Chiquita  parar o jogo. No tempo técnico, o placar era 7 x 1.  Com ótima vantagem no placar, o Maringá não deixava a UFJF reagir e aproveitou os erros do adversário para aumentar a diferença no set. Na maringasegunda parada técnica, os paranaenses tinham o dobro de pontos do adversário, 14 x7.De novo, o bloqueio do Moda fez a diferença e  técnico Chiquita colocou Hugo no  lugar de Reffatti para tentar reajustar o passe de sua equipe. Após mais um erro dos mineiros, o Moda/ Maringá fechou o set  com incríveis onze pontos d evantagem,21 x 10, em apenas 22 minutos.

3º set

 O set começou no erro de saque do ponteiro Quiroga. Com dois erros seguidos do central Victor Hugo, Maringá abriu 3 x 1. No bloqueio duplo de Quiroga e Renato os visitantes fizeram 4 x 1, fazendo a UFJF parar o jogo. Na volta, os donos da casa buscaram o placar e  em ataque do ponteiro Reffatti empataram o set 4 x 4. Com erro do levantador  Ricardinho, a Federal passou à frente  5 x 4.    No tempo técnico, o placar era 7 x 5 para os donos da casa.

Foto: Lucilia Bortone

Foto: Lucilia Bortone

 O jogo seguiu disputado, dois lances marcados por lances polêmicos com a arbitragem recolocaram o Maringá à frente 10 x 9. Os mineiros voltaram a liderar o set, com bons saques de Jardel. No segundo tempo técnico, o placar era 14 x 12 para  a UFJF. No bloqueio simples do ponteiro Hugo, a UFJF ampliou  a vantagem para quatro pontos, No bloqueio simples de Hugo os donos da casa abriram quatro pontos 17 x 12. Depois da inversão de 5 x 1 feita na UFJF, o oposto Daniel fechou o set  em 21 x 18, fazendo 2 sets a 1.

4º set

Precisando da vitória para continuar a partida, o Moda/ Maringá abriu 2 x 0. Porém, empolgados com a conquista do terceiro set  e contando com o apoio das arquibancadas, a UFJF  logo empatou o set e virou o placar após erro de Maringá. No primeiro tempo técnico o placar era 7 x 5 para os donos da casa. No bloqueio de Orestes, o set ficou empatado 8 x 8. Na largadinha Maringá  passou à frente, forçando o técnico da Federal parar a partida. No segundo tempo técnico, Moda/ Maringá liderava por dois pontos de vantagem, 14 x 12.  O técnico da UFJF promoveu mudanças na sua equipe, Gelinski e De Paula voltaram para o jogo no lugar de Daniel e Xuxa. Após erro de ataque do adversário, os mineiros ficaram a apenas um ponto atrás do placar, 17 x 16, foi à vez do técnico de Maringá pedir tempo. Na sequência o set seguiu muito equilibrado, com as duas equipes tendo chances de  vencer o set. Após o segundo match point, a UFJF fechou o set por 25 x 23 , e o jogo por 3 sets a 1, conquistando três pontos importantes para a sequência da competição e interrompendo uma série de três vitórias consecutivas de Maringá.

foto 2

Fotos: Lucilia Bortone

EQUIPES

UFJF – Danilo Gelinski( levantador), De Paula(oposto), Japa e Reffatti (ponteiros), Jardel e Victor Hugo( centrais) e Thales (libero). Entraram: Daniel, Xuxa, Hugo e Ninão. Técnico: Chiquita

 MODA MARINGÁ- Ricardinho( levantador), Lorena( oposto), Quiroga e Renato( ponteiros), Acácio e  Rafael( centrais) e Dustin (líbero). Entraram: Thiago Gelinski, Najari, Renan, Cléber e Orestes.Técnico: Douglas Chiarotti

Anúncios

UFJF conquista a primeira vitória na Superliga

por  Luara Herédia

UFJF 3 x 1 MONTES CLAROS

 Na partida disputada no sábado à noite na Arena UFJF, o time de Juiz de Fora venceu a partida diante de Montes Claros  por 3 sets a 1. Parciais de 21×19, 20×22, 23×21 e 21×15. Com esse resultado, o time chegou ao  oitavo lugar na tabela, com quatro pontos e está na zona de classificação para os playoffs do torneio.

