UFJF vence segundo jogo da Copa Ciudad de Bolívar

 

___  UFJF precisou de 5 sets para vencer o Bolívar, que jogava em casa. (Foto: Bolívar Voley- via twitter)

___ UFJF precisou de 5 sets para vencer o Bolívar, que jogava em casa. (Foto: Bolívar Voley- via twitter)

                   Dois jogos, duas vitórias (e muita emoção). O Vôlei UFJF venceu, na noite dessa terça-feira, 7, mais uma partida pela Copa Ciudad de Bolívar, disputada na Argentina. A Federal ganhou por 3×2 do Personal Bolívar, dono da casa, com parciais de 23×25, 25×21, 25×23, 19×25 e 16×14

           Na segunda-feira, 6, a UFJF havia vencido o Lomas Vôlei, também da Argentina, por 3×2. O terceiro e último jogo pelo torneio será nesta 4ª feira, 8 de outubro, às 19h30, contra o Bento Vôlei, outro representante brasileiro na competição. 

A competição

               Na Copa Ciudad de Bolívar, as equipes jogam entre si, e a que acumular mais pontos será a vencedora. Esta é a primeira competição internacional do Vôlei UFJF, que também disputará na Argentina, nos próximos dias 10 e 11, a Copa Ciudad de Almirante Brown, contra Bolívar, Pilar e Bento Vôlei.

Texto: Assessoria Vôlei UFJF

Anúncios

UFJF vence a segunda partida seguida na Superliga

por Luara Herédia

A equipe de vôlei da UFJF conseguiu a segunda vitória consecutiva na Superliga. Embalados depois de quebrar o jejum de oito derrotas seguidas diante do Minas Tênis Clube, na quarta-feira, a equipe de Juiz de Fora voltou à quadra neste sábado, 1º, e, em um jogo eletrizante, venceu o Funvic/Taubaté adversário direto na tabela por 3 sets a 2 (18×21, 21×18, 21×16, 17×21 e 23×21).

Reffatti (19) enfrenta o bloqueio adversário

Reffatti (19) enfrenta o bloqueio adversário (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei.com)

Com o resultado, os mineiros somaram 12 pontos e quatro vitórias na competição. Após o jogo, o técnico da UFJF, Carlos Augusto “Chiquita” aprovou a atuação da equipe, sobretudo pela nova formação do time. Insatisfeito com o rendimento dos opostos do elenco, o comandante testou pela segunda vez o central Jardel na função de oposto e saiu satisfeito com o resultado e com o desempenho dos jogadores.

Os próximo confronto da Federal  será no próximo sábado, 8, às 19h30, em Maringá, contra os donos da casa.

O Jogo:

A UFJF logo marcou 2 x 0. Jogando melhor, a equipe da casa foi para o primeiro tempo técnico quatro pontos na frente dos adversário (7 x 3). Correndo atrás do placar, Taubaté reagiu e encorou no marcador 13 x 12, provocando o pedido de tempo de Chiquita. No contra-ataque eficiente dos visitantes a partida ficou empatada. Na seqüência, no ataque do central  Ninão, a UFJF voltou a  liderar o placar 14 x 13. Na volta do jogo, após erro de ataque dos mineiros, os visitantes passaram à frente e abriram 16 x 14. A equipe paulista controlou a vantagem adquirida e fechou o set em 21 x 18.

2º set

Novamente os donos da casa começaram melhor o set e abriram 3 x 1. Na parada técnica a UFJF liderava por 7 x 4. Precisando do resultado e contando com o apoio das arquibancadas, a Federal ampliou o marcador e no segundo tempo técnico o placar era 14 x 10. Com quanto pontos à frente, a UFJF chegou ao set point 20 x 16, mas, na hora de fechar o set, o time enfrentou dificuldades e viu o adversário encostar (20 x 18). Após o susto os mineiros fecharam o set em 21 x 18, devolvendo o placar do 1º set.

