[Seleção Brasileira] Após 16 anos, ‘Era Bernardinho’ chega ao fim; seleção já tem novo treinador

Depois de 16 anos no comando da seleção masculina, Bernardo Rezende, o Bernardinho, não é mais técnico do Brasil. Após meses de especulações, dúvidas e pedidos de “Fica, Bernardinho”, o anúncio foi feito oficialmente nesta quarta-feira (11), pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), na sede da empresa, no Rio de Janeiro. No lugar do comandante multicampeão, entra Renan Dal Zotto, que nos últimos anos estava trabalhando como coordenador das seleções de quadra.

Renan, foi jogador da “geração de prata” (1984), e técnico da extinta equipe da Cimed, Florianópolis, revelando Bruno, Éder, Lucão, Sidão e outros para a seleção principal. Dal Zotto também é amigo pessoal de Bernardinho. “ Quando recebi o convite, tive que ligar para o Bernardo. Além de ser uma referência técnica, ele é um amigo. E só aceitei porque o Bernardo disse que participaria desse processo”.

bernardinho12-e1474888241903

-Renan  é amigo pessoal do ex técnico. E faz questão de contar com o auxilio de Bernardo nesse momento. (Foto: Arquivo/Reprodução Internet)

De acordo com o diretor da CBV, Radamés Lattari, o ex técnico da seleção brasileiro ocupará o cargo de coordenador técnico da equipe brasileira. “O Bernardo será coordenador da seleção masculina e fará também um trabalho com a base, porque ele gosta bastante deste trabalho de formação. ”

 A ERA BERNARDINHO

Bernardinho chegou à seleção masculina no dia 04 de maio de 2001, em amistoso contra a Noruega, que servia como preparação para a Liga Mundial, competição que o Brasil se saiu vencedor naquele ano. Depois, o técnico ainda iria ganhar mais sete títulos desta mesma competição (2002,2004,2005,2006, 2007, 2009 e 2010).

2004

– Ouro em 2004, com a geração mais vitoriosa da Era Bernardinho. Foto: Reprodução Internet)

São mais de 30 títulos com o time brasileiro, incluindo três títulos mundiais (2002,2006 e 2010), duas pratas olímpicas (2008 e 2012), dois ouros olímpicos (2004 e 2016), sendo a medalha olímpica conquistada nas Olimpíadas do Rio, a última conquista do técnico à frente do time verde e amarelo.  Na Era Bernardinho, o Brasil disputou todas as finais de Olimpíadas e Mundial que disputou.

Além disso, antes de assumir a seleção masculina, Bernardo conquistou duas medalhas de bronze olímpicas (1996 e 2000) como treinador da seleção brasileira feminina, totalizando seis medalhas olímpicas no vasto e vencedor currículo do treinador.

 

 

Convocação para amistosos e Liga Mundial marca retorno de Wallace Martins à seleção

Na manhã desta terça-feira (12), o técnico da seleção masculina, Bernardinho, anunciou a lista de convocados para a disputa de amistosos e da Liga Mundial 2016. Entre as surpresas estão a convocação do oposto Wallace Martins, vice-campeão da Superliga 2015/2016 com o Vôlei Brasil Kirin, e do jovem ponteiro do Sesi-SP, Douglas Souza, além da ausência do líbero Mário Júnior, que defendeu o São José na última temporada.

Ao todo, 18 atletas foram chamados e a preparação para a temporada começa na segunda-feira (18), em Saquarema. Durante a coletiva, Bernardinho afirmou que, apesar de não estarem na lista, outros atletas serão observados. Entre os citados estão o oposto Leandro Vissotto e os ponteiros Dante e Maurício Borges – todos atuam do exterior.

A Liga Mundial começa no dia 17 de junho e terá formato diferente da última edição. A França é a atual campeã da competição intercontinental.

Confira a lista:

LEVANTADORES

levantadores_001

CENTRAIS

centrais1
centrais2

OPOSTOS
opostos

PONTEIROS

pont1 pont2

LÍBEROS

lib

Estreia tranquila para o Brasil no Sul-americano

Diante de tímida torcida em Maceió, a seleção brasileira passou fácil pela seleção peruana: 3×0 em uma hora de jogo, parciais de 25×8, 25×9 e 25×15. Sem poder contar com os ponteiros Lipe, Murilo e Maurício (lesionados), Bernardinho colocou Lucas Lóh e Kadu no time titular. Lucas Lóh, que nesta temporada retorna ao Brasil para defender o Brasil Kirin, terminou o confronto com 12 pontos, sendo o maior pontuador.

