[Taça Ouro] Corinthians/Guarulhos vence Botafogo e está na Superliga 2017/2018

O Corinthians/Guarulhos (SP) está classificado para a Superliga Masculina 2017/2018. Na noite deste domingo (13), na partida final da do quadrangular da Taça Ouro, o time paulista venceu o Botafogo (RJ) por 3 sets a 1 (25×20, 25×20, 28×30 e 25×19), em 2h e 33 minutos de partida no ginásio Oscar Zelaya, no Rio de Janeiro (RJ), conquistando a vaga para a elite do voleibol nacional.  As equipes de Castro (PR) e Rádio Clube/AVP (MS), também participaram da competição.

Ao fim da partida, o líbero bicampeão olímpico Serginho, um dos mentores do projeto, comemorou o objetivo alcançado e ainda elogiou o adversário. “Foi muito difícil, pois jogamos uma Taça Ouro com um nível altíssimo. Fico triste por outro lado em ver equipes tão fortes ficando de fora, como o Botafogo que tem um elenco talentoso, torcida maravilhosa, comissão técnica e estrutura muito boas. Fiz a minha parte, e quero sempre o bem do voleibol”, disse o atleta multi-campeão.

Com a classificação do 12º time, a Superliga Masculina 2017/2018 está completa e contará com quatro equipes mineiras: Sada Cruzeiro, Montes Claros Vôlei, Minas Tênis Clube e Juiz de Fora Vôlei; quatro times paulistas: Funvic Taubaté, SESI-SP, Vôlei Renata e Corinthians/Guarulhos; dois representantes do Rio Grande do Sul: Lebes/Gedore/Canoas e Bento Vôlei; uma equipe paranaense: Copel Telecom Maringá (PR) e um time do Rio de Janeiro: o SESC-RJ.

TAÇA OURO MASCULINA

11.08 (SEXTA-FEIRA) – 1ª RODADA

18h – Castro (PR) 3×2 Corinthians/Guarulhos (SP) (26×24, 18×25, 25×22, 20×25 e 15×13)

20h – Botafogo (RJ) 3×0 Rádio Clube/AVP (MS) (25×18, 25×23 e 25×16)

12.08 (SÁBADO) – 2ª RODADA

18h – Corinthians/Guarulhos (SP) 3×0 Rádio Clube/AVP (MS) (25×17, 25×10 e 25×15)

20h – Botafogo (RJ) 3×2 Castro (PR) (25×23, 24×26, 22×25, 25×23 e 15×10)

13.08 (DOMINGO) – 3ª RODADA

18h – Rádio Clube/AVP (MS) 0x3 Castro (PR) (21×25, 16×25 e 19×25)

20h – Botafogo (RJ) 1×3 Corinthians/Guarulhos (SP) (20×25, 20×25, 30×28 e 19×25)

 

Com informações: CBV

Foto em destaque: Reprodução Corinthians/Guarulhos/Facebook

[Superliga] Em jogo quase perfeito, Sada Cruzeiro vence Brasil Kirin e avança para sua sétima final consecutiva

E o time do Sada Cruzeiro (MG) segue fazendo história. Neste sábado (22), a equipe voltou ao ginásio do Riacho, em Contagem (MG) contra o Vôlei Brasil Kirin (SP) para a disputa do jogo três da semifinal. E, com um jogo coletivo beirando a perfeição, o time mineiro derrotou o time campineiro por 3 sets a 0, parciais de (25×12, 25×18 e 26×24) e avançou para sua sétima final consecutiva da competição. Vale ressaltar que o Cruzeiro é o atual tricampeão consecutivo, tem quatro títulos da Superliga Masculina 2016/2017 e poderá buscar o penta diante da sua torcida, já que a final será realizada no dia 07 de maio, no ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte (MG).

O jogo

A partida começou com uma ótima sequência de saques do central Simón, que dificultou muito a recepção e, consequentemente, a virada de bola do time paulista (5×1). Após pedido de tempo do Horácio Dileo, Campinas voltou melhor, com bons saques de Vini e volume de jogo, o time diminuiu a desvantagem para dois pontos (6×4). Porém, com um saque impressionante, foram 4 pontos diretos nesse fundamento, o time mineiro abriu o dobro de pontos do adversário (12×6). Além disso, todos os jogadores do elenco cruzeirense em quadra jogando muito bem, Filipe e Serginho defendendo tudo no fundo de quadra, William com suas bolas perfeitas e Isac, Evandro, Leal e Simón seguiam com seus ataques indefensáveis (21×12). Com todo esse ímpeto celeste, o Kirin pouco conseguiu jogar, perdendo o set por (25×12), em 21 minutos.