3º set

O bloqueio foi uma das armas da vitória mineira

O bloqueio foi uma das armas da vitória mineira (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei.com)

Logo no início do set os mineiros acharam o tempo de bloqueio e fizeram três pontos seguidos que ajudaram a Federal a abrir vantagem de 7 x 3. Enquanto o adversário cometia muitos erros no saque, a UFJF tinha um bom rendimento e abriu oito pontos de vantagem: 12 x4.  Na segunda parada obrigatória o marcador era 14 x 5 para a equipe mineira. Jogando melhor e aproveitando os contra-ataques, os donos da casa abriram dez pontos 18 x 8 e encaminharam para fechar o set. Taubaté até tentou uma reação e diminuiu a desvantagem para quatro pontos 20 x 16, mas no erro de saque do levantador do time paulista os mineiros fecharam o set em 21 x 16, e viraram o jogo para 2 sets a 1.

4º set
Precisando vencer para permanecer vivo no jogo, os visitantes fizeram 2 x 0. No tempo técnico, Funvic/Taubaté liderava por 7 x 5. Os mineiros começaram  a errar mais e viram o adversário abrir 12 x 8. Após duas defesas da UFJF, a equipe contou com o erro do adversário para pontuar 12 x 10. No bloqueio a equipe diminuiu a desvantagem para um ponto 12 x 11, mas voltaram a errar e viram os paulistas abrirem no marcador 16 x 12 e fecharem o set em 21×17, depois do erro de saque de Juiz de Fora.

5º set

O set decisivo começou com o ponto de Taubaté. A UFJF passou à frente depois do ataque pelo meio 3 x 2 e abriu dois pontos após bloqueio 4×2. Na troca de lado o Funvic liderava por 8 x 7. Na sequência o set mas curto seguiu equilibrado, com as equipes se revezando nos pontos 11 x 11. No bloqueio a UFJF retomaram o placar 12 x 11, mas os visitantes tiveram a chance de fechar o jogo, após erro de recepção da UFJF (14 x 13). Porém, o time mineiro manteve a tranquilidade dentro de quadra e deixou o set novamente empatado até os 18 pontos, quando tiveram a chance de fechar o jogo após erro de Taubaté (19 x 18). Foi a vez dos paulistas manterem a tranquilidade e impedir a vitória dos donos da casa, 19 x 19. Em fim de jogo eletrizante, o set ficou empatado até os 21 pontos, após rally a Federal teve mais uma chance de fechar o jogo e na sequência, depois de um erro de ataque de Funvic, a UFJF fechou o tie-break em 23 x 21 e o jogo por 3 sets a 2.

O  Viva Vôlei ficou com Dede, ponteiro da UFJF.

Em jogo disputado, Minas derrota a UFJF e está na final do Campeonato MIneiro

As equipes do Vivo/Minas e UFJF,  se enfrentaram na Arena Juscelino Kubitschek, em Belo Horizonte, neste sábado( 15), em jogo válido pela semifinal do campeonato mineiro de volei.  De um lado, a tradicional equipe do Minas Tênis Clube buscava mais uma final de campeonato.Do outro, a juventude  da equipe da Universidade Federal de Juiz de Fora que buscava um resultado inédito.

A UFJF bem que lutou( perdia por dois sets a zero e empatou a partida), mas em um jogo equilibrado e  decidido  nos detalhes( tie-break), a  vitória foi da  experiente equipe de Belo Horizonte. Parciais de  25x 17, 25x 12, 13x 25, 21x 25 e 15 x 11. 

ESCALAÇÃO:

A equipe da UFJF entrou em quadra com:  Clinty e Japa,(ponteiros), Aureliano e  Robinho (centrais), Gelinski  levantador), Wanderson( oposto) e  Fábio Paes( líbero), na equipe do Minas, o desfalque era o oposto tcheco, Filip Rejlek ( que se recupera de uma lesão). Jogaram: Lucarelli e o argentino Rodrigo Quiroga( ponteiros), Michel( oposto), Henrique e Otávio( centrais), Marcelinho (levantador) e Víctor  (líbero)

O JOGO:

O jogo começou equilibrado, com as duas equipes trocando pontos. Com um bloqueio em cima do ponteiro Quiroga, a equipe da UFJF conseguiu abrir vantagem no placar, e com um erro de ataque do Minas, a equipe visitante chegou no primeiro tempo técnico com três pontos na frente: 8 x 5. A equipe da casa voltou mais ligada no jogo, empatou a partida em 12 x 12. E passou no marcador levando a vantagem para a segunda parada técnica obrigatória: 16 x 15. A equipe do Minas abriu três pontos em erros da equipe da UFJF, 19 x 16, fazendo com que o técnico Maurício Bara pedisse um tempo para tentar “acordar” seu time. Porém, com margem no placar, o Minas administrava o set com bons saques e uma ótima leitura de bloqueio. A UFJF, parecia nervosa  na partida e cometia erros. Final do set 25 x 17 para o Minas.

No segundo set, o jovem ponteiro minastenista Lucarelli começou sendo muito acionado( três vezes consecutivas) com eficiência , o jogador contribuiu para seu time logo se impor no placar. O técnico da UFJF, parou o jogo e promoveu mudanças em sua equipe. Tirou Clinty e colocou Hugo para tentar melhorar a recepção da equipe. Porém,  no primeiro tempo técnico, o placar era de 8 x 2 para o Minas. Errando muito e parecendo perdida em quadra, Bara promoveu outras mudanças, tirou Wanderson e Gelinski e colocou Ricardinho e Luan, promovendo a famosa inversão do 5X 1. Mas a equipe da capital em um set quase perfeito, não errava e não dava chances para a reação do adversário. Com 10 pontos de vantagem na segunda parada ténica 16 x 6, a equipe fechou sem dificuldades o set por 25 x 12.

A equipe de Juiz de Fora começou o set com três mudanças: Luan,Juninho e Lucão entraram no lugar de Wanderson,  Japa e Aureliano, respectivamente. Sem nada a perder, a equipe da UFJF começou mais agressiva, Juninho e Luan ajudaram a equipe a abrir quatro pontos de vantagem: 8 x 4.  A equipe de Belo Horizonte pareceu sentir a pressão,o técnico Horácio Dileo parou o jogo quando o placar era de 12 x 5 para o adversário. Sacando com eficiência e jogando a pressão para a equipe do Minas, a equipe de Juiz de Fora mantve a boa vantagem 19 x 11 e decidida a levar o jogo para o quarto set,fechou o terceiro em 25 x 13.

O quarto set começou com um forte ataque do Luan que explodiu no jogador argentino Quiroga. O set se manteve equilibrado até o ponteiro Quiroga pontuar duas vezes seguidas e o Minas marcar 8 x 6. NA volta do tempo técnico a UFJF voltou mais agressiva no saque, o que proporcionou contra-ataques e assim, a equipe passou na frente do marcador: 14 x 12. A equipe da casa foi buscar, o técnico da UFJF Maurício Bara pediu tempo para quebrar a reação do Minas. Na segunda parada técnia: 16 x 15 UFJF. O set seguiu equilibrado 19 x 19. Samuel, ponteiro do Minas, fez um lindo ponto de bloqueio e sua equipe voltou a liderar o placar: 21 x 20. Com um excelente saque de Luan , a bola veio de “graça” e a UFJF virou a partida, 22x 21. Com um erro de ataque da equip de BH, a UFJF abriu dois pontos no fim do set: 23x 21. O técnico Horácio pediu tempo para tentar arrumar sua equipe, mas na volta do jogo, Luan fez um ponto de saque e no contra ataque a UFJF fechou o  set, 25 x 21 e empatou a partida em dois sets a dois.

Embalada com a reação no jogo, a equipe da UFJF começou melhor o tie-break, 3 x 1. Porém, a equipe do Minas não estava afim de se entregar no jogo e logo reagiu e passou no placar:  5 x 4. Na troca de lado, o levantador da UFJF, Danilo Gelinski levou uma bolada no olho e  saiu para a entrada do levantador Ricardinho. A equipe minastenista seguia firme no set e com uma sequência de  ataque de Quiroga ,um bloqueio do central Henrique e um erro de ataque do adversário, foi com vantagem de três pontos na virada do set, 8 x5. A equipe de Juiz de Fora sentiu a pressão de jogar atrás no marcador  e cometeu muitos erros, assim, o Minas abriu cinco pontos de frente nos momentos decisivos:12 x 7. Lucarelli fez um ponto de bloqueio simples e decretou o match- point : 14 x9 . A UFJF até buscou uma reação, mas já não dava tempo.Com um ponto de ataque de Quiroga, a equipe do Minas Tênis Club fechou o jogo por 15x 11 e 3 sets a 2.