Lucas Lóh saiu de quadra como maior pontuador (Foto: Alexandre Arruda/CBV)

Lucas Lóh saiu de quadra como maior pontuador (Foto: Alexandre Arruda/CBV)

A próxima partida do Brasil será amanhã, às 18h, contra o Chile. O Sul-Americano é a penúltima competição para a seleção de Bernardinho antes dos Jogos do Rio. Em 2016, os brasileiros também disputam a Liga Mundial.

Argentina também vence

O dia terminou com a vitória argentina, em sets diretos (25×9, 25×9 e 25×13), em cima da fraca seleção da Guiana pelo Grupo B. Os argentinos foram responsáveis pela partida mais rápida do dia: 53 minutos.

Mais cedo, os colombianos derrotaram os uruguaios (3×0) e a Venezuela passou pelo Chile (3×1).

 

Confira os resultado do dia e os confrontos desta quinta-feira

30 de setembro
Colômbia 3 x 0 Uruguai (25×18, 25×18 e 25×18)
Chile 1 x 3 Venezuela (25×17, 17×25, 21×25 e 20×25)
Brasil 3 x 0 Peru (25×8, 25×9 e 25×15)
Argentina 3 x 0 Guiana (25×9, 25×9, 25×13)

Dia 1º de outubro
12h30 – Venezuela x Peru
15h15 – Colômbia x Guiana
18h – Chile x Brasil
21h – Uruguai x Argentina

 

Fotos: Alexandre Arruda/CBV

Itália se recupera da derrota e vence brasileiros

Após quase três horas e cinco sets, a Itália terminou sua participação na fase de grupos com vitória em cima do Brasil, repetindo o resultados dos confrontos na Itália. Em Cuiabá, as mudanças feitas por Mauro Berruto desta vez surtiram efeito e deram a vitória aos italianos por 3×2. Substituto de Vettori, o oposto/ponteiro Sabbi terminou a partida como maior pontuador com 19 pontos.

Italianos levaram a melhor na segunda partida (Foto: FIVb)

Italianos levaram a melhor na segunda partida (Foto: FIVb)

Além do Brasil – anfitrião da Fase Final -, Itália, Sérvia, Estados Unidos e Polônia estão classificados para as finais no Rio de Janeiro. As cinco seleções agora esperam o sexto e último classificado que virá das finais do Grupo 2 a serem realizadas na Bulgária na próxima semana. Em 2014, a Austrália foi a campeã do Grupo 2 e participou do Final 6 pela primeira vez.

Em jogo morno, Brasil vence italianos em Cuiabá

por Lucilia Bortone

O terceiro clássico entre Brasil e Itália nesta Liga Mundial terminou com vitória brasileira diante da torcida mato-grossense. Em 1h32 jogados, a seleção brasileira fez 3×0 (25×20, 26×24, 25×19) em cima de uma apática seleção italiana. O ponteiro Lucarelli fez 12 pontos (10 de ataque, 1 de bloqueio e 1 de saque), e foi o maior pontuador da partida.

As duas seleções voltam a se enfrentar amanhã (Foto: FIVb)

As duas seleções voltam a se enfrentar amanhã (Foto: FIVb)

O triunfo brasileiro foi o 17º contra os italianos em toda a história da Liga Mundial. A partida desta quinta-feira também marcou o retorno do técnico Bernardinho às quadras, após suspensão de 10 jogos pela Federação Internacional de Voleibol (FIVb).

Brasil e Itália terminam sua participação na fase de grupos amanhã, às 14h, em Cuiabá. As duas seleções já estão classificadas para a Fase Final.

O jogo

1º set

Brasil começou mais ligado na partida, e logo abriu vantagem. Com um ace de Lucão (12×8), Mauro Berrutto pediu tempo. A parada não mexeu com os italianos, que foram para a segunda parada técnica em desvantagem após o bloqueio brasileiro parar Zaytsev (16×11). A Itália chegou a reagir (16×14), porém os donos da casa abriram cinco pontos (20×15) e mantiveram a vantagem para fechar o primeiro set em 25×20 em um ataque de Lucarelli.

