[Mineiro] Minas vence JF Vôlei por 3 a 0 fora de casa e garante o terceiro lugar na fase de classificação

O JF Vôlei fez, nesta terça(26), seu primeiro jogo oficial no ginásio da Faculdade de Educação Física e Desportos(FAEFID) da temporada 2017/2018. Em partida válida pela 5ª rodada do Campeonato Mineiro, o time recebeu o Minas Tênis Clube e foi derrotado por 3 sets a 0, parciais (25×20, 22×25 e 12×25). O grande nome da partida foi o oposto canhoto minastenista Felipe Roque, que curiosamente nasceu e foi revelado nas categorias de base de Juiz de Fora.

Mesmo com mais uma derrota, o treinador do time da Zona da Mata, Henrique Furtado, comentou sobre a evolução do seu time, que comandou o placar por um bom período nos dois primeiros sets e elogiou o adversário.  “O Minas impôs um ritmo de saque muito agressivo e alguns jogadores tiveram uma constância muito grande na virada de bola, o que nos impediu de rodar a  bola no mesmo nível durante todo o tempo. Nós  acabamos deixando  o placar muito elástico e não conseguindo ter o mesmo rendimento dos outros dois sets, mas seguimos lutando por uma evolução no sistema ofensivo, por jogar bem por mais tempo”, afirmou Henrique.

Nesta quarta-feira (27)  Juiz de Fora e Minas voltam a se enfrentar pela última rodada do Estadual, mas as posições e os confrontos das semifinais já estão definidos. Com mais três pontos adquiridos, o Minas chegou aos seis pontos,  se garantiu no terceiro lugar na tabela e irá à Montes Claros, que terminou a fase de classificação em segundo com sete pontos, para a disputa da semifinal. Ainda sem marcar pontos, o JF Vôlei é o quarto colocado e vai enfrentar o Sada Cruzeiro, líder isolado da primeira fase com 17 pontos.

 O JOGO

O JF Vôlei iniciou a partida com muito volume de jogo, bons ataques de Emerson Rodriguez e Leozinho, além de boas defesas do líbero Juan, que proporcionaram contra-ataque para o time da Zona da Mata (12×9). Após o pedido de tempo do técnico Nery, sua equipe voltou mais ligada, errando menos e empataram a parcial (15×15). Mesclando a experiência, como a do levantador Marlon, e a juventude do oposto Felipe Roque, o Minas passou a liderar o marcador e a abrir vantagem (17×21). A combinação saque e  bloqueio dos minastenistas fizeram a diferença e o time se encaminhou para fechar a primeira parcial (20×25) em 26 minutos.

Mineiro 2017 - JF Vôlei x Minas Tenis Clube

Defendendo as cores do Minas, o juizforano Felipe Roque foi eleito o melhor jogador da partida.

Assim como no primeiro set, Juiz de Fora começou à frente do marcador (14×11) e viu o time de Belo Horizonte se ajustar, aproveitar os erros do adversário, além de contar com uma noite inspirada de Roque, que manteve um alto aproveitamento e eficiência de ataque. O treinador de Juiz de Fora, Henrique Furtado, chamou a atenção de seus comandados, mas os mandantes sacavam mal e não conseguiram parar o poder ofensivo do outro lado da quadra(22×25), em 27 minutos.

O time da Capital voltou impondo um ritmo muito forte (1×8). Abatido, o JF Vôlei não conseguia buscar uma reação. O bloqueio do Minas com Flávio e Pétrus incomodava os atacantes adversários que não conseguiam botar a bola no chão(4×11).  A parcial seguiu muito favorável para os visitantes que abriram dez pontos de vantagem(5×15). Do lado da quadra Henrique Furtado tentava incentivar seus jogadores, mas o set se encaminhava tranquilamente a favor da equipe de Belo Horizonte(12×25) em 19 minutos.

Equipes:

JF VÔLEI: Felipe, Emerson Rodríguez, Leozinho, Rammé, Bruno, Drago e líbero Juan Mendez

Entraram: Adami e Raphael

Técnico: Henrique Furtado

Minas Tênis Clube: Marlon, Felipe Roque, Bisset, Bob, Flávio, Pétrus e líbero Rogerinho

Entraram: Maique, Carísio,  Davy e Vanole

Técnico: Nery Tambeiro

Anúncios

[Superliga] Com direito a set mais longo da temporada e definição no quinto set, Sesi vence Taubaté e provoca quarto jogo

Nada definido no confronto entre Funvic Taubaté e Sesi SP. Nesta sexta-feira(21),  as equipes entraram em quadra pelo terceiro jogo da série melhor de cinco da semifinal da Superliga Masculina, no ginásio do Abaeté, em Taubaté(SP), que poderia definir o confronto, já que o time do interior paulista vencia por 2 a 0.