 

Agora o Minas espera o adversário da final que sairá do confronto de amanhã entre Sada/Cruzeiro x Uberlândia. Já a equipe da UFJF fará uma pausa e retornará aos treinos no dia 25 de Setembro.

 

JOGOS OLÍMPICOS: Seleção brasileira é vice-campeã de Londres 2012

Por Luara Herédia

12/08/2012 – O  sonho do tri olímpico  foi adiado. Depois da seleção brasileira ter vencido  dois sets e ter dado um passo importante para a medalha de ouro ninguém contava que no terceiro set fosse brilhar a estrela do técnico russo Vladimir Alekno que promoveu uma mudança no se esquema tático que foi crucial para a vitória quase inexplicável  do time russo. O central Dimitri Muserskyde 2,18m foi jogar de oposto, eficiente o jogador marcou 31 pontos e foi o destaque absoluto da vitória russa de virada por 3 sets a 2. Parciais de 25 x 19, 25 x 20 ,27 x 29 , 21 x 25 e 9 x 15

     

O JOGO:

A seleção brasileira já começou ligado e  pontuando com Murilo atrás da linha dos três. Ligada na defesa, a seleção pontuava no contra ataque e com isso abriu vantagem logo no início do jogo:  5-2, o que provocou uma mudança de levantador no time russo. Na primeira parada técnica o placar era de 8 a 5 para o Brasil. Jogando solta a equipe brasileira logo impôs seu ritmo na partida. Já a Rússia sentiu a pressão e errava muito. Em um ataque do levantador Bruno  a seleção foi para o segundo tempo técnico com 16 a 11 no placar. Com ace de Lucão e um bloqueio de Murilo, o Brasil ampliava sua vantagem: 20 a 13. Com uma boa margem a equipe brasileira fechou o set: 25 x 19.

No segundo set a Rússia já entrou mais agressiva e abriu dois  pontos no placar. Mas mantendo a concentração e com bons  saques a seleção brasileira logo retomou a frente do placar: 5 -3. Com um ace de Wallace o Brasil foi para a parada técnica com 8-4 no marcador. Bruno muito regular na partida distribuiu  o jogo muito bem, o que facilitou o Brasil abrir vantagem:16 a 12. Na volta da parada técnica a Rússia voltou melhor, a Rússia até buscou uma reação e encostou no jogo: 16 a 15. Porém, com um ataque de Wallace e o bloqueio brasileiro funcionando a seleção novamente abriu vantagem: 19 a 15.  Com tranquilidade e eficiência a seleção fechou mais um set: 25 -20, abrindo 2 sets a 0.

No terceiro set  o técnico russo promoveu  uma mudança que deu certo. Tirou o central  Muserskiy de 2,18m e o colocou para jogar como oposto. E o jogador se adaptou muito bem a função. No primeiro tempo técnico a Rússia tinha vantagem: 8- 7. Para a Rússia era tudo ou nada mas a equipe brasileira não estava disposta a facilitar o jogo para a equipe russa. Controlando a ansiedade a equipe brasileira retomou o placar: 16 a 15. Na volta da parada técnica  a seleção brasileira voltou mais ligada e abriu vantagem :18 a 15. No fim do set, com a  ansiedade normal de terminar uma partida a seleção parou de pontuar e a Rússia empatou o jogo: 22 a 22. O técnico brasileiro parou a partida para tentar acalmar a seleção.  Os times trocavam pontos. O Brasil chegou a ter  2 match points mas não conseguiu fechar o set (jogo)o que resultou em set point para a Rússia que aproveitou a chance e fechou o terceiro set: 29 a 27.