2º set

O início do segundo set foi igual ao anterior, com um pedido de tempo técnico de Campinas logo no início pata tentar conter o ritmo cruzeirense (5×1). Na sequência, o levantador reserva Jotinha entrou no lugar de Rodriguinho, para tentar promover uma mudança no time visitante. Porém, o ritmo alucinante do Sada não diminuiu (14×7). Com um poder ofensivo arrasador, foram 15 pontos de ataque, contra apenas seis do Brasil Kirin, o time mandante não dava chances para o adversário. Os paulistas estavam irreconhecíveis e, nervosos em quadra, o time cometia erros infantis (18×9). Após 22 minutos, o time do Sada fechou mais uma parcial, desta vez por (25×18).

3º set

Sem nada a perder, os jogadores de Campinas voltaram com uma outra postura para a quadra. No bloqueio e no contra-ataque, o time abriu dois pontos pela primeira vez no jogo (3×5). A recepção campineira melhorou e o levantador Rodriguinho começou a acionar mais o oposto Rivaldo (10×13). Experiente, a equipe celeste foi tirando a desvantagem ponto a ponto e, no bloqueio de Leal, o set ficou empatou (16×16).  Com Leal chamando a responsabilidade do ataque, os mineiros passaram à frente e conseguiram abrir margem (20×17). Com o ginásio jogando junto com o Cruzeiro, o time da casa chegou ao ponto da vaga para a final(24 x21). Porém, a ansiedade de dar números finais ao jogo permitiu o empate do time de Campinas (24×24). Porém, Evandro colocou a bola no chão e parou com a sequência do adversário. E, para terminar a partida, no saque, o oposto celeste deu números finais ao jogo (26×24).  Muito regular, como na maioria das vezes, o ponteiro Filipe foi eleito o melhor jogador em quadra.

Equipes:

Sada Cruzeiro: William, Evandro, Simón, Isac, Filipe, Leal e o líbero Serginho.

Entraram: Cachopa, Alan

Técnico: Marcelo Mendez

 Vôlei Brasil Kirin: Rodriguinho, Rivaldo, Maurício Souza, Vini, Bruno Temponi, Diogo  e o líbero Tiago Brendle

Entraram: Jotinha , Baiano, Matheus

Técnico: Horácio Dileo

[Foto: Reprodução Sada Cruzeiro/Twitter]

[Superliga] Com direito a set mais longo da temporada e definição no quinto set, Sesi vence Taubaté e provoca quarto jogo

Nada definido no confronto entre Funvic Taubaté e Sesi SP. Nesta sexta-feira(21),  as equipes entraram em quadra pelo terceiro jogo da série melhor de cinco da semifinal da Superliga Masculina, no ginásio do Abaeté, em Taubaté(SP), que poderia definir o confronto, já que o time do interior paulista vencia por 2 a 0.

Porém, em um jogo muito disputado e com um primeiro set com 41 minutos de duração, o maior dessa edição da Superliga,  o Sesi venceu, fora de casa,  por 3 sets a 2, parciais de (37×35, 21×25, 19×25,25×21 e 15 x 10), levando a disputa para o jogo 4. A partida será na quinta-feira(27), às 19h30, no ginásio Lauro Gomes, em São caetano do Sul (SP), com mando de campo do Sesi.

Em partida em que os opostos lideraram suas equipes, o oposto Théo, do Sesi, marcou pontos em todos os fundamentos, 27 no total, sendo dois de ataque, dois de saque e 23 de ataque, e foi eleito o melhor jogador do confronto, com 15% de votação, que é realizada  em voto popular no site da Confederação Brasileira de Vôlei(CBV).

O jogo

A equipe de Taubaté começou arrasador, com dois pontos de bloqueio e ace de Lucarelli (3×0). O time mandante foi se mantendo à frente do placar com o dobro de pontos do adversário (8×4). Com o decorrer do set, o passe foi chegando melhor nas mãos do levantador Bruno, que pôde distribuir melhor as jogadas e diminuir a desvantagem (12×11).  Comandados pelos ataques de Wallace, o Funvic voltou a crescer no set e abrir vantagem, após mais um bloqueio, o quarto da equipe (16×13). Do outro lado, o saque apareceu e, com dois pontos diretos nesse fundamento do central Lucão, o Sesi voltou para o jogo (20×18). É verdade que Taubaté teve duas bolas para fechar o set (24×22), mas o adversário reagiu e foi a vez dos visitantes terem a chance de fechar o set (26×27). O equilíbrio se restabeleceu e os dois times desperdiçaram boas chances de encerrar o set, que só foi decidido no bloqueio simples de Théo, após 41 minutos, com o placar de (35×37).