O maior pontuador do jogo foi o ponteiro Túlio, jogador de Montes Claros, com 18 pontos. Pelo lado dos donos da casa, o central Jardel marcou 13 pontos. O melhor jogador da partida foi o líbero Thales, da UFJF, que recebeu no fim da partida o  Troféu Viva Vôlei.

 O técnico Chiquita destacou a importância da vitória para os planos da sua equipe: “Era necessária essa vitória em casa para a nossa trajetória dentro da Superliga. O grupo está trabalhando para buscar exatamente o que não conquistou na temporada passada( se manter entre os oito primeiros). Esse é uma equipe forte e hoje  eu tive condições de utilizar quase todos os jogadores e isso foi  fundamental ”, finalizou.

O JOGO

A  UFJF começou com uma mudança em relação os outros jogos da temporada, o levantador Rivoli começou jogando no lugar de Gelinski.  A partida começou e forma equilibrada e no primeiro tempo técnico o placar era 7 x 6 para  os donos da casa. No contra-ataque, a UFJF abriu vantagem de dois pontos 10 x 8.  Montes Claros correu atrás do placar e empatou o set em 11 x11. Na segunda parada técnica o placar era 14 x 13 para a UFJF. No saque de Jardel, a UFJF fez 16 x14, forçando o pedido de tempo do técnico adversário.  A Federal  abriu três pontos,19 x 16, mas cometeu erros  e permitiu que os visitantes encostaram no marcador 19 x 18. No erro do MOC a UFJF chegou ao set point, e com um erro do oposto adversário, fechou o set em 21 19.

2º set

UFJF 3 x 1 MONTES CLAROSOs visitantes começaram melhor, e no tempo técnico lideravam por 7 x 5, após erro do central Jardel. No ataque de Túlio, ponteiro de MOC, o time abriu vantagem de três pontos. A UFJF foi buscar o placar, e com ace de Japa diminuiu o marcador para 9 x 8. As equipes buscavam o saque forçado e cometiam muitos erros. No bloqueio de Rivoli a UFJF empatou o set em 13 x 13. No tempo técnico MOC liderava por 14 x 13. O time de Montes Claros liderava o placar por dois pontos 18 X 16, quando o técnico Chiquita parou a partida e na sequência fez a inversão do 5×1( troca de levantador e oposto),  Rivoli e De Paula saíram para a entrada de Daniel e Gelinski. A troca deu resultado e os donos da casa  deixaram tudo igual em 18 pontos. A partida ficou empatada até os 20 pontos. E na sequência Montes Claros pontuou e contou com o erro do adversário para fechar o set em 22 x 20 , e empatar a partida em 1 set a 1.

3º set

O terceiro set foi o mais surpreendente da partida. A UFJF começou abrindo 4 x 0, forçando o técnico de MOC parar o jogo. Na sequência, a UFJF fez 5 x 0. Porém, os visitantes não se entregaram e empataram o set em 5 x 5, forçando o técnico Chiquita parar o jogo.  No tempo técnico Montes Claros tinha 7 x 5, com incríveis sete pontos consecutivos.  Para tentar reajustar sua equipe, o técnico da Federal colocou no jogo o ponteiro Hugo e o levantador Gelinski, nos lugares de Japa e Rivoli. No bloqueio, MOC fez 8 x 6.

