[Copa dos Campeões] No tie-break, Brasil supera Estados Unidos e fica perto do título

O equilíbrio marcou a vitória do Brasil sobre os Estados Unidos na madrugada deste sábado (16). A partida, decidida no tie-break (26×28, 25×15, 20×25, 25×22, 13×15), teve os americanos com melhor aproveitamento no ataque e o oposto Anderson como maior pontuador (27 acertos).

O grande desafio do Brasil em partidas contra os Estados Unidos é o poder do saque americano, principalmente do oposto Anderson. A recepção brasileira conseguiu controlar o passe sem comprometer o levantamento e a distribuição de jogo de Bruninho. Além disso, o volume de jogo das duas equipes proporcionou bons rallys.

No ataque, os americanos aproveitaram bastante o alcance de seus jogadores e a mão de fora dos bloqueadores brasileiros, principalmente quando Anderson e Bruninho estavam na rede. “Foi uma partida muito parelha porque nos conhecemos muito bem. Os Estados Unidos são muito fortes, com um grande saque e poder de ataque. Eles têm alguns dos melhores atacantes e um levantador muito bom. A diferença se deu em algumas jogadas específicas”, avaliou o levantador Bruninho.

A vitória deu ao Brasil uma vantagem na briga pelo título da Copa dos Campeões. A seleção brasileira depende de si para levantar o troféu, uma vez que entrará em quadra contra o Japão sabendo do resultado necessário para terminar a competição em 1º lugar.

Italycelebratetheirvictory.jpgFrança perde mais uma
Adversária direta do Brasil, a Itália venceu a França por 3×1 e precisa vencer os Estados Unidos para colocar pressão nos brasileiros na última rodada. Com baixas no elenco e sem conseguir render em quadra, a França amargou sua terceira derrota na competição.

No fechamento da rodada, o Japão foi superado mais uma vez, agora pelo Irã. Os iranianos levaram a vitória por 3×1. Todas as partidas estão sendo transmitidas no canal da FIVb no Youtube e ficam disponíveis na galeria de vídeos.

Confira todos os resultados e a tabela da Copa dos Campeões 2017:

12.09
França 0 x 3 Brasil (25×27, 25×27, 22×25)
Itália 2 x 3 Irã (19×25, 25×23, 26×28, 31×29, 11×15)
Japão 0 x 3 Estados Unidos (21×25, 18×25, 13×25)

13.09
Brasil 2 x 3 Itália (25×15, 25×28, 25×27, 25×18, 12×15)
Estados Unidos 2 x 3 Irã (25×20, 25×17, 25×27, 21×25, 12×15)
Japão 0 x 3 França (15×25, 23×25, 23×25)

15.09
Irã 0 x 3 Brasil (22×25, 19×25, 15×25)
França 0 x 3 Estados Unidos (20×25, 17×25, 16×25)
Itália 3 x 1 Japão (25×23, 22×25, 25×20, 25×22)

16.09
Estados Unidos 2 x 3 Brasil (26×28, 25×15, 20×25, 25×22, 13×15)
França 1 x 3 Itália (25×21, 20×25, 22×25, 21×25)
Japão 1 x 3 Irã (25×21, 19×25, 20×25, 14×25)

16.09
23h40* – Itália x Estados Unidos

17.09 (*horário de Brasília)
2h40* – Irã x França
6h15* – Brasil x Japão

Com informações da FIVb
Fotos: FIVb

Anúncios

[Copa dos Campeões] Vitória importante para o Brasil diante do Irã

Após perder para a Itália na segunda rodada, a seleção brasileira se recuperou na Copa dos Campeões com uma vitória por 3×0 diante do Irã. Com parciais de 25×22, 25×19 e 25×15, o Brasil teve como destaques o oposto Wallace (15 pontos) e o central Lucão (14 pontos).

Eficiente no ataque e no bloqueio, a seleção brasileira aproveitou ainda a baixa efetividade iraniana no side-out. O técnico do Brasil, Renan dal Zotto, destacou a qualidade do Irã e elogiou o levantador Marouf. “Estou muito feliz porque a seleção brasileira sacou muito bem e o trabalho de bloqueio e defesa também funcionou bastante e isso é muito positivo devido as dificuldades de jogar contra uma seleção tão rápida como é a do Irã, que tem um dos melhores levantadores do mundo na atualidade”, comentou Renan.

Japão conquista set diante da Itália

MasahiroYanagidaspikesagainstItaly.jpgAnfitriões da competição, os japoneses conseguiram vencer seu primeiro set na Copa dos Campeões. Não foi o suficiente para derrubar a Itália que venceu a partida por 3×1. “Pela primeira vez nesta competição, fomos capazes de vencer um set. É algo bom, mas sinto que poderíamos ter feito melhor. Não acho que a Itália jogou um voleibol sofisticado hoje. Eles cometeram erros e nós não os aproveitamos o bastante, então isso é decepcionante”, disse o treinador do Japão, Yuichi Nakagaichi.

A França continua oscilando em quadra e sofreu a segunda derrota, agora para os Estados Unidos que lideram a competição no último critério de desempate (points average: pontos vencidos divididos por pontos perdidos). O Brasil é vice-líder seguido de Itália (3º), Irã (4º), França (5º) e Japão (6º).

Todas as partidas estão sendo transmitidas no canal da FIVb no Youtube e ficam disponíveis na galeria de vídeos.