Porém, em um jogo muito disputado e com um primeiro set com 41 minutos de duração, o maior dessa edição da Superliga,  o Sesi venceu, fora de casa,  por 3 sets a 2, parciais de (37×35, 21×25, 19×25,25×21 e 15 x 10), levando a disputa para o jogo 4. A partida será na quinta-feira(27), às 19h30, no ginásio Lauro Gomes, em São caetano do Sul (SP), com mando de campo do Sesi.

Em partida em que os opostos lideraram suas equipes, o oposto Théo, do Sesi, marcou pontos em todos os fundamentos, 27 no total, sendo dois de ataque, dois de saque e 23 de ataque, e foi eleito o melhor jogador do confronto, com 15% de votação, que é realizada  em voto popular no site da Confederação Brasileira de Vôlei(CBV).

O jogo

A equipe de Taubaté começou arrasador, com dois pontos de bloqueio e ace de Lucarelli (3×0). O time mandante foi se mantendo à frente do placar com o dobro de pontos do adversário (8×4). Com o decorrer do set, o passe foi chegando melhor nas mãos do levantador Bruno, que pôde distribuir melhor as jogadas e diminuir a desvantagem (12×11).  Comandados pelos ataques de Wallace, o Funvic voltou a crescer no set e abrir vantagem, após mais um bloqueio, o quarto da equipe (16×13). Do outro lado, o saque apareceu e, com dois pontos diretos nesse fundamento do central Lucão, o Sesi voltou para o jogo (20×18). É verdade que Taubaté teve duas bolas para fechar o set (24×22), mas o adversário reagiu e foi a vez dos visitantes terem a chance de fechar o set (26×27). O equilíbrio se restabeleceu e os dois times desperdiçaram boas chances de encerrar o set, que só foi decidido no bloqueio simples de Théo, após 41 minutos, com o placar de (35×37).

2º set

Assim como aconteceu na parcial anterior, o Funvic Taubaté iniciou melhor e liderando o marcador com boa margem (5×2). O saque, do Sesi voltou a funcionar e o time diminuiu o prejuízo (14×13). Determinados a não deixarem os visitantes reagirem novamente, os mandantes voltaram a ditar o ritmo do set, com destaque para o oposto Wallace, destaque no ataque, que com muita variação, ora ataque explosivo, ora explorando o bloqueio adversário, manteve o seu time à frente (19×16). O time do interior paulista seguiu cometendo poucos erros, foram seis ao longo do set contra nove do adversário, e se encaminhou para fechar o set em 27 minutos, após erro de ataque de Murilo (25×21).

theeeeeeeeeeeeeeeo

– Com 27 pontos( 2 de ataque, 2 de bloqueio e 23 de ataque), o oposto Théo foi o maior pontuador do confronto e recebeu o troféu VIva Vôlei. (Foto: Bruno Miani/CBV)

3º set

Os mandantes começaram à frente, com Lucas Lóh marcando ponto no bloqueio e no contra-ataque (6×4). No erro de Éder, a parcial empatou (9×9).  Com os times sendo liderados pelos opostos, Wallace, por Taubaté, e Théo, do lado do Sesi, o ataque de ambas as equipes se sobressaia sobre o bloqueio (13×10). Com os ponteiros do Sesi tendo dificuldades com a recepção do saque, sobretudo dos saques de Lucarelli, o treinador Marcos Pacheco colocou Fábio e Alan para jogar, nos lugares de Vaccari e Murilo. Porém, demonstrando muito volume de jogo, Funvic seguiu dominado o placar (20×15) e, com boa margem, fecharam o set por (25×19), em 25 minutos, virando o jogo para 2 sets a 1.