A UFJF se recuperou e empatou o set com ponto de Jardel 10 x 10.No segundo tempo técnico, o placar era 14 x 13 para os visitantes. A equipe do Norte de Minas abriu dois pontos 19 x17, e a UFJF parou o jogo.  Na sequência o central Lucão entrou para aumentar o tamanho do bloqueio do time.  Após erro do levantador de MOC, a UFJF encostou no set 20 x 19. Gelinski foi para o saque e após a bola esbarrar na fita, atrapalhou a recepção e o jogo ficou empatado em 20 x 20. O ponto animou a UFJF e com um bloqueio de Lucão, o time fechou o set em 22 x 20.UFJF 3 x 1 MONTES CLAROS

4º set

A UFJF entrou determinada a fechar o jogo no quarto set e conquistar os três pontos. No primeiro tempo técnico o placar era 7 x 5 para a UFJF. Na sequência, com um ace, Jardel ampliou o marcador para os donos da casa 8 x 5. Montes Claros  correu atrás do prejuízo e com Túlio inspirado, virou o set para 10 x 9, fazendo Chiquita parar o jogo. Após marcação confusa da arbitragem, a UFJF voltou a liderar o placar com 11 x10. No segundo tempo técnico o placar era 14×13 para a UFJF.  Os donos da casa conseguiram abrir o placar 16×13 com vantagem, o time administrou o marcador e fechou o set em 21 x15, e o jogo por 3 sets a 1.

 

 

{Campeonato MIneiro} UFJF não consegue superar o Vivo/ Minas

Foto: Skylo- Melhor do Vôlei

                                       Foto: Skylo- Melhor do Vôlei

A  UFJF  não conseguiu superar a  equipe do Vivo/ Minas em partida realizada  ontem à noite pelo Campeonato Mineiro no ginásio do Minas Tênis Clube,  em Belo Horizonte. A equipe de Juiz de Fora começou melhor, mas não impediu a reação do time da casa, que venceu de virada por 3 sets a 1, parciais de (15-21, 21-16, 21-18 e 21-16),

Os destaques da UFJF foram o central Jardel e o ponteiro Reffatti, que marcaram 11 pontos cada um. O próximo jogo da equipe será  contra o Olympico, na quarta- feira, 16, em Juiz de Fora.

O JOGO

No primeiro set, o time da casa começou abrindo vantagem, mas a equipe minastenista sentiu a falta de ritmo de jogo, cometeu muitos erros e permitiu a reação da UFJF, que aproveitou as chances e fechou o set em 21 x 15. Assim como no primeiro set, o time do  Minas abriu vantagem logo no início, mas ao contrário do set anterior, foi mais regular e se manteve à frente do marcador até o fim do set, fechando em 21 x 16 e empatou o jogo em 1 set a 1.

A terceira parcial do jogo foi o mais equilibrado, e as equipes alternavam pontos, no fim, o time da capital se impôs e fechou em 21 x 18, virando o placar da partida para 2 sets a 1.No quarto set a UFJF começou melhor, disposta à levar o jogo para o quinto set, mas o Minas reagiu, virou o set e fechou a parcial por 21 x 16 e o jogo por 3 sets a 1.

 

UFJF perde no tie-break na estreia da Superliga

por Luara Herédia

O time de vôlei da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) fez neste sábado, 21, sua estreia na Superliga Masculina e por quase não conseguiu uma vitória diante do SESI, uma das equipes favoritas ao título.  A vitória dos visitantes aconteceu apenas no  quinto set, o placar foi 3 x 2. Parciais de 21 x 19, 26 x 28, 21 x 16, 21 x 18 e 15 x10. O segundo jogo da UFJF na Superliga será contra o Sada/ Cruzeiro, na próxima quarta- feira, 25, em Contagem.

Durante  o jogo, o líbero  do SESI e ex jogador da seleção brasileira, Serginho sentiu dores na coluna e foi para o vestiário no intervalo do  segundo para o terceiro set. O jogador desmaiou e foi encaminhado para o hospital Monte Sina, para realizar uma ressonância. Os resultados ainda não foram divulgados.

1º set

A UFJF entrou em quadra  desfalcada de cinco jogadores, o levantador Gelinski não jogou por causa de um cartão adquirido na temporada passada, os centrais Lucão e Sequela estavam  contundidos, mesmo problema do oposto Daniel,  e o central Diego não estava com seu nome regularizado. A equipe  começou com os seguintes jogadores: o  levantador  Rivoli, oposto De Paula, os centrais Jardel e Victor Hugo, os ponteiros Japa e Reffatti  e o líbero Thales.