No aniversário do filho, o capitão Bruninho, Bernardinho retorna à seleção (Foto: FIVb)

No aniversário do filho, o capitão Bruninho, Bernardinho retorna à seleção (Foto: FIVb)

2º set

No início do 2º set, os brasileiros não viram a cor da bola. Com a defesa mais ligada, a Itália abriu seis pontos e foi para o tempo técnico com o placar marcando 2×8. Porém, a vantagem italiana foi diminuindo quando o bloqueio brasileiro começou a parar o ataque adversário (16×13). Após saque de Lucarelli e erro da recepção italiana, Murilo matou uma bola de xeque (15×16). Confiante, Lucarelli voltou para o saque e empatou a partida com um ace (16×16). As duas equipes passaram a trocar pontos, até que o bloqueio brasileiro pegou o ataque de Sabbi e fechou a segunda parcial em 26×24.

3º set

Mesmo comandando o placar no início do 3º set, a seleção italiana continuava sem vibração dentro de quadro. Após erro de ataque de Sabbi, os brasileiros empataram o placar (10×10). Mauro Berrutto tirou Sabbi da partida e voltou com Vettori pro jogo. A mudança não mexeu com os italianos que voltaram a desperdiçar oportunidades. Com Murilo e Isac ligados na rede, o Brasil fez 23×18 em dois bloqueios seguidos. Aceitando a derrota, os italianos não viam mais saída para conter os atacantes brasileiros. Em 27 minutos, o Brasil fechou o set, e o jogo, em um erro de Zaytsev (25×19).

Brasil – Bruninho, Wallace, Isac, Lucão, Murilo, Lucarelli e Serginho (L)

Entraram: William, Evandro e Lipe

Itália –  Travica, Zaytsev, Birarelli, Anzani, Lanza, Vettori e Colaci (L)

Entraram: Mengozzi, Antonov e  Massari

Estatísticas

Ataque – Brasil 36 x 34 Itália

Bloqueio – Brasil 8 x 5 itália

Saque – Brasil 5 x 2 Itália

Erros do adversário – Brasil 27 x 22 Itália

Repeteco em Sydney

por Lucilia Bortone

Repetindo os placares das partidas em São Bernardo no início do mês, a seleção brasileira venceu seus dois jogos em Sydney contra a seleção australiana (3×1 e 3×0) pela fase de grupos da Liga Mundial 2015.

Na primeira partida, os brasileiros não enfrentaram dificuldades nos dois primeiros sets. Com o saque afiado do ponteiro Lipe, o Brasil abriu 2 sets a 0 diante da torcida brasileira que fazia a festa mesmo fora de casa. Após a longa pausa entre o 2º e 3º sets, a seleção australiana voltou com novo ânimo e passou boa parte do 3º set na frente do placar. Contando com a vibração da torcida e do ponteiro Tom Douglas-Powell, os Volleyroos fecharam o set (25×23) e continuaram vivos na partida. O quarto set também seguiu equilibrado até a segunda parada técnica, quando o Brasil abriu três pontos e ampliou a vantagem fechando o set em 20×25, e a partida em 3×1.

Brasil vence as duas partidas contra a Austrália (Foto: FIVb.com)

Brasil vence as duas partidas contra a Austrália (Foto: FIVb.com)

Destaque da Austrália na primeira partida, o ponteiro Tom Douglas-Powell iniciou entre os titulares no domingo, ocupando a vaga de Walker. O levantador Sukochev também foi para o banco, dando lugar a Peacock. Porém, as mudanças de Roberto Santilli não surtiram efeito. Apesar de um 1º set equilibrado, que terminou em 25×22 para o Brasil, o restante da partida foi tranquilo para os brasileiros. Após 1h24 jogados, a seleção brasileira fechou o jogo em 3×0 (25/22, 25/20 e 25/15).

No próximo fim de semana, o Brasil enfrenta a Itália em Cuiabá (dias 2 e 3 de julho) e os australianos recebem a Sérvia, dias 4 e 5 de julho, em Melbourne.

Bola rápida – Amistosos do UPCN no Brasil e Mundial Masculino

Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei

Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei

– Mais uma vez o regulamento confuso do Campeonato Mundial Masculino apronta. Mesmo terminando com a melhor campanha da competição, a seleção brasileira perdeu o privilégio de continuar jogando em Katowice já que, após sorteio, a Polônia caiu no mesmo grupo do Brasil. Como sede do Mundial, a Polônia continuará mandando seus jogos em Lodz.

– UPCN retorna ao Brasil para uma série de amistosos contra o Vôlei UFJF e o Volta Redonda. Antes da viagem ao Brasil, a equipe argentina faz três jogos contra o clube Ciudad de Buenos Aires e contra a Seleção Argentina Sub-23.

– Após não conseguir classificar a Sérvia para o Final Six do Mundial da Polônia, Igor Kolakovic pediu demissão do cargo de treinador da equipe. Kolakovic estava à frente da seleção sérvia há oito anos.