2º set

Assim como aconteceu na parcial anterior, o Funvic Taubaté iniciou melhor e liderando o marcador com boa margem (5×2). O saque, do Sesi voltou a funcionar e o time diminuiu o prejuízo (14×13). Determinados a não deixarem os visitantes reagirem novamente, os mandantes voltaram a ditar o ritmo do set, com destaque para o oposto Wallace, destaque no ataque, que com muita variação, ora ataque explosivo, ora explorando o bloqueio adversário, manteve o seu time à frente (19×16). O time do interior paulista seguiu cometendo poucos erros, foram seis ao longo do set contra nove do adversário, e se encaminhou para fechar o set em 27 minutos, após erro de ataque de Murilo (25×21).

theeeeeeeeeeeeeeeo

– Com 27 pontos( 2 de ataque, 2 de bloqueio e 23 de ataque), o oposto Théo foi o maior pontuador do confronto e recebeu o troféu VIva Vôlei. (Foto: Bruno Miani/CBV)

3º set

Os mandantes começaram à frente, com Lucas Lóh marcando ponto no bloqueio e no contra-ataque (6×4). No erro de Éder, a parcial empatou (9×9).  Com os times sendo liderados pelos opostos, Wallace, por Taubaté, e Théo, do lado do Sesi, o ataque de ambas as equipes se sobressaia sobre o bloqueio (13×10). Com os ponteiros do Sesi tendo dificuldades com a recepção do saque, sobretudo dos saques de Lucarelli, o treinador Marcos Pacheco colocou Fábio e Alan para jogar, nos lugares de Vaccari e Murilo. Porém, demonstrando muito volume de jogo, Funvic seguiu dominado o placar (20×15) e, com boa margem, fecharam o set por (25×19), em 25 minutos, virando o jogo para 2 sets a 1.

4º set

Rafa, levantador reserva do Sesi, começou o quarto set como titular. Quando a bola subiu, os times se revezavam na liderança do placar. Com dois pontos consecutivos de saque de Riad, o time visitante abriu dois pontos (9×11). Théo, bastante acionado, cravava a bola no chão e dava segurança na virada de bola (12×16). Com o jogo chegando nos momentos decisivos, a rivalidade foi crescendo e seguiu com muita reclamação dos times, o que gerou um cartão amarelo para Fábio, jogador do Sesi.  Se o time da casa pouco errou na parcial anterior, nesse set foram 11 erros de Taubaté, contra apenas cinco dos visitantes, o que dificultou uma possível reação (23×18). Após outro longo set, 31 minutos, o Sesi fechou em (21×25), levando a decisão para o quinto set.

5º set

O início do set decisivo começou melhor para os visitantes que, no erro de Éder, foram para a troca de lado de quadra com dois pontos à frente (6×8). Com Théo chamando a responsabilidade e marcando pontos de ataque atrás do outro e pontuando também no bloqueio, o Sesi foi ampliando a vantagem (6×10). Do outro lado, Wallace tentava recolocar o Taubaté no jogo (10×13). Porém, no bloqueio de Lucão, o Sesi deu números finais ao set (10×15) e ao jogo por 3 sets a 2 para os visitantes.

Equipes:

Funvic Taubaté: Rapha, Wallace, Lucas Lóh, Lucarelli, Otávio, Éder e o líbero Mário Jr.

Entraram:  Japa, Gelinski, Renan, Matheus.

Técnico: Cézar Douglas

Sesi SP: Bruninho, Théo, Murilo, Vaccari, Lucão, Riad e o líbero Serginho.

Entraram: Rafa, Alan, Fábio, Leitzke e Johan.

