[Seleção Brasileira] Após 16 anos, ‘Era Bernardinho’ chega ao fim; seleção já tem novo treinador

Depois de 16 anos no comando da seleção masculina, Bernardo Rezende, o Bernardinho, não é mais técnico do Brasil. Após meses de especulações, dúvidas e pedidos de “Fica, Bernardinho”, o anúncio foi feito oficialmente nesta quarta-feira (11), pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), na sede da empresa, no Rio de Janeiro. No lugar do comandante multicampeão, entra Renan Dal Zotto, que nos últimos anos estava trabalhando como coordenador das seleções de quadra.

Renan, foi jogador da “geração de prata” (1984), e técnico da extinta equipe da Cimed, Florianópolis, revelando Bruno, Éder, Lucão, Sidão e outros para a seleção principal. Dal Zotto também é amigo pessoal de Bernardinho. “ Quando recebi o convite, tive que ligar para o Bernardo. Além de ser uma referência técnica, ele é um amigo. E só aceitei porque o Bernardo disse que participaria desse processo”.

bernardinho12-e1474888241903

-Renan  é amigo pessoal do ex técnico. E faz questão de contar com o auxilio de Bernardo nesse momento. (Foto: Arquivo/Reprodução Internet)

De acordo com o diretor da CBV, Radamés Lattari, o ex técnico da seleção brasileiro ocupará o cargo de coordenador técnico da equipe brasileira. “O Bernardo será coordenador da seleção masculina e fará também um trabalho com a base, porque ele gosta bastante deste trabalho de formação. ”

 A ERA BERNARDINHO

Bernardinho chegou à seleção masculina no dia 04 de maio de 2001, em amistoso contra a Noruega, que servia como preparação para a Liga Mundial, competição que o Brasil se saiu vencedor naquele ano. Depois, o técnico ainda iria ganhar mais sete títulos desta mesma competição (2002,2004,2005,2006, 2007, 2009 e 2010).

2004

– Ouro em 2004, com a geração mais vitoriosa da Era Bernardinho. Foto: Reprodução Internet)

São mais de 30 títulos com o time brasileiro, incluindo três títulos mundiais (2002,2006 e 2010), duas pratas olímpicas (2008 e 2012), dois ouros olímpicos (2004 e 2016), sendo a medalha olímpica conquistada nas Olimpíadas do Rio, a última conquista do técnico à frente do time verde e amarelo.  Na Era Bernardinho, o Brasil disputou todas as finais de Olimpíadas e Mundial que disputou.

Além disso, antes de assumir a seleção masculina, Bernardo conquistou duas medalhas de bronze olímpicas (1996 e 2000) como treinador da seleção brasileira feminina, totalizando seis medalhas olímpicas no vasto e vencedor currículo do treinador.

 

 

Anúncios

[Mineiro] JF Vôlei fecha primeira fase contra o Montes Claros hoje (15)

Na noite desta quinta-feira (15), o JF Vôlei faz sua última partida válida pela primeira fase do Campeonato Mineiro de 2016, às 19h30. O adversário da vez é o Montes Claros Vôlei. Na última semana as equipes se enfrentaram no Norte de Minas e os juiz-foranos foram superados por 3×0 (25×15, 25×19 e 25×17).

Juiz de Fora acumula cinco derrotas em cinco partidas disputadas e Montes Claros conquistou seus primeiros pontos na competição no confronto do último fim de semana. O Sada Cruzeiro segue como líder da competição e venceu o Minas na noite de ontem (14), em Sete Lagoas, por 3×0. O jogo marcou a estreia do oposto Evandro e o retorno de William ao time cruzeirense após a conquista do ouro nos Jogos Olímpicos do Rio.

A fase de classificação termina no dia 30 de setembro com o clássico entre Sada Cruzeiro e Minas Tênis Clube. As semifinais e final ainda não têm data definida.

[Olimpíadas] Começo ruim, final de ouro: Brasil é tri no Maracanãzinho

GalleryPic (1)Na tarde deste domingo (21), último dia dos Jogos Olímpicos de 2016, a seleção brasileira fez história e conquistou sua terceira medalha de ouro no vôlei masculino. O título veio após a vitória suada diante da Itália por 3×0 (25×22, 28×26, 26×24) e consagrou o líbero Serginho como um dos maiores medalhistas do Brasil. Além de fechar seu ciclo na seleção, o jogador foi escolhido o MVP dos Jogos.