Confira todos os resultados e a tabela da Copa dos Campeões 2017:

12.09
França 0 x 3 Brasil (25×27, 25×27, 22×25)
Itália 2 x 3 Irã (19×25, 25×23, 26×28, 31×29, 11×15)
Japão 0 x 3 Estados Unidos (21×25, 18×25, 13×25)

13.09
Brasil 2 x 3 Itália (25×15, 25×28, 25×27, 25×18, 12×15)
Estados Unidos 2 x 3 Irã (25×20, 25×17, 25×27, 21×25, 12×15)
Japão 0 x 3 França (15×25, 23×25, 23×25)

15.09
Irã 0 x 3 Brasil (22×25, 19×25, 15×25)
França 0 x 3 Estados Unidos (20×25, 17×25, 16×25)
Itália 3 x 1 Japão (25×23, 22×25, 25×20, 25×22)

16.09 (*horário de Brasília)
0h40* – Estados Unidos x Brasil
3h40* – França x Itália
7h15* – Japão x Irã
23h40* – Itália x Estados Unidos

17.09 (*horário de Brasília)
2h40* – Irã x França
6h15* – Brasil x Japão

Com informações da FIVb e CBV
Fotos: FIVb

[Liga Mundial] Brasil vence Estados Unidos e está na primeira final com Renan no comando

 A seleção brasileira comandada pelo técnico Renan Dal Zotto, que disputa sua primeira competição no comando da equipe, carimbou sua vaga na final da Liga Mundial. Nesta sexta-feira (7) o Brasil fez seu melhor jogo nesta Fase Final e passou pelos Estados Unidos por 3 sets a 1 (25×20, 23×25, 25×20 e 25×19), na primeira partida de semifinal.

A partida teve uma disputa para maior pontuador do confronto entre o ponteiro Sander, dos EUA, e o oposto Wallace, do Brasil. O jogador norte-americano levou a melhor com 20 pontos, seguido de perto pelo atacante brasileiro que marcou 18 vezes.

Com nove títulos, o Brasil é o maior vencedor, mas busca quebrar um jejum de títulos da Liga que não vem desde 2010. Além disso, os brasileiros têm outro tabu pela frente: conquistar o título em casa, feito que bateu na trave em 2002, em Belo Horizonte, e em 2015, no Rio de Janeiro. O adversário na final sairá do confronto entre França e Canadá. O jogo será no sábado(8), às 23h, com transmissão do Sportv e da Globo.

O jogo

Os anfitriões iniciaram ditando o ritmo da partida e aproveitando contra-ataques (5×1). Porém, a defesa dos Estados Unidos se ajustou e eles diminuíram a desvantagem para apenas um ponto (6×5). Se o Brasil teve um bom início, não se pode falar o mesmo do adversário, foram 10 erros ao longo do set, contra apenas três dos brasileiros. A vantagem dava uma confiança maior para os dos sul-americanos no saque (15×12), além dos bons ataques de Wallace e Lucarelli, que ao lado do ponteiro Sander, foram os maiores pontuadores da parcial com quatro acertos. Após 27 minutos, o Brasil fechou (25×19), depois do erro de saque do levantador Christenson.

Assim como aconteceu no set anterior, o Brasil começou agressivo (5×2). Porém, o sistema bloqueio e defesa dos EUA começou a fazer a diferença e eles viraram a parcial (9×13). Com Bruno utilizando mias os centrais, sobretudo o seu entrosamento com Lucão, o time reagiu e deixou tudo igual (13×13).  Demonstrando mais agressividade, os visitantes voltaram a se impor e abriram uma folga importante (19×22), mas, rapidamente, viram um Brasil reagir e, no contra-ataque, viram a bola resvalar na fita e cair do lado adversário para deixar tudo igual (23×23). Mas, melhor durante maior parte do set, o time do técnico Speraw fechou a parcial (23×25) em 31 minutos.

sander

Com 20 pontos(18 de ataque e 2 de saque), o ponteiro Sander foi o maior pontuador da partida. Foto:FIVB

Com o sistema de bloqueio melhor, pontuando ou amortecendo o ataque do adversário, os brasileiros abriram o dobro de pontos do adversário (12×6).  Com o Brasil dominando, o técnico dos Estados Unidos fez uma mudança colocando Jaeschke para atuar como um falso oposto. Do outro lado, Bruno seguia distribuindo muito bem a bola entre Lucarelli e Wallace, que respondiam colocando a bola no chão na quadra adversária (20 x16). Muito jovens, mas com a tática e técnica bastante conhecida dos norte-americanos, o time diminuiu perigosamente a vantagem brasileira (20×18). A equipe comandada pelo técnico Renan voltou a jogar melhor, utilizaram o apoio das arquibancadas e fecharam a terceira parcial (25×20), em 28 minutos.

O início do quarto set foi o mais equilibrado, com as equipes se revezando à frente do placar. Os Estados Unidos chegaram ao primeiro tempo técnico em vantagem, mas três erros de ataque seguidos dos americanos recolocaram os brasileiros no comando (11×8). A seleção brasileira voltou a utilizar um saque mais tático, jogou uma pressão maior no adversário que sentiu e voltou a cometer erros excessivos,  o levantador Bruno protagonizou jogadas espetaculares  e o Brasil foi se encaminhando para fechar o set e o jogo.  Com a equipe jogando de forma muito consistente, os brasileiros fecharam em (25×19) e o jogo por 3 sets a 1.

 

Foto de Capa via Confederação Brasileira de Vôlei(CBV)