Técnico: Marcos Pacheco

[Foto: Bruno Miani/Inovafoto/CBV]

[Superliga] Em jogo de 5 sets, Taubaté supera o Sesi mais uma vez e abre 2 a 0 na série

Neste sábado (15), SESI SP e Funvic Taubaté (SP) voltaram à quadra para a disputa do segundo confronto da série melhor de cinco da Superliga Masculina e, assim como aconteceu no primeiro jogo, Taubaté saiu vitorioso, desta vez por 3 sets a 2, parciais de (25×23,21×25, 25×18, 19×25 e 15×13 ) e está a uma vitória da final da competição.

A partida, que teve mando de campo do Sesi, foi realizada no ginásio Lauro Gomes, em São Caetano do Sul (SP) e não na Vila Leopoldina, casa do time da capital paulista durante toda temporada, pois o ginásio não tem a capacidade mínima de 2000 expectadores, uma das exigências da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) a partir dos playoffs.

 A terceira rodada, que poderá definir o finalista desse duelo, será na próxima sexta-feira (21), às 21h, no ginásio do Abaeté, em Taubaté (SP), com transmissão do Sportv 2. Na outra semifinal, o Sada Cruzeiro também poderá carimbar sua vaga na final se vencer o Vôlei Brasil Kirin, no sábado (22), às 21h30, no ginásio do Riacho, em Contagem (MG).

– Com 21, 9 % de votos, o ponteiro Lucarelli foi eleito o melhor jogador da partida. (Foto: Wander Roberto/ Divulgação CBV]

O jogo:

O time de Taubaté começou melhor (1×4). O ataque de ambas as equipes trabalhava muito bem, sobretudo com Théo, pelo lado do Sesi, e Lucarelli, pelo lado do Funvic, eles marcaram, respectivamente, seis e cinco pontos, totalizando 13 pontos de ataque para cada time na primeira parcial.  O saque foi outro fundamento que funcionou para os dois times e equilibrou a partida. Após excelente saque de Vaccari, o set ficou igual (15×15). Nesse mesmo fundamento, após tempo técnico de Cézar Douglas, o time do Vale da Paraíba aproveitou para voltar a abrir vantagem (15×17). No final, o bloqueio de Taubaté começou a amortecer os ataques do adversário e, nos contra-ataques, a equipe foi ampliando (17×22). Quando parecia que o set já estava decidido, o levantador Bruninho conseguiu excelente sequência no saque e reequilibrou o jogo (23×24). Porém, o oposto Wallace decidiu (23×25), após 27 minutos.

2º set

O início foi mais equilibrado (4×4). Após ataque do oposto Théo, os anfitriões abriram dois pontos pela primeira vez na partida (10×8). Com o central Riad liderando o bloqueio, três no set, sua equipe foi se distanciando na liderança do placar (15×11). Se por um lado a equipe da capital paulista demonstrava um ritmo melhor, Taubaté parecia ter diminuído a intensidade, a linha de recepção encontrava uma certa dificuldade e o ataque caiu de rendimento (19×14). Do lado do Sesi, com o passe chegando na mão do Bruno e com o ataque afiado, foram 15 pontos nesse fundamento contra 10 do adversário, Théo comandava o time, que fechou o set (25×21), em 27 minutos, e igualou o jogo, após erro de saque do oposto de Taubaté.

3º set

– Sesi fez uma grande partida, mas não foi suficiente para igualar a série. (Foto: Wander Roberto/Divulgação CBV]

No ritmo da vitória no set anterior, a equipe mandante começou ditando o ritmo (6×4). Temendo que o adversário abrisse muita margem logo no início Taubaté parou a partida. O saque do Sesi continuou muito agressivo e eficiente, dificultando a virada de bola do Funvic (16×13). O oposto Wallace não conseguia colocar a bola no chão e os ponteiros, Lucarelli e Lucas Lóh, também não tinham caminho fácil (16×13). Depois de 19 segundos de rali, com direito a defesas incríveis de Serginho e Murilo, o ponto terminou no ataque de Théo (18×14). Após 25 minutos, o Sesi fechou o set (25×18), virando o jogo.

4º set

Dispostos a levarem o jogo para o tie- break, Taubaté apresentava o volume de jogo do primeiro set (6×9). O oposto Wallace reapareceu na partida e voltou a desequilibrar, com saques eficientes e ataques indefensáveis (11×16).  A virada de bola do Sesi caiu e o técnico Marcos Pacheco mudou sua equipe, os ponteiros Fábio e Alan entram nos lugares de Murilo e Vaccari. Após longa troca de bolas, que terminou com um ponto de Taubaté, o oposto Wallace recebeu cartão amarelo por causa de uma comemoração efusiva (13×20). Com o passe chegando perfeito na mão de Rapha, o levantador podia ousar mais na distribuição das jogadas, após uma pipe de Lucarelli, o Taubaté venceu a parcial (19×25), levando o jogo para o set decisivo.