No quarto set, Dante sentiu o joelho, Giba veio para o set como titular. Com um início tenso as equipes trocavam pontos. No primeiro tempo técnico vantagem mínima para a Rússia: 8-7.O bloqueio russo começou a funcionar, além de contar com os ataques eficientes de Muserskiy. Já pelo lado brasileiro a seleção parou de pontuar nos contra ataques e a recepção caiu. Na segunda parada técnica a Rússia tinha 16 a 12 no placar. Bernardinho tirou Giba e colocou Thiago Alves. Ricardinho e Rodrigão também vieram para o jogo no lugar de Bruno e Wallace. Jogando solta e empurrando a pressão para o Brasil a Rússia venceu o quarto set por 25 a 21 e empatou a partida em 2 sets a 2.

No tie- break a Rússia aproveitou o melhor momento na partida e logo abriu vantagem 3 x 1,essa vantagem russa só se estendeu, na virada de quadra o placar era 8 a 4. A seleção brasileira já não era a mesma, assustada com os ataques russos não conseguia pontuar no bloqueio e nem pontuar em contra ataques. Do outro lado Muserskiy continuava pontuando. O Brasil continuava sem conseguir parar o gigante,com isso  a Rússia fechou o set por 15 x 9 e levou o título olímpico inédito com uma virada espetacular.

“ELIMINAÇÃO PRECOCE”…

Depois de uma estreia para se esquecer, a seleção brasileira de volei entrou em quadra contra a Polônia pela segunda rodada da Fase Final da Liga Mundial com a responsabilidade de vencer seu maior “carrasco”  entre as últimas partidas, a Polônia, para se manter na Liga Mundial 2012. Porém, novamente  a equipe  comandada pelo técnico italiano Andrea Anastasi foi superior, jogou melhor nas horas decisivas e eliminou o Brasil no tie- break. Parciais de 25 x 23, 23 x 25, 25 x 23, 17 x 25 e 10 x 15.

Com os ponteiros brasileiros fora de suas condições físicas ideias( Murilo sofre de uma tendinite no ombro, Dante sofre desde a final da última temporada com uma lesão do joelho, Giba passou por uma cirurgia e volta aos poucos), a seleção brasileira até que tentou , mas a  Polônia do ponteiro Bartosz Kurek e do oposto Bartman voltou a vencer a seleção nessa Liga Mundial( foram 5 confrontos e 4 vitórias polonesas) e dessa vez eliminou a equipe brasileira da competição., acabando assim com a possibilidade do deca( dez títulos).

É   a segunda vez que o brasil fica fora do pódio em uma competição na “Era Bernardinho”. A primeira tinha sido também em um ano olímpico, na Liga Mundial ,em 2008, disputada o no Ginásio do Maracãnazinho, Rio de Janeiro.

O central Lucão comentou sobre a eliminação:

 “A equipe mostrou uma evolução boa, de determinação e de voleibol, mas sofremos muito com as lesões. Murilo, Dante, Giba, Vissotto, todos voltando de um tempo sem jogar. Agora precisamos trabalhar ainda mais. Temos três semanas para pensar somente nos Jogos Olímpicos. Temos que treinar, botar a cabeça no lugar e que tudo isso sirva de aprendizado para mostrar que o que estamos fazendo não é o suficiente”.

A seleção agora volta para o Brasil e  ficará treinando no Centro de Treinamento em Saquarema com foco nos Jogos Olímpicos de Londres. A seleção está no Grupo B, considerado o “grupo da morte” ao lado de EUA, Rússia, Alemanha, Sérvia e Tunísia.

 

 

NÃO ESTAVA NOS PLANOS…

 

A seleção brasileira entrou em quadra sabendo das as principais características do time cubano : o vigor físico e o saque forte, no primeiro set a tática brasileira até funcionou bem, porém, Cuba cresceu muito no jogo e venceu a partida por 3 sets a 2 (17X 25, 25X 22, 25 X 22, 20 X 25 e 15 X 12),  segunda derrota do Brasil na competição.

1º set:

      O Brasil começou de forma arrasadora, quando o placar marcava 4 a 2 , a seleção já tinha  marcado  1 ponto de ataque,2 de bloqueios e 1 de saque.

