Maurício, ex-Voltaço e Voleisul, é novo reforço do JF Vôlei

Jogador já estava com a equipe e participou dos amistosos do último fim de semana (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei)

O JF Vôlei confirmou a contratação do levantador Maurício, ex-Volta Redonda e Voleisul, para a disputa da Superliga 2015/2016. O jogador já estava com o elenco do Juiz de Fora e participou dos dois amistosos contra a equipe do Antioquia no último fim de semana, porém a contratação ainda não estava fechada.

Questionado pela nossa reportagem após o amistoso de sábado, o técnico do JF Vôlei, Alessandro Fadul falou sobre o trabalho no Voltaço quando comandou Maurício, Renato e Ricardo, jogadores que hoje defendem Juiz de Fora. “São jogadores que já tive a oportunidade de trabalhar junto e tivemos bons momentos dentro de quadra. Passamos por um momento de reformulação do projeto [do JF Vôlei] e eu não tinha dúvida de que eles aceitariam fazer parte da equipe. Sei o quanto eles podem contribuir para nossa equipe”, disse.

Estreia na Superliga

Fadul também analisou os desafios para a estreia na Superliga contra a Voleisul, dia 8 de novembro, em Novo Hamburgo. “Vamos enfrentar uma equipe forte e que já está junta há algum tempo. Sabemos que vamos ter um começo difícil. Mas o grupo está trabalhando forte, está confiante, sabe o que pode fazer, sabe e reconhece suas limitações. Estamos trabalhando em cima de nossas deficiências”.

Nos amistosos contra o Antioquia, Fadul pôde poupar alguns jogadores e observar aqueles que não vinham atuando. “Os dois amistosos foram importantes porque pude colocar em quadra alguns jogadores que não vinham jogando; deu pra ver mais o Laerte e Tatinho, por exemplo. O Tatinho, que é líbero, entrou para desempenhar uma outra função [a de ponteiro]. Eu sei que não é fácil jogar numa posição que você não está habituado e que você não treina há muitos anos, mas ele se sacrificou pela equipe nessas duas partidas. Poupamos alguns jogadores em função da sequência puxada de jogos que tivemos nos Jogos de Minas. Foi proveitoso para colocar alguns jogadores em atividade, rodar um pouco mais o grupo, mas sabemos que temos muito a evoluir” concluiu.

Anúncios

Liga Mundial – Brasil estreia com derrota na fase final

por Luara Herédia

O jvem ponteiro sentiu dificuldades para superar o forte bloqueio russo. Foto: FIVB

O jvem ponteiro sentiu dificuldades para superar o forte bloqueio russo.
Foto: FIVB

A seleção brasileira estreou com derrota para a Rússia  por 3 a 2, na fase final da Liga Mundial.Parciais de 17/25, 25/23, 25/22, 19/25 e 15/11. Hoje, a equipe do técnico Bernardinho folga  e volta às quadras na sexta-feira, em busca da classificação para a semifinal!

Entrou na pilha: A transmissão da tv falava em jogo da revanche, já que a seleção russa derrotou a seleção brasileira de forma arrasadora na final das Olimpíadas de Londres (Brasil vencia por 2 sets a 0, mas levou a virada). Eu odeio essas comparações,  desde quando um jogo na Liga Mundial pode ser comparada  com uma FINAL OLÍMPICA. Deixa pra ser resolvido em 2016…

vol_spiridonov_fivb.jpg_95

O oposto russo foi o protagonista da partida.
Foto: FIVB

E o gigante foi um mera coadjuvante:  Se a atenção estava voltada para o carrasco do Brasil nas Olímpiadas, o central Dmitriy Muserskiy de 2,18m, o gigante não fez nada de espetacular. Claro, que soltou umas bombas no saque, bloqueou, atacou, mas nada que chamasse atenção. Ao contrário do ponteiro Alexey Spiridonov, que fez questão de não passar despercebido.

O jogador foi o protagonista da partida e estava com a confiança lá em cima. E a cada ponto marcado por ele eram caretas, provocações e dancinhas ( sempre comemoradas de frente para a equipe brasileira), uma dessas comemorações lhe rendeu um cartão vermelho(na nova regra, apenas dá um ponto para o adversário). O que não limitou as provocações do russo….