5º set

O tie break começou com o Taubaté bloqueando melhor e abrindo vantagem (5×8). Além disso, o ataque do Sesi voltou a cair e, do outro lado, o Taubaté apresentava muito volume de jogo e aproveitava os contra-ataques (10×13). Porém, com apoio da torcida e comandados dentro de quadra por um bom saque, o time mandante reagiu e diminuiu a desvantagem (12×13). Porém, à frente durante todo a última parcial, o Funvic Taubaté deu números finais ao set (13×15), depois de um ataque do oposto Wallace.

Equipes:

SESI SP: Bruno, Théo, Murilo, Vaccari, Lucão, Riad e o  líbero Serginho.

Entraram: Leitzke, Alan, Rafa, Fábio e Johan.

Técnico: Marcos Pacheco

FUNVIC TAUBATÉ: Rapha, Wallace, Lucas Lóh, Lucarelli, Otávio, Éder e o líbero Mário Jr.

Entraram: Japa, Renan e Gelinski.

Técnico: Cézar Douglas

[Fotos:  Wander Roberto/ InovaFoto/ CBV]

[Superliga] Cruzeiro volta a vencer Campinas e está a uma vitória de mais uma decisão

Na noite de quinta-feira (13), o Sada Cruzeiro foi à Campinas (SP), enfrentar o Vôlei Brasil Kirin, e levou a melhor sobre os donos da casa, no confronto válido pela semifinal da Superliga Masculina. Em duas horas de partida, Sada venceu por 3 sets a 1, parciais de (25×21,25×19, 21×25 e 25×22), abriu 2 a 0 na série melhor de cinco jogos, e está a uma vitória da sétima final consecutiva da competição.

Com Leal mais uma vez se destacando, foram 18 pontos no jogo, o jogador ficou com o Troféu Viva Vôlei, prêmio dado ao melhor jogador do confronto, através de votação popular via internet. Agora, as equipes voltam a se enfrentar no sábado (22), no ginásio do Riacho, em Contagem (MG), casa do Cruzeiro, podendo ser a partida da classificação mineira.

O jogo:

No saque de Maurício Souza, que atrapalhou a recepção cruzeirense, os donos da casa abriram vantagem (4×0), provocando o pedido de tempo do técnico Marcelo Mendez. A parada fez bem para o time mineiro, que voltou mais ligado, e, no bloqueio de Isac, empatou a parcial (6×6).  Na sequência, o Sada Cruzeiro apresentou mais volume de jogo, aproveitando os contra-ataques e aumentando a vantagem no placar (11×15). Quando parecia que os mineiros iam vencer o set com facilidade, o ponteiro Diogo, de Campinas, foi para o saque, conseguiu uma sequência de quatro pontos para o time campineiro (20×22), mas o poder ofensivo cruzeirense fez a diferença, foram 17 pontos de ataque contra 11 do time paulista, e o Sada Cruzeiro fechou o set (21×25), em 29 minutos.

2º set

O início foi equilibrado (5×5), mas, assim como aconteceu no set anterior, o Cruzeiro se impôs e foi abrindo margem (9×13). O técnico Horácio Dileo parou o set para conversar com seus jogadores, que assimilaram os pedidos do treinador e voltaram à quadra mais agressivos. Com Diogo se destacando, saque e ataque a equipe da casa foi diminuindo a desvantagem (14×16).  A parcial seguiu nervosa e as duas equipes foram advertidas com cartão amarelo, em lances diferentes, por reclamação. O poder de ataque do Brasil Kirin aumentou, foram 11 pontos contra 12 do Cruzeiro, mas a vantagem cruzeirense a no set foi no fundamento bloqueio, foram três para a equipe visitante contra apenas um de Campinas (17×21). Após erro do central Maurício, os cruzeirenses fecharam o set (19×25), em 25 minutos.

temponi

_Ao lado de Leal, Bruno Temponi(2) foi o maior pontuador da partida,com 18 pontos, e aprovou a atuação da equipe. (Foto: Cinara Piccolo)

3º set

 