4º set

Rafa, levantador reserva do Sesi, começou o quarto set como titular. Quando a bola subiu, os times se revezavam na liderança do placar. Com dois pontos consecutivos de saque de Riad, o time visitante abriu dois pontos (9×11). Théo, bastante acionado, cravava a bola no chão e dava segurança na virada de bola (12×16). Com o jogo chegando nos momentos decisivos, a rivalidade foi crescendo e seguiu com muita reclamação dos times, o que gerou um cartão amarelo para Fábio, jogador do Sesi.  Se o time da casa pouco errou na parcial anterior, nesse set foram 11 erros de Taubaté, contra apenas cinco dos visitantes, o que dificultou uma possível reação (23×18). Após outro longo set, 31 minutos, o Sesi fechou em (21×25), levando a decisão para o quinto set.

5º set

O início do set decisivo começou melhor para os visitantes que, no erro de Éder, foram para a troca de lado de quadra com dois pontos à frente (6×8). Com Théo chamando a responsabilidade e marcando pontos de ataque atrás do outro e pontuando também no bloqueio, o Sesi foi ampliando a vantagem (6×10). Do outro lado, Wallace tentava recolocar o Taubaté no jogo (10×13). Porém, no bloqueio de Lucão, o Sesi deu números finais ao set (10×15) e ao jogo por 3 sets a 2 para os visitantes.

Equipes:

Funvic Taubaté: Rapha, Wallace, Lucas Lóh, Lucarelli, Otávio, Éder e o líbero Mário Jr.

Entraram:  Japa, Gelinski, Renan, Matheus.

Técnico: Cézar Douglas

Sesi SP: Bruninho, Théo, Murilo, Vaccari, Lucão, Riad e o líbero Serginho.

Entraram: Rafa, Alan, Fábio, Leitzke e Johan.

Técnico: Marcos Pacheco

[Foto: Bruno Miani/Inovafoto/CBV]

[Superliga] Em jogo de 5 sets, Taubaté supera o Sesi mais uma vez e abre 2 a 0 na série

Neste sábado (15), SESI SP e Funvic Taubaté (SP) voltaram à quadra para a disputa do segundo confronto da série melhor de cinco da Superliga Masculina e, assim como aconteceu no primeiro jogo, Taubaté saiu vitorioso, desta vez por 3 sets a 2, parciais de (25×23,21×25, 25×18, 19×25 e 15×13 ) e está a uma vitória da final da competição.

A partida, que teve mando de campo do Sesi, foi realizada no ginásio Lauro Gomes, em São Caetano do Sul (SP) e não na Vila Leopoldina, casa do time da capital paulista durante toda temporada, pois o ginásio não tem a capacidade mínima de 2000 expectadores, uma das exigências da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) a partir dos playoffs.

 A terceira rodada, que poderá definir o finalista desse duelo, será na próxima sexta-feira (21), às 21h, no ginásio do Abaeté, em Taubaté (SP), com transmissão do Sportv 2. Na outra semifinal, o Sada Cruzeiro também poderá carimbar sua vaga na final se vencer o Vôlei Brasil Kirin, no sábado (22), às 21h30, no ginásio do Riacho, em Contagem (MG).

– Com 21, 9 % de votos, o ponteiro Lucarelli foi eleito o melhor jogador da partida. (Foto: Wander Roberto/ Divulgação CBV]

O jogo:

O time de Taubaté começou melhor (1×4). O ataque de ambas as equipes trabalhava muito bem, sobretudo com Théo, pelo lado do Sesi, e Lucarelli, pelo lado do Funvic, eles marcaram, respectivamente, seis e cinco pontos, totalizando 13 pontos de ataque para cada time na primeira parcial.  O saque foi outro fundamento que funcionou para os dois times e equilibrou a partida. Após excelente saque de Vaccari, o set ficou igual (15×15). Nesse mesmo fundamento, após tempo técnico de Cézar Douglas, o time do Vale da Paraíba aproveitou para voltar a abrir vantagem (15×17). No final, o bloqueio de Taubaté começou a amortecer os ataques do adversário e, nos contra-ataques, a equipe foi ampliando (17×22). Quando parecia que o set já estava decidido, o levantador Bruninho conseguiu excelente sequência no saque e reequilibrou o jogo (23×24). Porém, o oposto Wallace decidiu (23×25), após 27 minutos.