Soltou o verbo: Em entrevista ao Sportv, o técnico Bernardinho falou sobre o comportamento de Spiridonov, para o comandante brasileiro, o problema maior foi a falta de postura dos árbitros: “Ele é doente, um louco, não é normal. O problema não é o Spiridonov, são os árbitros. Simples assim. Eles falam disciplina na quadra, o cara fica o tempo todo provocando, e não fazem nada. Deram o cartão vermelho, mas, se ele continuou, tem de expulsar.”

Faltou “o cara ” para a seleção:  O Brasil passa por uma reformulação, o ponteiro Lucarelli,  21 anos, já vem demonstrando toda sua maturidade e defendendo muito bem a posição, mas em jogos com nível, é essencial um jogador com uma bagagem, que por muitos anos Giba, Murilo ( que se recupera de uma cirurgia ) e Dante seguravam a barra.

Alias, falando em Dante, é cada vez mais perceptível, que são esses fatores,  experiencia e maturidade, que estão fazendo o ponteiro ser titular( principalmente com essa ausência de Murilo). Dante já não tem aquela potência de ataque, saudades da bola fundo-meio atacada por ele. Se Dante  não estava bem, entrou Maurício Borges, outro jogador novo, que precisa de tempo para ser um homem decisivo da seleção, muita responsabilidade para o ponteiro que na ultima temporada foi reserva no clube que defende( defendia).

Em outra posição, Leandro Vissotto vem jogando como oposto titular.Ontem, o jogador saiu machucado e Wallace(que acho que deve ser titular) entrou. Porém, o jogador também não foi muito decisivo, longe das melhores atuações do oposto.  Na inversão do 5×1( troca dos levantadores e oposto), Lipe, que é ponteiro de origem, atuou como oposto( por causa da contusão de Vissotto), outro que precisa de temo para mostrar que merece um espaço na seleção.

Próxima rodada: Se o Brasil não entra em quadra hoje, a Rússia joga hoje o seu segundo jogo desta fase final, diante do Canadá. Se vencer( é amplamente favorita) já garante  uma das vagas da semifinal e espera o vencedor do duelo entre Brasil x Canadá, que se enfrentam na sexta-feira, às 16h30min para saber quem também avança no grupo E.

 

Brasil volta a vencer a Rússia em amistoso

por Luara Herédia

 Foto: Divulgação CBV

Foto: Divulgação CBV 

A seleção brasileira masculina de vôlei voltou à quadra para a disputa do segundo jogo amistoso contra a Rússia, novamente o Brasil saiu com a vitória por 3 x1. Parciais de  25-20,25-20, 19-25 e 25-17. Assim como ontem, um quinto set foi disputado e os russos venceram por 25 x 22.

Para os jogos amistosos, a seleção viajou com os seguintes jogadores: os levantadores Bruno e William Arjona, os opostos Leandro Vissotto, Wallace e Renan, os centrais Lucão, Eder, Maurício Souza e Isac, os ponteiros Dante, Thiago Alves, Lipe, Maurício Borges e Lucarelli e os líberos Mário Jr. e Alan. 

As partidas serviram como teste final  para o Brasil, que estreia na  Liga Mundial na próxima sexta- feira(7) contra a Polônia, atual campeã da competição. O canal Sportv transmite a partida a partir de 12h35min.

Bernardinho escalou o mesmo time que iniciou a partida ontem: Bruninho( levantador) Leandro Vissotto( oposto), Éder e  Maurício( centrais), Lucarelli e  Dante( ponteiros) e Mário Júnior ( líbero). Porém, ao contrário do primeiro jogo, poucas mudanças ocorreram, entraram apenas o central Isac, o ponteiro Lipe, o levantador William e o oposto Wallace.

Confira a lista dos 22 jogadores convocados para a Liga Mundial:

Levantadores: Bruno Rezende, William Arjona, Raphael e  Murilo Radke

Ponteiros: Dante, Lucarelli,Lipe, Maurício Borges e Thiago Alves e Ary

Opostos: Leandro Vissotto, Wallace, Renan , Thèo, João Paulo Bravo

Centrais: Éder, Lucas Saatkamp, Isac e Maurício Souza, Sidão

Líberos: Mário Júnior e Alan

Se preparando para a Liga Mundial, Brasil vence Rússia em amistoso

 por Luara Herédia

A seleção brasileira de vôlei  embarcou para a Europa na quarta-feira(29) para início da disputa da Liga Mundial, a estreia do Brasil será na próxima sexta- feira (7) contra os poloneses, atuais campeões. Porém, antes de um jogo oficial, a seleção de Bernardinho fez uma escala na cidade de Moscou para disputar 2 amistosos contra os russos, algozes dos brasileiros na última final olímpica.