Os jogadores do Sada voltaram à quadra dispostos a fechar o jogo no terceiro set (0x3), mas, do outro lado, os jogadores do Brasil Kirin não estavam dispostos a facilitarem a vida do adversário.  Com o trio Rivaldo, Bruno Temponi e Diogo crescendo na partida, Campinas virou a parcial e abriu vantagem (9×6), para incendiar a torcida que marcou presença e jogava junto com o time. Se o ataque cruzeirense foi superior nos sets anteriores, a equipe mineira encontrava dificuldades em colocar a bola no chão, o que levou o técnico Marcelo Mendez colocar Alan, o oposto reserva, no lugar de Evandro. Em um momento melhor, o time paulista fez mais aces, bloqueou e atacou mais que o adversário, e levou o set (25×21), após 27 minutos.

4º set

Embalados com a vitória no set anterior, Campinas seguiu comandando o placar (5×3). Evandro, que voltou à quadra no início do quarto set, seguiu com dificuldades no ataque e, novamente, foi substituído por Alan, o oposto titular não gostou da substituição e reclamou com o técnico cruzeirense. Porém, parece que a pequena discussão recolocou os jogadores da equipe mineira mais ligados e, no bloqueio de Isac, os visitantes passaram à frente (5×6). Comandados pelos ataques de Leal, o sada foi abrindo (8×12). Do outro lado, Temponi se destacava nesse fundamento, passava pelo bloqueio adversário, e comandava Campinas que foi buscar o placar (12×13). Alan, que não entrou bem mais uma vez, voltou para a reserva, o tempo no banco fez bem a Evandro, que voltou marcando um ponto de bloqueio e vibrando muito, o que deu um gás mais aos seus companheiros que voltaram a abrir vantagem (17×20).  Valentes, os jogadores do Brasil Kirin se recuperaram e deixaram tudo igual (21×21), mas no final, o bloqueio cruzeirense apareceu, e foi o responsável por dar números finais ao set (22×25) e ao jogo.

Equipes:

Brasil Kirin: Rodriguinho, Rivaldo, Bruno Temponi, Diogo, Vini, Maurício Souza e o líbero Tiago Brendle.

Entraram Jotinha, Baiano e Matheus.

Técnico: Horácio Dileo.

Sada Cruzeiro: William, Evandro, Leal, Filipe, Isac, Simon e o líbero Serginho.

Entraram Alan, Fernando Cachopa e Éder Levi.

Técnico: Marcelo Mendez.

 

[Foto: Cinara Piccolo/Vôlei Brasil Kirin]

[Superliga] Taubaté passa por Juiz de Fora e encara o Sesi na semi

Só falta um semifinalista a ser conhecido na Superliga 2016/2017. No início da noite de ontem (27), a Funvic Taubaté superou a jovem equipe do JF Vôlei por 3×0 (25×21,25×18, 25×14), e ficou com a terceira vaga nas semifinais da competição nacional. Com o saque afiado e bela atuação do levantador Rapha, o Taubaté aproveitou o baixo rendimento do oposto Renan, do JF Vôlei, e levou a série quartas-de-final em três jogos a zero. Na semifinal, o time do interior de São Paulo enfrenta o Sesi-SP.

Em entrevista ao Sportv após o jogo, o ponteiro Lucarelli avaliou o desempenho da equipe contra o JF Vôlei. “Dos quatro jogos que fizemos em sequência contra JF Vôlei (o último da fase classificatória e os três dos playoffs pelas quartas de final), o de hoje foi o melhor disparado. Nosso contra-ataque foi muito bom, e esse era um ponto que precisávamos evoluir. Temos que ter um jogo desse como parâmetro e tentar sempre melhorar”, disse Lucarelli, eleito melhor em quadra na última partida das quartas-de-final.

Apesar da eliminação, o JF Vôlei sai competição com sua melhor temporada na conta desde que chegou à elite do voleibol brasileiro, em 2011. Contando com atletas e parte da CT vindos da parceria com o Sada Cruzeiro, o Juiz de Fora já pensa no futuro. “Foi uma campanha histórica para o esporte de Juiz de Fora. Não é fácil conseguir doze vitórias – é só pegar as estatísticas dos últimos anos e analisar. Lembrando que vencemos seis partidas no tie-break, que poderiam ter mudado nossa história caso terminassem de outra forma. O sucesso veio com muita luta. Viemos batalhando por isso há quase dez anos. Já estamos na rua em busca da viabilização da temporada 2017/18. Agora, precisamos aumentar significativamente o nosso aporte financeiro para jogar uma Superliga de maneira digna também fora de quadra. A partir de hoje, esta é a nossa batalha”, disse o diretor técnico e idealizador do projeto, Maurício Bara.