Com a apoio da torcida, que lotou o Maracanãzinho, a seleção brasileira reverteu o placar em todas as parciais e, numa noite brilhante do levantador Bruninho, Wallace conseguiu dar um nó na defesa italiana. “Estou feliz pelo Bruno, por tudo o que disseram sobre ele, principalmente em Pequim. A dupla Bruninho e Lucão foi imparável, e o Wallace entrou no hall dos grandes jogadores da nossa história”, disse o técnico Bernardinho, que ainda não definiu o seu futuro à frente da seleção.

Os ponteiros Lipe e Lucarelli mantiveram o ritmo e a performance que tiraram o Brasil do buraco na última rodada da fase de grupos contra a França: destruindo a recepção italiana, sobrecarregando o ponteiro Lanza no passe e mandando a pressão para o jovem levantador Gianelli. Do lado europeu, o saque – arma mais potente da equipe – não rendeu na final e contribuiu para o número de erros da seleção italiana.

euaita_podio_rio2016Embora saia do Rio com a derrota, a prata é uma grande conquista para mais uma forte geração italiana que continuará dando trabalho nas competições internacionais.

Despedidas e virada na decisão do bronze

Mais despedidas olímpicas marcaram a decisão do bronze: os veteranos Priddy (EUA), Tetyukhin (Rússia) e David Lee (EUA) não devem participar do ciclo dos Jogos de Tóquio. Campeão em 2008 diante do Brasil, Priddy foi importante na virada americana na conquista do bronze na manhã de hoje. Os Estados Unidos perdiam da Rússia por 2×0 e após a entrada do veterano levou a decisão para o tie-break. “Dói de uma maneira enorme. Quase vencemos. Jogamos melhor do que jogamos contra o Brasil. Jogamos melhor até o fim, mas os resultados não vieram a nosso favor. Não existe ninguém no time que eu possa criticar, todos deram o melhor de si. Quero agradecê-los. Eles são uma equipe excelente e terão um futuro excelente”, disse Tetyukhin.

GetImage

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

[Olimpíadas] É 2004? Brasil ressurge e Itália chega à final em partida emocionante

Assim como em Atenas 2004, a final do vôlei masculino na Rio 2016 será entre Brasil e Itália, e a decisão do bronze entre Rússia e Estados Unidos. A diferença é que dessa vez a Itália chega mais forte e regular para a disputa do ouro contra os brasileiros amanhã (21).

Italy celebrateOs italianos venceram sua semifinal contra os Estados Unidos por 3×2 (30×28, 26×28, 9×25, 25×22, 15×13), contando com o apoio dos torcedores brasileiros presentes no Maracanãzinho, que de novo pegou no pé do americano Russell, e a liderança de Zaytsev em quadra, o grande nome italiano nos Jogos do Rio. A Itália busca a medalha inédita após bater na trave em 1996, contra a Holanda, e 2004, contra o Brasil.

Já o Brasil e o líbero Serginho chegam à sua quarta final seguida em Olimpíadas, a sexta decisão do voleibol masculino (1984, 1992, 2004, 2008, 2012 e 2016). A classificação veio com a vitória diante da Rússia no fim da noite de ontem (19) e não poderia ter sido de maneira mais perfeita. A vitória em sets diretos foi a melhor atuação brasileira nos Jogos desde a “decisão” contra a França na última rodada da fase de grupos.

Com o saque e a recepção funcionando, os brasileiros foram mais uma vez empurrados pela torcida e jogaram toda a pressão do resultado para os atuais campeões olímpicos. Sem o passe na mão, o levantador Grankin não conseguiu aproveitar os centrais e sobrecarregou o veterano Tetyukhin e o oposto Mikhaylov. “Estabelecemos nosso jogo no saque e perdemos poucos contra-ataques. A Itália merece crédito pela vitória sobre os Estados Unidos com a vitória na recuperação. O time deles cresceu muito com Juantorena”, disse o central Lucão.