A seleção voltou às quadras com mudanças importantes, sem Giba , Rodrigão e Serginho(que se aposentaram da seleção)  e Murilo e Sidão( que se recuperam de lesões), Bernadinho escalou o time com:  Bruno( levantador), Leandro Vissotto( oposto), Éder e Maurício (centrais), Lucarelli  e Dante(ponteiros) e o líbero Mário Júnior. O placar da partida foi  3 sets a 1 para o Brasil. Parciais de  25-17, 25-17, 23-25 e 25-23.

Depois da vitória brasileira, as equipes disputaram mais um set mas  por se tratar de uma partida amistosa, o quinto set foi disputado em 25 pontos, a vitória foi da Rússia por 25 x 22.Amanhã as equipes voltam a se enfrentar ao meio dia ( horário de Brasília).

8406cfb594b839b1b4c465e59869d613_XL

Foto: Divulgação CBV

O jogo serviu para a comissão técnica mexer bastante no time. No decorrer da partida o oposto  Wallace e o levantador William, que fez sua estreia na seleção entraram e ajudaram  o Brasil a fazer 25 x 17 e abrir 2 sets a 0 no placar.

No início do 3º set, o central Isac e os ponteiros Lipe e Thiago Alves se juntaram a Bruno, Wallace, Éder e Mário Jr, mas a vitória no set foi dos anfitriões: 25 x 23.No quarto set, William, Maurício e o líbero Alan começaram como titular no lugar de Bruninho, Éder e Mário Junior. A vitória da parcial foi brasileira que fecharam o set em 25 x 23.

Um quinto set foi disputado, e o oposto Renan e  o ponteiro Maurício Borges ao lado de William,Maurício, Isac , Thiago Alves e Alan formaram uma seleção totalmente renovado em relação ao início do jogo. A Rússia voltou a vencer um set do Brasil  por 25 x 22.

 

MUNDIAL DE CLUBES: SADA/CRUZEIRO CONQUISTA SUA SEGUNDA VITÓRIA

O Sada/Cruzeiro conquistou sua segunda vitória no Mundial de Clubes que acontece em Doha, no Quatar. Jogando contra a equipe da casa, o Al-Rayyan ( do central Rodrigão e do americano David Lee),o  time brasileiro encontrou uma certa dificuldade, mas mostrando o entrosamento da equipe, e com boa distribuição de jogadas do  levantador William, fechou o jogo por 3 sets a 1. Parciais de 25 X 20, 23 x 25, 25 x 16 e  25 x 21

Os jogadores do Sada/Cruzeiro comemoram a segunda vtória , liderança do grupo e a classificação para as semifinal do Mundial de Clubes.

O JOGO:

Os times começaram se estudando. Com um ace de Maurício, a equipe brasileira abriu 2 pontos de vantagem: 4 x 2. Mas a pequena vantagem logo foi embora e as equipes seguiam empatadas: 7 x 7. Na primeira parada técnica, o placar era 8 x 7 para os brasileiros. Na volta do tempo técnico, o bloqueio e o saque do Sada fizeram a diferença e a equipe ampliou o placar 12 x 8, provocando o pedido de tempo do técnico da equipe do Al-Rayyan. No segundo tempo técnico 16 x 12 par o Cruzeiro.

O ponteiro Filipe em uma boa seqência de saques, ajuda a equipe do Sada/Cruzeiro a levar o 1ºset

      O ponteiro Filipe com boa    seqüência no saque provocou o   segundo pedido de tempo do técnico do time árabe quando o placar era 18x 13. Porém, não adiantou, na volta do tempo o jogador fez mais um ponto de saque e em seguida quebrou a recepção do adversário. Com bola de xeque, o Cruzeiro mandava no placar: 20 x 13. O Al- Rayyan até tentou reagir defendendo e pontuando no contra ataque: 22 x 18, o técnico Macelo Mendez pediu tempo para conversar com sua equipe. No fim, o  Sada/Cruzeiro   fechou o set com 25 x 20 no placar.