Sada aguarda definição do adversário

Sem dificuldades para fechar a série em três a zero diante do Lebes Gedore Canoas, o Sada Cruzeiro aguarda a definição do confronto entre Vôlei Brasil Kirin e Montes Claros Vôlei. Os paulistas lideram por 2×0 e podem fechar a conta na próxima quinta-feira (30), em Campinas.

SUPERLIGA MASCULINA 16/17

Quartas de final

Terceira rodada

25.03 – Sada Cruzeiro 3 x 1 Lebes/Gedore/Canoas (25/16, 25/18, 21/25 e 25/19)

26.03 – Sesi-SP 3 x 0 Minas Tênis Clube (25/22, 25/20 e 25/22)

27.03 – Funvic Taubaté 3 x 0 JF Vôlei (25/21, 25/18 e 25/14)

30.03 (QUINTA-FEIRA) – Vôlei Brasil Kirin (SP) x Montes Claros Vôlei (MG), às 21h55, no ginásio do Taquaral, em Campinas (SP) – REDETV e no SporTV.com

 

Com informações da CBV e JF Vôlei

[Superliga] Ajustes e muito estudo para Taubaté e JF Vôlei nos playoffs

Após dois sets equilibrados, o JF Vôlei não conseguiu manter o ritmo e vencer um set diante da Funvic Taubaté, na Zona da Mata mineira, no último sábado (18). Apesar da derrota, o técnico do JF Vôlei, Henrique Furtado, gostou da atitude da equipe em sua primeira participação nos playoffs. “Senti o grupo guerreiro, como foi durante o campeonato todo, buscando demais a vitória. É importante fazer o jogo ficar longo e, a cada ponto que passa, ir aprendendo a jogar de igual para igual contra esses adversários nesse momento da competição. Gostei muito da luta e da entrega do time”, disse. O treinador apontou o ataque como principal fundamento a ser trabalhado para a sequência dos confrontos em Taubaté e, mais uma vez, ressaltou o poder do saque adversário.

O líbero do Juiz de Fora, Fábio Paes, também destacou, além do saque de Taubaté, o ataque do time do Vale do Paraíba. “Eles vieram com a mesma filosofia de forçar o saque e conseguimos segurar em alguns momentos. Mas acho que o que fez a diferença foi o ataque, acho que eles foram mais felizes no ataque. Vamos ver os vídeos para observar o que tivemos de falhas para tentar consertar o mais rápido possível para não errar no jogo de quinta-feira”.

Do lado da Funvic Taubaté, o levantador Rapha colocou a diminuição dos erros e a agressividade no saque como fatores determinantes para a vitória paulista na primeira partida das quartas-de-final. “Com isso, o nosso bloqueio funcionou um pouco melhor, o nosso sistema defensivo [também]. Nossa concentração no saque e na defesa em conjunto com nosso contra-ataque foram as coisas mais importantes em relação ao outro jogo”, avaliou o jogador se referindo à derrota para o próprio JF Vôlei na última rodada da fase de classificação.

O ponteiro Lucarelli retornou à equipe após se recuperar de lesão. (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei)

Já o treinador da equipe paulista, Cézar Douglas, acredita que há fatores a serem trabalhados, principalmente na leitura tática. “Foi uma estratégia bem definida do Juiz de Fora, que nem vou citar porque precisamos nos preparar para a próxima partida sabendo que eles usaram de uma certa estratégia que funcionou. Temos que tomar cuidado e sair dela mais rápido do que saímos nesse [primeiro] jogo”, avaliou. Cézar Douglas também comentou o retorno do ponteiro Lucarelli, que fez sua segunda partida após mais de um mês fora devido a uma lesão. “Ele estava mais ambientado com a situação de jogo, apesar de não ter sido utilizado tanto no ataque – na rede, principalmente –, ele estava mais ligado na leitura do jogo, teve um momento importante no final do primeiro set, com um saque. Acreditamos que ele possa evoluir mais ainda no aspecto técnico depois dessa readaptação”, comentou.

Na próxima quinta-feira (23), as duas equipes voltam a se enfrentar na busca por um vaga nas semifinais. O segundo confronto será em Taubaté, assim como a terceira partida da melhor de cinco marcada para a segunda-feira (27).