2º set

O início foi mais equilibrado (4×4). Após ataque do oposto Théo, os anfitriões abriram dois pontos pela primeira vez na partida (10×8). Com o central Riad liderando o bloqueio, três no set, sua equipe foi se distanciando na liderança do placar (15×11). Se por um lado a equipe da capital paulista demonstrava um ritmo melhor, Taubaté parecia ter diminuído a intensidade, a linha de recepção encontrava uma certa dificuldade e o ataque caiu de rendimento (19×14). Do lado do Sesi, com o passe chegando na mão do Bruno e com o ataque afiado, foram 15 pontos nesse fundamento contra 10 do adversário, Théo comandava o time, que fechou o set (25×21), em 27 minutos, e igualou o jogo, após erro de saque do oposto de Taubaté.

3º set

– Sesi fez uma grande partida, mas não foi suficiente para igualar a série. (Foto: Wander Roberto/Divulgação CBV]

No ritmo da vitória no set anterior, a equipe mandante começou ditando o ritmo (6×4). Temendo que o adversário abrisse muita margem logo no início Taubaté parou a partida. O saque do Sesi continuou muito agressivo e eficiente, dificultando a virada de bola do Funvic (16×13). O oposto Wallace não conseguia colocar a bola no chão e os ponteiros, Lucarelli e Lucas Lóh, também não tinham caminho fácil (16×13). Depois de 19 segundos de rali, com direito a defesas incríveis de Serginho e Murilo, o ponto terminou no ataque de Théo (18×14). Após 25 minutos, o Sesi fechou o set (25×18), virando o jogo.

4º set

Dispostos a levarem o jogo para o tie- break, Taubaté apresentava o volume de jogo do primeiro set (6×9). O oposto Wallace reapareceu na partida e voltou a desequilibrar, com saques eficientes e ataques indefensáveis (11×16).  A virada de bola do Sesi caiu e o técnico Marcos Pacheco mudou sua equipe, os ponteiros Fábio e Alan entram nos lugares de Murilo e Vaccari. Após longa troca de bolas, que terminou com um ponto de Taubaté, o oposto Wallace recebeu cartão amarelo por causa de uma comemoração efusiva (13×20). Com o passe chegando perfeito na mão de Rapha, o levantador podia ousar mais na distribuição das jogadas, após uma pipe de Lucarelli, o Taubaté venceu a parcial (19×25), levando o jogo para o set decisivo.

5º set

O tie break começou com o Taubaté bloqueando melhor e abrindo vantagem (5×8). Além disso, o ataque do Sesi voltou a cair e, do outro lado, o Taubaté apresentava muito volume de jogo e aproveitava os contra-ataques (10×13). Porém, com apoio da torcida e comandados dentro de quadra por um bom saque, o time mandante reagiu e diminuiu a desvantagem (12×13). Porém, à frente durante todo a última parcial, o Funvic Taubaté deu números finais ao set (13×15), depois de um ataque do oposto Wallace.

Equipes:

SESI SP: Bruno, Théo, Murilo, Vaccari, Lucão, Riad e o  líbero Serginho.

Entraram: Leitzke, Alan, Rafa, Fábio e Johan.

Técnico: Marcos Pacheco

FUNVIC TAUBATÉ: Rapha, Wallace, Lucas Lóh, Lucarelli, Otávio, Éder e o líbero Mário Jr.

Entraram: Japa, Renan e Gelinski.

Técnico: Cézar Douglas

[Fotos:  Wander Roberto/ InovaFoto/ CBV]

[Copa Brasil] Taubaté vence Campinas e é o primeiro finalista

Com a presença do novo técnico da seleção masculina Renan Dal Zotto, Brasil Kirin (SP) e Funvic Taubaté (SP), fizeram a primeira partida da semifinal da Copa do Brasil nesta quinta-feira (19), no ginásio Taquaral, em Campinas (SP), local da fase final da competição. Mesmo jogando em casa, o time campineiro não conseguiu superar os ataques de Wallace e companhia e foram superados por 3 sets a 0, parciais de (22×25, 22×25 e 19×25). Agora o time do Vale da Paraíba espera o vencedor de Sada Cruzeiro e Sesi SP para saber quem será seu adversário na final,  partida que será realizada no sábado (21).