  

  2º SET:

O Cruzeiro começou abrindo    3    x 0, mas o time do Quatar se recuperou e pontuando quatro vezes seguidas, passou a frente: 4 X 3. A equipe brasileira começou a errar muitas jogadas. Do outro lado, o Al-Rayyan cresceu na partida e foi pela primeira vez no jogo foi na  frente na parada técnica: 8×4.  A parada fez bem ao time brasileiro que diminuiu a vantagem para dois pontos 8 x 6.  O central americano  David Lee, bloqueou o central brasileiro Douglas e a equipe do Quatar abriu quatro pontos: 14 x 10. 

               A equipe do Al- Rayyan  errou dois ataques consecutivos o que fez a equipe mineira aproximar no marcador: 14 x 13, o técnico do time do Quatar parou a partida para evitar a reação do time brasileiro. Pontuando no contra-ataque o time árabe foi com vantagem de dois pontos para a parada técnica obrgatória: 16-14.

Na reta final, o Cruzeiro conseguiu a virada:19 x 18. Em um ponto que gerou dúvidas na marcação, o

Time do Al-Rayan empata a partida
FOTO: FIVB

Al-Rayyan pediu a utilização de imagens,novidade que está sendo testada nesse campeonato ( leia mais sobre) para tirar a dúvida. Revendo as imagens da jogada o ponto foi para o Cruzeiro que abriu dois pontos: 20 x 18. Com muito equilíbrio,a partida ficou novamente empatada  21 x 21. Com ace de Acácio, o Sada fez 23 x 22. A equipe brasileira desperdiçou um contra- ataque  e novamente o set ficou empatado: 23 x 23. Pontuando duas vezes consecutivas, o Al- Rayyan fechou por 25 x 23, empatando a partida em 1 set  1.

3º SET

O set começou equilibrado, 4 x 4 . Na primeira parada  técnica ocorreu um fato curioso. O juiz deu ponto para o Cruzeiro que fez  8X 6 no placar, mas  o capitão  David Lee do Al-Rayyan pediu o uso das imagens acusando que o central brasileiro Douglas Cordeiro invadiu a quadra adversária com a bola ainda em jogo.  Analisando as imagens, o juiz voltou atrás na marcação e o placar se transformou em 7 x 7.  As equipes voltaram para a quadra esó depois de uma nova jogada disputada o Cruzeiro fez 8 x 7.

            O oposto Wallace começou a se destacar na partida com a potência de seus  ataques: 11X 8 Cruzeiro. Jogando melhor, o Sada abriu 4 pontos e foi para a parada técnica em vantagem 16 x 12. Com o sistema defensivo(bloqueio e defesa) funcionando, a equipe brasileira foi ampliando o marcador: 22 x 15.  Com vantagem, o time fechou o set por 25 x 16. 

O bloqueio do Sada para o central norte americano David Lee , do Al- Rayyan

 

4º SET

Determinada a fechar a partida, a equipe brasileira começou melhor e em um contra-ataque fez 4 x 2. No tempo técnico o Sada/Cruzeiro estava com 8 x 7 no marcador.  Com uma defesa o time brasileiro fez: 11 X 9 .Usando o recurso das imagens pela primeira vez, o Cruzeiro que foi favorecido pelo  desafio do vídeo, após um ataque de Douglas Cordeiro. Na segunda parada obrigatória  o placar era 16 x 12 para a equipe brasileira.

Na volta do jogo, o Al- Rayyan reagiu no set e encostou no placar, 17 X 16. O técnico do Sada, Marcelo Mendez pediu tempo quando a partida estava empatada em 20 x 20.  O levantadordo Cruzeiro, William, fez um bloqueio  e a equipe retomou a frente do marcador: 22 x 21. Wallace atacou e a bola esbarrou no bloqueio adversário. Em hora decisiva a equipe brasileira abriu dois pontos no fim do set: 23 x 21. O cubano Leal do Sada foi para o saque e conseguiu um ace, o que virou match point para  a equipe.  O time brasileiro fechou o set por 25 x 21 e o jogo por 3 sets a 1, conquistando três pontos importantes que deu a liderança  do grupo A e a classificação para a semifinal.

O próximo jogo do Sada/Cruzeiro será na terça- feira, às 9 horas, contra o atual tricampeão Mundial de Clubes, o Trentino, da Itália. O canal BANDSPORTS transmite a partida.