BrazilianSrgioDutracelebratestheirclassificationtothefinalsDo lado brasileiro vale destacar, além da atuação impecável da equipe, o baixo número de erros: foram apenas 10 pontos cedidos aos russos em toda a partida, enquanto os adversários deram 25 pontos de graça. “Depois de vencer em Londres e o Campeonato Europeu, não conseguimos repetir o resultado com uma equipe jovem. Cometemos muitos erros e essa foi a principal razão por termos terminado com a derrota contra a forte equipe brasileira. Não conseguimos segurar o saque deles”, avaliou Vladmir Alekno, treinador da Rússia.

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

[Olimpíadas] Brasil segue na briga pelo ouro com um 2º set para se esquecer

Pela quarta vez seguida a seleção brasileira masculina chega às semifinais dos Jogos Olímpicos e com um gosto especial. A classificação veio após vitória suada contra a Argentina, no Maracanãzinho, por 3×1 (25×22, 17×25, 25×18, 25×23).

Líderes do Grupo B, os argentinos caem mais uma vez nas quartas de final, porém a história poderia ter sido diferente. Jogando bem, os hermanos deram muito trabalho aos brasileiros, principalmente no saque/recepção.

LiberoofArgentinaAlexisGonzleztriestocomfortteammateDeminGonzlezafterlosingthematchtoBrazilAinda na primeira parcial, Lucarelli sentiu uma lesão da coxa direita e deu lugar a Maurício Borges, que demorou para pegar o ritmo na recepção. Do outro lado, Facundo Conte também se lesionou. Com a ajuda dos erros da Argentina, o Brasil conseguiu manter vantagem para abrir 1×0. Entretanto, o 2º set foi um desastre. Muitos erros do Brasil e a eficiência no bloqueio, deram aos argentinos o gás que precisavam para empatar o jogo e continuar sonhando com a semifinal.

Na hora certa, o saque brasileiro entrou e desestabilizou o passe adversário no 3º set. O ponteiro Lipe também se lesionou no confronto, obrigando, inclusive, o retorno de Lucarelli à partida no 4º set. A vitória veio no sufoco, após mais uma parcial equilibrada.

O levantador e capitão da Argentina, Luciano DeCecco disse que esta foi uma partida difícil de se comentar. “O que posso dizer? Tivemos que danças com a menina mais bonita. Jogamos num grande nível durante a semana inteira, mas hoje tivemos um rival difícil. Estou feliz apesar de meu rosto não demonstrar isso. Espero que as pessoas entendam na Argentina que trabalhamos muito forte e que devemos continuar. Hoje estivemos a um ponto de forçar o tie-break”, comentou.

Os brasileiros pegam os russos na semifinal amanhã (19). Na outra decisão de vaga para a final, Estados Unidos e Itália se enfrentam. “É uma geração diferente da de quatro anos atrás em Londres. Ambos os times estão diferentes e vivendo momentos diferentes. Precisamos ser pacientes e estudar. Eles são grandes bloqueadores, mas a recepção não é tão boa”, disse o levantador Bruninho sobre a equipe da Rússia.

Confira os resultados das quartas de final

Jogos Olímpicos 2016

Quartas de final – Masculino – 17.08.2016

Canadá 0 x 3 Rússia (15×25, 20×25, 18×25)
Estados Unidos 3 x 0 Polônia (25×23, 25×22, 25×20)
Itália 3 x 0 Irã (31×29, 25×19, 25×17)
Brasil 3 x 1 Argentina (25×22, 17×25, 25×19, 25×23)

Semifinais – Masculino – 19.08.2016

I) Itália x Estados Unidos
II) Rússia x Brasil

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

[Olimpíadas] Com nova formação, Brasil elimina a França

Com o apoio da torcida e mudança na linha de recepção, o Brasil resolveu jogar voleibol e eliminou a promissora seleção francesa na chave masculina da modalidade nos Jogos do Rio. A vibração do ponteiro Lipe e um pedido de Serginho antes do jogo contagiaram a equipe que venceu por 3×1 (25×22, 22×25, 25×20, 25×23) – contando, ainda, com 33 pontos em erros dos europeus.