O JOGO

Com apoio da torcida, a equipe de Campinas começou com um ritmo de jogo melhor e abriu três pontos, liderados pelo oposto Rivaldo (9×6). O time da casa continuou comandando o marcador, mas na metade do set, Taubaté cresceu e no contra-ataque de Wallace empatou a parcial (15×15).  Os visitantes começaram a ditar o ritmo e o saque fez a diferença, foram cinco pontos diretos nesse fundamento contra nenhum do rival, sobretudo com o central Éder, que fez com que o Funvic passasse a dominar o marcador (16×20).  Contemplados com dois erros seguidos de ataque do time da Região do Vale da Paraíba, o Brasil Kirin até tentou reagir (20×21), mas após o levantador Rapha ganhar a bola na mão de ferro contra o central Vini, Taubaté fechou o set (22×25), em 30 minutos.

2º set

Assim como no set anterior, os donos da casa começaram à frente (2×0), porém, rapidamente viram o adversário virar o marcador (5×8). Com o ataque de Taubaté afiado, sobretudo com o oposto Wallace, o Funvic abriu quatro pontos (10×14). Após o pedido de tempo, Campinas voltou mais regular e reequilibrou a parcial (14×15). Após ataque, ao tocar o chão, Lucarelli sentiu o calcanhar direito e foi substituído por Vinícius (18×19). Na sequência, Baiano, que havia entrado no time de Campinas na inversão 5 e 1, deixou tudo igual (19×19). Mas, na hora decisiva, o ataque time visitante voltou a se impor, foram 16 pontos nesse fundamento contra 11 dos campineiros, e a equipe de Taubaté repetiu o placar do 1º set (22×25), em 29 minutos

3º set

Foi o início mais equilibrado do jogo, com nenhuma das equipes conseguindo abrir vantagem mínima de dois pontos (7×7).  O saque fez a diferença mais uma vez para Taubaté, desta vez com o central Otávio, que contribuiu para o time taubateano dominar o placar (7×11), provocando o pedido de tempo do técnico Horacio Dileo.   A parada fez bem para o time da casa que diminuiu a desvantagem para dois pontos(13×15). Porém, os ataques  de Wallace, os bloqueios  dos centrais Éder e Otávio, além dos levantador Rapha inspirado, Funvic voltou a se impor e se encaminhar para dar números finais ao set (e a semifinal (19×25).

Equipes:

Vôlei Brasil Kirin: Rodriguinho, Vini , Maurício, Temponi, Diogo, Rivaldo e  Tiago Brendle.

Entraram: Ygor Ceará, Jotinha e Baiano

Ténico: Horacio Dileo

 Funvic Taubaté:  Rapha, Éder, Otávio, Lucas Lóh, Lucarelli, Wallace e Mário Jr.

Entraram: Kaio, Gelinski, Vinicius e Japa

Técnico: Cézar Douglas

[Foto de Capa: Reprodução Facebook Vôlei Brasil Kirin]

[Superliga] – Sesi atropela Montes Claros e avança à semifinal

A equipe do Sesi SP é a segunda equipe classificada para a fase semifinal da Superliga(mais cedo, o Brasil/Kirin conseguiu a classificação ao vencer o Bento Vôlei). Demonstrando superioridade do início ao fim, a equipe paulista venceu o Montes Claros Vôlei, na casa do adversário, por 3 sets a 0 (25×19, 25 x 13 e 25×15), e fechou o confronto por 2×0. Agora a equipe aguarda o seu adversário da próxima fase, que sairá do confronto entre o atual campeão Sada/Cruzeiro e São José Vôlei. Na primeira partida a vitória foi dos mineiros por 3 sets a 0(25-18, 25-17 e 25-21)

O JOGO

A partida até começou equilibrada (8×7), mas logo o Sesi imprimiu um ritmo, passou à frente (13×14) no ataque de Douglas Souza, e ampliou o marcador para três pontos (14×17). Com o bloqueio paulista parando o ataque adversário, a vantagem aumentou para cinco pontos (15×20). A equipe da casa até tentou reagir, marcando dois pontos consecutivos (19×23), mas os visitantes frearam a reação adversário e fecharam a primeiro set (19×25), em 27 minutos.

2º set

 O Sesi começou arrasador no set e na ótima sequência de saques de Douglas Souza, a equipe paulista chegou ao tempo técnico com excelente vantagem (2×8). Apático em quadra, Montes Claros não mostrava reação dentro de quadra. O técnico Talmo promoveu modificações, mas a equipe não reagia. Do outro lado, os visitantes seguiram se impondo e abriram dez pontos (6×16) e se encaminharam para fechar o segundo set com muita facilidade por (13×25), em 21 minutos.