Com o oposto Hernandez e o ponteiro passador Leon jogando abaixo do que sabem a vantagem brasileira foi se estendendo, na segunda parada técnica obrigatória o placar marcava 16 X 9. No final do set Cuba marcou 4 pontos seguidos, mas a folga no placar a favor do Brasil era extensa e não deu para Cuba reagir: 25 X 17. A seleção marcou 8 pontos de bloqueio e Giba foi o maior pontuador do set.

2º set:

     O saque cubano começou a entrar com Hernandez, do lado brasileiro o capitão Giba continuava sendo o destaque. Com um bloqueio, a seleção caribenha chegou na frente do placar, 8 X 6.

Murilo, discreto no ataque era fundamental na recepção e principalmente no saque, assim a seleção virou o jogo: 11 X 9, mas com um erro brasileiro de saque e um ace de Hernandez, Cuba igualou o placar e na seqüência com um saque e um bloqueio chegaram a abrir 2 pontos.

A seleção jogava bem, após belas defesas e um saque forçado de Murilo  ficaram na frente do placar,20 X 19. Cuba pontuava no contra- ataque e contando com ótimos ataques do canhoto Hernandez, Cuba fechou o set: 25 X 22.

     3º set:

     A vitória no segundo set deu moral a  seleção cubana, no primeiro tempo técnico a vantagem era de 5 pontos : 8 x 3. Bernardinho promoveu a inversão do 5:1 , mas optou por colocar Wallace no lugar do Théo, saíram Marlon e Vissotto.

Wallace marcou 2 pontos importantes, no outro lado da rede Leon, (ponteiro passador de 18 anos e titular da seleção desde os 14) crescia no jogo 10 X 6 para Cuba no marcador.

A seleção buscava o marcador, após uma recuperação de bola sensacional de Giba o Brasil encostou no placar, 12 X 10, obrigando o técnico Orlando Samuels a parar o jogo. A parada fez bem ao time cubano, marcando 3 pontos seguidos abriram 15 X 10.

O Brasil até empatou o marcador, mas não conseguia passar na frente, Leon e Hernandez fizeram a diferença, 20 X 17. Após erro de saque de Vissotto, 25 X 22 Cuba.

4º set:

Atrás do placar , só restava ao Brasil vencer e provocar o tiebreak, Bruninho e Wallace começaram como titular.   Com dois  aces de Giba, 6 X 4 no placar a favor do Brasil.

Na segunda parada técnica a folga no marcador era de 5 pontos: 16 X 11. Administrando a folga no placar, a seleção fechou o set por 25 X 20

5 ºset:

No set de desempate Cuba liderou na maior parte,  abriram 3 pontos  7 X 4, mas após a troca de lado obrigatória o Brasil emaptou o jogo, 8 X 8 mas nao conseguia ficar a frente no marcador. Cuba voltou a abrir 2 pontos, Leon foi o grande destaque do set. A seleção não consgeuiu reagir e Cuba fechou o set por 15 X 12 e o jogo por 3 sets a 2.

 

Foi a segunda derrota brasileira na Copa do Mundo de Volei, mas o Brasil ainda sonha com o titulo pois ainda tem um confronto direto com a líder Polônia( jogo acontece na madrugada de sexta para sábado).

NO SUFOCO MAS NO FIM DEU A LÓGICA…

Seleção ouve atenta o técnico Bernardinho na vitória sobre a China por 3 sets a 1. Fonte: FIVB

Ao contrário da tradicional equipe de  voleibol feminino, a seleção masculina da China  sem muita tradição na modalidade resolveu complicar a vida da seleção brasileira. A equipe chinesa que ainda nao tinha vencido sets, venceu o seus primeiros sets no jogo contra o Brasil, levou o jogo ao tie-break, porém, na hora decisiva deu a lógica;  vitória brasileira por 3 sets a 2 ,(23 X 25, 25  X10, 25X 18 , 19 X25 e 15X  ). Contra o time asiático,  Bernardinho escalou um time diferente em relação ao que ganhou do time da Rússia no jogo anterior.  Os jogadores que começaram  a partida foram: Bruno, Theo, Gustavo( primeiro jogo em que o experiente central  foi relacionado nessa Copa do Mundo de Volei), João Paulo Bravo, Murilo, Rodrigão e o líbero Serginho.