Precisando vencer para chegar às quartas de final, os brasileiros acertaram o bloqueio e conseguiram manter o equilíbrio no ataque, inclusive com os centrais que finalmente apareceram. Wallace e Lucarelli foram os maiores pontuadores do lado brasileiro (21 e 14 pontos, respectivamente). Apesar da derrota, o oposto Rouzier terminou o confronto como maior pontuador (26 acertos).

FrenchplayersaftertheireliminationoftheOlympicsA equipe de Bernardinho pega a Argentina na próxima fase em busca de uma vaga na semifinal. Os argentinos terminaram em primeiro do Grupo B e chegam fortes para a briga por medalha. O duelo das torcidas será também mais um espetáculo no Maracanãzinho.

“Estávamos sob uma pressão tremenda, mas estou orgulhoso da atitude dos meus jogadores. A maneira com a qual eles se comportaram com a pressão e a coragem que demonstraram. Disse aos jogadores para jogarem todas as partidas como se fossem um playoff”, disse Bernardinho.

Do lado francês, o treinador Laurent Tillie disse que não há arrependimentos. “Foi um torneio incrível, mas temos que trabalhar nossa parte técnica. Adoraria estar no lugar do Canadá porque eles foram capazes de bater a Itália e conseguir a vaga nas quartas de final. Era um grupo muito complicado e com várias equipes fortes”, avaliou o francês.

Confira abaixo os resultados da última rodada da fase de grupos e os cruzamentos das quartas de final.

Jogos Olímpicos 2016

Fase de Grupos – 5ª rodada – Masculino – 15.08.2016

Grupo A

EUA 3 x 0 México (25×23, 25×11, 25×19)
Itália 1 x 3 Canadá (23×25, 17×25, 25×16, 21×25)
Brasil 3 x 1 França (25×22, 22×25, 25×20, 25×23)

Grupo B

Argentina 3 x 0 Egito (25×16, 25×19, 25×20)
Rússia 3 x 0 Irã (25×23, 25×16, 25×20)
Polônia 3 x 0 Cuba (25×18, 25×15, 25×17)

Quartas de final – 17.08.2016

I) Canadá x Rússia
II) EUA x Polônia
III) Itália x Irã
IV) Brasil x Argentina

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb

[Olimpíadas] Itália anula recepção brasileira, vence e complica os donos da casa

 

No início parecia que a Itália continuaria sem vencer o Brasil em Jogos Olímpicos, porém a força e superioridade tática italiana prevaleceram no Maracanãzinho, dando a vitória para os europeus por 3×1 (23×25, 25×23, 25×22, 25×15).

Mais uma vez atuando muito abaixo de seu potencial, a seleção brasileira amargou mais uma derrota em casa e depende de resultados da última rodada para continuar sonhando com o pódio na Rio 2016.

Apesar de não ter terminado como maior pontuador do confronto, o ponteiro Lanza continua sendo uma das grandes surpresas do time italiano, que tem como grandes nomes Juantorena e Zaytsev.

A vitória garantiu a liderança do Grupo A aos italianos e a classificação para as quartas de final. Para o Brasil só importa a vitória contra a França amanhã (15). “Precisamos treinar mais por razões técnicas para melhorar. Precisamos parar o nervosismo no nosso jogo. A Itália foi bem contra nós, eles sabiam o que fazer”, disse o técnico Bernardinho,

Confira os resultados da rodada

Jogos Olímpicos 2016

Fase de Grupos – 4ª rodada – Masculino – 13.08.2016

Grupo A

EUA 3 x 1 França (25×22, 25×22, 14×25, 25×22)
Canadá 3 x 0 México (25×20, 25×13, 25×22)
Brasil 1 x 3 Itália (25×23, 23×25, 22×25, 15×25)

Grupo B

Irã 3 x 0 Egito (28×26, 25×22, 25×16)
Argentina 3 x 0 Cuba (25×16, 25×14, 25×16)
Polônia 2 x 3 Rússia (18×25, 25×16, 18×25, 25×22, 13×15)

Com informações da FIVb.
Fotos: FIVb