3º set

Montes Claros voltou à quadra bastante modificada em relação aos jogadores que iniciaram a partida, Renan, Índio, Jamelão e Gean entraram nos lugares de Bob, Rodriguinho, Juninho e Kachel, respectivamente.  Mas, a equipe mineira seguiu sem demonstrar forças e viu o adversário novamente demonstrar superioridade (11×16). Nas arquibancadas a torcida mineira até tentava incentivar a equipe, mas em dia de extrema competência do Sesi, os mineiros não encontraram alternativas e apenas assistiam o Sesi ampliar a vantagem (12×20), se encaminhar para fechar o set (15×25),o jogo por 3 sets a 1, e seguir rumo à semifinal.  Com excelente percentual de ataque, o jovem ponteiro Douglas Souza recebeu o troféu Viva Vôlei, prêmio dado ao melhor jogador da partida.

  • Foto: (Divulgação/Sesi SP)

EQUIPES:

Montes Claros Vôlei – Rodrigo, André Nascimento, Rafael, Maicon,Bob,Juninho e líbero Kachel

Entraram: Índio, Kadu, Jamelão, Gean, Renan

Técnico: Talmo de Oliveira

SESI SP: Thiaguinho, Murilo, Douglas, Aracajú, Gustavão, Théo e líbero Serginho

Entraram: Vinhedo, Rafael Araújo, Sidão

Técnico: Marcos Pacheco

Com direito a set de 33 pontos, Brasil Kirin abre vantagem na semifinal do Paulista

João Paulo Bravo enfrenta o bloqueio de São Bernardo (Crédito: Vôlei Brasil Kirin/Divulgação)

por Lucilia Bortone

O Vôlei Brasil Kirin deu um importante passo para mais uma final de Campeonato Paulista após vencer a primeira partida semifinal contra o São Bernardo Vôlei por 3×0 (33×31 ,21×12, 21×17) em pouco mais de 1h20.

Jogando fora de casa, a equipe de Campinas entrou em quadra pronta para o desafio, mas pecou em alguns momentos no 1º set e permitiu a recuperação dos adversários na reta final do set. Mesmo assim, os campineiros conseguiram fechar a primeira parcial em incríveis 33×31.

Diante de sua torcida, São Bernardo viu o Brasil Kirin desgarrar no 2º set, mesmo com a boa atuação do oposto Leozão. Desfalcada, a equipe do técnico Peu sofreu e caiu no set por 21×12.

No terceiro set, São Bernardo abusou dos erros e os adversários aproveitaram. Os donos da casa ensaiaram uma reação, mas não conseguiram segurar o time de Campinas. Os visitantes levaram o set em 21×17 e a primeira vitória na semifinal.

O jogo decisivo acontece em Campinas no dia 21 de outubro.

SUPERLIGA 2012/ 2013- RJX está na final da competição

          por Luara Herédia

           A final da SUPERLIGA MASCULINA 2012/ 2013 está definida. Se de um lado o SADA/ CRUZEIRO venceu com facilidade as duas partidas da semifinal e aguardava o seu adversário, RJX X VIVO/ MINAS fizeram três ótimos jogos. No primeiro jogo,  a equipe carioca venceu no tie- break. No segundo jogo, o MINAS empatou a série vencendo por 3 x 0 em casa.

            Hoje, no terceiro jogo da série , o RJX voltou a jogar em casa e em mais um jogo eletrizante com a força da torcida soube fazer o mando de campo  e conquistou a vaga na final por 3 sets a 1.Parciais de 29 x 27, 25  x 17, 22 x 25 e 27 x 25. O central Lucão foi eleito o melhor jogador em quadra.

               A final entre RJX X SADA/ CRUZEIRO será no ginásio do Maracãnazinho , no dia 14/04, às 10h. A Globo transmite a partida ao vivo.