 Fotos: FIVB( Federação Internacional de Voleibol)

Liga Mundial: Brasil estreia com derrota na competição

A Polônia estragou a  reestreia de Ricardinho na seleção brasileira.A seleção brasileira sofreu com  falta de ritmo (afinal, é o primeiro jogo da temporada), além de estar desfalcadas de jogadores experientes como  Giba, Murilo e Leandro Vissotto(os três jogadores ficaram no Brasil se recuperando de lesões) e sofreu a derrota no primeiro jogo da Liga Mundial. A seleção perdia por 2 sets a 0,levou o jogo para o tie break  mas foi parada por uma Polônia entrosada e decidida a ganhar do Brasil. Resultado, Brasil 2 x 3 Polônia . Parciais de 22 x 25, 25 x 27, 27 x 25,25 x 22 e 12 x 15.

A (re)estreia d Ricardinho foi “apagada ” pela vitória da seleção da Polônia

O JOGO:

A seleção entrou em quadra com: Ricardinho, Lucão, Sidão, Dante, Mauricio,Wallace e Serginho.

A Polônia começou errando muitos saques, a seleção brasileira se aproveitou e logo abriu 3 pontos de vantagem. Mas depois do 1º tempo técnico a Polônia voltou melhor  e encostou no jogo porém o Brasil ainda tinha vantagem.

A seleção comandada por Bernardinho chegou a marcar 20 x 16 mas a Polônia  com uma sequência incrível virou o jogo para 21×20. Brasil errava muito na recepção e a equipe polonesa pontuava nos contra-ataques. Final de set: 25 x 22 Polônia

2º set começou equilibrado, mas depois da parada técnica a seleção brasileira abriuvantagem. O placar mostrava 14 x 10 para o Brasil quando o técnico da Polônia , o italiano Andrea Anastasi parou o jogo. Na 2ª parada obrigatória Brasil liderava por 16 x 13. Porém, novamente a Polônia jogou melhor no fim do set, com o ponteiro Maurício sofrendo com a  recepção e a Polônia com um ataque eficiente abriram 2 pontos. Bruninho entrou no lugar do Ricardinho  e Théo no lugar do Wallace. O jogo ficou empatado em 25 X 25 mas na hora decisiva a Polônia jogou melhor e levou o 2º set por 27 x 25 e abriu 2 sets a 0.

A seleção brasileira entrou pressionada para o 3º set, Bernardinho  colocou Thiago Alves no lugar do Maurício mas foi a Polônia que começou melhor e de início já abriu3 pontos.Em um lindo ataque de Winiarski a Polônia fez 8 X 6.  Com desvantagem no placar e precisando da vitória para continuar no jogo o técnico brasileiro colocou Bruninho no lugar de Ricardinho. Na volta do 2ºtempo técnico o bloqueio brasileiro começou a funcionar  a seleção encostou no placar: 17 x 16 Polônia.

O marcador estava 22 X 19 para o time polonês mas o Brasil foi buscar o placar, com uma defesa linda do líbero Serginho o Brasil empatou o jogo: 22 x 22. Daí, foram muitos erros dos dois lados, a Polônia chegou a ter 2 match points mas com bons saques de Wallace quem venceu o set foi o Brasil: 27 X 25, no jogo 2 sets a 1 Polônia.

A seleção brasileira começou mais ligada no 4º  set, apesar de muito equilíbrio o time brasileiro se mantinha a frente do placar.  Kurek, a estrela do time polonês que começou o jogo no banco veio para o jogo além do oposto Jarosz  que virou o jogo para a Polônia: 12 x 11.  A seleção brasileira voltou para o jogo e com um bloqueio de Lucão passou no marcador: 16 x 15. O Brasil jogava melhor e com um toque de rede da Polônia a seleção brasileira fez 22 x 20. E em um erro do polonês Winiarski  o Brasil fechou o set: 25 x 22 e empatou o jogo: 2 sets a 2.

A Polônia começou melhor o tie-break, com 5 x 2 para o adversário Bernardinho pediu tempo. Na parada obrigatória a vantagem polonesa era de 5 pontos, 8 X 3. A seleção brasileira até buscou o placar e diminuiu para 1 ponto a desvantagem. Mas a Polônia voltou a jogar melhor  e conquistou uma ótima vantagem novamente: 13 x 9 daí, foi só administrar o placar. Final do jogo: 15 X 12 para a Polônia e vitória por 3 sets a 2.

Maurício, ponteiro brasileiro foi caçado na recepção e acabou sendo substituído no 3º set

Amanhã a equipe brasileira volta para as quadras para enfrentar o Canadá. O jogo será as 17h e os canais SPORTV e Esporte Interativo transmitem a partida.