O JOGO

1 set:

Como é o forte das equipes asiáticas, a China começou defendendo muito bem e virando nos contra-ataques, na primeira parada obrigatória, 8 X 7 para o adversário. Com um bloqueio simples em cima do ponteiro passador João Paulo Bravo o time chinês abriu três pontos de vantagem: 12 X 9.  Bernardinho promoveu a inversão do 5X 1, saíram Murilo e Bruninho, entraram Marlon e Wallace. Mas no segundo tempo técnico, 16 X 11 para os chineses. O time brasleiro encostou no placar contando com pontos de contra-ataque o que acabou provocando o pedido de tempo do técnico chinês, 18 X 16.  Decididos a não entregar o set no fim, a seleção chinesa atuava muito bem, com belas combinações de  jogadas rápidas de meio de rede ( jogada típica brasileira), defesas e ataques eficientes, a China surpreendentemente venceu o Brasil: 25 X 23.

China surpreendentemente vence o 1º set: 25 X 23

    2 set:

Disposto a espantar a zebra a  equipe       brasileira voltou muito mais concentrada no  jogo, com 3 X 0 no placar, o técnco chinês foi obrigado a parar o jogo logo no início do set. Sacando e  bloqueando melhor e contando com bons ataques dos principais atacantes, a vantagem era de 6 pontos no primeiro tempo técnico: 8 X2. A China continuava dependente do principal atacante P. Chen e em um bloqueio simples do jogador em cima do Murilo a equipe chinesa tentava uma reação no placar, 11 X 7. Na segunda parada técnica, 16 X 7 para o Brasil, João Paulo Bravo foi o destaque da seleção no set.  Com uma postura  bem mais confiante, contra-atacando e sacando bem a equipe brasileira atropelou a chinesa :25 X 10 . 

Ataque de Ping Chen, melhor jogador chinês ( FIVB)

3 set:

O início de set mais equilibrado, as duas equipes ficaram trocando pontos.  No primeiro tempo técnico: 8 X 7 para o Brasil.  A seleção foi abrindo no placar e a vantagem era de quatro pontos no segundo tempo técnico,16 X 12. E com um ace, a equipe brasileira  sem sustos fechou o set , 25 X 18.

4 set:

Na frente do placar ( 2 sets a 1, de virada), a equipe brasileira entrou determinada a fechar o jogo no 4º set e assim evitar o tie-break. Após um lindo ataque do ponteiro passador Murilo e um ponto de vantagem, a seleção foi à frente no tempo técnico.

Porém a China queria ganhar  mais um set sobre o Brasil e assim conquistar seu primeiro ponto na competição. Na segunda parada técnica, 16 X 12 para os chineses. Com uma bela vantagem chinesa, Bernardinho promoveu a entrada do central Lucão em busca de um bloqueio para diminuir o placar em relação ao time chinês. Mas  a troca de centrais não foi eficiente, com uma atuação inconstante do Brasil, a China veneu o set por 25 X 19, levando o jogo ao quinto e decisivo set.

 5 set:

A seleção entrou no set decisivo com alterações: Lucão e Wallace começaram como titular nos lugares de Gustavo e Theo. Com um ótimo volume de jogo a seleção foi com uma folga no placar na troca de lado de quadra, 8 X 3.

O oposto Wallace entrou atacando e sacando muito bem  e foi determinante para a boa atuação da equipe brasileira no último set. E com um bloqueio simples de Lucão( que também entrou no último set) , o Brasil fechou o jogo: 15 X 8.

Com o jogo de 5 sets diante da China, a seleção perde a liderança da competição . Agora a seleção mudará novamente de sede para a disputa da terceira fase da competição. Após passar por Kagoshima, o Brasil deixa Kumamoto e segue rumo a Humamatsu. O primeiro confronto será um clássico sul-americano, Brasil X Argentina, madrugada de sábado para domingo, 4h da manhã. SPORTV, GLOBO e ESPORTE INTERATIVO transmitem a partida.