 

Imagem

RJX garante vaga na final da SUPERLIGA 2012/ 2013 e enfrenta o SADA/ CRUZEIRO na decisão

O JOGO

           O primeiro ponto do jogo, já demostrou o que seria um jogo> defesas, ataques e rallys.  O primeiro ponto do jogo foi do MINAS, no erro do ponteiro Dante. Thiago Alves, pela entrada de rede colocou o time carioca na frente: 2 x 1. Na jogada de meio, Maurício empatou o jogo: 3 x 3. Com dois pontos de bloqueio seguidas o time mineiro  abriu vantagem no placar: 6 x 4. O oposto Filip errou o ataque  e o RJX diminuiu a diferença. Na primeira parada técnica, o placar era 8 x 6, VIVO/MINAS. Na  volta do jogo, Théo marcou pela saída de rede: 8 x7.  NO erro de ataque de Lucarelli, o jogo ficou novamente empatado : 9 x 9. Filip recolocou o Minas na frente:  10×9. Após saque de Lucão, a bola voltou para o time carioca que errou a formação da jogada: 11 x 1 0, Minas.  O RJX teve a bola do contra-ataque para virar o set, mas cometeu o erro que virou ponto do Minas: 14 x 13. Após rally,  Quiroga cometeu o erro e o set ficou igual. No saque, o levantador Bruninho colocou o time carioca na frente. Na sequência, Dante no bloqueio colocou o time da casa com dois pontos de vantagem: 16 x 1 4.

           Dante, de novo colocou o time carioca com três pontos de vantagem. O Minas encostou no placar com Lucarelli: 19 x 18, RJX. Na bola de xeque, Filip empatou o set: 20 x 20. No erro de Thiago Alves, o VIVO/ MINAS passou a frente: 2 1 x 20.  No bloqueio duplo de Dante e Riad, o RJX retomou o placar, fazendo o técnico minastenista parar a partida : 22 x 2 1, RJX. O ponteiro da equipe carioca pisou na linha dos três e o set ficou igual de novo. Após o erro, Thiago Alves saiu para a entrada de Thaigo Sens. Quando o placar era 23 x23, o técnico Marcelo Fronckowiak pediu tempo. Empatado em 24 x 24, o  fim do  primeiro set seguiu emocionante. O levantador Evandro entrou para aumentar a rede do Minas. Lucarelli, no contra-ataque recolocou o Minas na frente: 25 x 24. Lucão deixou tudo igual: 25 x 25. Lucão, no bloqueio deu mais um set point para a equipe da casa: 26 x 25. O técnico, Horacio Dileo gastou sue segundo tempo técnico. No bloqueio, Thiago Alves fechou o primeiro set para o RJX: 29 x 27, em 36 minutos.

          2º set        

            No erro de saque de Dante, o Minas abriu o primeiro ponto. Após rally, Lucarelli cometeu o erro e o jogo empatou: 1 x 1. Outro erro do jovem ponteiro  e o time carioca passou a frente: 3 x 2. No bloqueio mineiro tudo igual novamente: 4 x 4. No contra-ataque, Théo colocou a bola no chão e a equipe carioca  abriu dois pontos: 6 x 4. Com dois bloqueios, um pela entrada e o outro pela saída o RJX foi para a parada técnica obrigatória com o dobro de pontos do adversário: 8 x 4. A equipe mineira errava demais e  Horácio Dileo parou a partida para conversar com sua equipe:10 x 5, RJX. O central Henrique marcou ponto de saque e diminuiu a diferença no placar para quatro pontos: 11 x 8. Em mais um erro do time minastenista, o RJX abriu novamente cinco pontos: 14 x 9. Na segunda parada técnica o placar era 16 x 1 1 a favor do RJX.

            No saque forçado de Riad, a bola voltou para o time carioca, na bola de xeque, Dante ampliou a vantagem do RJX. Horácio Dileo parou novamente a partida. NA sequência, o técnico promoveu a inversão do 5 x 1. O RJX demonstrou muito mais volume de jogo, mais sólido e Imagemerrando bem menos que o adversário, o time abriu oito pontos: 21 x 13. Com ampla vantagem e empurrados pela torcida a equipe carioca se encaminhava para vencer fácil o  set. O central Riad fechou o segundo set em 25 x 7, em 22 minutos.

 3º set

           O primeiro ponto do set foi do time carioca. No ponto de saque, Dante colocou o RJX com dois pontos de frente: 2 x 0.  No erro de Lucão, o Minas diminuiu a desvantagem: 3 x 2, RJX.  O VIVO/ MINAS continua mais irregular e cometendo muitos erros viu o adversário abrir vantagem no set: 7 x 4. No primeiro tempo técnico o placar era 8 x 5, para o time da casa. Filip, na largadinha marcou o sétimo ponto da equipe mineira: 9 x 7. O time carioca matinha três pontos de vantagem: 12 x 9. No bloqueio, o VIVO/ MINAS tentou reagir no set e encostou no marcador: 14 x 13, RJX. E usando novamente o bloqueio, o Minas empatou o set: 15 x 15. O MINAS foi com vantagem na segunda parada técnica: 16 x 15.  

