[Superliga] Maringá vence e assume a décima posição; Minas para diante do Sada

A tarde de ontem (11) prometia um grande clássico entre Minas Tênis Clube e Sada Cruzeiro na capital mineira, e foi o que vimos nos dois primeiros sets do confronto. Apesar da recuperação na segunda parcial, os minastenistas foram dominados no terceiro set encerrando a sequência de seis rodadas seguidas pontuando na Superliga 2016/2017. A vitória por 3×0 (parciais de 23×25, 22×25, 10×25) foi a 17ª do Sada Cruzeiro que segue líder isolado e invicto na competição.

Disputando a 6ª colocação com o Minas, o JF Vôlei foi ao Rio Grande do Sul e se recuperou vencendo o Lebes Gedore Canoas por 3×0. No próximo sábado, o time da Zona da Mata mineira recebe o Minas, às 18h, no ginásio da UFJF.

Maringá vence a segunda seguida

Após o triunfo sobre o JF Vôlei no meio da semana, o Copel Telecom Maringá Vôlei fez o dever de casa e conquistou mais uma vitória importante na briga contra o rebaixamento. No ginásio Chico Neto, os paranaenses fizeram 3×1 sobre o lanterna Caramuru Vôlei e assumiram a décima posição na tabela, ultrapassando o São Bernardo Vôlei que foi derrotado pelo Sesi-SP no interior paulista.

No encerramento da rodada, o Montes Claros Vôlei foi superado, em casa, pelo Funvic Taubaté por três sets a um. Confira os resultados da rodada:

Superliga Masculina 2016/2017 – 6ª rodada returno – 11.02.2017
São Bernardo Vôlei 0 x 3 Sesi-SP (23×25, 20×25, 19×25)
Minas Tênis Clube 0 x 3 Sada Cruzeiro (23×25, 22×25, 10×25)
Lebes Gedore Canoas 0 x 3 JF Vôlei (23×25, 26×28, 22×25)
Copel Telecom Maringá Vôlei 3 x 1 Caramuru Vôlei/Castro (26×28, 25×21, 25×21, 25×23)
Bento Vôlei Isabela 0 x 3 Vôlei Brasil Kirin (16×25, 22×25, 22×25)
Montes Claros Vôlei 1 x 3 Funvic Taubaté (20×25, 25×21, 23×25, 21×25)

7ª rodada returno – 18.02.2017
11h – São Bernardo Vôlei x Copel Telecom Maringá Vôlei
14h10 – Sada Cruzeiro x Bento Vôlei Isabela (REDE TV)
18h – JF Vôlei x Minas Tênis Clube
18h30 – Funvic Taubaté x Sesi-SP
20h – Caramuru Vôlei/Castro x Lebes Gedore Canoas
21h30 – Vôlei Brasil Kirin x Montes Claros Vôlei (SPORTV)

Anúncios

[Superliga] Ricardinho diz que a equipe de Maringá pode fechar as portas

Campeão olímpico em 2004, o levantador Ricardinho também é presidente do Maringá Vôlei (Foto: Lucilia Bortone/Sacandoovolei)

A pré-temporada curta, campanha irregular na Superliga e a lesões marcaram a temporada 2015/2016 do Copel Telecom Maringá. A equipe está em Juiz de Fora para a disputa da Seletiva para a Superliga Masculina 2016/2017 e decide hoje (30), às 19h30, a última vaga para o campeonato nacional contra o Juiz de Fora Vôlei.

Logo após a vitória de Maringá sobre o UPIS/Brasília, o levantador e presidente do clube paranaense, Ricardinho, disse ser um absurdo a existência de uma seletiva e também afirmou não ser certa a continuidade da equipe caso a vaga não seja conquistada esta noite. “Uma das equipes ficará fora e se a gente não permanecer, o projeto [de Maringá] acaba porque nossos patrocinadores são baseados na Superliga A. Uma das minhas reclamações como presidente é que a gente tem verba para permanecer na Série A e seria um absurdo a gente ter que ficar fora tendo uma equipe, enquanto outras caem e deixam de existir. Vamos ver, senão vou ter que fechar as portas e seguir a minha vida”, declarou.

Ricardinho também não poupou a CBV. “Como presidente, reclamo muito da existência de uma seletiva como essa. É um absurdo tanto para quem vem da Superliga B quanto para quem disputa a Série A. Acho que foi feita da forma errada. Fico triste, por tudo que fiz e venho fazendo pelo voleibol, em ver o que vem acontecendo principalmente com as equipes com recurso menor que sofrem bastante. Acho que a CBV deveria ajudar e estimular a equipe a permanecer [no esporte] e isso não vem acontecendo, é uma pena”, completou.

O jogador afirmou ainda que a partir de quinta-feira (31), o clube apresentará reclamações à Confederação. “As reclamações necessárias vão acontecer por parte de Maringá, não sei o que vai acontecer com Juiz de Fora. [Maringá e Juiz de Fora] São equipes que já tem um projeto de sucesso, independente se é de time grande, pequeno ou médio, são projetos reais e importantes que geram emprego para esse voleibol que dizem ser o melhor do mundo. Acredito que a CBV deveria fazer algo um pouco diferente do que foi feito nessa seletiva”, disse.