Fora de quadra, a equipe contou  com o apoio da torcida, que lotou o ginásio e ainda recebeu o reforço dos torcedores da Tribo Carijó, uma torcida organizada do TUPI. Os torcedores foram retribuir o apoio que a equipe de vôlei deu para o time de futebol no último jogo( A UFJF entrou em quadra segurando um cartaz dando forças ao Tupi, em referência ao episódio do massagista, que impediu o gol da classificação da equipe carijó).

O jogo começou equilibrado, com as duas equipes trocando ponto. No primeiro tempo técnico, o placar era 7 x 6 para o Sesi.  Na bola de segunda do levantador Rivoli, a UFJF  passou à frente no set: 10 x 9, levantado a torcida. No bloqueio duplo, a UFJF   foi com vantagem de pontos para a segunda parada técnica: 14 x 12. Lucarelli,  recolocou o Sesi na frente, 16 x 15, o técnico Chiquita parou o jogo.  O final do set estava  empatado em 19 x 19.  Com dois bloqueios seguidos, o Sesi fechou o set: 21 x19.

 2º set

O Sesi abriu dois pontos no início do set, 4 x 2. No ataque de Japa, a UFJF empatou em 4 x 4. NO primeiro tempo técnico obrigatório o placar era 7 x 6 para o Sesi. Na sequencia do jogo, Jardel ampliou a vantagem dos donos da casa, 10 x8, mas o Sesi correu atrás do placar e deixou tudo igual,11 x11. No segundo tempo técnico, o placar era 14 x 13 para o Sesi. O time paulista voltou a ficar na frente.  Como aconteceu no primeiro set, as equipes estavam empatadas  na reta final do set, 19 x 19. O Sesi teve o primeiro set point  do set 20 x 19, a UFJF empatou a partida e no contra-ataque Reffatti deu a chance da Federal fechar o set. As duas equipes seguiam trocando pontos, Japa marcou o ace e os donos da casa  retomaram à frente do placar.  O central Jardel fechou o set para a UFJF em 28 x 26, em 32 minutos.

3º set

O ponteiro do SESI, Ary entrou no jogo no lugar do líbero Serginho, que passou mal.. No primeiro tempo técnico, o placar era 7 x 6 para o Sesi.   A equipe paulista estava melhor no set, no bloqueio ampliou a vantagem para três pontos: 11 x 8 Na segunda parada obrigatória, o placar era: 14 x 11. O Sesi soube aproveitar da vantagem adquirida no set e fechou sem grandes problemas por  2 1 x 16,  em 21 minutos.

4º set

O Sesi  começou o set disposto em fechar o set e a partida, e logo abriram 3 x 1. Porém,  a UFJF não estava afim de entregar o jogo e  empatou o set: 3 x 3. Com dois bloqueios, a Federal foi para o tempo técnico com 7 x 5 no placar. A vantagem mineira se manteve até a segunda parada técnica, 14 x 12 para os mineiros.  O Sesi foi buscar o placar e empatou o set após erro do atacante Japa, o técnico Chiquita parou o jogo para conversar com sua equipe. A parada serviu para recolocar a UFJF no set, a equipe abriu vantagem de três pontos, 17 x 14. O árbitro aplicou  cartão amarelo para o Sesi, na sequencia o time paulista desperdiçou o contra- ataque, 19 x 17. Reffatti deu o set point para a UFJF que fechou o set em 21 x 18 após erro do Sesi.

 5º set

Empolgada com a vitória no set anterior, a UFJF começou melhor o set mais curto, Reffatti fez 4 x 1 para os donos da casa. Porém, a experiente equipe do Sesi  deixou tudo igual. O central Sidão foi para o saque e conseguiu uma sequência incrível , colocando o  Sesi três pontos na frente do marcado: 9 x 6.  Com a vantagem adquirida, o time paulista administrou o set  e encaminhou  rumo à  vitória. No final, o Sesi fez 15 x 10 e fechou a partida em 3×2. O central do Sesi, Sidão levou o Troféu Viva Vôlei,  prêmio para o melhor jogador em quadra.