           Filip, no saque ampliou a vantagem mineira para dois pontos : 19 x 17, o técnico da equipe carioca parou o jogo. No erro  de ataque de Théo, o Minas abriu Três pontos: 20 x 17.  Inversão de 5 x 1 no time carioca: Da Silva e Guilherme entraram  para o jogo no lugar de Bruno e Théo.  Thiago Sens entrou no lugar de Thiago Alves,  Fronckowiak parou o jogo para ajustar sua equipe. O placar marcava 22 x 19 para o VIVO/ MINAS. O oposto, Da Silva invadiu a quadra adversária e com isso o time mineiro fez: 24 x 20. No saque balanceado de Bruno, o líbero Lukinha errou a Imagemrecepção: 24 x 22, Horácio Dileo parou o jogo. Na sequência, o RJX cometeu erro  que deu o set para o adversário. Em 32 minutos, o Minas venceu por 25 x 22.

 

4º set            

            O central Maurício abriu o set para o Minas. Dante deixou tudo igual: 1  x1 . Henrique, pelo meio fez:  3 x 2, VIVO/ MINAS. No erro de ataque de Thiago Alves, a equipe minastenista abriu dois pontos:  5x 3. No bloqueio, o Minas abriu três pontos e o técnico do RJX, gastou logo um dos seus tempos técnicos. Na primeira parada técnica obrigatória, o placar era 8 x5 a favor dos visitantes. Após rally, Riad marcou o ponto no contra- ataque 8 x 6. Na sequência, o central fez ace  8 x 7. Após invasão por baixo do central Maurício ( que torceu o pé), o set voltou a ficar empatado: 8 x 8. Lucão colocou o RJX com dois pontos de vantagem: 11x 9. Horácio Dileo parou o jogo para reorganizar o time mineiro. Filip, pela saída de rede diminuiu a desvantagem mineira 12  x 11. No bloqueio, Henrique empatou o set. Depois do bloqueio do central Maurício, o Minas tinha dois pontos de vantagem: 16 x14.

Imagem

O aniversariante do dia, Henrique, não recebeu o presente que gostaria.
FOTO: CBV- ALEXANDRE ARRUDA

                Na volta do jogo, o Minas parou mais um ataque do time carioca: 17 x 14. O oposto Da Silva entrou no jogo no lugar de Théo. Lucarelli ampliou a vantagem mineira 18 x14. O ponteiro, Lucas Loh que se recuperou de uma lesão entrou na partida para sacar: 20 x 16, Minas. Lucão diminuiu a desvantagem dos cariocas para dois pontos e o técnico do VIVO/ MINAS pediu tempo para evitar a reação do adversário. O central Lucão, cresceu no set e virou mais uma bola para o RJX: 22x x 20, Minas. Da Silva , enfrentando o bloqueio duplo marcou para os donos da casa: 22 x 21, Minas. A comissão técnica do Minas atrasou a troca de jogadores e a equipe ficou sem o central na rede. Pelo lado do RJX, o central Uallas entrou  no lugar de Bruno para aumentar a rede. O placar era 24 x 23, Minas, Thiago Alves foi para o saque e empatou o set: 24 x 24. Na sequência, Da Silva deu o ponto do jogo  e da final para o RJX: 25 x 24. Lucarelli errou o saque e o time carioca teve mais um match point 26 x 25. A  equipe carioca fechou o set em 27 x 25 , o jogo por 3 x 1 e agora  enfrenta outro time mineiro, o SADA/ CRUZEIRO.

Imagem

VIVO/ MINAS: Marcelinho( levantador), Quiroga e Lucarelli ( ponteiros), Maurício e Henrique ( centrais),  Filip ( oposto) e o líbero Lukinha. Técnico Horacio Dileo

ENTRARAM: Evandro, Michel, Lucas Loh

 RJX:  Bruninho ( levantador) , Dante e Thiago Alves ( ponteiros), Lucão e  Riad (centrais). Théo (oposto) e o líbero Mário Jr. Técnico Marcelo Fronckowiak

ENTRARAM: Thiago Sens, Guilherme, Da Silva, Uallas

 

FOTOS: CBV